faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Reajuste no plano de saúde e o IPCA

crescimento2.jpg

Ao longo dos últimos dias surgiram rumores de que os reajustes de planos de saúde definidos pela Agência Nacional de Saúde (ANS) poderiam ser negativos esse ano. Precisamente os planos de saúde individuais, exatamente aqueles que afetam o IPCA.

Assim, mediante a tais rumores fomos reproduzir a metodologia de planos de saúde, composta por: (a) Temos a variação das despesas assistenciais; (b) o ganho de eficiência com a elevação do custo médico e a (c) variação da receita por faixa etária.

Vale pontuar que o item b (ganho de eficiência) é um coeficiente de cerca de 8,9%, tabelado pela própria ANS para 2019 à 2022, da própria despesa assistencial.

Deste modo, consideramos a variação de despesa, já subtraídas do ganho de eficiência e descontadas a variação de receita por faixa etária para chegar a 80% do reajuste de planos de saúde. Os outros 20% referem-se ao IPCA fechado do ano anterior excluindo os planos de saúde (IPCA*).

Com isso, partimos ao site da ANS, a fim de coletar os dados brutos do setor, cujo link se encontra abaixo. De fato, estimamos que a variação de despesas estimada na Ativa investimentos está em -7,8%. Subtraída pela eficiência de -0,7% amplifica o déficit e descontada por 1,6% de variação de receita por faixa etária (igual a 2019 e 2020) culmina em uma taxa de -8,6%. Agregada ao IPCA* chegou-se a um reajuste de -5,9%.

Mensalizando essa taxa, pensando no IPCA conforme metodologia do IBGE, chegamos a uma variação mensal de -0,51%, que agregado aos 0,66% que foram dados em referência ao ano passado, chegamos a uma variação de 0,15% até o final deste ano.

Muitas ainda são as possibilidades uma vez que há um grau de discricionariedade na tomada de decisão da agência, e diversas interferências judiciais, afetando não apenas a taxa, mas também quando o reajuste será firmado.

Se o mesmo ocorresse a partir de maio, nossa projeção para o IPCA de 2021 seria reduzida em 30bps, de 5,1% para 4,8%.

De todo modo, apesar das incertezas, colocamos o reajuste a partir de julho, retroativo a maio, conforme o de costume em anos normais, e isso fez com que nossa projeção para o ano convergisse para 4,8%, mas tivesse um degrau maior em julho.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar