faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

COVID-19: Hospitais filantrópicos atendem 35% dos casos que requerem UTI

Abstract blur hospital and clinic interior
Abstract blur hospital and clinic interior for background - Processing Blue color white balance

Fehosp destaca que setor está fazendo todos os esforços para dispor de leitos

As internações por Covid-19 vêm aumentando e as Santas Casas e hospitais filantrópicos têm dado importante suporte no atendimento. Levantamento do último dia 22, da Secretaria estadual de Saúde, a pedido da Fehosp (Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo), mostra que, em todo o Estado, 32,55% das internações em UTI ocorreram em instituições sem fins lucrativos e 32,32% foram realizadas em leitos de enfermaria. Com relação a casos suspeitos, as entidades filantrópicas também atenderam a 32% dos casos, em seus leitos de enfermaria.

“Os casos de Covid voltaram a subir e nossas instituições, apesar de todas as dificuldades financeiras que enfrentam, estão fazendo todos os esforços para disponibilizar seus leitos e ampliar a oferta para o enfrentamento da doença", fala o presidente da Fehosp, Edson Rogatti. Em alguns municípios esse aumento é mais significativo.

As Santas Casas e hospitais filantrópicos são responsáveis por 50% dos atendimentos do SUS (Sistema Único de Saúde). Em algumas cidades, essas entidades são os únicos equipamentos de saúde, atendendo a todas as classes sociais. "Essa situação de alta nos preocupa sobremaneira, porque continuamos a atender todas as outras demandas que também carecem de atenção. Inclusive, o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, recomenda que a estrutura destinada aos atendimentos da Covid-19 não seja desmobilizada e também que a retomada dos atendimentos e procedimentos eletivos observem as diretrizes do Centro de Contingência”, pontua Rogatti. “Outro ponto preocupante é dar conta financeiramente de tudo isso. Com o aumento de casos de Covid, os leitos de UTI, por exemplo, para onde os pacientes graves precisam ser encaminhados, requerem muitos recursos e com alta complexidade", completa.