Aprovada no Brasil nova indicação para Vyndaqel (Tafamidis Meglumina)

comprimido

A ANVISA anuncia a aprovação para tratamento de pacientes com cardiomiopatia amiloidótica por transtirretina, doença hereditária ou senil que afeta o coração

Foi aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), a nova indicação do medicamento Vyndaqel® (tafamidis meglumina), da Pfizer, para pacientes com cardiomiopatia amiloidótica por transtirretina (ATTR-CM). Trata-se de uma doença rara e subdiagnosticada que está associada à insuficiência cardíaca progressiva e, para a qual, não havia opção terapêutica medicamentosa aprovada. Em 2018, o Tafamidis foi definido pela agência regulatória norte-americana, a Food and Drug Administration (FDA), como terapia inovadora para pacientes com ATTR-CM e teve a produção acelerada (fast track), com o objetivo de acelerar a sua aprovação.

A prevalência da cardiomiopatia amiloidótica por transtirretina, no Brasil e em âmbito mundial, é desconhecida. Estima-se que menos de 1% dos pacientes já tenham sido diagnosticados (1). Sem tratamento, a expectativa de vida é de apenas 2 a 3 anos e meio após o diagnóstico (2). O medicamento, agora aprovado para comercialização no Brasil, muda este cenário. “Até então, as opções eram gerenciar os sintomas e, em casos raros, o transplante de órgãos. Com esse medicamento, os pacientes podem viver mais e com mais qualidade de vida”, ressalta a diretora médica da Pfizer Brasil, Márjori Dulcine.

A afirmação é amparada pelos resultados positivos de um estudo clínico de fase 3 que evidenciou a eficácia, segurança e tolerabilidade às doses. Nessa pesquisa, o tafamidis foi associado a uma redução significativa na frequência das hospitalizações e na mortalidade dos pacientes na comparação com placebo, considerando um período de 30 meses. Multicêntrico, duplo-cego e randomizado, o estudo foi realizado a partir de uma dose oral diária de tafamidis meglumina (de 20 mg ou 80 mg).

Participaram 441 pacientes, incluindo tanto indivíduos com a forma hereditária da doença como aqueles com o tipo selvagem (relacionado ao envelhecimento). Estima-se que 90% dos pacientes com cardiomiopatia amiloidótica associada à transtirretina sejam do tipo selvagem (3,4,5). A mortalidade foi menor entre os 264 pacientes que receberam tafamidis do que entre os 177 pacientes que receberam placebo (6).

Nas duas formas da doença, em decorrência da mutação, a proteína transtirretina torna-se insolúvel e suscetível à formação de fibrilas amiloides, que se acumulam em diversos tecidos do corpo. Essas estruturas, quando se concentram no coração, interferem em seu funcionamento. O medicamento age na estabilização dessas proteínas.

Pioneirismo também em pausar a PAF

Em 2016, Vyndaqel® foi aprovado no Brasil para o tratamento da polineuropatia amiloidótica familiar (PAF), uma enfermidade genética rara e irreversível, mais comum em descendentes de portugueses. O medicamento foi o primeiro tratamento medicamentoso específico para a PAF, também chamada de paramiloidose ou ATTR-PN. Antes de seu lançamento, a única alternativa para tratar a enfermidade era o transplante de fígado.

A PAF é causada por uma mutação no gene da proteína TTR, o que leva à produção de proteínas instáveis. Essas estruturas defeituosas, em vez de fluírem pelo plasma sanguíneo, se acumulam em diferentes órgãos do corpo, interferindo em seu funcionamento. O Vyndaqel® (tafamidis meglumina) age, justamente, impedindo que essas proteínas se desestabilizem, pausando a PAF. O medicamento, para essa indicação, foi incorporado no SUS em 2018 (7).

Geralmente, a enfermidade se manifesta entre os 30 e os 40 anos de idade, no auge da capacidade produtiva. Em média, esses pacientes morrem dez anos após os primeiros sintomas, se não houver tratamento adequado

Referências bibliográficas

1. Gopal DM, Ruberg FL, Siddiqi OK. Impact of Genetic Testing in Transthyretin (ATTR) Cardiac Amyloidosis. Curr Heart Fail Rep. 2019 Oct;16(5):180-188.

2. Maurer MS, Schwartz JH, Gundapaneni B, Elliott PM, Merlini G, Waddington-Cruz, M, Kristen AV, Grogan M, Witteles R, Damy T, Drachman BM, Shah SJ, Hanna M, Judge, DP, Barsdorf AI, Huber P, Patterson TA, Riley S, Schumacher J, Stewart M, Sultan; MB, Rapezzi C; ATTR-ACT Study Investigators. Tafamidis Treatment for Patients with Transthyretin Amyloid Cardiomyopathy. N Engl J Med. 2018 Sep 13;379(11):1007-1016.

3. ATTR Amyloidosis. Amyloidosis patient information Site. Accessed March 13, 2018.

4. Data on file. Pfizer Inc. New York, NY.

5. Amyloidosis Foundation. Facts -- A is for…amyloidosis. 2016. Accessed March 13, 2018.

6. Le Bras A. Tafamidis: a new treatment for ATTR cardiomyopathy. Nat Ver Cardiol. 2018 Nov;15(11):652.

7. CONITEC.  Acesso em 11 dez 2019.

ABIMED elege novo Conselho de Administração

Walban

Entidade cria também um Conselho Fiscal e renova a Comissão de Ética

A ABIMED (Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde) elegeu novos integrantes para o Conselho de Administração e a Comissão de Ética da associação para o biênio 2020-2021 e, pela primeira vez, contará também com um Conselho Fiscal, reforçando a Governança Corporativa da entidade.

A presidência do novo Conselho de Administração será ocupada por Walban Damasceno de Souza, Diretor de Unidade de Negócios da BD. Simone Agra, Gerente Geral para a América Latina da Edwards Lifesciences, será vice-presidente e a primeira mulher a ocupar este cargo na ABIMED.

O Conselho terá ainda como membros os diretores Adriano Caldas, CEO da Johnson&Johnson Medical Devices no Brasil; Armando Lopes, CEO da Siemens Healthineers no Brasil e responsável pela área de Diagnóstico por Imagem na América Latina; Bert Bender; presidente da B. Braun Brasil; Carlos Pinho, Gerente de Relações Públicas e Projetos Especiais na Fresenius Medical Care; Eduardo Verges, Gerente Geral da Boston Scientific; Fernando Guerra, Diretor de Unidade de Negócio na Stryker; Miguel Velandia, Vice-presidente Brasil da Medtronic; Patricia Frossard, Presidente da Phillips Brasil e responsável pela área Jurídica e de Compliance na América Latina; Roberto Alvarenga, Vice-presidente para a América Latina da Biotronik e, como suplente, Antonio Nasser, Presidente da Baxter Brasil.

A Comissão de Ética por sua vez, será composta pelos titulares Angelo Celso de Oliveira da Silva, da Johnson & Johnson; José Vinicius Garcia Eboli, da Roche Diagnóstica Brasil; Gabriela Ignotti Pellegrino, da Edwards Lifesciences, e pelos suplentes Fernando Ferraz Monte Bocchio, da Alcon Laboratórios do Brasil; José Genesi Junior, da Croma Pharma Produtos Médicos e Thiago José Vieira de Negreiros, da Galderma Brasil.

O Conselho Fiscal será representado por Cristina Saito, da Biotronik; Edilson Oliveira, da Fresenius Medical; Fábio Davanzo de Oliveira, da Elekta Medical Systems; Fernanda Guimarães, da Edwards Lifesciences; Paulo Pestana, da BD e Rodrigo de Almeida Lorenzo, da Siemens Healthineers. Os membros dos novos Conselhos de Administração e do Fiscal, bem como a Comissão de Ética, assumem o cargo oficialmente a partir de 1º de janeiro de 2020.

Sobre Walban Damasceno de Souza

O advogado, com especialização em Direito Público Tributário pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), possui mais de 25 anos de experiência em indústrias de produtos médicos e farmacêuticos. Atualmente é Diretor de Unidade de Negócios da Becton Dickinson – BD. Anteriormente, ocupou cargos na Bristol Myers Squibb, Takeda Pharma e Alcon Laboratórios do Brasil. Ativo militante na defesa setorial da saúde, ele também é Presidente do Conselho da ABIIS (Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde) e Diretor dos Conselhos da ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos) e da CBDL (Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial).

Sobre a ABIMED

A ABIMED representa 207 empresas de tecnologia avançada na área de equipamentos, produtos e suprimentos médico-hospitalares. As empresas associadas da entidade respondem por 65% do faturamento do segmento médico-hospitalar no país. O setor de produtos para saúde tem participação de 0,6% no PIB brasileiro, conta com mais de 13 mil empresas e gera em torno de 140 mil empregos.

Criada em 1996, a ABIMED coopera com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e com autoridades da Saúde, fomentando a implementação de políticas e regulamentações que proporcionem à população acesso rápido a novas tecnologias e a inovações, em um ambiente ético de negócios. A ABIMED também é sócia-fundadora do Instituto Coalizão Saúde e membro do Conselho Consultivo do Instituto Ética Saúde.

Soluções de Apoio à Decisão Clínica são aliadas para atendimento ágil e efetivo às vítimas de acidentes no final do ano

xplanos-de-saude.jpg.pagespeed.ic.Xlc6OfAKi6

O período é conhecido pelo elevado número de vítimas que ficam entre a vida e a morte e que necessitam de urgência no atendimento médico

Na época de férias e festas de final de ano, o número de acidentes nas rodovias federais tende a ser maior do que em qualquer outro período do ano. Em 2018, de acordo com a Confederação Nacional do Transporte (CNT), foram registrados 69.206 acidentes, sendo 53.963 com vítimas (mortos ou feridos).

Por conta disso, os atendimentos nos prontos-socorros e hospitais também aumentam, demandando maior agilidade e precisão no cuidado prestado para serem capazes de atender todas as vítimas. Para auxiliar médicos e profissionais da saúde tanto nesse período quanto ao longo do ano, as soluções digitais que utilizam a tecnologia para dar suporte à decisão clínica se tornam ferramentas fundamentais.

Padronização dos processos, agilidade no atendimento e segurança no cuidado são algumas das vantagens do uso destas soluções. Uma pesquisa da Elsevier, empresa global de informação analítica, mostrou que a Solução de Apoio à Decisão Clínica Order Sets, uma plataforma que apresenta os protocolos padronizados e atualizados na mesma tela do prontuário eletrônico,  é capaz de economizar tempo e cliques durante o atendimento médico, trazendo vantagem aos profissionais de saúde, principalmente durante a alta demanda do final de ano.

Ao simular um atendimento em que são necessárias 11 indicações para o plano de tratamento do paciente, que inclui desde pedido de exames até medicação, são necessários 193 segundos e 54 cliques, realizados em 5 telas diferentes. Com o Order Sets esses números caem para 33 segundos e 15 cliques, feitos somente em 1 tela, já que a solução agrega todos os painéis de pedidos em um só lugar e é integrada ao prontuário eletrônico.

“O propósito é promover uma melhor experiência tanto para o paciente quanto para o médico. Por oferecer acesso fácil a conjuntos predefinidos de protocolos e prescrições em formato de check-list com tarefas, o Order Sets e as demais soluções de apoio à decisão clínica da Elsevier fazem com que o tempo médico-paciente seja empregado da forma mais efetiva, garantindo um melhor cuidado”, explica Claudia Toledo, Diretora de Clinical Solutions da Elsevier.

Um atendimento de maior qualidade e segurança nos hospitais pode aumentar a chance de sobrevivência das vítimas dos acidentes rodoviários que ocorrem no final do ano. Por conta disso, qualquer benefício que a tecnologia empregada à saúde possa trazer aos pacientes através do uso das soluções digitais deve ser considerado como uma ferramenta a ser integrada e utilizada nos pontos de atendimento, uma vez que favorece tanto os pacientes quanto os médicos, trazendo vantagens ao sistema de saúde como um todo.

Sobre a Elsevier

A Elsevier é uma empresa global de informação analítica que ajuda instituições e profissionais a progredir na ciência e cuidados avançados com saúde e melhorar a performance para benefício da humanidade. Elsevier fornece soluções digitais e ferramentas nas áreas de gestão de pesquisa estratégica, R&D (Research & Development), performance, suporte para decisão clínica e educação profissional, incluindo ScientDirect, Scopus, ClinicalKey e Order Sets. A empresa pública mais de 2.500 publicações digitais, incluindo The Lancet e Cell, mais de 35.000 e-books, títulos e muitos trabalhos de referência, como Gray’s Anatomy. Faz parte do RELX Group, um provedor mundial de informação e análise para profissionais e instituições de diversas áreas da indústria.

WK integra funcionalidade impacta prescrição de medicamentos

doctor-563428_1920

Como parte de sua estratégia de harmonização dos conteúdos de suas soluções de efetividade clínica, a companhia integrou ao UpToDate, o FORMULINK que permite conectar todos os cadastros de medicamentos, políticas e procedimentos e orientações terapêuticas das instituições com as informações disponíveis no Lexicomp

Com o propósito de aprimorar ainda mais as suas soluções de efetividade clínica, a Wolters Kluwer Health, líder mundial no fornecimento de soluções e informações para a indústria de saúde, integrou ao UpToDate o seu serviço de cadastro de medicamentos, Formulink. A nova funcionalidade embutida na solução permite conectar todos os cadastros de medicamentos, políticas e procedimentos e orientações terapêuticas das instituições com as informações disponíveis no Lexicomp, a partir do UpToDate. Essa integração é uma etapa importante nos esforços da Wolters Kluwer em harmonizar o atendimento, incorporando as soluções no fluxo de trabalho e permitindo o acesso contínuo a recursos interconectados.

O Formulink permite que médicos acessem as informações do cadastro de medicamentos antes de fazer prescrições. Isso ajuda a aumentar a aderência às políticas da instituição, além de atuar como um meio de comunicação confiável e consistente entre a farmácia e quem está prescrevendo.

"Quando os profissionais da saúde não conseguem ver o cadastro dos medicamentos antes de redigir suas prescrições, podem inadvertidamente solicitar medicamentos que não estejam registrados ou que são mais caros em comparação aos aprovados pelos comitês que regem os protocolos da farmácia dentro da instituição. Dessa forma, o FORMULINK elimina esse problema, fornecendo informações com um conteúdo referencial, permitindo um gerenciamento mais eficiente dos gastos com medicamentos e melhor conformidade", diz Priti Shah, vice-presidente de produtos e soluções de Clinical Effectiveness, na Wolters Kluwer Health.

Os insights clínicos obtidos por profissionais da saúde foram essenciais para levar o aprimoramento de suas soluções, não somente do UpToDate, como também do Lexicomp, com o pressuposto de reduzir a variabilidade do atendimento e seus riscos associados, de modo a alinhar as decisões clínicas tomadas por diferentes membros de uma equipe de atendimento. A integração do FORMULINK no UpToDate também se estenderá ao UpToDate® Advanced, que ajuda a traçar o melhor caminho a ser seguido no diagnóstico e tratamento do paciente, auxiliando os médicos a realizarem um atendimento personalizado e mais seguro.

Bradesco Saúde lança plano “Efetivo” em Manaus com foco regional

Efetivo_Manaus_noticia

Plano exclusivo para região é voltado para empresas a partir de três pessoas e conta com a parceria do Hospital Adventista

Com mais de 40 mil segurados, Manaus é a próxima metrópole escolhida para receber o plano Efetivo da Bradesco Saúde - líder do mercado de saúde suplementar brasileiro. Depois dos lançamentos em Recife, Grande Vitória e no Estado de Minas Gerais, chegou a vez da capital do Amazonas contar com um produto exclusivo para região, com rede referenciada e plano a partir de R$ 256,32. Na última quinta-feira, dia 12/12, o produto Efetivo Manaus foi lançado em evento no Lelieu Espaço, com a presença de 300 convidados, incluindo representantes da diretoria do Grupo Bradesco Seguros e do Hospital Adventista Manaus, parceiro local.

Com cobertura nacional, o plano estará disponível para empresas a partir de três pessoas. O diferencial do produto é sua rede dimensionada para oferecer equilíbrio entre disponibilidade, qualidade e eficiência a custos competitivos. Segundo o Diretor-Gerente da Bradesco Saúde, Flávio Bitter, o produto é fruto de um modelo de negociações com sua rede credenciada em cada região. “O Efetivo se baseia na parceria com prestadores de referência, buscando sempre a melhora na qualidade assistencial e na redução do desperdício por meio do incentivo de modelos diferenciais de remuneração e da melhor organização da assistência. Na prática, isso significa reduzir desperdícios de recursos, buscar maior previsibilidade dos custos, preços mais acessíveis e a expectativa de reajustes menores”, ressalta Bitter.

Parceiro da Bradesco Saúde na região, o Hospital Adventista de Manaus é reconhecido pela excelência nos serviços de saúde prestados, sendo o primeiro hospital do Amazonas a receber os três níveis de certificação ONA (Organização Nacional de Acreditação) nos últimos anos, além de ser acreditado pelo Programa Internacional de Certificação Canadense Qmentum em 2018. O hospital é referência no atendimento oferecido nos Centros Ortopédico, Cardiológico e Neurológico.

“No Hospital Adventista, o cliente é o centro da atenção, nosso desejo é continuar oferecendo um serviço de excelência através de um atendimento humanizado. Estamos felizes e preparados para receber cada segurado do Efetivo Manaus”, destaca Osmir Alves, Diretor financeiro do hospital.

A Bradesco Saúde tem investido em planos empresariais regionais, customizados e com valor competitivo, buscando adequar às necessidades de cada cliente. A estratégia do grupo é apresentar aos consumidores locais não só o produto exclusivo, mas todos os planos da seguradora. “Temos um portfólio que atende a todos os segmentos, desde pequenas e médias até grandes empresas. Esta campanha tem a chance de mostrar à região de Manaus nossos produtos que contam com alta qualidade assistencial, diversos serviços e cobertura nos principais hospitais da capital”, completa Flávio Bitter.

A capital do Amazonas é a quinta cidade brasileira que mais gera emprego direto e indireto, com mais de 25 mil empresas locais, sendo que 23% da população tem plano de saúde. Ao ser uma das operadoras com mais beneficiários em Manaus, a seguradora busca fortalecer sua marca e consolidar ainda mais sua presença na região, a partir de um produto de qualidade e acessível.

Sobre a Bradesco Saúde

A Bradesco Saúde é líder consolidada do mercado de planos e seguros privados de saúde, com maior destaque no segmento de planos coletivos, para empresas de todos os tamanhos, atuando em todas as regiões geográficas do país. Hoje atendendo a cerca de 3,6 milhões de beneficiários, e presente em aproximadamente 1,4 mil municípios do país, a Bradesco Saúde e sua controlada Mediservice contam com ampla rede médica referenciada composta por mais de 46 mil prestadores médico-hospitalares, mais de 1,7 mil hospitais e cerca de 10,5 mil serviços de diagnósticos e análises laboratoriais. Até o terceiro trimestre de 2019, as duas empresas apresentaram, em conjunto, faturamento superior a R$ 18,5 bilhões, crescimento de 7,8% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Em amplo crescimento no país, cirurgias robóticas agregam resultados significativos para os pacientes e exigem treinamento dos profissionais

hospital-santa-catarina

Desde 2008, quando chegou ao Brasil, mais de 5 mil procedimentos foram realizados pelo método, que é um dos menos invasivos. Em um ano e meio, o Santa Catarina, em São Paulo, foi o que mais rápido completou 300 cirurgias e o que mais realizou procedimentos, em outubro, entre os hospitais que possuem apenas um robô no país.

Nos últimos cinco anos, as cirurgias robóticas cresceram cerca de 500% no Brasil, comprovando que o método está mais acessível e procurado pelos pacientes. Os robôs cirúrgicos já chegaram em todas as regiões do país, são 45 no total, sendo que quase metade (21) deles estão em São Paulo.

Por ser menos invasiva, a cirurgia robótica possibilita vantagens significantes, que incluem menos dores, traumas ou sangramentos. “Tenho observado que, em nossos casos, o índice de complicações, sangramento intraoperatório e tempo de internação têm sido menores nas pacientes submetidas a cirurgias robóticas. A recuperação pós-operatória também, em nossa casuística até então, tem sido mais rápida, mesmo quando comparamos à laparoscopia convencional”, afirma o ginecologista Gustavo Anderman Silva Barison, do Hospital Santa Catarina.

A especialidade dele é uma das que mais utilizam robôs, ao lado da urologia e das cirurgias do aparelho digestivo. “Na ginecologia benigna, há muito espaço para essa plataforma, como em casos demiomectomia uterina, histerectomia, no tratamento de miomas e endometriose profunda”, destaca o médico, que já realizou mais de 50 operações com o robô Da Vinci Xi, em pouco mais de um ano.

O equipamento amplia a imagem do campo cirúrgico em visão tridimensional, e proporciona movimentos articulados, em 360 graus, com precisão de movimentos. “A visualização, com a imagem em 3D, dá a sensação de que estamos com os olhos dentro da barriga do paciente”, explica o gastroenterologista Fernando Bray Beraldo, também do Santa Catarina.

Ele destaca que o robô tem como dispositivo de segurança um filtro de tremor, que impede movimentos bruscos, durante a operação. “Proporciona refinamento e delicadeza para operar. As pinças são precisas e o paciente tem menos estresse cirúrgico. Com os braços robóticos, conseguimos chegar em espaços que seriam difíceis com a mão”.

A cirurgia robótica também proporciona melhor ergonomia para o médico, que movimenta os braços mecânicos e as pinças do equipamento remotamente. “Temos mais conforto e concentração, especialmente em procedimentos mais complexos e demorados”.

Capacitação em cirurgia robótica

Ao adquirir o robô Da Vinci Xi, em meados de 2018, o Hospital Santa Catarina implantou um programa de treinamento. Gustavo e Fernando participaram das duas primeiras turmas de capacitação. Hoje cerca de 30 profissionais do hospital passaram pelo programa, que envolve atividades em simulador e certificação internacional concedido na sede da empresa Intuitive, fabricante do Da Vinci, na Califórnia (EUA). Nos primeiros procedimentos, ainda há a assistência de cirurgiões com grande experiência no método (chamados de proctors).

O programa deu resultados no Santa Catarina. Dos hospitais que possuem apenas um robô no país, foi o que mais rápido completou 300 cirurgias (cerca de 1 ano e meio), e no último mês de outubro, foi o que mais fez procedimentos (47). “A prova de que o programa do Santa Catarina foi um sucesso é que 81% das cirurgias feitas aqui, com o robô, são de profissionais capacitados pelo hospital”, conta Fernando.

Recentemente outros dois hospitais da Associação da Congregação de Santa Catarina – a Casa de Saúde São José, no Rio de Janeiro (RJ), e o Santa Isabel, em Blumenau (SC) - adquiriram robôs. É um dos poucos grupos hospitalares do país a contar com três equipamentos desse tipo.

E para quem imagina que o robô tem alguma autonomia, Gustavo responde: “Ele (robô) é um divisor de águas. Porém, a responsabilidade da operação é inteira do cirurgião”.

Hospital Santa Catarina

O Hospital Santa Catarina, que completou 113 anos de fundação em 2019, prima pela excelência no atendimento seguro e humanizado. Referência de qualidade em serviços de saúde no Brasil, atende desde pequenos procedimentos até cirurgias de alta complexidade. A instituição filantrópica é parte da Associação Congregação de Santa Catarina, uma rede social que atua nos eixos da saúde, educação e assistência social, e congrega cerca de 14 mil colaboradores, distribuídos em diversas obras sociais e programas de apoio, em seis estados brasileiros.

Com infraestrutura moderna, equipamentos de última geração e profissionais altamente qualificados, o Hospital Santa Catarina dispõe de 316 leitos, sendo 79 de UTI, distribuídos em cinco Unidades de Tratamento Intensivo (neurológica, cardiológica, pediátrica, geral e multidisciplinar), 17 salas de cirurgias e pronto atendimento 24 horas.

Lançada a Elevel, startup de ortodontia digital

Skillful young female dentist is treating human teeth
Professional dental doctor is working in her office. The woman is standing under patient and holding tools. Her assistant is helping her. The man is looking down with joy

A expectativa da empresa é alcançar cerca de 10 mil clientes ativos já no primeiro ano de atividade

Acaba de ser lançada a Elevel, startup totalmente focada em ortodontia digital, por meio de tratamento com alinhadores transparentes. A empresa oferece um serviço inovador, no qual todas as etapas do tratamento são 100% digitalizadas, não envolvendo papel ou gesso como no modelo tradicional. Inicialmente, a clínica destacará os tratamentos ortodônticos com alinhadores transparentes de fabricação própria - e espera alcançar cerca de 10 mil clientes ativos já no primeiro ano de atividade.

O mercado de serviços em saúde odontológica está em ampla expansão no mundo todo.

Nos Estados Unidos, esse tipo de tratamento já representa 20% do segmento e no Brasil surge como a nova tendência. “Em cinco anos, o mercado brasileiro de ortodontia deve alcançar 400 mil tratamentos por ano. Nesse período, queremos conquistar 12,5% de market share, com 110 clínicas abertas em todas as regiões do país” afirma Hilton Almeida, sócio-fundador da Elevel.

A Elevel conta com R$ 20 milhões de investimentos entre 2019 e 2020, a maior parte destinada à tecnologia digital (como scanners intra-orais, softwares de planejamento e impressoras 3D) e infraestrutura das unidades. Em cinco anos, a expectativa é investir R$ 100 milhões entre capital próprio e de terceiros. A startup inicia suas operações nas unidades Augusta, Itaim Bibi, Paraíso, Pinheiros e Vila Olímpia na cidade de São Paulo.  Nas clínicas é possível realizar todos os exames e acompanhar a evolução do tratamento, com os alinhadores transparente, e tratamentos estéticos, como o clareamento dental.

“Criamos uma solução totalmente disruptiva em relação ao modelo tradicional, uma vez que a tecnologia digital permite ao paciente um tratamento preciso, sabendo desde o primeiro dia o tempo de duração. O benefício estético é outro ponto forte: os alinhadores transparentes são praticamente imperceptíveis e podem ser removidos para alimentação e higienização, fornecendo mais conforto e higiene, além da vantagem estética”, destaca Almeida.

Logo na primeira consulta, o paciente passa por um escaneamento intra-oral, e por meio de um software 3D, o dentista identifica a melhor rota para as movimentações dos dentes. Os aparelhos são produzidos em laboratório próprio, a partir da impressão 3D do molde da boca. Todo o processo é digital e oferece um resultado muito mais eficaz, com duração entre 6 e 18 meses, permitido tratar casos simples e complexos. No geral, já se sabe as etapas de troca do alinhador e é possível recebê-lo em casa. Em casos mais complexos, o paciente retorna à clínica periodicamente para avaliação do dentista.

Sobre a Elevel

A Elevel nasce como uma startup focada em ortodontia digital, por meio de suas clínicas especializadas e a oferta principal de alinhador transparente, que conta com tecnologia inovadora e fabricação própria. Tem como missão oferecer serviços odontológicos digitais, de tecnologia e alta qualidade, e os mais modernos tratamentos estéticos.

Affix reúne parceiros de negócios em Imperatriz no Maranhão

Pedro Rezende, CEO da Affix, a esquerda, e equipe

A empresa promove evento para 280 pessoas – funcionários da operadora Unimed Imperatriz, donos de corretoras de planos de saúde e corretores

A Affix Benefícios, administradora especializada em planos de saúde coletivos para entidades de classe, empresas e para o setor público, promoveu encontro com 280 parceiros de negócios – funcionários da operadora Unimed Imperatriz, donos de corretoras e corretores, em tradicional choperia de Imperatriz, Maranhão, e demonstra os benefícios dos planos de saúde coletivo por adesão.

Para o sócio-fundador e CEO da Affix, Pedro Rezende, esse evento é uma ótima oportunidade para conhecer de perto as pessoas que confiam em nossos serviços e mostrar nossa trajetória de sucesso e nossa origem. “A empresa tem DNA nordestino e vocação em oferecer o melhor custo-benefício. Iniciamos nossas atividades em Fortaleza há seis anos com base nos princípios da transparência, comprometimento e eficiência. Ao fincar bandeira em Imperatriz sentimos que podemos confiar no potencial de cada um dos parceiros e queremos continuar contando com clientes, parceiros e fornecedores fiéis, que nos ajudaram a chegar aonde chegamos e nos fortalece a cada dia”, declara o CEO da Affix.

O diretor de comercial da administradora, Régis Costa, levou aos participantes do encontro as possibilidades e vantagens de trabalhar com a Affix e seus planos de saúde, focados nas classes B e C. “Essa proximidade com nossos parceiros de Imperatriz é importante para conhecermos melhor os profissionais que colaboram com a gente e também os nossos clientes. Estamos confiantes que vamos ampliar o número de beneficiários no próximo ano, muito em função do comprometimento de nossos parceiros e colaboradores”, disse Costa.

Atualmente, a Affix é a 4ª maior administradora de benefícios do país, segundo a Agência Nacional de Saúde (ANS) e a primeira empresa do setor a receber o selo RA 1000, pelos excelentes índices de atendimento por meio do portal Reclame Aqui. Foi vencedora do XIX Prêmio ABT Garrido Marketing 2019, um dos mais respeitados da área de Relacionamento com Clientes do país, com o case “Welcome Call – Affix feliz em receber você!”. Indicada como uma das melhores empresas de atendimento ao consumidor no Prêmio Época Negócios Reclame Aqui na categoria administradora de benefícios. E recentemente também conquistou o Prêmio Fornecedores de Confiança 2019 sendo reconhecida como a melhor empresa do setor no quesito confiança, pela revista Melhor Gestão de Pessoas.

CHN realiza seu primeiro transplante hepático em Niterói

TX DUPLO - Foto Equipe de Transplantes

Até o momento, dois pacientes de idades distintas já receberam o transplante

Em novembro, o Complexo Hospitalar de Niterói (CHN) passou a realizar transplantes hepáticos. Até o momento, dois pacientes – um homem de 54 anos e uma adolescente de 14 anos – receberam os órgãos de doadores e mais quatro pessoas se encontram na lista de espera. Ambos os transplantados já se receberam alta e se consultam todas as semanas com a equipe de transplante no ambulatório do hospital.

O primeiro paciente a doação de fígado no CHN era portador de cirrose criptogênica – doença de causa desconhecida que resulta em insuficiência hepática crônica. Já a segunda, apesar de muito jovem, tinha diagnóstico e hepatite autoimune e já apresentava evidências de insuficiência hepática avançada, o que impossibilitou o sucesso do tratamento com imunossupressores.

A dra. Simone Vinhas, coordenadora geral do CTI do hospital, detalha as principais causas que levam à necessidade do transplante hepático: “São a cirrose hepática secundária, a hepatite do tipo C, o alcoolismo crônico e a doença hepática gordurosa não alcoólica. Esses pacientes são classificadores pela escala MELD para que seja avaliada a gravidade da doença apresentada e estimado o risco de mortalidade a curto e médio prazo. Dessa forma, a possibilidade de obter um novo órgão é estudada”, explica.

“Ainda não dispomos de uma máquina que funcione como um fígado artificial para permitir que pacientes sejam mantidos em condições clínicas estáveis em situações de insuficiência hepática grave – como é possível nos pacientes com insuficiência renal crônica, onde a hemodiálise é um tratamento eficaz para a insuficiência renal. Desta forma, os pacientes candidatos a transplante hepático não têm outra alternativa e precisam realmente do novo órgão para se manterem vivos. Além disso, após o transplante, com a recuperação da função hepática, vários sintomas que o paciente apresentava anteriormente são resolvidos, proporcionando a recuperação de sua saúde e mais qualidade de vida”, acrescenta Simone.

Com a eficácia dos novos medicamentos para tratamento da hepatite C e com a incidência crescente de obesidade e diabetes na população, tem aumentado em vários países o número de transplantes por doença hepática gordurosa e carcinoma hepatocelular. Estima-se que, nos próximos anos, esta também seja a principal indicação de transplantes no Brasil.

gA apoia a migração para SAP Hana com solução de Process Intelligence

novas-tecnologias-inovacao-em-saude-tecnologia-em-saude

Empresa de tecnologia usa a Ciência de Dados e a Inteligência Artificial com foco na aceleração do projeto de transição do SAP ECC para o S/4 Hana

O suporte à versão atual da plataforma de gestão ECC da SAP está programado para ser encerrado em 2025. Até lá, todas as empresas que utilizem o software devem migrar para o S/4 Hana, última versão da plataforma de gestão da multinacional alemã, lançada em 2015.

Para apoiar essa transição, o gA, companhia global de tecnologia que utiliza plataformas digitais e serviços de transformação para capacitar grandes empresas, desenvolveu uma solução de Process Intelligence para acelerar, a partir de Data Science e Artificial Intelligence, modelos de referência para a migração alicerçando tecnologia, processos, negócios e finanças.

A plataforma do gA utilizada para essa abordagem é o Navigate, que engloba essas tecnologias, automatiza o mapeamento dos processos de negócios e dos sistemas no SAP e, a partir disso, traça o melhor cenário para a adoção do SAP S/4 Hana. A solução propõe melhorias que envolvem padronizações de processos, automatização de atividades, desenvolvimento de sistemas e compliance dos processos.

Para Fernando Motta, process intelligence leader do gA, o S/4 Hana vai além da migração técnica. “É mais que simplesmente uma atualização tecnológica, estamos diante de uma mudança no cerne dos negócios, cujos principais ganhos estão na experiência do usuário com a aplicações em Fiori e RPA (Robotic Process Automation), ou seja, tecnologias que trazem mais eficiência operacional. Diante deste cenário, é necessário fazer uma avaliação de processos e tecnologias para evitar gargalos na nova plataforma”, explica Motta.

Na América Latina, apenas 3% da base instalada SAP já iniciou a transição para o S/4 Hana. O gA orienta que as empresas não realizem a transição próximo à data limite, uma vez que podem enfrentar o “efeito furacão” – filas desnecessárias e imprevistos de última hora, que podem impactar profundamente a operação. Além disso, executando o projeto em tempo hábil, é possível garantir pioneirismo, vantagens tecnológica e competitiva para o negócio e retorno do investimento.

Para as empresas que desejam mapear os caminhos dessa transição, o Navigate apoia no pré-projeto, baseado nos cenários de negócio e ambiente SAP, envolvendo testes e retorno do investimento, em apenas seis semanas. A plataforma pode ser utilizada para qualquer segmento e processo, não tem um nicho específico.

Sobre o gA

O gA é uma empresa global de tecnologia que utiliza plataformas digitais e serviços de transformação para capacitar grandes empresas nas Américas e na Europa a reformularem seus modelos de negócios e suas organizações usando o poder dos dados, processos e pessoas. Com uma equipe de 1300 consultores e desenvolvedores, em 11 escritórios localizados nos Estados Unidos, Israel, Espanha, México, Brasil, Chile e Argentina, atende aos clientes globais com um modelo de serviço “dual shore”.