faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Boehringer Ingelheim e Universidade Escocesa de Dundee destacam o sucesso de pesquisas anti-câncer em desenvolvimento

fiocruz-constroi-complexo-de-institutos-nacionais-de-saude.jpg
pesquisa - Shutterstock

A Boehringer Ingelheim e a Universidade de Dundee avançam em pesquisa que acelera a entrega de terapias contra tipos de câncer atualmente intratáveis

Por meio de uma aliança, a Boehringer Ingelheim e a Universidade Pública de Pesquisa de Dundee, na Escócia, ampliaram suas colaborações para o desenvolvimento de novos medicamentos que identificam e destroem as principais proteínas causadoras de câncer. A pesquisa contou com a expertise da equipe farmacêutica da Boehringer Ingelheim e de pesquisadores como o Professor Alessio Ciulli, pioneiro em estudos sobre Quimera com Alvos de Proteólise, também conhecida como Protac's. O objetivo da parceria é reforçar o compromisso de levar medicamentos inovadores a pacientes com câncer.

Os PROTACs representam uma nova classe de candidatos a fármacos com potencial para combater alvos de câncer que falharam em abordagens químicas tradicionais da medicina. A tecnologia PROTACs utiliza o sistema natural de eliminação de proteínas da célula (a ubiquitinaproteassoma) para retirar seletivamente proteínas alvo por proteólise, a quebra de proteínas em aminoácidos. Proteínas causadoras de doenças são rotuladas como proteínas “vencidas” que o proteassoma então fragmenta.

“Os PROTACs são uma modalidade terapêutica disruptiva que estão trazendo alvos que antes não eram considerados. Nossos esforços continuaram para levarmos essa nova classe de medicamentos para os pacientes”, disse Darryl B. McConnell, Ph.D., vice-presidente sênior e chefe de pesquisa da Boehringer Ingelheim de Viena, na Áustria. "A equipe está fazendo um progresso rápido e alcançou com sucesso o primeiro marco dos estudos, estabelecendo uma base sólida para alcançar nossos objetivos".

Desde o início da colaboração, em 2016, com expansão significativa em 2018, a aplicação de PROTACs cresceu muito. No entanto, projetar PROTACs ainda é desafiador e, em grande parte, empírico por natureza, o que dificulta o progresso mais rápido na área. Os parceiros desenvolveram, assim, uma metodologia de projeto baseada em estrutura com base sólida para acelerar o desenvolvimento. Além disso, para impulsionar a pesquisa PROTAC em todo o mundo, a Boehringer Ingelheim disponibilizou o composto de degradação de proteína MZ-1, desenvolvido na Universidade de Dundee, gratuitamente por meio do seu portal opnMe, em 2018. Outras moléculas PROTAC são consideradas para lançamento no opnMe.

Conjuntamente, a equipe relatou progressos recentes em várias publicações científicas, incluindo, mais recentemente, na revista Nature Chemical Biology. Esta publicação destaca a abordagem que se usam imagens tridimensionais em resolução atômica para projetar candidatos a medicamentos altamente potentes e seletivos. A nova abordagem produziu o primeiro PROTAC que fragmenta o SMARCA2, uma proteína que controla os tumores de mais de 20 mil novos pacientes com câncer a cada ano e para os quais as abordagens de descoberta de drogas não foram bem-sucedidas até o momento.

“Nossa publicação científica é um exemplo importante para traduzir a compreensão detalhada que estamos desenvolvendo e de como os PROTACs trabalham para criar moléculas de degradação que efetivamente enfrentam alvos antes 'impossíveis'”, disse Alessio Ciulli, Ph.D., Presidente de Biologia Química e Estrutural na Universidade de Dundee e vencedor do Prêmio 2016 RSC Capps Green Zomaya de química medicinal. “A expansão é um marco importante no desenvolvimento de nossa aliança. Ela permite que a equipe conduza a próxima fase de metas de câncer altamente degradantes, anteriormente intratáveis por meio de outras abordagens.”

A Boehringer Ingelheim está se concentrando no desenvolvimento de novas abordagens de tratamento, proporcionando valor excepcional para os pacientes. Para conseguir isso, a empresa está aumentando seu compromisso com a inovação e está trabalhando com os principais parceiros da academia e da indústria em todo o mundo. Uma rede crescente de colaborações acadêmicos reflete o foco da empresa na ciência emergente que poderia abrir novos caminhos que levem a medicamentos inovadores do futuro.

Sobre a Universidade de Dundee

A Universidade de Dundee é a melhor universidade classificada no Reino Unido para ciências biológicas, de acordo com o Quadro de Excelência de Pesquisa 2014. Dundee é reconhecida internacionalmente pela qualidade de seu ensino e pesquisa e tem como missão central transformar vidas em toda a sociedade. Mais de 17 mil alunos estão matriculados em Dundee, ajudando a tornar a cidade escocesa mais amigável ao estudante. A Universidade é o hub central de um setor de biotecnologia multimilionário no leste da Escócia, que agora responde por 16% da economia local.

Sobre a Boehringer Ingelheim

A Boehringer Ingelheim é uma das 20 principais farmacêuticas do mundo e possui cerca de 50.000 funcionários globalmente. Atua há mais de 130 anos para trazer soluções inovadoras em suas três áreas de negócios: saúde humana, saúde animal e fabricação de biofármacos. Em 2018, obteve vendas líquidas de cerca de € 17,5 bilhões e os investimentos em pesquisa e desenvolvimento corresponderam a 18% do faturamento líquido (mais de € 3,2 bilhões). No Brasil há mais de 60 anos, a Boehringer Ingelheim possui escritório em São Paulo e fábricas em Itapecerica da Serra e Paulínia. A empresa recebeu, em 2019, pelo terceiro ano consecutivo, a certificação Top Employers, que a elege como uma das melhores empregadoras do mundo por seu diferencial nas iniciativas de recursos humanos.

Planos de Saúde: Um mercado de troca

Ricardo Cotter

Todos sabemos que os planos de saúde representam  um custo cada vez mais alto no orçamento de famílias e empresas. Mesmo assim, é comum que anualmente quando se dá o aniversário dos planos  contratados ou quando um beneficiário completa uma idade que gera a sua mudança de faixa etária e valor, os usuários dos planos aceitem os aumentos muitas vezes por entender que o trabalho que terá na busca por um novo plano, não vai se justificar.

O corretor de plano de saúde, tem como uma das principais funções dentro da venda, buscar alternativas que justifiquem esta troca, o  que não gera  nenhum esforço adicional  de trabalho ao cliente, além do envio da documentação necessária, já que todo o trabalho de avaliação e possibilidades é feito cuidadosamente pelo corretor após uma analise do perfil da massa familiar ou empresarial.

As vezes, além de uma boa redução apenas com a troca de operadora, a analise do perfil da massa, pode mostrar que planos com Coparticipação também passam a ser boas opções. Desta forma, muitas vezes, o trabalho do especialista na área, que é o corretor do plano de saúde, consegue  gerar economias que passam dos 40% e sem perdas relevantes de rede.

Outra coisa que preocupa muito o cliente, é a falta de apoio após a concretização da venda e ai, pode-se  detectar um outro diferencial oferecido por corretores especializados atentos a este mercado de troca, e que  mantém contato permanente com o cliente visando sempre que aos cumprimento dos 12 meses de contrato, tenha-se sempre  a oportunidade de voltar a analisar sua utilização para uma nova troca e, isso só é possível, se o profissional realizar  um bom trabalho de pós venda.

Além de todas estas informações, muitos outros fatores podem contribuir para uma boa avaliação, buscando sempre as melhores opções, dentro da melhor relação custo x benefício para o cliente. Para isso, é preciso que o profissional esteja sempre preocupado com inovações e atualizações dentro da área, fazendo cursos, se informando sempre sobre novas opções no mercado, melhores e mais baratas, que possam contribuir com a melhoria do mercado consumidor desse tipo de produto.

HSC inicia implantação da Checagem Beira-Leito Eletrônica

beira-leito-HSC

O processo garante mais segurança ao paciente e agilidade às equipes médicas e assistenciais

O Hospital Santa Cruz (HSC) destaca o seu compromisso com a segurança dos seus pacientes em todos os processos, como na Checagem Beira-Leito, que é a etapa em que o profissional de enfermagem realiza a administração de medicamentos de acordo com a prescrição médica e atualiza o prontuário do paciente hospitalizado, registrando informações sobre o estado clínico.

Com foco em agilizar processos, aumentar a mobilidade e produtividade das equipes de enfermagem, o HSC está implantando a Checagem Beira-Leito eletrônica para garantir ainda mais segurança à cadeia de administração de medicamentos e informações dos pacientes no setor de internação, otimizando a inserção dos dados no prontuário eletrônico do paciente e proporcionando a conferência por dois profissionais nos casos de medicamentos de alta vigilância, garantindo o cumprimento do protocolo de segurança da Instituição. Por meio de um sistema acessado por um PDA (Personal Digital Assistant), ou seja, um dispositivo digital pessoal, o profissional de enfermagem tem acesso a dados, como as prescrições médicas e o horário da medicação, além de ter a possibilidade de adicionar informações relacionadas aos sinais vitais e registros da enfermagem online, os quais podem ser inseridos também via áudios, trazendo ainda mais rapidez ao processo.

São validadas no PDA as informações do profissional que irá administrar a medicação; do paciente, por meio de sua pulseira de identificação; e da medicação a ser realizada de acordo com a prescrição médica. Caso haja alguma informação discrepante, o sistema emite alerta e impede a execução, oferecendo maior segurança ao processo de administração de medicamentos. Segundo Michele Tavares de Oliveira, gerente de Enfermagem do HSC, ao usar esse novo sistema, a Instituição reforça o cumprimento da meta internacional número três da Segurança do Paciente, ou seja, a correta prescrição e administração dos medicamentos. “Com o uso dessa tecnologia, conseguimos agilizar o processo, otimizar o tempo dos profissionais de enfermagem e fornecer informações online aos demais membros da equipe assistencial, além de eliminar falhas no processo”, declara.

Com a Checagem Beira-Leito do HSC, o profissional de enfermagem atualiza as informações no sistema e o médico passa a ter acesso a esses novos dados no Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) em tempo real. De acordo com Sabrina Ramos Majado, técnica de Enfermagem da Instituição, o paciente se sente mais seguro com o uso do sistema. “Quando começamos a usar o dispositivo digital, percebemos que os pacientes passaram a se sentir melhor atendidos e avaliados, pois conseguimos garantir atenção individualizada, aumentando a confiança entre nós”, comenta.

Para Micaela Santos Souza Moura, enfermeira líder do Hospital Santa Cruz, o sistema permite às equipes de enfermagem incluir informações, como registros de ganhos e perdas, com dados relativos a eliminações fisiológicas, ingestão de líquidos e alimentos, mantendo constante acompanhamento médico e de enfermagem. “É possível incluir alertas e observações, o que ajuda a promover a saúde geral do paciente, as quais ficam arquivadas no sistema do HSC, garantindo detalhes sobre cada procedimento e internação”, destaca.

Outros aspectos positivos da Checagem Beira-Leito por meio do PDA é que ela reforça as boas práticas da Instituição, como o controle e a cobrança de medicamentos e materiais também em tempo real, e diminui irregularidades na leitura de embalagens, dosagens, frequência e horário da administração do medicamento.