faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Novos conceitos de Arquitetura Hospitalar são estratégias para promoção da saúde e bem-estar do paciente

arquiteta allana

Saiba como a arquitetura hospitalar pode influenciar de forma positiva a saúde e recuperação do paciente, familiares e colaboradores dentro da instituição.

Novos conceitos de Arquitetura Hospitalar são estratégias para promoção da saúde e bem-estar do paciente.

Saiba como a arquitetura hospitalar pode influenciar de forma positiva a saúde e recuperação do paciente, familiares e colaboradores dentro da instituição.

Arquitetura hospitalar é uma área que envolve muitas especificações, exigências e regulamentações que garantem o funcionamento adequado do espaço e a segurança e bem-estar dos pacientes.

De acordo com a arquiteta Allana Ciniciato, os projetos arquitetônicos dos edifícios de saúde, devem ser concebidos de forma a oferecer as melhores condições ambientais e tecnológicas conforme cada tipo de especialidade médica e de tratamentos a que se destinam.

*Avanços*

Há muito tempo a arquitetura vem ganhando espaço e mostrando o quanto pode fazer a diferença no processo de cura de um paciente.

Profissionais se especializaram no tema e cada vez mais clínicas e hospitais passaram a buscar os recursos da arquitetura para proporcionar maior conforto e satisfação do paciente e facilitar o trabalho dos profissionais de saúde.

*Iluminação, Ventilação e Cores*

Ainda segundo Allana, a iluminação hospitalar influencia o equilíbrio fisiológico e psicológico dos pacientes e as cores, além de humanizar o ambiente, promovem a sensação de bem-estar e melhoram o processo de cura. Já a utilização de áreas com ventilação natural, além do conforto, auxilia no combate à infecção hospitalar devido à renovação constante do ar.

*Ergonomia*

Um ambiente ergonomicamente mal projetado pode gerar consequências no conforto e na eficiência do trabalho, além de impactos ambientais. _“É preciso atender às necessidades individuais, limitações e fragilidades dos funcionários, através de layouts e mobiliários adequados, entre outros”_, comenta a arquiteta.

*Acessibilidade*

Allana diz que ao desenvolver um projeto da área de saúde, é necessário prever a inclusão de pessoas com mobilidade. Além disso, o projeto deve considerar as condições de acessibilidade do mesmo, para que pacientes e equipes desfrutem de autonomia de locomoção, como por exemplo, corredores com portas largas e rampas.

*Sustentabilidade*

Obra com baixo impacto ambiental, descarte de resíduos, incidência solar, eficiência energética, produtos recicláveis. São itens que promovem a sustentabilidade de um edifício da saúde, de acordo com a arquiteta especialista em Arquitetura Hospitalar.

*Humanização*

Os ambientes hospitalares, antes considerados frios e impessoais, transmitiam a sensação de distância e insegurança ao paciente e familiar, pois o foco do espaço era somente higiene e tecnologia.

No entanto, com o passar do tempo essas características foram mudadas. _“Os projetos de espaços da área da saúde nos dias atuais, possuem um conceito mais humanizado e acolhedor. Criando assim, além de funcionais, espaços confortáveis e aconchegantes até mesmo para os profissionais de saúde”_, revela a arquiteta.

*Colaboração*

Allana C. Ciniciato

CAU A63112-4