faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Fleury Medicina e Saúde é uma das campeãs em Atendimento ao Cliente do Ranking IBRC 2018

alphaville-1

A marca Fleury Medicina e Saúde alcançou a posição de terceira melhor marca do País em atendimento ao cliente, segundo nova edição do ranking organizado pelo Instituto Ibero-Brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC). No segmento de medicina diagnóstica, o Fleury é o maior destaque em qualidade de atendimento.

Na pesquisa, foram ouvidas mais de 6.148 pessoas em 149 municípios de todos os estados sobre quais empresas atenderam bem e quais não foram satisfatórias no cumprimento das demandas. Dessa forma, as empresas são avaliadas em quatro etapas: qualificação (pesquisa quantitativa), qualidade desenhada (autoavaliação de processos), qualidade entregue (cliente oculto) e qualidade percebida (pesquisa qualitativa). A soma de pontuação obtida em cada etapa gera um ranking linear de 1 a 100, em que as primeiras 25 são as melhores e as últimas 25 consideradas as piores.

De acordo com o IBRC, o estudo já está incorporado ao mecanismo de avaliação das empresas quanto ao seu atendimento. Para importantes corporações nacionais e multinacionais, o ranking é um indicador oficial de performance de executivos, dos setores de atendimento, e do próprio desempenho geral da organização.

No Grupo Fleury, as métricas relacionadas à satisfação do cliente são parte relevante da remuneração variável de todos os seus colaboradores em todos os níveis hierárquicos. “Temos uma cultura centrada no cliente desde nossa fundação em 1926. Nossa essência é trabalhar para oferecer de forma genuína, todos os dias, saúde e bem-estar às pessoas que buscam nossos serviços. Isso nos proporciona o reconhecimento da comunidade médica e dos clientes, bem como de premiações como a do IBRC”, avalia William Malfatti, diretor de Comunicação, Relações Institucionais e Relacionamento com Clientes.

 

Hospitais apostam em plataforma 3D para diagnóstico e treinamento cirúrgico

mesa3

As faculdades de medicina (humana e veterinária) e os hospitais entraram de vez na era digital e apostam no uso de plataformas 3D para diagnóstico, treinamento cirúrgico e dissecação virtual.

Cerca de 70 instituições de ensino e dezenas de hospitais públicos e privados no País equiparam seus laboratórios e centros cirúrgicos com a Plataforma Multidisciplinar 3D, uma espécie mesa que exibe modelos tridimensionais altamente detalhados e anatomicamente corretos de todos os sistemas dos corpos humano e canino.

Desenvolvida pela empresa brasileira Csanmek, especializada em sistemas e soluções para o mercado educacional, a tecnologia integra hospitais e salas de aula e oferece aos alunos a possibilidade de estudos de casos clínicos e exames reais de pacientes, pois permite que os professores convertam tomografias e ressonâncias magnéticas em clones virtuais 3D, com acesso total e irrestrito a anatomia real.

O simulador, que pode custar entre R$ 200 mil e R$ 700 mil, utiliza algumas linhas de atlas anatômicos e fisiológicos, com mais de 6,5 mil estruturas anatômicas identificas, incluindo todos os órgãos e sistemas do corpo masculino e feminino, bem como da anatomia canina.

Entre as instituições brasileiras que possuem a tecnologia estão Faculdade das Américas (FAM), a Universidade de de São Caetano do Sul (USCS), A Uninove (5 unidades em SP), a São Leopoldo Mandic (RJ), uma das principais faculdades de medicina do Brasil, a Universidade Guanambi, na Bahia, e a Faculdade Claretiano, entre outras.

Segundo o fundador da Csanmek, Claudio Santana, a solução foi desenvolvida por uma equipe amplamente qualificada, com décadas de experiência em diagnósticos e imagens médicas. "Apesar de ser um equipamento para educação, a plataforma 3D também é utilizada por médicos e profissionais da saúde no dia a dia, para melhorar o aprendizado e compreensão das estruturas anatômicas reais e modeladas", comenta Santana.

Sistema Hapvida completa 40 anos com 4 milhões de clientes e planos de expansão

São mais de 21 mil colaboradores envolvidos diretamente na operação de 206 unidades de saúde e centros de diagnóstico para atender 4 milhões de clientes no Norte e Nordeste do Brasil – e tudo começou com apenas um hospital, o Antônio Prudente, em Fortaleza (CE), em 1979. O Sistema Hapvida Saúde completou quatro décadas de atividade no dia 15 de janeiro, poucos meses depois de ter o capital aberto e revisar seus planos de expandir a atuação em atendimentos médicos e odontológicos para além dos 11 estados em que está presente.

A operadora de saúde teve início em 1993, enquanto a expansão para cuidados odontológicos, Hapvida+Odonto, se somou ao portfólio mais recentemente, em 2009. Dez anos depois, a companhia, que conta com rede própria, detém nada menos que 26 hospitais, 76 clínicas, 20 pronto atendimentos e 84 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial. O crescimento foi possível graças à estratégia de crescimento vertical, amparada por controles de custos e qualidade.

Segundo o fundador do Sistema Hapvida e atual vice-presidente comercial de relacionamento, Cândido Pinheiro, a razão do crescimento da empresa se dá por seu foco no atendimento aos pacientes. "Acreditamos que nossos atuais e futuros clientes continuarão sendo nossa locomotiva para que sigamos nesta estratégia de expansão em qualquer estado que tenha escala e que nossa diretoria-executiva entenda que trata-se de uma importante oportunidade para nossa companhia", explica. "O Hapvida vai até onde nossos clientes quiserem. São eles que direcionam nossos caminhos", completa.

Para garantir que o crescimento seja alinhado com demandas de mercado e com os avanços na medicina, uma série de iniciativas vem sendo tomada na gestão do grupo. Hoje existe um Conselho Administrativo para tratar de questões do Sistema e um investimento sistemático em tecnologia. A rede foi a primeira a aderir aos cadastros biométricos de médicos e pacientes e opera em rede, de forma que as equipes de atendimento tenham acesso a todo o histórico e todos os exames do paciente online para consultas, bem como o tempo de espera e disponibilidade de vagas, em tempo real, para atendimentos de urgência e emergência ou procedimentos mais delicados. O acolhimento, pilar importante para o Hapvida, acontece pelo primor no atendimento eficiente aos pacientes, com diferenciais tecnológicos e assistenciais.

A expansão da operadora pelo restante do país, a partir de 2019, ganhou fôlego com a estreia da venda de ações na bolsa de valores (HAPV3), o que trouxe novos recursos para investimentos maciços. "Sabemos que a empresa precisa dar um passo em suas operações. Ser consolidadora em um mercado em concentração. Foi uma decisão acertada, não só do ponto de vista de instituirmos uma melhor governança, mas também pela possibilidade de expandir com mais responsabilidade", avalia o diretor-presidente do Hapvida, Jorge Pinheiro.

UpToDate da Wolters Kluwer Health é número 1 em ranking

UpToDate da Wolters Kluwer Health é número 1 em ranking

A Wolters Kluwer Health, líder mundial no fornecimento de soluções e informações para o momento de cuidados ao paciente para a indústria de saúde, acaba de anunciar que o UpToDate, foi classificado como o recurso número um para o apoio à decisão clínica no ranking Best in KLAS: Software and Services de 2019.

A KLAS, empresa de pesquisa especializada em monitorar e relatar o desempenho dos fornecedores de serviços de saúde, relatou que a UpToDate da Wolters Kluwer Health foi a ferramenta de referência clínica de cuidado com o paciente de melhor desempenho.

"O reconhecimento da KLAS pelo UpToDate como líder de categoria é muito gratificante para nós como organização. Estamos comprometidos em fazer parcerias com nossos clientes e ajudá-los a reduzir a variabilidade do cuidado, que é um dos maiores desafios que eles enfrentam atualmente. Nossas soluções especializadas ajudam a alinhar a tomada de decisões entre equipes médicas e pacientes, possibilitando um tratamento mais consistente e econômico ", diz Denise Basow, MD, CEO da Unidade de Negócios de Efetividade Clínica da Wolters Kluwer.

No Brasil, inclusive, a importância de se investir em recursos que apoiem e suportem a decisão clínica e os cuidados como um todo ainda é um desafio. Em 2018, o governo federal destinou apenas 3,6% do seu orçamento na área de saúde, montante bem abaixo da média mundial que é de 11,7%, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Adam Gale, Presidente da KLAS Research, acrescenta: "Os líderes de categoria estão empenhados em fornecer a melhor tecnologia, serviço e orientação aos provedores e pagadores. Este prêmio traz a voz de milhares deles, destacando fornecedores excelentes que elevaram o nível de qualidade."

O UpToDate da Wolters Kluwer Health é o único recurso de suporte à decisão clínica associado a resultados aprimorados. Mais de 80 estudos demonstram seu impacto na melhoria do atendimento ao paciente e na efetividade clínica. Usado por mais de 67 mil médicos no mundo, traz mais de 11,6 mil tópicos de 25 especialidades.

Sobre a Wolters Kluwer

A Wolters Kluwer N.V. (AEX: WKL) é líder global em serviços de informação e soluções para profissionais nas áreas de saúde, fiscal e contábil, risco e compliance, finanças e jurídica. Por meio de soluções especializadas, que combinam profundo conhecimento com serviços e tecnologia, ajudamos nossos clientes todos os dias a tomarem decisões críticas.

A Wolters Kluwer Health é líder mundial no fornecimento de soluções e informações para o momento de cuidados ao paciente para a indústria de saúde. Para mais informações sobre nossos produtos e sobre a companhia, visite nosso site, siga @WKHealth ou @Wolters_Kluwer no Twitter, curta nossa página no Facebook, siga-nos no LinkedIn, ou no WoltersKluwerComms no YouTube.

9 recursos da nova UTI do Hospital 9 de julho que a tornam setor de ponta em todo o Brasil

Foram nada menos que R$ 10 milhões investidos na sétima Unidade de Terapia Intensiva do Hospital 9 de Julho (H9J). O setor é composto por novidades no diagnóstico médico e recursos de ponta em nome da priorização do paciente. "A nova Unidade segue as vertentes já adotadas em toda a instituição com base na excelência técnica multiprofissional e humanização da assistência aos pacientes, acompanhantes, familiares e médicos. Nosso foco é aliar a tecnologia ao que existe de melhor na medicina com um olhar especial sobre o que há de mais importante neste trabalho: o nosso paciente", explica o diretor-geral da instituição, Dr. Alfonso Migliore Neto.

Como as demais UTIs do H9J, o novo setor está alinhado a protocolos multidisciplinares internacionais e possui a retaguarda ambulatorial do Centro de Medicina Especializada (CME) para acompanhamento pós-alta, o Centro de Infusão para quimioterápicos e outros medicamentos. A unidade de saúde, em funcionamento desde 1955, é referência em medicina de alta complexidade, inclusive em neurologia, oncologia, onco-hematologia, gastroenterologia, ortopedia, urologia e trauma.


Confira os principais recursos disponíveis na nova UTI do H9J:

1) Capacidade: o novo setor tem um total de 13 leitos disponíveis para pacientes das mais diversas condições que cheguem à unidade de saúde;

2) Braincare: monitor desenvolvido no Brasil, apenas indicados para casos de estudo, utiliza uma cinta ao redor da cabeça do paciente para aferir a pressão intracraniana por meio de ondas eletromagnéticas, sem necessidade de procedimentos invasivos;

3) Otimização respiratória: com o PulmoVista 500, os parâmetros ventilatórios são otimizados, garantindo oxigenação mais adequada e reduzindo complicações em pacientes com insuficiência respiratória grave;

4) Calorímetro: já existente no mercado nacional, o equipamento que identifica estágio e necessidade nutricional do paciente, a partir de seu gasto calórico, foi integrado de forma inovadora ao setor de UTI;

5) BIS: o equipamento monitora a atividade elétrica da região frontal do cérebro e mede o índice bispectral, utilizado para garantir a dosimetria ideal de sedativos e anestésicos de cada caso, evitando recuperações mais prolongadas;

6) Cores e sons: há um sistema de chamada e comunicação visual que permite à equipe médica identificar a necessidade do paciente antes mesmo de ir até seu leito;

7) Colchões inteligentes: permitem avaliação e ajuste automáticos dos pontos de pressão, evitando escaras e ajudando na movimentação de pacientes com limitações físicas;

8) Computadores beira-leito: instalados em todos os quartos, permitem agilidade no registro de informações por parte da equipe assistencial;

9) Janelas polarizadas: vidros podem ficar opacos ou transparentes, permitindo monitoramento constante do paciente pela equipe, assegurando também sua privacidade.

Atenção primária é debatida em encontro no Conass

Atenção primária é debatida em encontro no Conass

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde – Conass, com sede em Brasília, que congrega os secretários de Estado da Saúde e do Distrito Federal recebeu o presidente eleito da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Marcelo Queiroga, para uma reunião onde foram discutidas parcerias comuns entre as duas entidades.

A audiência, na semana passada, foi com o presidente do Conass, Leonardo Moura Vilela, que também é secretário de Saúde do Estado de Goiás, e o secretário executivo do Conselho, Jurandir Frutuoso. “Conversamos como estabelecer uma agenda comum que vise uma atuação conjunta na atenção primária, que atualmente atende 65% da população”, contou o presidente eleito da SBC.

“As secretarias estaduais e municipais são quem capilarizam as políticas públicas no setor e por isso o encontro foi tão importante. É fundamental que a SBC envide esforços para ampliar a interlocução com o Conselho para disseminar os nossos programas de educação médica continuada e as políticas defendidas pelos cardiologistas”, completou Queiroga.

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde é uma entidade de direito privado, sem fins lucrativos, que se pauta pelos princípios que regem o direito público. O Conass foi fundado em 1982, sendo o primeiro presidente o professor Adib Jatene.

Martha Oliveira anuncia escolha pela Qualirede

Martha.jpg

A ex-diretora da ANS- Agência Nacional de Saúde suplementar e Ex diretora executiva da Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), Martha Regina Oliveira, reconhecida por sua trajetória no setor de saúde suplementar, anunciou nesta sexta-feira (15) sua entrada como sócia na Qualirede, empresa que atua nacionalmente em todas as etapas da gestão de planos de saúde.

Ao lado da fundadora e presidente da Qualirede, Irene Minikovski Hahn, da CEO, Paula Bianca Coelho e da diretora de Mercado e Relacionamento, Vilma Dias, Martha chega com a missão de capitanear a expansão da Qualirede para novos mercados e, também, desenhar a estratégia de entrada em segmentos ainda não explorados pela empresa.

“A saúde suplementar no Brasil vivencia um momento decisivo de mudanças, pressionado pelas demandas da população e das organizações por mais qualidade e sustentabilidade”, destaca Martha. “Encontrei na Qualirede uma empresa capaz de ser agente dessa transformação, pois possui conhecimento, ferramentas e uma lógica orientada pelos resultados ao paciente”, reforça.

 Sobre a executiva

Martha é médica formada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, especializada em Pediatria e Saúde Coletiva, mestre em Saúde Coletiva (UFRJ) e doutora na área de envelhecimento humano.

Engeform Engenharia construirá hospital em Novo Hamburgo para a Unimed Vale dos Sinos

Engeform-Engenharia

A Engeform Engenharia assinou contrato com a Unimed Vale dos Sinos para a construção do novo hospital na cidade de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. A unidade aumentará a oferta de leitos para a população local e tornará o munícipio um polo de saúde regional, já que focará na utilização de diversas soluções tecnológicas para tratamentos de alta complexidade.

O empreendimento terá uma área total de mais de 30 mil m² e contará com quatro subsolos, térreo e mais três andares, além de proporcionar aos pacientes um edifício garagem composto por quatro pavimentos. Sua infraestrutura abrigará áreas para neurocirurgia, hematologia, cardiologia intervencionista, etc.

“Essa é uma importante conquista para a Engeform Engenharia, pois o contrato com uma grande parceira como a Unimed nos aproxima ainda mais do segmento hospitalar privado e consolida a nossa participação no setor de construção para a saúde, onde somos especialistas. Com arte e engenharia, entregaremos mais uma importante unidade hospitalar para a população brasileira ”, destaca André Abucham, diretor-superintendente da Engeform Engenharia.

Esse será o segundo hospital da Unimed em construção pela Engeform Engenharia. A primeira obra para a operadora, que já está em fase de finalização, é o hospital da Unimed Belo Horizonte, unidade Betim, que será referência para toda a região do município mineiro. Sua infraestrutura oferecerá aos pacientes centros cirúrgico, obstétrico, de imagens, exames, endoscopia e hemodinâmica, além de laboratório de análises clínicas e Pronto Socorro.

Ainda no setor da saúde, a empresa traz em seu legado inúmeras premiações, reconhecimentos e 29 obras, que variam entre centros de saúde, laboratórios e complexos hospitalares. Ao todo, já são mais de 730 mil m² para esse segmento e mais de 5 mil leitos para a população brasileira.

Empoderando uma enfermagem engajada e competente

tecnico-de-enfermagem-5 (1)

Organizações de saúde de alta performance dependem de uma equipe de enfermagem bem capacitada e engajada para entregar tratamentos baseados em evidências e atender critérios de segurança e diretrizes de qualidade cada vez mais rigorosos.

No entanto, muitas organizações lutam para atrair e melhorar o relacionamento com os enfermeiros, de maneira a motivá-los e integra-los. “Um dos maiores desafios para aumentar o engajamento, a permanência e o recrutamento é criar e sustentar uma cultura que empodere e motive os enfermeiros a realizarem práticas clínicas de excelência”, diz Tammy Purcell, enfermeira registrada e certificada em Obstetrícia Hospitalar, pós-graduada e executiva da Elsevier.

Educação contínua baseada em evidências

Um recente estudo da HealthLeaders reuniu 129 executivos sêniors e líderes clínicos e perguntou como a educação e o desenvolvimento de líderes na enfermagem estão ajudando a construir profissionais engajados. A pesquisa apontou que a educação contínua, baseada em evidências, e líderes fortes desenvolvem papéis cruciais na melhoria do envolvimento, do recrutamento e da permanência dos enfermeiros.

Entrevistados dizem que estão empregando várias táticas para estimular a permanência dos enfermeiros, incluindo as seguintes: orientação padronizada e programas de integração para novos enfermeiros (76%), educação presencial continuada (60%), educação online continuada (53%) e pacotes de remuneração (53%). Além disso, quase a metade diz que está desenvolvendo uma linha forte de liderança para estimular a permanência.

Tammy Purcell diz que é fundamental apoiar os enfermeiros líderes por intermédio de uma educação online contínua e baseada em evidências. “Sem isso, corremos o risco de sairmos do rumo e simplesmente continuar com uma educação da maneira que sempre foi feita, independente de onde veio essa metodologia, em vez de baseá-la em ações e evidências que provem serem as melhores”. Essa abordagem também assegura que novos líderes em enfermagem estejam criando fundamentos padronizados de conhecimento baseados em pesquisas.

Programas de desenvolvimento de liderança na área de enfermagem deveriam incluir também oportunidade de aprendizado em sala de aula em outras instituições independentes, diz Purcell. Oportunidades de desenvolvimento tais como sistemas de gestão de aprendizado combinado com cursos online de desenvolvimento profissional e liderança também ajudam o enfermeiro de cuidados diretos a avançar para um cargo de chefia.

Para as organizações, esses sistemas facilitam a implantação de cursos de educação continuada que efetivamente orientam, educam e desenvolvem competências específicas para novos líderes de enfermagem, ao mesmo tempo em que identificam e rastreiam as lacunas de conhecimento.

À medida que organizações de saúde desenvolvem programas de educação na área de enfermagem, elas devem focar em promover metas importantes em relação à manutenção de pessoal, engajamento e desenvolvimento profissional. “Abordagens como bônus em relação ao tempo de trabalho na instituição não provaram ser tão efetivas,” diz Purcell. “Os enfermeiros querem trabalhar para uma organização profissional, autêntica e inspiradora, que lhes proporcione oportunidades superiores de orientação e de educação. É importante que se comece a criar novas abordagens e um programa efetivo.”

Também é o momento de usar a tecnologia mais estrategicamente para padronizar os programas de educação e desenvolver novos padrões de eficiência, ela acrescenta. Por fim, quando se trata de fidelizar os enfermeiros, recrutá-los e engajá-los, é importante não subestimar o poder do fortalecimento de programas de liderança, porque sem líderes fortes será difícil para os hospitais fazerem melhorias nessas áreas.

Um player integral no ecossistema de prestação de saúde

Capture

“A Veradigm é uma empresa que tem como missão utilizar soluções tecnológicas para criar novos insights. Na nossa visão, no futuro poderemos conectar múltiplas comunidades de forma a unir dados e conduzir um fio único para o melhor cuidado médico”, disse Robert Nauman, Vice Presidente de Soluções para Planos de Saúde. Ele nos recebeu na sede da empresa em São Francisco para uma conversa sobre o funcionamento da empresa, importância para o sistema e pretensões de mercado.

A Veradigm faz parte do grupo Allscripts, o qual também integram a Practice Fusion e empresas como a Evalytica. Cada uma delas tem o seu próprio mercado e mantém as operações razoavelmente independentes. Ao todo, a Allscripts possui seis modalidades de prontuários eletrônicos, desde institucionais, ambulatoriais, aos baseados em comunidades, que juntas, se tornam a maior força em prontuários médicos eletrônicos nos Estados Unidos. A Practice Fusion, se destaca por ser uma das poucas soluções baseadas em nuvem, ao contrário dos mantidos em servidores. Já a Evalytica é um motor analítico que processa grande quantidade de dados e os transforma em insights para os prestadores no ponto de cuidado, na beira do leito.

Em relação aos prontuários eletrônicos, a Allscript tem densidade em quase todo o território americano, com mais de 70 mil instalações em provedores, esse é parte do motivo da importância desse player. Atualmente várias instituições estão conduzindo mudanças na forma como as pessoas interagem com o sistema, e o acesso aos próprios dados médicos faz parte deste movimento.

Mas qual é o impacto disso? Imaginem prestadores contribuindo para um massivo conjunto de dados e conhecimento sendo gerado a partir disso. Ou a capacidade de um especialista ter acesso aos dados da consulta de medicina primária do seu paciente. Ainda um mesmo médico tendo um local único para os seus pacientes, independentemente das várias instituições em que trabalha. A coordenação de cuidado e de informações é algo inovador até mesmo para os Estados Unidos. Os dados devem circular no sistema de saúde para conectar as peças. Um paralelo para o Brasil: planos de saúde, por exemplo, conseguiriam associar dados de sinistros com dados clínicos, de forma a criar um quadro completo de análise.

O foco da Veradigm é integrar sistemas e serviços através de insights baseados em dados para melhorar a eficiência, valor e qualidade na entrega no cuidado de saúde. Isso é alcançado através da integração holística, dados rapidamente disponível na ponta, e fluxo de intervenções azeitado.

Mais de 100 milhões de dados médicos são requisitados por ano, 90% destes ainda são devolvidos por métodos analógicos como papel ou fax. A partir do momento em que modelos de pagamento por valor se tornam mais comuns, haverá maior demanda por transparência e trabalho conjunto entre os players. Isso gerará a necessidade de aumento de eficiência no processo, bem como a sua otimização.

Essas mudanças exigirão que as pessoas pensem no mercado de saúde de forma diferente. Robert aponta que a medicina de precisão e o maior contato de forma personalizada com os pacientes desempenharão grande papel nessa transformação, e deverão ser suportados por tecnologias que apoiem essa comunicação sinérgica, de forma a reduzir os custos de atenção em saúde e agilizar a sua inovação.

“Integrar dados e gerar insights a partir disso é importante porque acreditamos que, no final das contas, isso nos ajudará a aumentar a qualidade da assistência prestada e forçará mudanças, de fato, em como o sistema funciona”, disse Robert, e continua, “Estamos fazendo isso através das diferentes propriedades e alcance dos nossos prontuários médicos, aprendendo padrões e novas práticas por meio da integração dos dados, validando novas metodologias de tratamento, melhoria nos diagnósticos, e provando que não só os médicos, mas toda a comunidade de cuidado pode contribuir de forma global para o paciente. A ideia é ser um player integral no ecossistema de prestação de saúde”

Segundo ele, haverá um ciclo de conexão. Por exemplo, médicos prescreverão mais assertivamente medicamentos, que poderão ser adquiridos por um preço mais acessível pela rede. Os dados de adesão e resultado de exames, através de parceiros, voltarão diretamente para os prontuários eletrônicos. Isso para o benefício dos pacientes, mas, do outro lado, empresas farmacêuticas e de dispositivos poderão aproveitar essa informação para acelerar sua entrada de mercado. “Ajudar a reduzir o lançamento de um produto em meses também colabora para a redução do custo da saúde no geral”. Inclusive, a Veradigm, bem como todo o grupo Allscript, tem trabalhado junto com o Governo Americano para monitorar e controlar a distribuição de opióides, uma crise no país.

“Acreditamos que podemos ser uma empresa de US$ 500 milhões em cinco anos, e contribuir com mais de 25% do crescimento total do grupo. É por isso que estamos reunidos com vocês hoje [Brasil], porque acreditamos nessa rede, acreditamos em todos os ingredientes, mesmo fora da família Allscripts”, finalizou o executivo.