faz parte da divisão Informa Markets da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Hapvida encerra primeiro trimestre de 2024 com Ebitda recorde de R$1 bilhão

Article-Hapvida encerra primeiro trimestre de 2024 com Ebitda recorde de R$1 bilhão

hapvida-bate-recorde-ebitda.png
Sinistralidade caixa de 68% e redução da alavancagem confirmam a solidez do modelo de negócio.

A Hapvida NotreDame Intermédica, líder em operações de saúde na América Latina com aproximadamente 16 milhões de beneficiários, divulgou os resultados do primeiro trimestre de 2024 (1T24), reafirmando a solidez de seu modelo de negócios. Listada na B3 sob o código HAPV3, a empresa registrou uma receita de R$ 7,0 bilhões no período, representando um aumento de 0,8% em comparação com o 4T23 (R$ 6,93 bilhões) e de 3,9% em relação ao 1T23 (R$ 6,72 bilhões). 

O desempenho foi impulsionado pela melhoria do ticket médio, que alcançou R$ 261,1 no trimestre, um aumento de 1,8% em relação ao trimestre anterior (R$ 256,5). Isso reflete a necessária recomposição de preços para garantir a estabilidade econômica dos contratos, bem como a revisão da carteira de clientes, visando uma base mais rentável e sustentável. 

Um dos principais destaques foi a redução da sinistralidade pelo segundo semestre consecutivo, atingindo 68,0%, em comparação com os 69,3% do 4T23 e os 72,3% do 1T23. Jorge Pinheiro, CEO da companhia, destacou que o comportamento da Sinistralidade Caixa, principal indicador operacional, foi o melhor desde a fusão com a NotreDame Intermédica em 2022. 

Graças a uma gestão eficaz das despesas de vendas e administrativas, o Ebitda ajustado ultrapassou a marca histórica de R$ 1 bilhão, representando um aumento de cerca de 60% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, com uma margem Ebitda de 14,5%. A empresa manteve praticamente estável o número de beneficiários, com uma queda de apenas 0,8% em relação ao trimestre anterior, mantendo-se em torno de 15,8 milhões de vidas. 

O processo de redução da alavancagem continuou, com a dívida líquida diminuindo de R$ 7,5 bilhões no primeiro trimestre do ano passado para R$ 4,4 bilhões, uma redução de 41,3%. Isso resultou em uma relação dívida líquida/Ebitda Ajustado de 1,13x, abaixo dos 1,38x registrados no trimestre anterior. 

A empresa encerrou o trimestre com 801 unidades assistenciais próprias em todo o país, incluindo 86 hospitais, 76 unidades de pronto atendimento, 345 clínicas e 294 unidades de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.