faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Telemonitoramento domiciliar: estudo pioneiro no Brasil é destaque na European Respiratory Society

Telemonitoramento.png
Baseado em IoMT (Internet of Medical Things), o estudo apresentado no congresso internacional aponta melhora clínica relacionada à ventilação mecânica em 63% dos pacientes

O European Respiratory Society Congress 2022 (ERS) reuniu, em setembro deste ano, especialistas  da área da saúde do mundo todo para discutir os avanços e as novas tecnologias atreladas à medicina e doenças  respiratórias. Entre os destaques do evento esteve o estudo de telemonitoramento 24h, em casa, para pacientes que necessitam de suporte respiratório por aparelhos em decorrência de variadas enfermidades.

Liderado pela Plural Care em parceria com a ResMed, esse projeto de telemonitoramento domiciliar foi realizado ao longo de um ano com 110 pacientes, nos quais 75% necessitavam de ventilação mecânica invasiva (pacientes traqueostomizados) e 25% utilizam algum tipo de interface (máscara) oronasal. Os pacientes apresentavam enfermidades diversas, sendo 60% patologias neurológicas, 22% neuromusculares e 13%  pulmonares. 

Com o uso de Internet das Coisas Médicas (IoMT - Internet of Medical Things), essa tecnologia de telemonitoramento permite o acompanhamento e avaliação do quadro  respiratório do paciente e sua interação com os respiradores, em tempo real e de maneira remota, com o aparelho conectado por internet.

O estudo foi representado no ERS por João Paulo Silveira, especialista em Fisioterapia Cardiorrespiratória, sócio da Plural Care, e fundador da Domicile Home Care. 

“O telemonitoramento da Ventilação Mecânica Domiciliar combina humanização e tecnologia ao tratamento, levando conectividade para dentro de casa. Os benefícios vão desde a  melhora clínica dos pacientes, redução do número de reinternações hospitalares  à otimização dos custos em home care. Foi muito gratificante expandir esse conhecimento para milhares de profissionais e reforçar que a Internet das Coisas Médicas é o futuro da saúde e ferramenta fundamental para melhores desfechos clínicos no atendimento domiciliar”, comenta Silveira. 

Ao longo de um ano, o projeto demonstrou melhora clínica relacionada à ventilação mecânica em 63% dos pacientes que utilizaram o telemonitoramento. Além disso, nesse período, a tecnologia reduziu em até 45% as despesas para as fontes pagadoras, possibilitando aumentar a operação dos planos de saúde e reduzir a ocupação de leitos hospitalares.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar