faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Estudo da Philips aponta que apenas 35% dos brasileiros cita o segmento de saúde como o mais confiável para lidar com dados pessoais

Estudo da Philips aponta que apenas 35% dos brasileiros cita o segmento de saúde como o mais confiável para lidar com dados pessoais

ARoyal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHIA), líder global em tecnologia de saúde, acaba de divulgar dados inéditos relacionados ao Brasil do estudo anual Future Health Index, que mostra os desafios de 16 países com relação a três indicadores no sistema de saúde: acesso, satisfação e eficiência e contribui para determinar o preparo das nações para lidar com desafios globais neste segmento. Os dados mostram que o Prontuário Eletrônico Universal (EHR) e a inteligência artificial são oportunidades que podem trazer integrações importantes e mais eficiência na utilização dos dados dos pacientes. A pesquisa revela que países com um Prontuário Eletrônico Universal têm uma maior Medida de Valor e que 39% dos profissionais brasileiros estariam dispostos a usar tecnologias de conexão de dados se fosse provado a eles que isso tornaria o processo mais eficiente.

"A falta de conhecimento e, consequentemente, de confiança da população com relação à precisão e aos benefícios das tecnologias de conexão de dados oferece uma oportunidade de aprendizagem nesta área no Brasil. Somente 51% dos profissionais de saúde pesquisados e 21% da população brasileira acreditam saber suficientemente bem sobre o que são tecnologias conectadas", afirma Renato Carvalho, CEO da Philips do Brasil.

Países com Prontuário Eletrônico Universal de dados, como Austrália, China, França, Alemanha, Itália, Rússia, Singapura e Espanha, têm substancialmente uma maior média de Medida de Valor do que o Brasil (47.29 versus 26.71), além de políticas mais compreensíveis sobre o compartilhamento e o uso de dados e uma infraestrutura mais sofisticada. Entre outros principais destaques da pesquisa, estão:

Proteção de dados: os brasileiros têm preocupações gerais sobre segurança de dados e sobre que informações podem ser acessadas nos seus prontuários eletrônicos de saúde.

  • 46% dos brasileiros não gostariam que seus dados se tornassem públicos caso o perfil ou informações de saúde fosse hackeados. Isso sugere o aumento da importância da divulgação das ferramentas de proteção de dados neste segmento no Brasil.
  • Apenas um terço da população entrevistada (35%) citou a saúde como o segmento mais confiável quando se trata de dados pessoais, sendo que um terço (32%) não confia em nenhuma indústria com relação a essas informações. 

Interoperabilidade: a importância da integração das informações de saúde causa expectativas e dúvidas quanto ao custo que esse movimento repassará ao consumidor.

  • Enquanto quase todos os profissionais de saúde (96%) acreditam que a integração de dados é importante, eles se preocupam com relação o ônus que esta tecnologia trará à população: dois em cada cinco especialistas entrevistados (38%) afirmaram acreditar que a integração vai tornar o atendimento à saúde mais caro para o paciente. Outros 38% acreditam que a integração vai liderar a redução de custos para os pacientes, equilibrando o parecer sobre este tema.
  • Devido à falta de um sistema universal de Prontuários Eletrônicos, o percentual de coleta de dados no Brasil está muito abaixo dos outros países entrevistados (4.42 versus 23.19). Os principais obstáculos para esta implementação podem estar relacionados à interoperabilidade e à infraestrutura tecnológica do país, que ainda não está pronta para possibilitar o uso de EHRs. O Brasil está abaixo da média dos 16 países entrevistados com relação ao número de internet segura por pessoa (0.08 versus 0.86, em média), à taxa de penetração da internet (60% versus 74%) e em velocidade da internet em kbits/segundo (4,246 versus 10,498).

Enquanto os profissionais de saúde reconhecem que a interoperabilidade vai, em geral, melhorar a qualidade de cuidados na saúde, a população em geral percebe que esta integração de dados é, ainda, muito baixa, apesar do governo brasileiro já ter começado a fazer investimentos nos Prontuários Eletrônicos Universais.

Inteligência artificial

  • O investimento atual do Brasil em inteligência artificial é o menor na média dos 16 países pesquisados pelo Future Health Index, sugerindo espaço para crescimento. O investimento do país nos diagnósticos preventivos e em planejamento terapêutico é de $0.006 por pessoa, muito abaixo da média global, que é de US$0.03 e US$0.06, respectivamente.
  • 25% dos brasileiros entrevistados acreditam que a inteligência artificial melhora a gestão de saúde, já que otimiza o uso do histórico médico na tomada de decisões.

A pesquisa completa do Future Health Index 2018 pode ser acessada no endereço: https://www.futurehealthindex.com/ ehttps://www.philips.com.br/healthcare#fhi.

Oncologia D’Or investe em radioterapia

rhb_oncologia1

A Oncologia D’Or vai investir mais R$ 130 milhões na renovação do seu parque tecnológico radioterápico. É o maior investimento de um grupo privado oncológico na América Latina. Serão inaugurados, por exemplo, novos equipamentos de radioterapia em unidades do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília. Nesta quarta-feira (20), a unidade oncológica do Quinta D’Or estreia o Truebeam STX. Resultado de um investimento de R$ 12 milhões, o equipamento de radioterapia oferece uma enorme precisão para atingir o tumor, o que torna os tratamentos mais rápidos e com menos efeitos colaterais.

“Vamos oferecer o que há de mais moderno em radioterapia, o que vai permitir atingir diretamente os tumores com precisão milimétrica. Além disso, com a nova tecnologia, poderemos administrar as doses de radiação exatamente nos tumores, preservando os tecidos saudáveis que estão a sua volta. Isso trará mais celeridade para o tratamento e tornará o processo menos desgastante para o paciente”, destaca o presidente da Oncologia D’Or, Paulo Hoff.

Atualmente, os tumores mais comuns que tem indicação de tratar com radioterapia são os de próstata, mama, cabeça e pescoço, pulmão e ginecológicos. Com a utilização do novo equipamento, será possível monitorar o paciente continuamente, captando imagens no exato momento do procedimento. O Truebeam STX conta com os mais modernos recursos de imagem e posicionamento corporal. A tecnologia garante conforto para o paciente e eficácia no tratamento, pois possibilita dosagens altas e precisas de radiação.

Ato inaugural apresenta Hospital da Unimed Juiz de Fora

SB

Em uma cerimônia prestigiada pelas maiores autoridades do Sistema Unimed, médicos cooperados, lideranças e empresários, a Unimed Juiz de Fora apresentou a conclusão do maior empreendimento de seus 46 anos de história. As obras do Hospital Unimed terminaram e, agora, inicia a fase de pré-ativação, com testes, equipagem e treinamentos para o cumprimento de todas as regras de segurança clínica. O ato inaugural, realizado no pátio do hospital na última sexta-feira, 22, foi marcado por homenagens e depoimentos emocionados. A arquitetura sustentável e o modelo inovador de atenção ao paciente impressionaram os convidados. O Hospital Unimed abrirá suas portas em maio e garantirá ao cliente Unimed um atendimento moderno, seguro e acolhedor, com o jeito de cuidar Unimed.

O evento reuniu mil convidados e, durante seus discursos, o prefeito, Antônio Almas, o presidente da Unimed do Brasil, Orestes Pullin, o presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato, o presidente da Unimed Federação Minas, Luiz Otávio Fernandes, o presidente da Infrafederativa da Zona da Mata Mineira, Maurício de Abreu Lima, a presidente da Associação Médica de Minas, Maria Inês Miranda, e o presidente do Sindicato dos Médicos de Juiz de Fora e Zona da Mata, Gilson Salomão, destacaram o brilhantismo da Unimed Juiz de Fora, atualmente entre as 10 Unimeds mais respeitadas e bem-sucedidas do país, e sua vocação em cuidar das pessoas e compartilhar crescimento.

Presidente da cooperativa, Hugo Borges, ao lado de seus diretores, Darlam Kneipp (Administrativo-Financeiro), Nathércia Abrão (Provimento de Saúde) e Glauco Araújo (Relacionamento e Mercado), comoveu a plateia ao discursar sobre a realização de um sonho. O Hospital da Unimed Juiz de Fora chega para completar o “Ecossistema de saúde” que rege a cooperativa. Nos últimos anos, a Unimed Juiz de Fora tem investido alto na inversão do modelo de assistência atual focado na doença, para promover qualidade de vida através da prevenção e bem-estar coletivo.

Ao terminar seu discurso, Hugo Borges foi surpreendido por uma homenagem da Comissão de Obras do Hospital, formado por conselheiros fiscais da cooperativa. O presidente recebeu de presente o primeiro capacete usado na construção do hospital. Na sequência, o presidente da Unimed do Brasil, Orestes Pullin, aproveitou do ato para exaltar em público a credibilidade conquistada pela Unimed Juiz de Fora e seu pioneirismo, e Ronaldo Scucato, presidente do Sistema Ocemg, foi ovacionado pelos convidados. Do alto de seus 89 anos, fez um discurso apaixonado, enaltecendo a atitude positiva de gestores que lideram pelo exemplo do cooperativismo. O prefeito Antônio Almas foi quem encerrou a cerimônia, ressaltando a importância do hospital para consolidar Juiz de Fora, agora, como referência de um modelo de atendimento moderno, seguro e acolhedor.

HOSPITAL UNIMED INAUGURA ATENDIMENTO MODERNO, SEGURO E ACOLHEDOR

Entre os maiores investimentos do setor em Minas Gerais e já referência nacional pelo inovador modelo de atenção à saúde, o Hospital da Unimed Juiz de Fora completa o ‘Ecossistema de Saúde’ da cooperativa, um conjunto de serviços que atuam na prevenção de doenças e na promoção do bem-estar do cliente em todas as fases de sua vida. Um conceito novo, de participar diretamente da rotina do beneficiário, para que ele mantenha a sua saúde, que envolve e integra centenas de médicos e profissionais da saúde em um grandioso trabalho. Construído com recursos da ordem dos R$ 100 milhões, financiados pelo BNDES, e em uma área total de 35 mil m2, com entorno 9 mil m2 de área verde preservada, o Hospital da Unimed Juiz de Fora foi planejado com parâmetros de sustentabilidade e se diferencia pela valorização dos recursos naturais, confortos térmico e acústico e por tecnologias de segurança clínica inéditas na região, como o sistema pneumático que transporta, em segundos, medicamentos por tubulações para todos os andares. São 12 pavimentos, além do térreo, sobressolo e heliponto, estruturados para prontoatendimentos infantil e adulto, urgências e emergências e para procedimentos de alta complexidade, com centros cirúrgicos, maternidade e unidades de tratamento intensivo (UTIs), também únicas em Juiz de Fora. As UTIs do Hospital Unimed acolhem o paciente em apartamentos individuais, com banheiros privativos, e não em cortinados ou box, habitualmente usados.

FUNCIONAMENTO COMEÇA EM MAIO COM SISTEMA DE HOSPITAL-DIA

A partir de maio, a ativação do Hospital da Unimed Juiz de Fora será gradual e começará pelos procedimentos de menor complexidade, em regime de hospital-dia com assistência intermediária entre o atendimento ambulatorial e internação. Nesta primeira etapa, serão realizados procedimentos clínicos, cirúrgicos, diagnósticos e terapêuticos que requeiram permanência do paciente por um período máximo de 12 horas. Em março e abril, não haverá atendimento ao público e o cliente deverá continuar recorrendo à rede credenciada Unimed. Em pleno funcionamento, o hospital contará com 800 profissionais em todos os setores e terá capacidade para mais de 14 mil internações/ano. Seus quartos são adaptados para cadeirantes, reversíveis para enfermaria, somam 190 leitos, e a paisagem verde contempla todos os ambientes.

HOSPITAL SUSTENTÁVEL

Integrado à natureza, o Hospital da Unimed Juiz de Fora conta com sistema próprio para tratamento da água, aproveitamento máximo da luz e ventilação naturais, aquecimento de água com coletores solares, reaproveitamento das águas pluviais em serviços de limpeza e irrigação, além de estação exclusiva para tratar efluentes. A iluminação é com lâmpadas de led e, automatizada, permite que sensores controlem a intensidade da luz, evitando desperdício de energia. A chamada inteligente dos elevadores também reduz o consumo. Nos quartos, o ar condicionado não utiliza gás - é à base de água gelada. Outro diferencial é a presença diária de técnicos para gerenciar resíduos em todas as áreas. O prédio tem climatização especial e silêncio garantidos pela fachada com vidros de alto grau de proteção contra raios UV e pisos vinílicos, que reduzem os ruídos nos andares.

RESULTADOS DIFERENCIAM UNIMED JUIZ DE FORA NO BRASIL

Com faturamento anual bem próximo dos R$ 600 milhões e índices de satisfação do cliente na faixa dos 90%, a Unimed Juiz de Fora está entre as Unimeds mais bem-sucedidas do Brasil, os melhores desempenhos entre todas as empresas de saúde do país e desfruta de uma reputação de que poucas operadoras de plano de saúde se aproximam. Referência, a cooperativa que reúne 1.500 médicos de Juiz de Fora está disposta a manter o status de referência e alcançar resultados mais expressivos. Para isso, a Unimed Juiz de Fora realinhou seu posicionamento estratégico e trabalha com um modelo moderno de gestão participativa e mantém controle austero das despesas evitáveis para assegurar a valorização contínua do ato médico. Para os gestores e técnicos, esta tem sido a receita de tanto êxito e sucessivos recordes de receita operacional.

Com o Hospital Unimed, a proposta é intensificar os resultados para os médicos cooperados e rede prestadora (os 150 hospitais, clínicas e laboratórios credenciados da Unimed em Juiz de Fora), e compartilhar o crescimento com o comércio, a indústria, serviços e toda a cadeia produtiva da cidade e região. Desde a compra do terreno, o hospital vem sendo grande catalisador de negócios, atraindo empreendimentos para o entorno, na Av. Deusdedit Salgado, Zona Sul de Juiz de Fora.

O JEITO DE CUIDAR UNIMED

Inspirado nos melhores da América Latina, o projeto do Hospital Unimed está alinhado a um plano diretor de longo prazo, que contempla ampliações e um modelo de assistência à saúde, com acolhimento e cuidado integral. O desafio é transformá-lo em referência nacional em medicina humanizada, com total segurança do paciente, buscando cumprir os quatros objetivos da saúde: melhor experiencia do paciente em relação à assistência, aumentar a qualidade da saúde, reduzir custos e elevar a satisfação no trabalho.

Para atingir os objetivos da saúde e promover o acolhimento ao paciente, a Unimed Juiz de Fora trabalha, de forma intensa e diária, a atitude positiva e o sentimento de pertencimento de todos os seus colaboradores - todos. Há três anos, consultorias especializadas em gestão de recursos humanos atuam na busca e na formação de profissionais que, além da excelência técnica, têm a cultura de cuidar das pessoas. No hospital, todos protagonizam o atendimento ao paciente e têm como lema o posicionamento nacional da marca: “Cuidar de você. Esse é o plano”.

CUIDAR DA VIDA É UMA ARTE

A Unimed reuniu cinco artistas consagrados em Juiz de Fora, cinco estilos inconfundíveis, para pintar os seus valores e o propósito do Hospital Unimed. Carlos Bracher, Eliardo França, Gerson Guedes, Petrillo e César Brandão assinam obras exclusivas para a recepção hospital, que retratam serviços da cooperativa. Juntos, eles também protagonizam a série “Cuidar da vida é uma arte”, exibida nas redes sociais e TV. Nos filmes, Bracher, Eliardo, Gerson, Petrillo e César falam sobre a sensível relação entre a saúde e a arte e pincelam um paralelo entre o talento de quem cuida da alma e a vocação de quem trata do corpo. Livres, os depoimentos seguem os traços da personalidade de cada artista e emocionam pela sincera reflexão sobre a vida. Bem ao ‘Jeito de Cuidar Unimed’. Confira a série no Instagram e Facebook da Unimed Juiz de Fora.

Aplicativo para área da Saúde (Inovação)

fotodoutorsos

A ideia de trabalhar com tecnologia voltada a esse segmento (Saúde), surgiu justamente ao ver as dificuldades enfrentadas pelo amigo, Dr. Evaldo Carlomagno (Geriatra). Na época, ele estava em descanso no final de semana em uma praia do sul, quando teve de atender várias ligações de pacientes que solicitaram suporte médico via celular – sem nenhum custo para o paciente. Em um Happy Hours ele comentou este fato, e após, comecei aprimorar uma concepção para possibilitar soluções em nuvem (arquivos acessados via internet de qualquer lugar a qualquer hora.) E assim, foi o ponto de partida para criar a solução através de uma Plataforma Tecnológica.

Resolvi então buscar colegas desenvolvedores da área da TI para que pudéssemos criar a plataforma Doutor SOS. A plataforma coloca em nuvem (Icloud), uma série de informações ligadas ao segmento saúde. Todos os profissionais da saúde e pacientes serão beneficiados com a utilização deste Aplicativo.

A facilidade de acesso ao sistema aliada a segurança de armazenar e controlar todas as informações em um único Aplicativo, contribuirá para a confiança, e também passará a ter uma visão diferente sobre a tecnologia e os benefícios das informações geradas para todos os profissionais da saúde e pacientes. O Aplicativo possui uma plataforma inteligente para organizar as informações relevantes e acionáveis dos pacientes, e toda a interação será exclusiva para com o paciente, como também, elas serão criptografas e protegidas pelo Aplicativo.

O Doutor SOS é uma plataforma tecnológica a fim de prover ferramentas para agilizar a interação entre os profissionais da saúde e seus pacientes. A nossa missão é ajudar as pessoas a viverem uma vida mais longa, feliz e saudável. Manter as pessoas fora dos hospitais e com a assistência necessária no momento certo. Estamos trabalhando para fornecer experiências únicas e sob demanda para o usuário, uma nova forma de consumo

Acredito nisto, e certamente, irá ajudar na solução deste problema real da saúde no Brasil.

Manoel Falcão Neto (idealizador do Doutor SOS)

Conheça as etapas da jornada do paciente no Home Care

quanto-custa-enfermagem-no-cuidado-domiciliar

Esse processo engloba a avaliação da residência perante os critérios do Plano de Atendimento Domiciliar (PAD), garantindo toda a infraestrutura necessária para a continuação do tratamento no conforto do lar

Quando o paciente é indicado a continuar o tratamento hospitalar em casa é um alívio, no entanto essa transição pode parecer complexa para os familiares. No momento em que a alta é oficializada pelo médico assistente inicia-se a jornada do paciente, ou seja, o processo de migração do hospital para a residência. Ela consiste em uma série de procedimentos que analisam e averiguam se a casa do paciente está apta para recebê-lo e possibilita a continuidade do tratamento. Estas etapas seguem o Plano de Atendimento Domiciliar (PAD) que garante a continuidade do cuidado.

A ProCare Saúde é uma prestadora de serviços destinada a Atenção Domiciliar à Saúde que atua em São Paulo, nas áreas metropolitanas, interior e baixada santista, além do Rio de Janeiro. Para obter sucesso em todo o processo de migração, além de seguir o PAD, a empresa trabalha com uma jornada específica que supri todas as necessidades do paciente conforme a indicação médica e validação do Plano de Saúde. Todo o trajeto é acompanhado por uma equipe especializada da ProCare e consiste nos seguintes estágios:

Comunicado de alta: é quando o paciente está liberado pelo hospital, através do seu médico assistente. Ele recebe a indicação para dar continuidade ao tratamento e seguir com os cuidados em domicílio.

Alinhamento do PAD e Visita Hospitalar: o Programa de Atendimento de Atenção Domiciliar (PAD) estipula critérios para que o paciente seja transferido para casa, com segurança e assistência planejada de acordo com a sua necessidade e as condições estabelecidas pelo seu plano de saúde. A ProCare se desloca até o hospital que o paciente se encontra e averigua todos os critérios e as condições para transferência ao domicilio.

Alta hospitalar: com a casa do paciente equipada e preparada para essa transição, o hospital oficializa a alta e a ProCare organiza o momento da Implantação deste paciente no domicílio.

Deslocamento: neste momento a Bem Emergências Médicas, empresa parceira do mesmo grupo da ProCare, é acionada para fazer a remoção e o transporte do paciente para casa.

Equipe ProCare: os profissionais de saúde se direcionam para a casa do paciente antes da sua chegada para recepcioná-lo. Começa então a assistência domiciliar.

Frequência de profissionais: a Procare acompanha bem de perto os profissionais que atuam na casa, para garantir uma assistência segura e adequada para cada paciente, além de cumprirem a frequência de atendimento estabelecido no PAD, diante das necessidades e condições clínicas.

Suporte remoto: a ProCare conta com uma central de urgências e emergências 24 horas por dia, para garantir todo o suporte necessário, seja para rotinas do dia a dia e até mesmo para as intercorrências.

Evolução clínica: o quadro do paciente é acompanhado de perto para que ele se recupere, e se possível, evolua para alta. Em outros casos, avaliasse as possibilidades para que seja realizado o desmame, sempre de acordo com as condições e quadro clínico.

Ao finalizar todo este processo a internação domiciliar da ProCare Saúde cumpre o seu papel, proporcionando uma assistência personalizada e segura.

CBA lança certificação para indicadores hospitalares

Métricas-em-facilities-para-medir-qualidade

Uma nova metodologia foi lançada recentemente pelo Consórcio Brasileiro de Acreditação (CBA) para evitar que dados equivocados possam levar a perigosos enganos na construção de indicadores na área da saúde. A Certificação de Validação de Indicadores e Dados Hospitalares simboliza uma garantia de que os dados são bons e confiáveis na construção de indicadores. “A validação procura identificar todas as etapas de coleta, como os instrumentos utilizados e a qualificação das pessoas envolvidas, por exemplo”, explica coordenador de acreditação do CBA, José de Lima Valverde Filho.

Os indicadores são avaliados quanto à relevância e fichas técnicas que devem conter metas, tipo de indicadores, fórmula e periodicidade de coleta, entre outras informações. “Quando não há alcance dos objetivos específicos, a organização de saúde deve elaborar e implantar planos de ação para atingir a meta do indicador. Trata-se de um processo contínuo”, afirma Valverde.

A nova certificação foi criada a partir de uma solicitação do Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC), de São Paulo, que buscava a máxima transparência na divulgação de seus dados e informações. “Este é um de nossos valores, tendo a confiança como um meio e a credibilidade como um fim. Decidimos abrir nossos indicadores de eficiência assistencial assim como os métodos de construção desses indicadores para validação externa e, em seguida, divulgar amplamente essas informações a todas as partes interessadas”, conta Ícaro Boszczowski, coordenador do Serviço de Controle de Infecção Hospitalar (SCIH) do hospital.

Boszczowski acredita que “instituições que publicarem um conjunto de dados capaz de traduzir sua capacidade de trabalho, seu compromisso com a qualidade e segurança e sua busca incessante pela atualização utilizando recursos de maneira racional estarão em vantagem competitiva em relação a outras que não conseguirem se comunicar com a sociedade com a mesma clareza”, afirma. Ele acrescenta ainda que os indicadores devidamente validados são importantes instrumentos de autoavaliação e úteis para balizar ações de melhoria intra-institucional.

Como são construídos os indicadores

Os indicadores hospitalares são obtidos a partir da coleta e análise de dados agregados para oferecer suporte aos cuidados aos pacientes e à gestão hospitalar. Estes dados fornecem um perfil do hospital ao longo do tempo e permitem a comparação do desempenho do hospital com outras organizações. Em particular, os dados agregados de gestão de riscos, gestão do sistema de infraestrutura, prevenção e controle de infecções e análise de utilização podem ajudar as equipes de uma instituição de saúde a compreender seu desempenho atual e a identificar oportunidades de melhoria.

“De posse dos indicadores, podemos acompanhar o andamento dos cuidados aos pacientes, avaliar os processos, adotar os redirecionamentos necessários e verificar os resultados e os impactos obtidos. Com isso, aumentam as chances de serem tomadas decisões corretas e de se potencializar o uso dos recursos”, diz Valverde.

A metodologia para validação de dados e indicadores é indicada em casos em que uma nova medida é implantada como, por exemplo, as medidas clínicas que servem para ajudar um hospital a avaliar e melhorar um processo ou resultado clínico importante. Outra situação é quando há uma alteração nas ferramentas de coleta de dados, no processo de extração ou ainda quando muda o responsável pela coleta de dados, assim como mudanças na fonte dos dados e alterações aparentemente inexplicáveis dos resultados de uma medida.

A nova certificação do CBA tem validade de dois anos e já está disponível. As instituições de saúde interessadas podem entrar em contato com o CBA, através do e-mail adm.ris@cbacred.org.br ou pelo telefone (21)3299-8200.

QualIES é o primeiro programa de avaliação da Maturidade de Sistemas de Integridade

QualIES é o primeiro programa de avaliação da Maturidade de Sistemas de Integridade

O Instituto Ética Saúde acaba de lançar o QualIES, um programa que avalia o nível de maturidade de Sistemas de Integridade de empresas que atuam na área da Saúde no Brasil – fabricantes, distribuidores e importadores de produtos médicos, laboratórios de análises clínicas e hospitais. O projeto vai traçar novas diretrizes para o mercado e foi desenvolvido por um comitê que reúne as maiores companhias de auditoria do mundo: Deloitte, Ernst & Young, Grant Thornton, KPMG e PwC.

Segundo o diretor executivo do Instituto Ética Saúde, Carlos Eduardo Gouvêa, “o QualIES eleva o setor, no quesito compliance, a outro patamar, permitindo que empresas que antes desconheciam ou estavam totalmente fora desse conceito possam desenvolver programas cada vez mais maduros e com monitoramento adequado”.

A classificação da maturidade dos Sistemas de Integridade vai de 1 a 5, de acordo com critérios e testes padronizados que avaliam:

• Gestão: existência de um Comitê de Ética/Compliance (Compliance Officer), sua independência e autonomia;

• Políticas e Procedimentos: Código de conduta, políticas e canal de denúncia;

• Treinamento: existência, rastreabilidade e frequência;

• Terceiros/Parceiros de Negócios: existência de due diligence e cláusula anticorrupção nos contratos;

• Monitoramento e Auditoria: controle, acompanhamento, revisão e auditoria contínuas da implementação integral e efetividade do Programa de Integridade;

• Registros Contábeis/ Teste de Transação: verificação de determinadas rubricas contábeis;

• Canal de Denúncia: existência, efetividade e divulgação do canal de denúncia.

O QualIES conta atualmente com cinco empresas homologadas para fazer a avaliação e outras podem se candidatar. O assessor Jurídico-Estratégico e de Compliance do Instituto, Rodrigo Correia da Silva, explica que o programa é facultativo e exclusivo para associadas do Instituto e está totalmente alinhado às Instruções Normativas do IES, emitidas pelo Conselho de Ética.

As empresas avaliadas recebem uma Certidão Ética Saúde, que contém o ano de associação ao IES, a situação atual do associado junto ao Conselho de Ética, o resultado da autoavaliação anual de compliance que o Instituto aplica e a nota do QualIES. “Este documento vai agregar valor para a organização, uma vez que ela comprova ser uma parceira confiável de negócios. Ter um sistema de integridade bem amarrado em todas as pontas significa um ambiente desfavorável ao comportamento antiético”, frisa Correia da Silva.

O presidente do Instituto Ética Saúde ressalta a importância do mercado valorizar as empresas com níveis altos de maturidade em programas de Integridade. “O grande desafio é fazer com que os planos de saúde venham para o IES e que eles reconheçam e escolham como fornecedores as empresas realmente comprometidos com ética e transparência nos negócios”, finaliza Gláucio Pegurin Libório.

Sobre o Ética Saúde

O Instituto Ética Saúde busca garantir a segurança do paciente e a sustentabilidade do sistema de saúde por meio de uma conduta ética entre os atores em um ambiente de concorrência justa e transparente. Os objetivos consentidos do Instituto Ética Saúde incluem evitar incentivos ilegais ou antiéticos para agentes públicos e privados, prática de atos médicos ilegais ou antiéticos, evasões fiscais, irregularidades regulatórias, concorrência desleal, violação de direitos do consumidor e falsificação.

Este arcabouço é fiscalizado por meio de denúncias anônimas ou identificadas, com apuração justa e realização de um cadastro público positivo, para revelar à sociedade quais empresas atuam efetivamente de forma ética. O Canal de Denúncias é o www.eticasaude.org.br ou o 0800-741-0015.

Grupo Sabin investe em parceria com a rede Amparo

Grupo Sabin investe em parceria com a rede Amparo

A promoção de serviços médicos de atenção primária à saúde (APS) passa a fazer parte do foco estratégico do Grupo Sabin, que este ano completa 35 anos de atividades, com atuação em 11 estados e no Distrito Federal. Os novos serviços serão prestados a partir do investimento minoritário na empresa Amparo Saúde, de São Paulo, a primeira rede privada e independente de centros de APS no Brasil.

“A saúde está passando por um momento de transformação e queremos ter um papel protagonista, focando a estratégia do Grupo Sabin em modelos de negócio que permitam ampliar nossa plataforma de serviços onde o paciente está no centro do cuidado. Além disso, queremos entregar uma nova proposta de valor em gestão de saúde para empresas e operadoras nos cuidados aos seus beneficiários, bem como contribuir para a sustentabilidade do setor de saúde”, explica a presidente executiva do Sabin, Lídia Abdalla.

A parceria entre Sabin e Amparo terá início no atendimento assistencial de 5.200 colaboradores do Grupo como projeto-piloto. De acordo com Emílio Püschmann, sócio-fundador e presidente da Amparo Saúde, o atendimento primário à saúde traz benefícios por atuar na prevenção e tratamento de doenças de forma precoce, evitando desperdícios de tempo e procedimentos não necessários frente ao acompanhamento contínuo.

"O médico de família tem condições de atender às expectativas de boa parte dos pacientes que buscam assistência à saúde, ao assumir uma posição de coordenador dos cuidados da saúde, contribuindo com a maior adesão ao plano de acompanhamento e tratamento", explica Püschmann.

Sustentabilidade da cadeia de saúde

A APS tem grande sinergia com a medicina diagnóstica por ser fonte de informações na busca do cuidado coordenado e eficiente da saúde. “Equacionar os custos ao racionalizar todas as etapas que compõem o atendimento completo a cada paciente propicia sustentabilidade ao negócio e abre espaço para remunerações mais adequadas. Este é um dos caminhos da saúde suplementar no Brasil e o Sabin quer exercer um papel importante nesta história”, afirma Lídia Abdalla.

Além de contar com atendimentos presenciais de médicos, a Amparo Saúde disponibiliza uma plataforma digital que incentiva a adesão ao tratamento bem como os ciclos preventivos constantes com a saúde. "Com os serviços médicos de APS, ampliamos a nossa contribuição à jornada do paciente e à cadeia de saúde”, diz Püschmann.

Sobre o Sabin

O Sabin foi fundado em Brasília pelas bioquímicas Janete Vaz e Sandra Soares Costa e possui 35 anos de dedicação à medicina diagnóstica. O Grupo possui mais de 5200 colaboradores e 200 médicos na rede que oferece serviços de análises clínicas, diagnóstico por imagem, vacinação e check-up executivo em mais de 280 unidades de atendimento no Distrito Federal e nos estados de Amazonas, Bahia, Goiás, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Roraima, São Paulo, Tocantins e Santa Catarina.

O Grupo Sabin coleciona reconhecimentos e prêmios importantes nas áreas de gestão, técnico-científica, sustentabilidade, qualidade e inovação. Possui o Programa de Acreditação para Laboratórios Clínicos da Sociedade Brasileira de Patologia Clínica (PALC/SBPC) e o Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem (PADI), além das certificações das normas ISO 9001, que estabelece um modelo de gestão de qualidade para organizações, e ISO 14001, que atesta a responsabilidade da empresa com o meio ambiente, bem como a conformidade à norma ISO 31000.

Sobre a Amparo Saúde

A Amparo Saúde é uma empresa de tecnologia e saúde fundada em 2017 por Emilio Püschmann. É a primeira rede privada e independente de centros de atenção primária à saúde (APS) no Brasil. Atualmente, a startup possui 3 unidades na Região Metropolitana de São Paulo, onde oferece consultas, terapias, procedimentos de baixa complexidade, exames, vacinas, curativos, medicação e atendimentos à distância a seus pacientes.

A Amparo Saúde se diferencia por trazer de volta o conceito de medicina de família com atendimento personalizado e acolhedor. Os pacientes são sempre atendidos pela mesma equipe (médico dedicado, enfermeiro e técnico de enfermagem) utilizando um sistema de gestão de saúde populacional proprietário que instrumentaliza dados levantados por meio de integrações de tecnologia ao longo da cadeia de saúde em benefício do paciente.

Unimed pretende formar mil especialistas em Atenção Primária

ideacao-suicida-600x330

Curso visa intensificar a mudança do modelo assistencial na Saúde e fortalecer a sustentabilidade do setor no Brasil

Defendida por especialistas como um dos caminhos para a sustentabilidade da Saúde no Brasil, a inserção da Atenção Primária à Saúde (APS) no modelo assistencial encara ainda a escassez de especialistas na área. Tendo em vista esse cenário, a Unimed do Brasil, em parceria com a Faculdade Unimed e o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescoop), vai capacitar mil profissionais em APS até 2021. Para isso, lança um curso de aperfeiçoamento para a área, voltado a médicos cooperados (especialistas em Medicina da Família e Comunidade, Clínica Médica, Pediatria, Geriatria, Ginecologia e Obstetrícia, Medicina Preventiva e Social), enfermeiros e gestores de APS ligados às cooperativas do Sistema Unimed. O curso acontece na modalidade de ensino a distância (EAD), e conta com 10 módulos teóricos e um módulo prático.

“Comprometido com a saúde e bem-estar das pessoas e com a sustentabilidade da Saúde em geral no País, o Sistema Unimed definiu a expansão da Atenção Integral à Saúde como meta prioritária e este curso chega para suprir a carência de profissionais qualificados na área. Trata-se de um curso inédito, com desafios que respeitam a singularidade do Sistema Unimed, presente em 84% do território nacional e com protagonismo reconhecido dentro da saúde suplementar”, ressalta Orestes Pullin, presidente da Unimed do Brasil.

A Unimed defende que o modelo de assistência à saúde precisa ser reformulado e considera fundamental o investimento dos setores público e privado na medicina preventiva e em ações integradas que beneficiem a qualidade de vida e a gestão da saúde, trazendo o paciente para o centro do cuidado assistencial.

Com o objetivo de difundir a Atenção Integral à Saúde em todo o Sistema, a Unimed do Brasil instituiu em 2011 um comitê específico para incentivar e auxiliar as operadoras da marca nas ações que preconizem a Atenção Primária, integrando prevenção, vigilância, prestação de assistência e reabilitação. Esta iniciativa já trouxe resultados para mais de 200 mil pacientes participantes dos programas adotados em 70 Unimeds nos últimos anos.

Segundo Orestes Pullin, devido sua relevância, a Unimed trabalha para que a APS seja difundida não apenas entre suas cooperativas, mas em todo o setor da Saúde. “A Unimed do Brasil mantém aberto o diálogo com o Ministério da Saúde, Governos, Prefeituras e demais entidades representativas para o compartilhamento de experiências e contribuição na difusão da Atenção Primária também para a saúde pública”, afirma o dirigente.

Sobre a Unimed – A Unimed, maior sistema cooperativo de saúde do mundo, possui 52 anos de atuação no mercado de saúde suplementar. A marca nasceu com a fundação da Unimed Santos (SP), em 1967, e hoje é composta por 345 cooperativas médicas, com assistência para cerca de 18 milhões de beneficiários em todo País. Entusiasta do movimento SomosCoop, da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB), a Unimed conta com mais de 115 mil médicos, 119 hospitais próprios e 2.506 hospitais credenciados, além de pronto-atendimentos, laboratórios e ambulâncias para garantir a qualidade da assistência médica, hospitalar e de diagnóstico complementar prestada aos beneficiários das cooperativas.

Qualicorp conquista mais um reconhecimento em Atendimento ao Cliente

images (2)

A Qualicorp foi eleita a empresa campeã do Ranking EXAME/IBRC de Atendimento ao Cliente na categoria Administradora de Benefícios.

O Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente ouviu a opinião de 6.148 consumidores sobre a qualidade do atendimento de 170 empresas em todo o país. Em seguida, as companhias mais citadas responderam a um questionário de autoavaliação sobre seus processos. Por fim, os pesquisadores testaram o atendimento das marcas por meio de clientes ocultos e entrevistas com pelo menos 25 consumidores de cada empresa.

Juliana Pereira, diretora de Clientes, comemora a conquista da liderança na categoria já na primeira participação da Qualicorp na pesquisa. Para a executiva, transformar a experiência do cliente é criar um novo modelo de relacionamento. "Este é o reconhecimento de um trabalho de reposicionamento que se inicia com a criação da área específica de Clientes na Qualicorp, envolveu todas as áreas da empresa e permitiu orientar os processos para as necessidades do nosso cliente", afirma.

Foco na qualidade: nos últimos anos a Qualicorp realizou uma série de ações para tornar o atendimento mais personalizado e ágil. Além da criação de uma diretoria voltada exclusivamente para o cliente, a companhia diversificou e aprimorou seus processos e canais de atendimento ao consumidor.

A Qualicorp se tornou a primeira Administradora de Benefícios do país a assinar um Termo de Cooperação com uma Defensoria Pública, buscando solucionar as demandas do cliente com mais agilidade por meio de um canal exclusivo. Até o momento, foram firmados acordos com os Núcleos de Defesa do Consumidor das Defensorias Públicas do Rio de Janeiro, do Maranhão e do Distrito Federal e também com a Defensoria Pública da Bahia. Um acordo da mesma natureza foi firmado com o Procon de Santos (SP).

A empresa atingiu, ainda, importantes marcas nos índices de resolutividade nos órgãos de defesa do consumidor. No período de janeiro a agosto de 2018, a Qualicorp alcançou 90% de resolutividade em demandas de consumidores provenientes do Procon, de acordo com dados do Sindec (Sistema Nacional de Informações de Defesa do Consumidor). Em relação às solicitações enviadas por meio do portal Consumidor.gov, a Qualicorp chegou ao índice de 85% de resolutividade.

A companhia também foi a primeira empresa do setor de saúde, e a segunda no país, a participar do projeto "CapacitAÇÃO: inovação em prol do consumidor", lançado pela Secretaria Nacional do Consumidor em parceria com a Escola Nacional de Defesa do Consumidor e com o Consumidor.gov.br. O foco do projeto é aperfeiçoar o atendimento ao cliente por meio da educação de consumidores, órgãos de defesa do consumidor e representantes do mercado.