faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Fórum nacional com correalização da ABIMED ressalta saúde digital como mais um importante instrumento de atendimento

saude business saude digital.png
Debates trouxeram questões de Infraestrutura da Qualidade com o objetivo de estimular a inovação, facilitar o comércio e a produção nacional, sob um viés de desenvolvimento e tecnologias digitais

A realidade sobre o desenvolvimento tecnológico em prol da sociedade ganhou uma nova proporção e urgência com a crise social e econômica, causada pela pandemia da Covid-19 em todo o mundo. Diante desse novo cenário e das necessidades em superar as barreiras impostas por essa pandemia, importantes temas têm, cada vez mais, ganhado espaço e provocado discussões para viabilizar e qualificar o atendimento ao cidadão.

Foi com essa finalidade que, entre os dias 20 e 24 de setembro, foi realizado o 1º Fórum Intersetorial de Saúde Digital, promovido pela Secretaria Especial de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia (Sepec/ME), por meio de sua Secretaria de Advocacia da Concorrência e Competitividade (Seae) e a Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para a Saúde (Abimed), contando com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e do Projeto Global Infraestrutura da Qualidade (PGIQ), implementado pela Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ), com o objetivo de refletir sobre as oportunidades que a integração de serviços e o avanço de novas tecnologias podem oferecer ao exercício da saúde digital.

O evento proporcionou, durante cinco dias, grandes debates sobre uma Infraestrutura da Qualidade com o objetivo de estimular a inovação, facilitar o comércio e a produção nacional, sob um viés de desenvolvimento e tecnologias digitais. Além de ter como pretensão reduzir as barreiras técnicas ao comércio, fortalecer a segurança dos produtos e aumentar a proteção ao consumidor por meio do diálogo político dos ministérios e reguladores relevantes.

Para o presidente executivo da ABIMED, Fernando Silveira Filho, o evento deu a oportunidade de pensar, discutir e preparar o país para os novos avanços rumo ao futuro. “A ABIMED tem como eixos estratégicos a Sustentabilidade do Sistema e Ambiente de Negócios; Tecnologia e Inovação; Ética e Compliance; Meio Ambiente e Responsabilidade Social; e Educação. Assim, não poderíamos deixar de contribuir com as exposições acerca destes temas, pois esperamos viabilizar o acesso amplo da população brasileira à atenção e ao cuidado para sua saúde no tempo, na medida e da forma adequadas, com produtos de qualidade, seguros e eficazes, por meio de processos, equipamentos e tecnologias de ponta, bem como com a proteção de seus dados assegurada”, destacou.

Dividido por temas, no primeiro dia foi debatida a “Saúde Digital para democratização da saúde no Brasil”, que trouxe importantes pontos como: a democratização do acesso à saúde; saúde digital não como algo novo, mas como projetos que já existem e já avançam; importância do debate multisetorial; importância da inovação; e saúde digital como mais um instrumento no rol de saúde.

Já no segundo dia, as discussões foram em torno do tema “Produtos, pessoas e processos para viabilizar a Saúde Digital no Brasil”, que destacaram: a certificação Digital; primazia dos direitos do paciente; proteção de dados em saúde; padrões de criptografia e protocolos de plataformas; liberdade no atendimento e escolha do médico e paciente; diferença e amplitude dos conceitos de teleconsulta, telemedicina, telessaúde e saúde digital; e a saúde digital como ampliação de cuidados além da consulta (exames, medicamentos, monitoramento, controle epidemiológico).

No terceiro dia, o tema foi a “Infraestrutura, cibersegurança e interoperabilidade de redes para a saúde digital”, que trouxe em discussão: o processo de digitalização dos HUs; IoMT Internet of Medical Things; marcos regulatórios que permitam seu avanço; fortalecimento de todas as fases do cuidado, com o aumento da eficiência e sustentabilidade dos sistemas de saúde, promoção do acesso equitativo e universal aos serviços; proteção dos dados (Anonimização) e Cibersegurança; adoção de padrões de interoperabilidade internacional (Fast Healthcare Interoperability Resources – FHIR); e importância de parcerias multisetoriais para inovação em saúde.

No quarto dia, a “Proteção e Privacidade de Dados em Saúde”, foi o tema apresentado, resultando em tópicos como: o benefício para o paciente e para o indivíduo; responsabilidade das empresas frente às regulamentações; algoritmos auditáveis; não discriminação dos indivíduos; e interoperabilidade TISS (troca de informação de saúde suplementar, sistema privado) e RNDS (rede nacional de dados em saúde, sistema público). Houve, também, a apresentação do Guia do Núcleo de Proteção de Dados do Conselho Nacional de Defesa do consumidor, que foca na proteção dos dados pessoais, fruto da cooperação entre a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) e a Secretaria Nacional do Consumidor (SENACON).

No quinto e último dia os “Desafios Regulatórios frente a Implementação da Saúde Digital”, fechou esse ciclo de debates, onde a abordagem da Inteligência Artificial em dispositivos médicos, foi um dos tópicos debatido durante o fórum. Neste mesmo dia, os palestrantes também puderam discorrer sobre: guia de Cybersegurança; regulamentação de Softwares não embarcados em saúde digital; Sandbox regulatório e possibilidade de ampliação da participação do MCTI nessa implementação; marcos regulatórios como forma de permitir o avanço da inovação; implementação de redes 5G como essenciais para serviços de saúde; padronização com parâmetros internacionais. Por fim, houve a apresentação da estratégia nacional de saúde digital (2020-2028), realizada pelo Ministério da Saúde.

Todas essas discussões que aconteceram no âmbito do Projeto Global Infraestrutura da Qualidade, entre o Ministério da Economia do Brasil (ME) e o Ministério Federal da Economia e Energia da Alemanha (BMWi), podem ser acessadas nos canais do Youtube da Sepec/ME e da ABIMED.

TAG: Abimed
Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar