faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Gestão clínica é o caminho para vencer a fragmentação da assistência

Conhecimento e protocolos para gestão de doenças são pontos de investimento do Sírio Libanês para melhor equacionar o custo versus a qualidade

“Tecnologia será sempre parte da solução e do problema”. A frase proferida pelo superintendente do Sírio Libanês, Gonzalo Vecina, evidencia a equação qualidade versus custo que as empresas de saúde têm de enfrentar. Segundo ele, a tecnologia vai sempre seguir a sina de aumentar a eficiência de processos com a contrapartida do aumento dos custos. “A tecnologia para tratar não vai ser a de baixo custo”, disse Vecina durante *1º Fórum Internacional AITE - empresa do Grupo Benner – em Santiago, no Chile.

Para ultrapassar essa dificuldade, o superintendente aposta no conhecimento e nos protocolos para gestão de doenças. Diante de um setor em que o modelo de cuidados está amplamente fragmentado, calcado em um processo de medicalização e excesso de exames, o Hospital Sírio Libanês (SP), assim como muitos outros, têm investido em instrumentos que promovam a gestão clínica.

Para obter resultados por meio de sistemas e processos com foco na gestão clínica, Vecina lembra ser fundamental manter o paciente no centro do atendimento – aspecto este ainda pouco praticado de fato pela maioria dos hospitais brasileiros.

A criação de times de médicos, fisioterapeutas, enfermeiros, fonoaudiólogos, com algum grau de generalistas, para entender e atender as necessidades dos pacientes seria ponto central para esta conquista.

Para Vecina, sem dúvida o custo mais importante da saúde é com os profissionais. Neste contexto ele valorizou as ferramentas de gestão de pessoas para auxiliar na retenção e atração de talentos. “Para que o hospital conquiste o médico como um parceiro, é preciso também desenvolver competências gerenciais; compliance na questão farmacêutica; gerenciamento de risco; sistemas de auditoria (internos e externos), já que a acreditação é de vital valor para os hospitais”, afirmou.

*1º Fórum Internacional da AITE, empresa especializada em serviços e soluções para a gestão de operadoras de saúde suplementar, reuniu 50 participantes, dirigentes e gestores do setor. Também ministraram palestras o doutor Stephen Stefani, sobre “Os rumos da Medicina e da Gestão em Saúde”; e Guilherme Hummel, consultor e especialista em tecnologias da informação e comunicação aplicadas à saúde, que falou sobre o tema “eHealth: Presente e Futuro”. O evento aconteceu no último dia 31 de outubro, no Hotel The Ritz – Carlton, na capital chilena. 

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar