faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Grupo Pardini disponibiliza teste molecular para detecção do novo coronavírus

imagem-laboratorio-patologia-dr-mauricio-bueno

Unidades hospitalares de todo o país podem contar com o exame de uma das maiores empresas de medicina diagnóstica do Brasil para identificar o novo Coronavírus

O teste para detecção do Coronavírus (COVID-19) já está disponível pelo Grupo Pardini e vai atender a demanda de hospitais de todos os estados do Brasil que estão preparados para receber possíveis casos suspeitos da doença. O teste desenvolvido pela área de Pesquisa & Desenvolvimento da companhia, através da metodologia PCR em Tempo Real, atingiu a eficiência de 99%, com o mais alto critério de qualidade. Prezando pelo compromisso com a saúde pública, a companhia priorizou a validação técnica criteriosa e a disponibilização de um teste que fosse acessível e tivesse cobertura nacional. Poucas são as cidades que não poderão ser atendidas em função da viabilidade/estabilidade da amostra biológica.

“Tratando-se de um problema de saúde pública que pode se tornar uma pandemia, a segurança na coleta, manuseio, transporte e execução da amostra deve ser prioritária. São com esses detalhes - qualidade no método e no transporte - que estamos preocupados. Desenvolvemos uma cartilha orientando sobre o meio de coleta e o protocolo de envio de uma segunda amostra ao LACEN indicado pelo Ministério da Saúde”, destacou a infectologista do Grupo Pardini, Dra. Melissa Bianchetti Valentini.

O Grupo Pardini disponibilizará a cartilha com orientações para todos hospitais que estão aptos a receber pacientes com suspeita da doença. O material explica a maneira correta de realizar o envio da amostra após o manejo clínico, bem como as orientações sobre notificações dos casos suspeitos à vigilância epidemiológica seguindo as recomendações do Ministério da Saúde.

Como funciona

Conforme recomendação do Ministério da Saúde, devem ser testados indivíduos com febre e/ou sintomas respiratórios (por exemplo, tosse e dificuldade para respirar), com história de viagem para área com transmissão local, ou contato próximo com caso suspeito ou confirmado, nos 14 dias que antecedem o início dos sintomas.

“Os dados preliminares mostram que a transmissibilidade de pessoa para pessoa pode ser alta, assim como a persistência do vírus no meio ambiente. A transmissão de pessoa a pessoa ocorre principalmente através de gotículas produzidas durante tosse e espirro, podendo ser transmitido também por aerossóis quando há procedimentos em vias aéreas como intubação, aspiração e nebulização”, finalizou a médica.