faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Hospitais da Luz e Pasteur serão multiplicadores na segunda fase do Projeto Parto Adequado da ANS

foto-1

O Hospital da Luz (localizado na Vila Mariana, Zona Sul de São Paulo) e o Hospital Pasteur (localizado no Méier, Zona Norte do Rio de Janeiro) estão entre as cinco instituições privadas selecionadas para a segunda etapa do Projeto Parto Adequado, da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). As unidades foram escolhidas devido ao sucesso na primeira fase desse trabalho, em que uma série de mudanças internas levaram à reversão em seus índices de parto natural: o Luz chegou a atingir 46% durante este ano, contra 24% no início do ano passado. Já o Pasteur saltou de 30%, em janeiro de 2015, para 51% em setembro de 2016. As duas instituições, que integram a iniciativa desde o seu lançamento, em abril de 2015, serão responsáveis por disseminar os protocolos de atendimento em relação ao parto normal para outros 15 hospitais paulistas e 15 cariocas.

Os dois hospitais superaram a meta inicial de 40% de aumento de nascimentos por parto normal, estabelecida pela ANS. Os índices dessas unidades foram bem além do aumento dos partos vaginais, como é o caso do Hospital da Luz, que também conseguiu reduzir em 17% suas internações na unidade de terapia intensiva (UTI) neonatal. No Hospital Pasteur, outro dado positivo foi a queda de 64% nos índices de complicações relacionadas ao parto.

José Luiz Cunha Carneiro, diretor do Hospital da Luz, explica que a segunda fase do projeto tem como proposta ampliar o alcance das ações em favor do aumento do parto normal no país. Serão 150 instituições em 10 diferentes localidades brasileiras nesse novo momento. O início das atividades está previsto para março de 2017, mesmo período em que os nomes das novas unidades hospitalares serão divulgados. “Vamos compartilhar com outros hospitais as melhorias em indicadores de saúde das gestantes e recém-nascidos alcançadas até o momento. Queremos contribuir para o aumento do número de partos naturais e a redução do percentual de cesáreas sem indicação clínica no país. Estamos vivendo uma transformação cultural importante nesse segmento”, ressalta.

Roberto Calheiros, diretor do Hospital Pasteur, afirma que a indicação para ser uma instituição disseminadora do programa é fruto do engajamento das equipes assistenciais da unidade. “Nossos resultados são resultado do forte comprometimento, principalmente, do Serviço de Obstetrícia. Agora, na segunda fase, o Pasteur vai levar esses parâmetros a outros hospitais da nossa cidade, para que eles também consigam aumentar seus índices de partos naturais”, aponta.

Para acompanhar e monitorar os dados dos hospitais participantes da segunda fase, as duas unidades receberão o suporte do Hospital Israelita Albert Einstein e do Institute for Healthcare Improvement (IHI), além da própria ANS. As equipes dos hospitais em destaque receberão treinamentos cujo tema principal será Capacitação para Melhoria.

Fundadoras do Sabin são destaque em livro sobre mulheres empreendedoras

shutterstock_258783284

Reconhecidas pela eficiência e sucesso no empreendedorismo, as empresárias e cofundadoras do Laboratório Sabin, Janete Vaz e Sandra Soares Costa, foram convidadas para participar do livro Empreendedoras de Alta Performance, que será lançado no próximo dia 2 de dezembro, às 19h, na Livraria Cultura do Shopping Iguatemi de São Paulo. As sócias foram convidadas a escrever um capítulo contando sobre suas histórias de vida e de empreendedorismo.

As empresárias ressaltam também que para crescer e se manter no mercado, as empresas precisam buscar melhorias e investir em tecnologia."Inovar é essencial para o crescimento de um negócio, ainda mais quando há o compromisso com a sustentabilidade, a qualidade dos serviços e a credibilidade dos resultados. No Sabin, a inovação está no nosso DNA”, afirma Sandra.

No capítulo, as gestoras falam ainda sobre a importância de investir no crescimento profissional dos colaboradores para a realização da missão do Sabin de oferecer serviços de excelência em medicina diagnóstica. "Nossa filosofia é pautada no crescimento de toda a cadeia produtiva. Cuidamos das pessoas para que elas também cuidem do nosso negócio”, complementa Janete.

A publicação da editora Leader foi coordenada pelas executivas Tatyane Luncah, Andréia Roma e Vanessa Cotosck. O livro traz diferentes e incríveis trajetórias de mulheres bem sucedidas no meio empresarial, que mostram que é possível transformar uma vontade em ação, um sonho em realidade.

Saúde mental será o principal fator de risco dentro das empresas, afirmam Drauzio Varella e Nicolas Toth no HR Summit

shutterstock_245869531

A Organização Mundial da Saúde (OMS) calcula que, a partir de 2020, a depressão será a causa mais frequente de absenteísmo. Palestrantes no maior encontro de líderes de RH do ano confirmam. O médico Drauzio Varella, convidado especial da Healthways, e o presidente da empresa na América Latina, Nicolas Toth, estiveram presentes no último dia do HR Summit, que aconteceu no Hotel Renaissance, em São Paulo.

Questões que envolvem a saúde mental dos colaboradores foram destacadas pelos especialistas. Nicolas Toth alertou sobre o perigo do estresse, afirmando que a saúde mental já é o principal fator de risco dentro das empresas e se acentuará ainda mais nos próximos anos. Da mesma forma, Drauzio Varella afirmou que o problema mais sério no ambiente de trabalho atualmente é a depressão.

“É um problema muito sério, e as mulheres são as principais acometidas por todos os problemas relacionados à ansiedade, que leva à depressão e síndrome do pânico. Isso acontece porque a mulher é pressionada pela sociedade. Além da pressão no ambiente de trabalho, as mulheres sentem a pressão do trabalho doméstico, cuidados com a casa que, infelizmente, ainda caem predominantemente nas costas da mulher. Isso sem contar a pressão social que elas sofrem com a imagem: precisam estar magras, arrumadas, sempre bonitas. Não deve ser fácil”, comentou o médico.

Drauzio alertou para as consequências que uma rotina acelerada, constante no estilo de vida de muitas pessoas, traz à saúde. Parte da correria do dia a dia acontece devido ao excesso de trabalho e inovações tecnológicas que dominam o cotidiano das pessoas. “O problema mais grave é que, pela primeira vez na historia da humanidade, nós podemos ganhar a vida sentados na cadeira. No mundo atual, não há necessidade de gastar energia para buscar o alimento, como na idade da pedra. Hoje, acordamos, comemos, vamos ao trabalho, sentamos. Passamos a usar o corpo de uma forma para o qual ele não foi preparado, e o corpo foi feito para andar”, declarou o médico.

Nicolas Toth enfatizou a importância do conceito de bem-estar como um componente estratégico para a gestão das empresas. O bem-estar envolve elementos como vida pessoal, saúde física, emocional, comportamento, ambiente de trabalho e comunidade, que afetam a vida dos colaboradores, e, portanto, da própria empresa. Segundo os dados apresentados pelo presidente, um nível elevado de bem-estar está diretamente relacionado com a produtividade e lucratividade das empresas, tornando-as mais competitivas.

“O ativo mais importante das empresas são seus funcionários. Para os funcionários, o bem-estar e a saúde são os itens mais importantes em suas vidas. Assim, a liderança moderna precisa incluir o bem-estar na sua visão estratégica e na gestão de pessoas, pois será um diferencial competitivo de longo prazo. Isso já está comprovado em inúmeros estudos e casos de sucesso e precisa entrar na agenda dos CEOs e Presidentes”, concluiu o presidente.

Capacitação inadequada é o principal problema da gestão hospitalar

office-515984_960_720

Dizer que existe inadequação na capacitação de gestores hospitalares é uma afirmação forte e “politicamente incorreta” – só me atrevo afirmar e classificar como sendo o principal problema da gestão hospitalar no Brasil porque tenho parâmetros para demonstrar, sem “achismos”.

Neste ano tive oportunidade de ministrar aulas em MBAs de 3 instituições diferentes, todas de evidente reconhecimento no mercado, além de ter conduzido 3 oficinas temáticas e alguns cursos “in company”. De forma pragmática tenho como costume aplicar uma pesquisa inicial (na primeira hora de cada disciplina/curso) para que o participante sinalize se já atua profissionalmente em atividades relacionadas ao assunto, e se já fez curso formal e organizado sobre os temas que compõem a disciplina.

Posso, portanto, tabular quais os temas que o profissional nunca estudou, ou estudou de forma superficial, embora sua atividade profissional exija que ele tenha esta especialização. Isso permite que eu não faça juízo de valores – posso tabular de forma objetiva, então fico confortável em fazer a afirmação.

Hospital é realmente uma empresa singular:

  • Como as profissões assistenciais (medicina, enfermagem, farmácia, nutrição, psicologia, etc.) são regulamentadas, os profissionais que atuam nestas atividades têm capacitação minimamente compatível. Maximiza o cenário o fato dos profissionais assistenciais estarem vinculados a uma entidade de classe (conselho), que regimenta a atividade minimizando eventuais lacunas da sua formação acadêmica;
  • As atividades de gestão, ao contrário, não exigem formação específica. Existe uma infinidade de cursos com currículos totalmente diferentes, fornecidos por entidades de grande e inexistente reputação no segmento. Com isso acabamos nos deparando com profissionais especializados em saúde pública atuando como gestor de hospital privado – formado em administração hospitalar atuando como gestor de laboratório, e coisas do tipo.

Não questiono se o resultado disso é sempre catastrófico, até porque conheço muito o trabalho de algumas pessoas que se enquadrariam em distorções deste tipo, e executam suas atividades de forma absolutamente satisfatória – cito o fato para diferenciar que o profissional assistencial tem formação acadêmica adequada para cumprir a missão que lhe é atribuída, e os demais podem ter ou não, dependendo do caso.

Mas posso citar alguns exemplos do quanto o hospital perde com este cenário.

Conduzi treinamentos e oficinas sobre Gestão de Custos para clínicas, hospitais e consultórios:

  • Não foram cursos que simplesmente ensinam como calcular custo – são cursos que exercitam o cálculo de rentabilidade por unidade de negócios, margem de contribuição, ponto de equilíbrio, etc., e que discutem como reduzir custos, uma vez que calcular custo é uma coisa (simples), mas reduzir custos e despesas é outra (não tão simples) – por isso são chamados de Gestão de Custos e não de Custos;
  • Apesar de mais de 82 % dos participantes afirmarem que sua atividade na empresa inclui o cálculo de custo de produtos, menos de 11% já havia tido curso de conhecimentos básicos sobre tributos, menos de 18% já havia tido curso sobre ficha técnica de produto, árvore de insumos, roteiro de processos, etc.;
  • Apesar de mais de 65 % afirmarem que avaliam a viabilidade de pacotes, menos de 28 % já havia tido treinamento sobre margem de contribuição;
  • Estes números comprovam, por exemplo, que a maioria das pessoas envolvidas na análise de viabilidade de pacotes que trabalham em hospitais não sabem fazer análise de custo – o que fazem é comparar preço de conta aberta com preço de conta fechada ... nada a ver com análise de rentabilidade. Comprovam também que os poucos que sabem fazer análise de custos desconhecem a importância dos tributos no cálculo, e geralmente os ignoram no cálculo.

Nos cursos de Gestão de Processos:

  • Mais de 85 % dos participantes declararam fazer parte de grupos de gestão da qualidade e melhoria dos processos. Destes:
  • Mais de 62 % só conheciam 1 ferramenta de documentação (ou fluxograma, ou Ishikawa, etc.), e, portanto, não sabiam avaliar qual ferramenta é mais adequada para cada tipo de processo;
  • Mais de 92 % nunca tiveram treinamento sobre ferramentas para melhoria dos processos (poka yoke, kaisen, kanban, just in time, monomossu, etc.). Apenas ouviram dizer, e a maioria inclusive achava que kanban é um sistema de controle de estoques.

Conduzi treinamentos em faturamento SUS, detalhando a estrutura da Tabela SIGTAP e como o gestor hospitalar pode maximizar a receita:

  • Não foram cursos que ensinam como preencher uma BPA ou AIH (isso tem em manual na Internet e é muito simples) – são cursos que discutem como descobrir quais lançamentos podem ser feitos para cada atendimento, como compor kits de lançamentos, como saber se está faturando de forma adequada – por isso é chamado curso de gestão de faturamento, e não curso de faturamento;
  • Pois bem: mais de 82 % das pessoas que atuam em faturamento e estatística hospitalares em hospitais públicos nunca fizeram curso sobre a tabela SIGTAP com este foco;
  • Como pode o hospital acreditar que pode estar realizando sua receita se a pessoa responsável em fazer isso não tem formação mínima para executar sua tarefa adequadamente?

Nos cursos de Gestão do Faturamento, Auditoria de Contas e Administração Comercial Hospitalar:

  • Todos (100%) não sabiam calcular o preço dos honorários médicos com base na Tabela CBHPM – e fazem parte da amostra inclusive médicos;
  • Mais de 85 % não sabiam que TUSS e TISS não são tabelas de preços.

Nos cursos de Gestão de Projetos: mais de 96% nunca havia tido curso sobre Grupos de Processos e Áreas de Conhecimento do PMBOK!

Nos cursos de Gestão de Contratos: mais de 88% nunca teve curso sobre Nível de Serviço (SLA).

Reforço que os dados são tabulação das informações fornecidas pelos próprios participantes.

A percepção, no contato direto com eles, é que os gestores hospitalares acabam herdando posições que exigem especialização devido ao seu comprometimento e produtividade, mas a herança não vem acompanhada por um programa de capacitação adequado.

Como a gestão hospitalar é complexa, e muito diferente de um hospital para outro dependendo de uma combinação de parâmetros (se é hospital público ou privado, de rede própria ou não, de mantenedora que visa lucro ou não, de porte diferente, especializado ou não, etc.), a direção do hospital acaba se enganando ao julgar que uma pessoa que trabalha em credenciamento na operadora de planos de saúde pode assumir a direção comercial do hospital, sem capacitação em gestão comercial hospitalar (por exemplo).

Para mitigar este gap existem 3 caminhos:

  • Contratar profissionais que tenham a especialização adequada. Isso não tem acontecido porque a área de recursos humanos não sabe avaliar adequadamente “e não pede ajuda”. Por exemplo: o analista comercial que atua na saúde suplementar necessita dominar as tabelas de preços AMB, CBHPM, Brasindice, Simpro e negociadas, e análise de rentabilidade de produtos (ficha técnica, custo e práticas de preços) – o profissional acaba sendo avaliado pelo currículo, sem muita objetividade, e o fato dele ter trabalhado em uma operadora é tido como fundamental, e não como diferencial – ele vem para o hospital e demora alguns anos para entender a diferença entre uma operadora e um hospital (quando dá tempo para isso);
  • Capacitar – promover programas de capacitação específicos nos temas que os gestores necessitam. Não programas de capacitação genéricos (por exemplo MBAs com programa fixo), mas com disciplinas adequadas à realidade do hospital, e com conteúdo prático, para que o gestor saia do curso e aplique o conhecimento imediatamente. Os hospitais privados investem muito pouco nisso, e pagam pela ineficiência porque a gestão acaba sendo baseada nos processos e parâmetros dos sistemas informatizados – os gestores acabam não tendo capacitação para entender e ajustar parâmetros de sistema que são adotados como “dogmas institucionais – ninguém mexe”. Compor contas, por exemplo, fica sendo uma atividade metódica, sem análise crítica, e o hospital perde receita sistematicamente;
  • Fazer benchmarking (comparar) práticas de gestão. Hospitais brasileiros não gostam de comparar suas práticas, seus custos, seus preços. Os velhos gestores têm medo que a concorrência descubra suas práticas, achando que são melhores que os outros. Quem está de fora como eu pode provocar: será que o medo não é a de expor sua ineficiência ?

Por incrível que pareça na área pública existem episódios totalmente “fora da curva”:

  • Por exemplo: o Governo do Estado, enquanto implanta um sistema informatizado único nos hospitais da administração direta (projeto S4SP) investiu na capacitação em faturamento e auditoria de contas, aproveitando a oportunidade para informatizar o processo de faturamento das BPAs e AIHs da forma como deve ser, e não da forma como era feito. Com isso ele atua na redução do gap de participação, ao mesmo tempo que vai obter retorno com aumento da sua receita, parametrizando o sistema de modo a maximizar os lançamentos nos instrumentos de registro.
  • Outro exemplo: o Diretor Executivo de um dos institutos do HC separou uma parte das horas de consultoria para ao invés de “dar o peixe”, “ensinar os seus colaboradores a pescar”. Foram realizadas diversas turmas de treinamento de Excel para Gestores, Gestão de Projetos, Gestão de Processos, Gestão de Contratos, Gestão de Custos. Todos com programas de curta duração, e com conteúdo direcionado para as necessidades do instituto – com temas de aplicação imediata. Estou vendo, por exemplo, a construção da ferramenta de análise de custos por procedimento sendo feita pelos próprios gestores envolvidos, e só por eles – sem envolver áreas que não tem braço para ajudar, e se forem convidadas acabam mais atrapalhando do que contribuindo.

Mas na área privada também tive a grata oportunidade de presenciar 2 exceções:

  • Um hospital de Manaus treinou mais de 50 pessoas em rotinas de gestão de faturamento e auditoria de contas. Levou para a “sala todo mundo ao mesmo tempo” com um conteúdo especificamente definido para as necessidades deles, e com o objetivo de construir processos de faturamento mais eficientes imediatamente. O resultado chega a emocionar – conforme esperado, como ele faturava mal, quando começou a faturar adequadamente as operadoras começaram a fazer uma espécie de “blitz” de glosa. Mas com glosas absolutamente indevidas – na verdade quando o hospital começou a faturar certo incomodou bastante – o engraçado é que quando ele faturava errado a menor nenhuma auditoria reclamava ... não sei por que?
  • Uma operadora de planos de saúde colocou em um mesmo treinamento quase 80 gestores dos seus hospitais da rede própria para um programa de capacitação em gestão de custos hospitalares. Uma sábia decisão do CEO: ao equalizar o conhecimento dos gestores dos diversos hospitais ao mesmo tempo abre a possibilidade deles trocarem informações e melhorarem os processos de gestão de custos da empresa como um todo, e de forma padronizada.

Estamos conduzindo um benchmarking de práticas comerciais no GVsaúde – é incrível como alguns hospitais convidados têm medo de que a GV não tome conta das informações. Não é engraçado? Ter medo que uma instituição séria e de reputação ilibada como a GV divulgue suas informações ... e não ter medo que a auditoria que está dentro do seu próprio hospital auditando suas contas para diversas operadoras, e em diversos hospitais ao mesmo tempo há anos não faça isso?

Fala sério!

Infelizmente, em relação ao cenário global, estas iniciativas são poucas – por isso a afirmação: enquanto os gestores hospitalares não estiverem adequadamente capacitados, vamos continuar assistindo episódios de perda de receita e gastos desnecessários ... uma pena ... uma pena porque esta ineficiência acaba sendo paga com o dinheiro que sai do bolso de todos nós ... seja nos impostos mal-empregados, seja no preço do plano de saúde, cada vez mais caro!

Neste fim de ano, dê um presente que durará para sempre com a Smile Train

NOVA YORK, 29 de novembro de 2016 /PRNewswire/ -- Em comemoração à #GivingTuesday e à temporada de presentes de fim de ano, a Smile Train, a maior organização de lábio leporino e fenda palatina do mundo, lançou hoje sua nova campanha "Give Smiles" para ajudar um número maior de crianças do mundo todo a viverem de maneira mais feliz e saudável.

De hoje até o dia 31 de dezembro, a Smile Train tentará arrecadar fundos suficientes para causar sorrisos em 2.017 crianças com lábio leporino e fenda palatina. Aproveitando a tecnologia de ponta mais recente, a Smile Train lança oficialmente uma nova plataforma social de arrecadação de fundos totalmente digital na #GivingTuesday, com o objetivo de arrecadar fundos para 33 sorrisos nesse dia. Este ano Smile Train sugere que, em vez de pedir presentes, seus apoiadores criem suas próprias páginas de arrecadação de fundos para que seus amigos e familiares possam doar sorrisos.

"Estamos tão emocionados por celebrar a #GivingTuesday e lançar nossa nova campanha Give Smiles", afirmou Susannah Schaefer, diretora geral da Smile Train. "Esperamos que, com o apoio dos nossos doadores, celebridades embaixadoras, parceiros corporativos, arrecadadores de fundos comunitários e parceiros da área médica, alcancemos nosso objetivo até o fim do ano e doemos mais 2.017 sorrisos a crianças com lábio leporino e fenda palatina, para melhorar suas vidas!"

Como parte da #GivingTuesday e da Give Smiles, várias celebridades embaixadoras da Smile Train, parceiros corporativos e arrecadadores de fundos comunitários do mundo todo participarão. Confira abaixo um resumo das principais atividades:

  • Arrecadadores de fundos comunitários no Reino Unido: a Smile Train do Reino Unido deu início à #GivingTuesday em escolas locais ao organizar festas decoradas como parte do programa "Students for Smile Train" da organização.
  • Smile Train Índia: Susannah Schaefer, diretora geral da Smile Train, está em Agra comemorando a #GivingTuesday com alguns parceiros indianos da área médica e hospitalar da organização, que atuam ajudando pacientes com lábio leporino e fenda palatina 365 dias por ano.
  • Apoio global: os parceiros globais da área médica da Smile Train e a equipe da Ásia, América Latina e África participam da campanha social Give Smiles para apoiar e ajudar a aumentar a consciência sobre crianças com lábio leporino e fenda palatina.
  • Envolvimento de celebridades: as celebridades que apoiam a Smile Train estão pagando adiantado nesta #GivingTuesday ao organizar eventos especiais no mundo todo, participar de várias atividades nas mídias sociais e decorar o icônico Smile Jars da Smile Train para inspirar as doações de fim de ano.
  • Envolvimento dos parceiros corporativos:
    • A Dr. Brown fez uma nova parceria com a Smile Train para proporcionar apoio nutricional essencial às famílias que sofrem com desnutrição e têm dificuldade para alimentar as crianças nascidas com lábio leporino e/ou fenda palatina. Por meio dessa parceria, uma parte do lucro do Dr. Brown's Specialty Feeding System financiará os esforços globais da Smile Train.
    • A Masimo fez uma parceria com a Smile Train para garantir a segurança dos pacientes que passam por cirurgia de reparação de lábio leporino e fenda palatina em países em desenvolvimento. Os programas de treinamento de enfermagem da Smile Train e os hospitais parceiros se beneficiarão com a doação de mais de 460 oxímetros de pulso Masimo SET® Measure-through Motion e Low Perfusion®. A Masimo também criou uma página de arrecadação de fundos para ajudar a conscientizar e arrecadar fundos para oferecer a cirurgia de reparação de lábio leporino e fenda palatina a 60 crianças com essa condição.
    • Vários parceiros corporativos – entre eles a Masimo, Monroe Trades, Elf Magic, Infogroup e muito mais – prometeram apoio durante esta temporada de fim de ano e criaram suas próprias páginas de arrecadação de fundos, além de estimular seus funcionários a contribuírem com a Smile Train.

Para obter mais informações sobre a Smile Train, criar sua própria página de arrecadação de fundos ou fazer uma doação neste fim de ano, acesse: smiletrain.org/givesmiles. Siga a Smile Train no Twitter e no Instagram @SmileTrain para obter atualizações durante o ano todo.

Sobre a Smile Train
A Smile Train é uma instituição de caridade infantil internacional que tem uma abordagem sustentável para um problema solucionável: lábio leporino e fenda palatina. Milhões de crianças de países em desenvolvimento com lábio leporino e fenda palatina vivem isoladas, mas o pior é que têm dificuldade para comer, respirar e falar. A cirurgia para reparar essa condição é simples, e a transformação é imediata. Nosso modelo sustentável proporciona treinamento, financiamento e recursos para permitir que médicos de mais de 85 países em desenvolvimento ofereçam a cirurgia para reparar lábio leporino e fenda palatina 100% gratuita e um tratamento completo em suas próprias comunidades. Para obter mais informações sobre como a abordagem sustentável e as doações da Smile Train causam um impacto imediato e de longo prazo, acesse smiletrain.org.

Contato com a imprensa

Smile Train
Nijha Diggs, diretora de relações públicas
646.751.3231
[email protected]

Edelman
Matthew Frappier, vice-presidente
212.277.3786
[email protected]

FONTE Smile Train

Novo recorde mundial para software de reconhecimento de impressões digitais

CANNES, França, 29 de novembro de 2016 /PRNewswire/ -- A maior provedora alemã de biometria apresenta o mais rápido Sistema Automatizado de Identificação de Impressões Digitais (AFIS - Automated Fingerprint Identification System) de todo o mundo – o DERMALOG AFIS. Devidamente confirmado pelo renomado órgão de testes SGS-TÜV Saar, o software permite o processamento de cerca de um bilhão de comparações por segundo. Além da sua velocidade, o sistema é também extremamente confiável. A DERMALOG estará demonstrando suas mais recentes inovações biométricas de 29 de novembro até 1 de dezembro no evento TRUSTECH 2016 em Cannes – no estande RIVIERA L020.

(Foto: http://photos.prnewswire.com/prnh/20161122/442112)

(Foto: http://photos.prnewswire.com/prnh/20161122/442113)

Cannes, 29.11.2016 A DERMALOG Identification Systems apresenta a próxima geração de seu AFIS. Após vários anos, os desenvolvedores e engenheiros tiveram sucesso em aperfeiçoar seu sistema de reconhecimento de impressões digitais. O recorde mundial de comparações de impressões digitais é agora 914.959.533 em um segundo por servidor tipo blade padrão.

O Fundador e Diretor-Gerente da DERMALOG Günther Mull, disse: "Na medida em que a velocidade das comparações de impressões digitais aumenta, manter a precisão é um desafio. Entretanto, não há nenhuma perda de qualidade com o nosso AFIS. Os especialistas do SGS-TÜV Saar confirmaram que a qualidade do nosso AFIS é excelente tanto em termos de codificação quanto de comparação".

O AFIS é um dos principais produtos da DERMALOG. A história de sucesso é interessante. O Estado do Rio de Janeiro vem combatendo identidades duplicadas ou falsas com uma solução da DERMALOG há mais de 15 anos. O AFIS foi essencial para promover a conexão entre as autoridades. O AFIS para o Rio é também o primeiro AFIS no Brasil a ser utilizado para identificação civil e criminal.

Sendo uma provedora de biometrias múltiplas, a DERMALOG consegue conectar o sistema de coleta de impressões digitais AFIS a outros parâmetros biométricos. Por exemplo, reconhecimento pela íris e facial pode ser utilizado para identificação multimodal. Günther Mull disse: "Somos, ao mesmo tempo, uma companhia desenvolvedora, fabricante e integradora de sistemas. A DERMALOG é a líder da inovação biométrica e nossos produtos são feitos na Alemanha. Apoiamos o atendimento das mais altas exigências de segurança e de operação intuitiva".

Mais informações sobre os inovadores produtos e soluções biométricas da DERMALOG estão disponíveis no endereço http://www.dermalog.com.

Contato com a imprensa:
DERMALOG Identification Systems GmbH

Relações com a Imprensa
Jan Runzheimer

Mittelweg 120
20148 Hamburgo
Alemanha
Tel: +49(40)413227-0
Fax: +49(40)413227-89
E-mail: [email protected]

FONTE DERMALOG Identification Systems GmbH

Simulações práticas de medicina são transmitidas ao vivo em Realidade Virtual

computer-1149148_960_720

Cada vez mais a tecnologia tem sido explorada na Medicina. Ela pode ser disruptiva em diversas áreas deste setor, indo do treinamento de futuros médicos até tratamento de casos específicos. Explorando essa seara, a Medcel, empresa de cursos preparatórios para residência médica, fará a primeira exibição em tempo real de simulações práticas por meio da tecnologia de Realidade Virtual 360.

O evento será apresentado nos dias 29 e 30/11, às 21hs, com meia hora de duração, no canal do YouTube www.youtube.com/user/MedcelResidMedica. Após a transmissão online, os vídeos ficarão disponíveis em uma landing page desenvolvida especialmente para isso, no www.medcel.com.br/realidadevirtual.

De acordo com Julio Angeli, CEO da Medcel, trata-se da primeira vez que uma ação como essa acontece no país. “Estamos muito confiantes de que a transmissão será um verdadeiro sucesso, nunca aconteceu nada parecido com o que faremos aqui no Brasil. Essa é a primeira de várias atividades que estamos desenvolvendo com o que existe de mais moderno em tecnologia para nossos alunos em todo o país”, afirma.

Realizado nas salas das aulas práticas da Medcel, na Av. Paulista, a ação contará com quatro estações, com atores e simuladores. Serão abordadas  as seguintes áreas: Clínica Médica, Epidemiologia, Ginecologia e Obstetrícia, abaixo os detalhes:

29/11

Tromboembolismo Pulmonar

Cardiologia - Suporte básico de vida

Cardiologia - Parada Cardiorespiratória

Médico Professor: Rafael Munerato, graduado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FCMSCSP). Especialista em Clínica Médica pela Santa Casa de São Paulo e em Cardiologia e em Arritmia Clínica pelo Instituto do Coração (INCOR), do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP).

Epidemiologia - Tentativa de suicídio

Médica Professora:  Lícia Milena de Oliveira, graduada em Medicina pela Faculdade de Medicina da Santa Casa de São Paulo e em Filosofia pela Universidade São Judas Tadeu. Especialista em Psiquiatria e em Medicina Legal pelo HC-FMUSP. Especialista em Terapia Cognitivo-Comportamental pelo AMBAN do Instituto de Psiquiatria do HC-FMUSP. Título de Especialista pela Associação Brasileira de Psiquiatria. Médica Assistente do Instituto de Psiquiatria no HC-FMUSP.

30/11

Ginecologia: Palpação de mamas

Ginecologia: Inserção de DIU

Obstetrícia: Parto / Apresentação de fórceps

Obstetrícia: Eclâmpsia

Médico Professor: Jader Burtet, graduado pela Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUC-RS). Especialista em Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia pelo Hospital Santa Casa de Porto Alegre (RS). Título de especialista em Obstetrícia e Ginecologia pela Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO) e em Mastologia pela Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM). Preceptor da Residência Médica de Ginecologia e Obstetrícia do Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas, de Porto Alegre. Mestre em Ciências da Saúde pela Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA).

Sobre a Medcel

A Medcel é uma das maiores empresas de educação na área de saúde do Brasil. Pioneira na realização de cursos preparatórios para residência médica, especializações e atualizações no setor de saúde nas modalidades presencial e à distância. A Medcel disponibiliza uma infraestrutura de alta tecnologia e cursos baseados em estatísticas extraídas de provas de anos anteriores de instituições de todo o País para avaliações como Enade, Revalida, Títulos e Residência Médica. Fundada em 2004, a empresa já habilitou mais de 75 mil alunos, hoje é maior empresa de cursos preparatórios online para residência médica no Brasil. Para mais informações, consulte o site http://www.medcel.com.br/

Conselho Consultivo do Ética Saúde tem dois novos integrantes

Laptop with medical diagnostic software and stethoscope
Creative abstract healthcare, medicine and cardiology tool concept: laptop or notebook computer PC with medical cardiologic diagnostic test software on screen and stethoscope on black wooden business office table with selective focus effect

A Associação Médica Brasileira - AMB e a Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular - SBCCV acabam de aceitar o convite para integrar o Conselho Consultivo do Instituto Ética Saúde. Agora serão três as entidades médicas que participarão do grupo, a primeira a ingressar foi a Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista – SBHCI.

"É com muito otimismo que recebemos a AMB e a SBCCV e vemos que a semente plantada no ano passado está germinando. O Ética Saúde tem se fortalecido ao longo de 2016 e está cada vez mais representativo com todos os segmentos da saúde. Somente dessa forma podemos criar um ambiente mais transparente e com melhor reputação", comemora o presidente do Instituto Ética Saúde, Gláucio Pegurin Libório.

A AMB será representada no Ética Saúde pelo seu presidente, Florentino Cardoso Filho, e pelo secretário geral, Antônio Jorge Salomão. A SBCCV também será representada pelo presidente, Fabio Biscegli Jatene, e pelo coordenador da Comissão de Defesa Profissional, Walter José Gomes.

Os requisitos para indicar representantes no Conselho Consultivo do Ética Saúde são: ter ilibada reputação, notória representatividade no setor e atuação em prol da ética. "O caminho da integridade, combate à corrupção e ao suborno está sendo pavimentado nesse setor e é irreversível", acredita a diretora-executiva do Ética Saúde, Claudia Scarpim.

Sobre o Ética Saúde

O Ética Saúde surgiu em junho de 2015 com o Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos para autorregular o mercado. Uma iniciativa do Instituto Ethos e da ABRAIDI, logo se tornou um marco na saúde. No início de 2016, o Ética Saúde passou a ter personalidade jurídica e virou um Instituto.

O Instituto Ética Saúde busca garantir a segurança do paciente por meio de uma conduta ética entre paciente e médico em um ambiente de concorrência justa e transparente. Os objetivos consentidos do Instituto Ética Saúde incluem evitar incentivos ilegais ou antiéticos para agentes públicos e privados, prática de atos médicos ilegais ou antiéticos, evasões fiscais, irregularidades regulatórias, concorrência desleal, violação de direitos do consumidor e falsificação.

Este arcabouço será fiscalizado por meio de denúncias anônimas ou identificadas, com apuração justa e realização de um cadastro público positivo, para revelar à sociedade quais empresas atuam efetivamente de forma ética. O Canal de Denúncias é o www.eticasaude.com.br ou o 0800-741-0015 e é administrado de forma independente pela ICTS Protiviti, empresa premiada pela Controladoria Geral da União – CGU como sendo "Pró-Ética", em 2015.

O Instituto Ética Saúde tem a governança formada por uma Assembleia Geral, onde fazem parte todos os associados; um Conselho de Administração, com mandato de dois anos e eleito pela Assembleia Geral; um Conselho Consultivo com representantes de entidades de todos os segmentos do setor de saúde; e o Conselho de Ética, órgão de caráter disciplinar formado por três integrantes, sem qualquer vínculo com o setor de saúde.

São atualmente integrantes do Conselho de Ética: o subprocurador da República, Antônio Fonseca, o presidente do Fórum Nacional Contra Pirataria, Edson Luiz Vismona e o professor da Universidade de São Paulo, Celso de Hildebrand e Grisi. E do Conselho Consultivo: além do Ethos e ABRAIDI, a Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde – ABIIS, Associação Brasileira de Auditores em Saúde – AUDIF, Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde – ABIMED, Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo - FEHOSP, Associação Nacional de Hospitais Privados – ANAHP, Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios – ABIMO e Sociedade Brasileira de Hemodinâmica e Cardiologia Intervencionista – SBHCI.

Mãe de Deus recebe certificação em prevenção e tratamento de lesões por pressão

mae-de-deus

O envelhecimento é um processo dinâmico e gradual que tem afetado a população mundial. Com isto há o aumento de incidência de doenças crônicas, elevando o número de internações hospitalares e a complexidade dos motivos de internação. Dentre as possíveis complicações decorrentes de internação hospitalar, estão as lesões por pressão. Para melhorar ainda mais a abordagem desses casos, o Hospital Mãe de Deus vem buscando a certificação através do Programa de Tratamento e Prevenção de Lesões por Pressão, concedida pela Convatec.

O programa de certificação teve duração de seis meses com várias etapas e o processo será concluído em 05 de dezembro de 2016. Dessa forma, o Hospital Mãe de Deus será o primeiro hospital em Porto Alegre com esse certificado. A Enfermeira Doutora em geriatria e gerontologia biomédica e responsável pelo grupo de lesões do hospital, Ana Karina S. Rocha Tanaka, explica que o programa de certificação trouxe muitos benefícios para a instituição, fazendo a diferença na vida das pessoas.  “A interação da equipe multidisciplinar com pacientes e familiares qualificou a assistência prestada e possibilita que o paciente participe ativamente do seu processo de tratamento e cura”, afirma.

Para realizar o cuidado de forma adequada e com alta qualidade assistencial, as equipes foram capacitadas não apenas em conhecimentos teóricos, mas também participaram de processos de metodologias ativas de treinamento, como as certificações e a utilização de protocolos baseados nas melhores práticas internacionais, melhorando os indicadores assistenciais. Como parte do processo de certificação, 167 colaboradores do Hospital Mãe de Deus entre enfermeiros, técnicos de enfermagem, nutricionistas e farmacêuticos passaram por capacitação e prova teórica no período de junho a dezembro. Eles também receberão a certificação no evento marcado para o dia 05 de dezembro às 19h30 no auditório do hospital.

VITALYZE.ME: 1ª Reunião Pública APIMEC-SP

SÃO PAULO, 28 de novembro de 2016 /PRNewswire/ -- A VITALYZE.ME SAÚDE E TECNOLOGIA S.A. (Ticker: VTLM3), empresa do setor de saúde, bem-estar e tecnologia, em cumprimento ao disposto na Instrução CVM nº 358/2002, conforme alterada, convida para sua 1ª Reunião Pública com analistas, investidores, acionistas e outros interessados no dia 30 de novembro de 2016, às 9h, antecedida de um "Welcome Coffee" às 8:30h, no Hotel Marriott Executive, localizado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Prof. Filadelfo Azevedo, 717, São Paulo - SP, sala Ibirapuera.

RSVP: [email protected]  

O evento também será transmitido pela internet, pelo webcast:

http://webcast.neo1.net/Cover.aspx?PlatformId=F1LmjNu19xEus7hHmF7CHw%3D%3D

Ficamos à disposição para mais esclarecimentos por meio de nossa área de Relações com Investidores.

Natasha Namie Nakagawa
Diretora de Relações com Investidores

Contato: 
Vitalyze.Me Saúde E Tecnologia S.A.Participações - Relações com Investidores
São Paulo - SP
[email protected]  
(11)  3090-6748

FONTE VITALYZE.ME