Entourage traz ao Brasil primeira remessa de Cannabis in natura para testes clínicos

SÃO PAULO, 24 de novembro de 2016 /PRNewswire/ -- A Entourage Phytolab, empresa de desenvolvimento e pesquisa de medicamentos à base de Cannabis, recebeu nessa semana o primeiro lote de 10 kg de matéria-prima necessários ao desenvolvimento de um medicamento para o tratamento de epilepsia e dor crônica. A exportação da matéria-prima foi realizada pela Bedrocan Canada – subsidiária da empresa canadense Canopy Growth Corporation, parceira da Entourage, mediante autorização do Ministério da Saúde, através de sua agência reguladora, a Health Canadá. É a primeira exportação deste tipo realizada para a América do Sul. 

A Entourage já possuía autorização da Anvisa para desenvolver a pesquisa e importar Cannabis. Com a chegada da matéria prima, a empresa está pronta para iniciar a produção do extrato e da formulação farmacêutica que será usada nos testes clínicos em 2017, com vistas ao registro do medicamento em 2018. 

"É um marco importante para o desenvolvimento da Cannabis medicinal no Brasil", diz Caio Abreu, CEO da Entourage e da Bedrocan Brasil. "Quatro meses depois de nosso lançamento, posso dizer que estamos no caminho certo, com o cronograma em dia para cumprir nossos objetivos e entregar aos pacientes brasileiros medicamentos de qualidade, criados e registrados no país.

"O Brasil é um mercado internacional promissor para nós", disse Bruce Linton, Presidente e CEO da Canopy Growth. "Nossa pesquisa será a base do desenvolvimento de um mercado mais amplo de cannabis medicinal no país e estamos orgulhosos de ser os impulsionadores dessa inovação".

Financiamento inicial garantido

A Canopy Growth Corp, a Entourage e a Bedrocan Brasil também concluíram uma rodada inicial de US$ 3 milhões em troca de ações ordinárias da Entourage e da Bedrocan Brasil. Esses recursos serão utilizados tanto para o desenvolvimento contínuo do Bedrocan Brasil como para o lançamento do plano de pesquisa clínica Entourage.

Além disso, a Entourage pode agora anunciar que Antonio Droghetti Neto se juntou ao seu Conselho de Administração. Droghetti é um economista e investidor com ampla experiência na estruturação de start-ups, incluindo a Atmosfera, Superbac e Catamoeda. Foi vice-presidente do Grupo Silvio Santos, Diretor Presidente da Inframérica, concessionária do aeroporto de Brasília e CEO da Lifemed, empresa que desenvolve produtos para hospitais e para o setor saúde e na qual também é membro do Conselho de Admistração.

Sobre a Canopy Growth
A Canopy Growth é uma empresa líder mundial e diversificada de cannabis medicinal, oferecendo diversas marcas e variedade s de cannabis curada e secas e extrações. Através de suas subsidiárias integrais, Tweed, Tweed Farms e Bedrocan Canadá, a Canopy Growth opera três fábricas de alto nível com capacidade de mais de 500 mil metros quadrados de produção indoor e em estufas. A Canopy Growth estabeleceu parcerias com os principais nomes do setor no Canadá e no exterior. Para obter mais informações, acesse www.canopygrowth.com

Sobre a Entourage Phytolab
A Entourage Phytolab é a primeira empresa brasileira de pesquisa e desenvolvimento focada na criação de medicamentos à base de cannabis. Sua missão é explorar o grande potencial terapêutico da Cannabis sativa e torná-lo mais acessível para médicos e pacientes do Brasil e do mundo. O nome da empresa é inspirado no chamado efeito entourage - ação combinada dos vários compostos da planta. Para obter maiores informações, acesse www.entouragelab.com

FONTE Entourage Phytolab

Solução de gestão hospitalar: gestão do ciclo de vida dos contratos

performance de serviços de saúde

Tão importante quanto a escolha do sistema de gestão hospitalar mais adequado, está a gestão do ciclo de vida dos contratos (GCVC, ou contract lifecycle management, ou CLM). Isso porque há particularidades nos contratos de TI em Saúde, quando comparados a outros fornecedores, como explica Enio Salu, ‎consultor em gestão empresarial, gestão de contratos e tecnologia da informação.

Ele destaca três diferenciais: o fato de a gestão dos hospitais ser matricial e a lógica dos processos produtivos (assistenciais) diferentes dos de retaguarda administrativa e financeira; a falta de profissionais nas empresas fornecedoras que conheçam profundamente as rotinas hospitalares; e a qualidade da informação na origem, com a gestão do ciclo de vida dos contratos  sendo deficitária mesmo em grandes hospitais.

“Para que esse processo seja efetivo, a avaliação do fornecedor deve ser feita de forma multidisciplinar: há o lado tecnológico, que geralmente é realizado pela TI, mas existe a questão da satisfação do cliente final, que deve ser feita pelas áreas de negócios da empresa”, explica Salu. De acordo com ele, são avaliações bem diferentes e a ‘questão TI’ acaba ficando secundária. “Sem o envolvimento das pessoas que conhecem, a fundo, o hospital - na contratação e gestão de contratos - não há garantia de sucesso”, completa.

Ele recomenda dois cuidados por parte do contratante, que podem evitar problemas futuros: a análise da minuta do contrato, se existe chance de ajuste no que o fornecedor chama de contrato padrão, e o grau de flexibilidade contratual. “Do lado do fornecedor, é preciso entender que a relação comercial, hoje, exige contratos com parâmetros mais flexíveis – não adianta ter um produto flexível se o instrumento contratual não é. Parceria não pode ser apenas palavra de vendedor: deve estar explícita no documento”, ressalta.

Apesar de não ser possível prever os problemas de não ter cuidado na criação e gestão do ciclo de vida dos contratos , é possível prever a perda de controle de eventos rotineiros. Para isso, Salu recomenda a inserção de cláusulas comuns nos modelos GCVC, como em quais condições os reajustes podem ser reclamados e os limites de aplicação no caso de repactuação e reequilíbrio.

Entenda como a solução de gestão hospitalar pode ajudar no gerenciamento da instituição de saúde. Baixe, gratuitamente, o ebook "O que muda no seu hospital com a implantação do ERP".

Saúde: como tratamentos eficazes são benéficos para toda a cadeia

Desafios financeiros

Dados do Instituto de Estudos de Saúde Suplementar (IESS) apontam que, dentro de 15 anos, a despesa dos planos de saúde com assistência no Brasil deve aumentar cerca de duas vezes e meia, chegando a aproximadamente R$ 280 bilhões. Diante deste cenário, é possível perceber uma forte tendência de crescimento também dos custos desse setor, resultado da junção de diversos fatores. Um – e talvez o principal – responsável por esse processo é o aumento da expectativa de vida da população que, apesar de positivo, requer cuidados especiais com a saúde. Por esse motivo é importante balancear e planejar bem esses investimentos, por meio da adoção de métodos que beneficiem tanto os pacientes quanto as operadoras de saúde.

Para que custos desnecessários sejam evitados, o acompanhamento e o controle dos tratamentos dos pacientes são fundamentais. Portadores de alguns tipos de doenças crônicas ou câncer, por exemplo, podem deixar de ingerir a medicação corretamente devido aos efeitos colaterais, dificuldades de locomoção e até mesmo por um possível quadro de depressão. Essas situações geram um grande desafio para as operadoras de saúde: como evitar os gastos com a compra de medicamentos que não estão sendo utilizados? Um dos caminhos é exatamente a gestão do paciente.

No momento em que o paciente passa a receber orientações e acompanhamento de uma equipe especializada via telefone ou em domicílio, esclarecendo, por exemplo, quando o tratamento requer uma modificação ou intensificação, o usuário consegue fazer a utilização racional do medicamento, adquire confiança e impacta diretamente a melhoria da sua qualidade de vida, resultando assim na redução do número de internações e aumento das chances de cura.

Já as operadoras de saúde, além de terem pacientes mais saudáveis e satisfeitos, também conseguem o aperfeiçoamento do planejamento financeiro, administram melhor a gestão de seus ciclos, garantem as entregas das medicações com mais assertividade, têm melhor controle dos usuários e, claro, garantem redução de custos no longo prazo. Além disso, a gestão também permite a elaboração de relatórios de acompanhamento, alertas de intercorrência, lista de medicamentos dispensados, perfil epidemiológico dentre outros diferenciais que fazem com que as operadoras melhorem seus processos.

Este momento do mercado da saúde é de extrema importância para que empresas do setor conquistem seus espaços e garantam credibilidade.  O período em que a pessoa está precisando desses serviços é muito delicado, afetando não só a ela, mas também a todos que estão ao seu redor. Deste modo, um serviço especializado e voltado para a sua necessidade pode auxiliar até mesmo a salvar vidas, já que oferecer apenas o medicamento não é o suficiente. É preciso o acompanhamento!

MV passa por mudanças na Diretoria Corporativa Comercial

mozart-marin

Com o objetivo de ampliar oportunidades de negócios e atingir novos mercados, a MV realiza alterações em sua Diretoria Corporativa Comercial. A partir deste mês de novembro, o executivo Mozart Marin passa a responder por todo o mercado da MV e a comandar um time composto por mais de 80 colaboradores.

Formado em Sistemas de Informação e Processamento de Dados e com MBA em Marketing, especialização em Gestão Empresarial, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), e extensões em Fusões e Aquisições de Empresas, pelo Insper, e Leadership & Motivating People, pela Universidade da Califórnia, Mozart Marin chega à MV com a missão de manter a liderança da empresa e colaborar com a jornada de transformação digital da Saúde, sobretudo, no atual cenário global de incertezas econômicas.

“A MV tem em sua história a preocupação de atender todas as necessidades dos clientes, com sólidos relacionamentos e parcerias. Meu desafio, portanto, é manter a satisfação dos atuais e futuros clientes, como uma empresa customer centric, garantindo maior crescimento”, afirma o executivo, que, com mais de 20 anos no mercado de TI e passagem por empresas como Datasul, Oracle, SAP, Philips Healthcare e NeoGrid, possui conhecimento sobre todos os aspectos da cadeia de valor B2B, além de experiência em direção de áreas comerciais, formação de alianças, parcerias estratégicas e canais de vendas para empresas multinacionais brasileiras e globais.

Segundo ele, seu trabalho também estará focado no desenvolvimento de lideranças internas e canais de vendas indiretas para elevar ainda mais o nível de excelência e performance do time Comercial da MV. “O objetivo é criar uma espiral positiva para o sucesso, cuidando bem de nossos colaboradores e parceiros para que cuidem bem de nossos clientes.”

Enquanto Mozart Marin assume a Diretoria Corporativa Comercial da MV, Robson Catão, que por três anos atuou como diretor de negócios governamentais na empresa e nos últimos cinco anos esteve à frente da diretoria, passa a atuar como parceiro de TI estratégico na comercialização e implantação das soluções de gestão voltadas à saúde pública. Com participação no fechamento de negócios expressivos para a empresa, como os projetos das Secretarias Estaduais de Saúde de Pernambuco, Tocantins e Piauí e também o projeto do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de São Paulo (HCFMUSP), Catão está com a missão de aumentar o market share da MV, fazendo com que a empresa consolide ainda mais a atuação na saúde pública.

Grupo NotreDame adota sistema de controle de energia

power transmission & Sunset
power transmission & Sunset

Enfim, tudo que possa, no final das contas, gerar um outro tipo de economia: a financeira, além de mais retorno sustentável ao planeta. Para alguns setores, como as indústrias, empresas e comércios, controlar gastos nunca foi tão importante como nessas épocas de crise. Mas há um, em especial, onde equilibrar economia e consumo consciente não tem sido tarefa fácil. Trata-se do setor hospitalar. Neste universo, ter tudo funcionando 24h e ainda conseguir driblar o declive econômico e energético pelo qual o país atravessa, é mais que uma necessidade financeira, é uma questão de vida ou morte. Literalmente.

Tanto os hospitais públicos quanto privados têm buscado soluções de todos os tipos para manter a conta de luz em um nível razoável, mesmo com a utilização constante de equipamentos que exigem um alto consumo de energia. Alguns, na ânsia de obter um uso eficiente de energia e utilidades e reduzir custos, acabam gastando mais, investindo alto em soluções complexas, verdadeiros “elefantes brancos” que, muitas vezes, nem apresentam o resultado esperado.

Não foi o caso, por exemplo, da NotreDame Intermédica, com sede em São Paulo, com uma rede composta por 11 hospitais, 8 maternidades, 14 prontos-socorros e 59 centros clínicos, espalhadas entre São Paulo e Rio de Janeiro.

“Diante da necessidade de um controle mais preciso sobre consumos e valores praticados, procuramos um sistema que se enquadrasse em uma política de sustentabilidade ambiental e econômica.”, explica o Gerente de Engenharia, Alessandro Depieri Matos.

Fácil, eficaz e de baixo custo

Foi diante desta demanda que o grupo encontrou o Follow Energy, um serviço de controle de energia elétrica e utilidades (gás, óleo e água), mensal, que funciona 24h, de baixo custo, acessível via internet, com plataforma Nuvem e que, hoje, atende mais de 5000 usuários, entre indústrias, shoppings, supermercados, lojas, condomínios e hotéis. O Follow Energy é um sistema fornecido pela empresa ACS (ACS - Automação, Controles e Sistemas Industriais Ltda.) à médios e pequenos consumidores, que apresentem uma conta de luz mensal de, no mínimo, 15 mil reais.

A ferramenta permite o monitoramento remoto do consumo de energia e de outras variáveis, com notificação de desvios e irregularidades por e-mail e SMS, acompanhamento dos dados coletados através de gráficos e estatísticas e a análise de todas as informações, através de inúmeros relatórios operacionais e gerenciais. Era tudo o que o Grupo NotreDame buscava naquele momento.

“Optamos pelo Follow Energy por ser uma ferramenta já sacramentada no mercado e de reconhecida qualidade e resultados. Através dela tivemos a possibilidade de conhecermos melhor nosso perfil de energia elétrica, identificando exatamente os momentos de pico e possíveis ultrapassagens de demanda, além da indicação para ajuste de fator de potência”, diz Alessandro Matos.

Outra vantagem do sistema é o fato de poder atuar de modo automático, ligando e desligando, na hora certa, máquinas como, por exemplo, sistemas de ar condicionado, iluminação ou motores, evitando, assim, desperdícios por esquecimentos ou ligamento antes do necessário.

Hoje, o NotreDame tem o Follow Energy instalado em 12 de suas unidades, sendo 11 hospitais e a sede administrativa do grupo. E, diante de tão bons resultados, o gerente de engenharia finaliza, afirmando:

“É o tipo de sistema que indico, pois trata-se de uma ferramenta que traz a gestão de um insumo fundamental no ‘simples apertar de um botão’. É a forma mais inteligente e dinâmica de se obter informações sobre a rede elétrica, possibilitando a tomada de decisões em tempo real.”

Série de Casos recentemente publicada: Stretta como uma opção de tratamento para GERD no paciente bariátrico

NORWALK, Connecticut, 22 de novembro de 2016 /PRNewswire/ -- A Mederi Therapeutics Inc., fabricante da terapia Stretta para a doença do refluxo gastresofágico (GERD), anunciou a publicação de uma série de casos demonstrando a viabilidade da terapia Stretta como um tratamento para a GERD crônica após a gastrectomia em manga laparoscópica (LSG). A série foi publicada na edição de novembro da Bariatric Times, uma publicação com revisão por pares.

Foto - http://photos.prnewswire.com/prnh/20130211/NY56794

O artigo, "Uma série de casos de GERD no paciente bariátrico: a terapia Stretta como uma opção de tratamento", analisou os resultados de quatro pacientes submetidos à LSG que utilizaram a Stretta para o tratamento da GERD crônica no Sistema de Saúde da Duke University. De autoria do Dr. A. Daniel Guerron, professor assistente de cirurgia e do Dr. Dana Portenier, chefe da divisão de cirurgia para redução do peso e metabólica, codiretor, fellowship de cirurgia bariátrica e minimamente invasiva, e professor assistente de cirurgia, o artigo delineia os desafios envolvidos com estes pacientes e porque a Stretta surgiu como uma estratégia favorável de tratamento.

Percebendo a crescente popularidade do procedimento da LSG para a redução de peso, os autores explicaram o motivo porque a LSG menos invasiva é atraente para os pacientes mas observaram que a gastrectomia não resolve os sintomas da GERD tão consistentemente quanto a cirurgia do bypass gástrico. A GERD após a LSG pode exigir uma cirurgia revisional. Embora mais pesquisas sobre o papel da LSG na GERD sejam necessárias, é preciso uma opção não cirúrgica para pacientes que sofrem de GERD após um procedimento bariátrico.

A série revisa os resultados de quatro pacientes em várias fases de acompanhamento. Antes da Stretta, todos os pacientes apresentaram sintomas de GERD incontroláveis sem o uso de medicamentos. Oito meses após o tratamento, dois pacientes não experimentaram nenhum sintoma. Dois pacientes experimentaram um alívio significativo tendo os sintomas restantes controlados com sucesso com medicação reduzida após 1 a 3 meses. Não foram registradas complicações relacionadas ao procedimento com a Stretta.

Dr. Guerron concluiu: "Nossa experiência com a terapia Stretta para o tratamento da GERD neste tipo desafiante de pacientes foi muito favorável e nos permitiu evitar a cirurgia revisional na maioria dos pacientes tratados com a terapia. A série de casos demonstra que a Stretta pode tratar com eficácia e segurança o paciente bariátrico que sofre de GERD".

A Stretta é um procedimento não cirúrgico para o tratamento da GERD que utiliza a energia deradiofrequência não ablativa (RF) para tratar o músculo entre o estômago e o esôfago. Estudos demonstram que a Stretta resolve sintomas de refluxo, reduz ou elimina a necessidade de medicação e reduz a exposição ácida em pacientes com GERD crônica. A terapia Stretta transoral não altera a anatomia, o que a torna uma boa opção para pacientes com GERD que se submeteram à cirurgia bariátrica.

A Mederi anunciou neste ano vários centros de cadastramento atualmente registrando pacientes para estudar o benefício da Stretta como tratamento em pacientes com GERD após a LSG. Adicionalmente, a terapia foi apresentada em sessões educacionais e laboratórios interativos realizados em congressos médicos recentes, na IFSO e na Semana Contra a Obesidade.

SOBRE A STRETTA®
A Stretta é um tratamento versátil e não cirúrgico para pacientes com GERD que não respondem bem à medicação e desejam evitar a cirurgia. A terapia provou ser segura e eficaz em mais de 40 estudos. Para mais informações sobre a terapia Stretta disponível globalmente acesse: stretta-therapy.com.

Contato:
Audra Friis
917-519-9577
audra@pascalecommunications.com

FONTE Mederi Therapeutics Inc.

OGT anuncia destaques comerciais e financeiros do ano fiscal de 2016

OXFORD, Inglaterra, 22 de novembro de 2016 /PRNewswire/ -- A Oxford Gene Technology (OGT), empresa de genética molecular, anunciou que continuam fortes as vendas de seu portfólio altamente integrado de produtos de genética molecular, propiciando crescimento lucrativo sustentável. Os destaques comerciais e financeiros para o ano encerrado em 30 de setembro mostram que a empresa gerou vendas de produtos no valor de £ 18,4 milhões, com um aumento de 29%, no ano fiscal de 2015.

Logo: http://photos.prnewswire.com/prnh/20160909/406091LOGO 

  • A receita total cresceu 15% para £ 19,7 milhões (ano fiscal de 2015: £ 17,1 milhões).
  • As receitas de produtos cresceram 29% para £ 18,4 milhões (ano fiscal de 2015: £ 14,3 milhões).
  • O portfólio totalmente integrado proporciona crescimento lucrativo sustentável.

O impressionante desempenho financeiro da OGT ratifica a estratégia da empresa de desenvolvimento inovador de produtos de alto crescimento para genética molecular. O CEO da OGT, Dr Mike Evans, explicou:

"As decisões estratégias que tomamos nos últimos anos remodelaram a empresa, para criar um empreendimento funcional e lucrativo, que está totalmente focado no desenvolvimento de produtos inovadores para genética molecular. O foco em nosso portfólio integrado de produtos para genética molecular gerou um forte crescimento das vendas e um aumento significativo dos lucros provenientes de atividades comerciais".

Destaques comerciais

Cytocell®: a sonda de hibridização fluorescente em situ (FISH -- Fluorescence in situ hybridisation) para detectar rearranjos de genes relacionados a doenças genéticas hereditárias e câncer sobrepuja o crescimento do mercado.

  • Crescimento contínuo de dois dígitos sobrepuja crescimento do mercado; maior participação de mercado (crescimento do mercado de 7%).
  • A OGT mantém sua posição de fornecedora líder de mercado de FISH, com a mais ampla variedade de sondas de FISH no mercado.
  • Maior expansão do portfólio de sondas de FISH Cytocell com mais de 14 sondas de hematologia e sondas de patologia com marcação CE-IVD para câncer do pulmão e tumores gliais acrescidas.

CytoSure™A ampla variedade de produtos de array para citogenética molecular, pesquisa do câncer e da saúde reprodutiva mostra um crescimento impressionante e adoções por novos clientes globalmente.

  • Grande aumento da base de clientes graças à bem-sucedida estratégia focada em éxon, incluindo o desenvolvimento de arrays moleculares para complementar o NGS com o padrão ouro para detecção de CNV.
  • Adoção bem-sucedida e continua pelo mercado do CytoSure Constitutional v3 array e lançamento do CytoSure Constitutional v3 +LOH array -- os únicos arrays que incorporam o mais novo conteúdo baseado em evidência para detecção aperfeiçoada de distúrbios do desenvolvimento.
  • Teste pré-natal não invasivo (NIPT -- non-invasive pre-natal test) CytoSure Affirm a ponto de requerer marcação CE, conforme o Reino Unido aprova o uso do NIPT como parte do programa nacional de triagem.

SureSeq™: O portfólio em expansão de produtos de preparação da biblioteca de NGS para detecção precisa de variantes genéticas passa por crescimento crescente das vendas e um foco em personalização flexível.

  • Investimento em desenvolvimento de novos produtos refletido no aumento do crescimento das vendas e um forte pipeline de vendas.
  • Lançamento do SureSeq myPanel™ NGS Custom Cancer Panels, reforçando a estratégia de personalização flexível da empresa -- simplificando a detecção de importantes variantes do gene do câncer.
  • Expansão do portfólio de câncer e doenças raras com novo conteúdo de painel personalizado e painéis focados em doenças próximos do lançamento e em desenvolvimento.

Em relação a 2017, o Dr. Evans declarou: "Nossa empresa está focada agora em crescimento lucrativo sustentável e nossa estratégia para o futuro é visar ainda mais o crescimento do mercado de medicina molecular. Como parte dessa abordagem, continuaremos a desenvolver e expandir nossos populares programas de personalização -- Cytocell myProbes®SureSeq myPanelconteúdo de array personalizável CytoSure -- que nos possibilitarão ser realmente reativos às necessidades dos clientes e destacar claramente a OGT da concorrência".

CytoSure™ and SureSeq™: For Research Use Only; Not for Use in Diagnostic Procedures. Cytocell®: Some products may not be available in your region.

FONTE Oxford Gene Technology (OGT)

Alliar - Fato Relevante - Aprovação do Plano de Recompra de Ações

BELO HORIZONTE, Brasil, 22 de novembro de 2016 /PRNewswire/ -- Alliar - Centro de Imagem Diagnósticos S.A. (BM&FBOVESPA:AALR3), em atendimento ao disposto no artigo 157, §4º da Lei nº 6.404/76 e na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 358/02, informa aos seus acionistas e ao mercado em geral que o seu Conselho de Administração aprovou, nesta data, o programa de recompra de ações de emissão da Companhia, pelo qual poderão ser adquiridas pela Companhia até 1.000.000 (um milhão) de ações ordinárias, nominativas, escriturais e sem valor nominal de sua própria emissão, equivalentes a aproximadamente 2,28% do total de ações ordinárias em circulação de emissão da Companhia, de acordo com as seguintes condições:

  • Objetivo do Programa de Recompra: Aquisição de ações de emissão da Companhia para manutenção em tesouraria e posterior alienação (i) no âmbito do Plano de Incentivo de Longo Prazo com Ações Restritas da Companhia aprovado em Assembleia Geral Extraordinária realizada em 26 de agosto de 2016, conforme alterado na Assembleia Geral Extraordinária de 03 de outubro de 2016; e (ii) no âmbito de aquisições de empresas em linha com o plano de expansão da Companhia já divulgado ao mercado, observada a regulamentação aplicável.
  • Prazo para aquisição: A aquisição das ações objeto do Programa de Recompra será realizada no prazo de até 18 (dezoito) meses, com início em 23 de novembro de 2016 e término em 22 de maio de 2018, cabendo aos membros da Diretoria da Companhia definir o melhor momento para realizar a aquisição das ações.
  • Recursos a serem utilizados: A aquisição de ações no contexto do Programa de Recompra ocorrerá mediante aplicação de recursos disponíveis oriundos da conta "Reserva de Capital" da Companhia.
  • Instituições financeiras autorizadas: A aquisição de ações no contexto do Programa de Recompra será realizada através do pregão da BM&FBOVESPA, com a intermediação do Bank of America Merrill Lynch e Itaú Corretora.

Informações adicionais sobre o Programa de Recompra, inclusive aquelas exigidas nos termos das Instruções da Comissão de Valores Mobiliários nº 567/15 e 480/09, encontram-se disponíveis aos acionistas na sede da Companhia, no seu site de Relações com Investidores (http://ri.alliar.com), bem como no site da Comissão de Valores Mobiliários (www.cvm.gov.br) e da BM&FBOVESPA (www.bmfbovespa.com.br).

CENTRO DE IMAGEM DIAGNÓSTICOS S.A.
Carlos Thiago de Souza Araujo
Diretor de Relações com Investidores
11 5088-1050

FONTE Alliar - Centro de Imagem Diagnosticos S.A.

Idoso Bem Cuidado – Projeto visa garantir vida longa às operadoras de saúde em um Brasil em envelhecimento

Com a perspectiva de envelhecimento da população brasileira, ANS lança projeto para renovar o atual sistema de atendimento aos idosos a fim de trazer melhorias significativas às finanças das operadoras de saúde

7.IdosoBemCuidadoO envelhecimento da população brasileira (e também mundial) é sempre um dos assuntos que fundamenta as preocupações tanto do sistema de saúde público quanto do privado. Nos últimos anos, ações que promovem o cuidado com o idoso assim como buscam trabalhar a prevenção de doenças desta classe da população, têm sido tema frequente dos fóruns da Feira Hospitalar. E a preocupação cresce a cada dia, principalmente com a estatística nos mostrando que em 2030 teremos, pela primeira vez, mais pessoas com mais de 60 anos de idade do que crianças até 14.

Hoje temos 23 milhões de idosos no Brasil. Desse montante, 26% (cerca de 6 milhões) estão dentro do sistema privado de saúde. Com uma perspectiva de termos, em 2050, 65 milhões de idosos no país, temos uma ideia da quantidade de beneficiários com mais de 60 anos de idade nos planos de saúde.

De olho nesta realidade que se aproxima, a ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar vem trabalhando o Idoso Bem Cuidado, projeto que visa modificar o atual modelo de atenção à saúde na terceira idade trazendo bons resultados tanto às operadoras de planos de saúde quanto à população. O projeto foi criado após a análise de que se mudanças não forem projetadas, as operadoras de planos de saúde entrarão em colapso financeiro nos próximos anos.

Atualmente, o sistema está sobrecarregado pois os planos de saúde são usados, normalmente, com fins curativos. A prevenção ainda não é a palavra de ordem, o que acarreta em perdas financeiras e principalmente em perda de qualidade de vida. Com os idosos imersos em um sistema que não os acompanha de perto, eles passam a consultar diversas especialidades, realizando uma quantidade de exames muitas vezes repetidos e desnecessários.

O Idoso Bem Cuidado se opõe ao conceito de fragmentação diagnóstica e se apoia na ideia de integralidade de análise. O que isso significa? Que a intenção é colocar um médico e um enfermeiro de referência para acompanhar o idoso em toda a sua trajetória. Isso facilita o diagnóstico e a prevenção, combatendo fatores críticos antes que se tornem doenças efetivas.

Para o sucesso do projeto que está em fase inicial de testes, as operadoras têm papel fundamental. A sugestão é que sejam criadas estruturas de referência para que os beneficiários não se sintam perdidos e tenham um direcionamento mais preciso, evitando que estejam em consulta simultânea com tantas especialidades médicas distintas, muitas vezes realizando exames e tomando medicações conflitantes.

Papel da inovação tecnológica no projeto – Segundo o Conselho Federal de Medicina, temos cerca de mil geriatras em atuação no país, representando mais de 20 mil idosos para cada profissional. Pensando em especialistas em gerontologia a situação é ainda mais aflitiva: são apenas 300 profissionais em toda a nação. Com um déficit de profissionais qualificados no atendimento à terceira idade, o investimento em tecnologia torna-se ainda mais fundamental para que recursos como telemedicina e sistemas de gestão possam contribuir com a confluência de informações dos beneficiários.

A informatização dos planos de saúde também contribui para o Idoso Bem Cuidado. Hoje, o mercado disponibiliza uma série de sistemas de gestão em saúde para que as operadoras possam automatizar a análise de documentos em procedimentos de baixa complexidade. Isso libera os auditores para que se dediquem a casos mais complexos. Além disso, o investimento em sistemas de gestão reduz as falhas humanas, garantem maior agilidade na emissão de guias e aumentam a eficiência da equipe. Todos esses benefícios refletem na saúde financeira das operadoras.

Ministério da Saúde lança edital do pregão eletrônico para a compra de repelentes

A previsão é que compra do produto possa beneficiar quase 500 mil gestantes do programa Bolsa Família

5.edital msO edital do pregão eletrônico para compra de repelentes foi publicado, na segunda-feira (21), no Diário Oficial da União. O objetivo da ação é atender 484 mil gestantes em situação de vulnerabilidade inseridas no programa Bolsa Família no âmbito do Plano de Enfrentamento aoAedes aegyptie à Microcefalia. A abertura do pregão, que definirá a empresa fornecedora do produto para o Ministério da Saúde, está prevista para o dia 1º de dezembro, às 9h (horário de Brasília).

Poderão participar do processo empresas que estiverem previamente credenciadas no Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores (SICAF), por meio da página:www.comprasnet.gov.br.  Além disso, os interessados deverão encaminhar a proposta de preço por meio do sistema eletrônico até a data e horário marcados para abertura da sessão.

A empresa vencedora do processo eletrônico, por apresentar uma proposta de menor preço, deve distribuir o produto em até 15 dias após assinatura de contrato com o Ministério da Saúde. Os produtos podem ser fornecidos em forma de gel, loção, aerossol ou spray e oferecer, no mínimo, quatro horas de repelência, conforme registro na Anvisa. Ao todo, serão adquiridos pelo Governo Federal três bilhões de horas de repelência.

A oferta será realizada por meio do Programa de Prevenção e Proteção Individual de Gestantes contra o Aedes aegypti, que envolve o Ministério da Saúde e Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDS). Caberá ao MDS o crédito extraordinário de R$ 300 milhões e à pasta da Saúde a aquisição e a distribuição dos repelentes.

AUDIÊNCIA PÚBLICA –O Ministério da Saúde colocou em consulta pública, entre os dias 11 e 25 de outubro, o termo de referência para aquisição dos repelentes com intuito de receber considerações de pessoas físicas e jurídicas para aprimorar o processo de compra do produto. No dia 26 de outubro, a pasta realizou audiência pública em Brasília, onde representantes das empresas puderam questionar e tirar dúvidas sobre o processo. Ao todo, foram oito contribuições online, além de diversas intervenções ao vivo. 

O Ministério da Saúde já recomenda o uso de repelentes para reforçar a proteção contra o mosquitoAedes aegypti, em especial às gestantes, pela associação do vírus Zika com a microcefalia em bebês. A medida, no entanto, não deve ser a única maneira de evitar a transmissão da doença. É importante que as gestantes adotem ainda medidas simples que possam evitar o contato com o Aedes, como se proteger da exposição de mosquitos, manter portas e janelas fechadas ou teladas, usar calça e camisa de manga comprida, entre outras.

É importante destacar que, para erradicar o mosquito transmissor do vírus Zika e os possíveis criadouros, é necessária a adoção de uma rotina para eliminar recipientes que possam acumular água parada. Quinze minutos de vistoria são suficientes para manter o ambiente limpo. Pratinhos com vasos de planta, lixeiras, baldes, ralos, calhas, garrafas, pneus e até brinquedos podem ser os vilões e servir de criadouros para as larvas do mosquito.