faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Mortes por ebola sobem para 5.689

mortes-por-ebola-sobem-para-5-689.jpg
- Agência Brasil
São 15.935 casos detectados, segundo a OMS. Vacina experimental

O número de mortos da epidemia de ebola subiu para 5.689, de um total de 15.935 casos confirmados, segundo o mais recente balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado hoje (27). A epidemia, a mais grave desde a identificação do vírus em 1976, teve origem na Guiné-Conacri no final de dezembro de 2013. No dia 23 de novembro, foram registradas no país 1.260 mortes em 2.134 casos.

Na Libéria, foram contabilizados 3.016 mortos em 7.168 casos e, em Serra Leoa, a OMS contou 1.398 mortos em 6.599 casos diagnosticados. Cerca de 600 casos foram identificados em uma semana nesses três países da África Ocidental.

De acordo com a OMS, a situação é estável na Guiné-Conacri, estável ou em declínio na Libéria e, “sem dúvida, em crescimento” em Serra Leoa, com 385 novos casos confirmados em uma semana.

No Mali, o último país atingido pelo vírus, a OMS registra oito casos, que causaram seis mortes.

Na Nigéria e no Senegal, o balanço mantém-se inalterado há mais de 57 dias. Foram 20 casos, com oito mortes na Nigéria, e um caso no Senegal: um estudante da Guiné-Conacri, cuja cura foi anunciada pelas autoridades em 10 de setembro. Esses dois países foram retirados da listadaqueles em que a epidemia se alastra.

O balanço do número de vítimas entre os profissionais de saúde agravou-se, com 340 mortos (três a mais que o último balanço) em 592 contaminações (quatro a mais). O balanço anterior da OMS, anunciado na sexta-feira (21), contabilizou 5.459 mortos em 15.351 casos.

Vacina
Segundo a agência de notícias Reuters, a vacina experimental contra o vírus do ebola em produção pela GlaxoSmithKline foi testada com sucesso em 20 voluntário, durante a etapa inicial do estudo clínico. Não foram detectados efeitos colaterais graves, segundo os cientistas envolvidos.

Desde o início de setembro os voluntários vêm sendo acompanhados em um teste que deve durar 48 semanas, e busca avaliar a segurança da vacina. A resposta imune detectada está deixando os cientistas otimistas, muito embora os voluntários não possam ser expostos ao vírus para comprovar a eficácia do medicamento. O sucesso será medido pela detecção de anticorpos no sistema imunológico dos pacientes.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar