faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Um guia completo de marketing para o setor da saúde

marketing saúde.jpg
As redes sociais tem o poder de criar uma conexão médico-paciente, além de solidificar a marca e atrair mais clientes.

O Brasil ocupa a 6ª posição no ranking com mais usuários de redes sociais. Em uma pesquisa realizada em 2020, os brasileiros somavam 140 milhões e foram responsáveis por criar quase 10 milhões de novas contas, em apenas um ano. Diante destes números, não dá para negar que se a intenção é marcar presença e ganhar visibilidade, é preciso estar presente nestes canais.

Com suas peculiaridades, perfis e características únicas, cada rede social dita a sua maneira de se comunicar, assim como cada marca determina o seu tom. De acordo com Maeve Nóbrega, especialista em marketing médico, os profissionais da saúde que se aproveitam dessa ferramenta estão sempre um passo a frente dos seus concorrentes. “Além de dar voz para o médico, a rede social também oferece um terreno fértil para atrair e reter novos pacientes enquanto solidifica o relacionamento já existente, o que contribui para impulsionar seus resultados financeiros” – explica.

Com funcionalidades pensadas exclusivamente para ajudar a impulsionar e espalhar conteúdo online, os recursos visuais são conhecidos por invocar emoções, contribuindo para que os usuários criem conexões profundas com marcas e empresas a partir dos seus canais de relacionamento. “Utilize os stories para se conectar ao paciente, por exemplo, abra caixinhas de perguntas para conhecer melhor as dúvidas dos seus pacientes em potencial, conte um pouco sobre seu dia, use as hashtags certas e torne o feed o seu currículo” - destaca a profissional que possui mais de 10 anos de experiência em marketing de saúde.

A especialista explica ainda que é preciso estar atento as regras do Conselho Federal de Medicina (CFM) para não receber punições desnecessárias. E antes de aderir as redes sociais é imprescindível que o profissional tenha em mente qual o tipo de influência profissional ele almeja. “O médico deve ter uma resposta clara sobre o porquê de estar fazendo o que está fazendo em seu perfil. Quem você quer atingir? Qual imagem você irá transmitir com esse conteúdo? Uma vez que a postagem chegará até os potenciais pacientes, o que você deseja que ele veja? E assim por diante. Afinal, a primeira impressão que ele terá sobre você acontece ainda no ambiente virtual” – resume.

Sobre Maeve Nobrega

Com experiência em estratégias de Marketing, Publicidade e Comunicação Empresarial, Maeve Nóbrega atua como CEO e CMO da empresa Marketing e Valor que orientamédicos e profissionais da saúde no posicionamento estratégico e aconselhamento de marketing através de estratégias para o desenvolvimento da reputação e conquista de clientes. A especialista é graduada em Publicidade e Propaganda com Especialização em Marketing, MBA em Gestão Empresarial e Gestão de Projetos pela FGV. Acesse o site.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar