faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Santa Casa de Araçatuba implementa reconstrução mamária

Article-Santa Casa de Araçatuba implementa reconstrução mamária

santa-casa-aracatuba-cancer-de-mama.png
Agora referência no serviço, instituição oferece mais qualidade de vida e benefícios psicológicos para pacientes.

A Santa Casa de Araçatuba realizou as duas primeiras cirurgias de reconstrução de mamas em mulheres que passaram por mastectomia durante o tratamento contra o câncer de mama. Essa iniciativa faz parte do compromisso do hospital com a estratégia estabelecida pelo Ministério da Saúde, em fevereiro do ano passado, de ampliar o acesso à reconstrução mamária para pacientes diagnosticadas com a doença. 

O convênio estabelecido com o Ministério da Saúde prevê a realização de 42 cirurgias ao longo de dois anos, beneficiando pacientes dos 40 municípios na região de Araçatuba. Estes procedimentos estão sob a supervisão do Serviço de Reconstrução Mamária, uma unidade vinculada ao Serviço de Oncologia da Santa Casa de Araçatuba. 

No Centro de Tratamento Oncológico (CTO), onde em média 1.800 pacientes são atendidos por mês, o câncer de mama é a condição predominante. 

Referência em câncer de mama 

O câncer de mama é o tipo mais comum entre as mulheres no Brasil e no mundo, sendo também a principal causa de morte por câncer entre as mulheres no país. A incidência e a mortalidade por câncer de mama aumentam progressivamente a partir dos 40 anos. 

Esta iniciativa reflete o compromisso da Santa Casa de Araçatuba, que completa 97 anos, em oferecer um tratamento abrangente e de alta qualidade para pacientes com câncer de mama. Não há mais a necessidade de encaminhamentos para outras cidades, o que consolida a instituição como referência regional no cuidado oncológico. 

Anteriormente, São José do Rio Preto era o principal centro de referência para cirurgias reparadoras de mamas na região. Embora o contrato com o Ministério da Saúde seja temporário, pode ser renovado em 2025.  

O serviço irá atender tanto a demanda reprimida quanto novos casos de pacientes que necessitam de mastectomia radica,l devido à gravidade da doença, o que destaca a importância da reconstrução mamária não apenas como um procedimento estético, mas como parte integrante do cuidado oncológico.