faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Impressão para a área de Saúde: oportunidade e economia

area_medica_oki_v2_765x400_tcm64-234382

Rapidez, precisão e produtividade. Sem dúvida, esses são três predicados fundamentais para as áreas médica e de saúde. Nesse sentido, é possível dizer que os últimos anos têm sido prolíficos para o setor, com o desenvolvimento de novas tecnologias e opções para a realização de exames como ressonâncias magnéticas, tomografias e ultrassons.

A transformação digital dos centros médicos e hospitalares, contudo, não se limita apenas a presença de novos equipamentos para o diagnóstico dos pacientes. Outro ponto importante – e que vem acompanhando essa marcha de evolução – é a impressão documental dos resultados destes exames. Afinal, tão importante quanto gerar imagens nítidas é a necessidade de documentar de forma rápida e precisa esses arquivos, sem distorções.

Em franco crescimento, o mercado de impressão para a área de saúde mira, justamente, na entrega de soluções especializadas, com recursos que agregam mais agilidade, produtividade e economia às empresas do segmento. Com isso, diferentemente do que acontecia há algumas décadas, hoje as clínicas e hospitais podem contar com serviços e soluções de impressão específicas para suas demandas diárias, otimizando a produtividade e o atendimento aos pacientes, sem a necessidade de se fazer grandes investimentos.

Há cada vez mais opções que entregam bons resultados com menor custo de aquisição, valorizando a relação de custo-benefício para as empresas. No Brasil, de acordo com dados do Ministério da Saúde, há 6.805 hospitais, 312 mil serviços de saúde e 492 mil leitos. Esse número mostra o tamanho da oportunidade para a adoção de novas tecnologias que reduzam os custos e o tempo necessário para os atendimentos.

Apesar das imagens impressas em papel serem apenas para fins documentais e não diagnósticos, elas são um documento de suporte ao laudo médico e por este motivo devem ser produzidas com altíssima qualidade, pois por meio delas que o hospital, laboratório ou clínica se comunica com o médico solicitante. Outra realidade é o alinhamento das atividades dos hospitais e clínicas à sustentabilidade ambiental. Neste aspecto, muitos deles decidiram pela utilização da impressão de resultados de exames sob demanda, o que requer um maior índice de disponibilidade e um menor índice de falhas das impressoras. Para atender esta demanda, os mecanismos de impressão se tornaram mais robustos.

Uma realidade já existente nos hospitais e clínicas, e que deve se tornar ainda mais evidente nos próximos anos é a proteção dos dados pessoais dos pacientes. Em 2018 foi sancionada a Lei 13.709, também chamada Lei Geral de Proteção de Dados, que estipula multa de até 2% do faturamento do último exercício da empresa, limitado a R$ 50 milhões por infração de vazamento de dados pessoais cometida.

Ferramentas de controle de acesso à impressão, armazenamento criptografado, bloqueios por senha ou biometria e definição de perfis de impressão para os diferentes cargos de colaboradores são algumas das funcionalidades e recursos que estão à disposição para ajudar a evitar o acesso indevido aos documentos impressos e, principalmente, para auxiliar a manter a privacidade dos clientes atendidos. A proteção dos dados dos pacientes é algo muito importante e que deve fazer parte da lista de prioridades das organizações do segmento.

Por motivos como esses, a escolha da contratação de um serviço de outsourcing de impressão para a área de saúde deve ser vista como uma questão ampla e completa, e que pode auxiliar no funcionamento de todo o centro de atendimento. A definição do fornecedor ou dos equipamentos a serem adotados exige uma avaliação abrangente, capaz de considerar a estabilidade da qualidade de impressão, a continuidade no fluxo de trabalho e um elevado índice de disponibilidade dos equipamentos.

O mercado está em constante transformação e a contínua evolução dos equipamentos para impressão de resultados de exames de imagens tem exigido que os centros de atendimento incluam opções com alta definição de impressão e recursos adicionais para gestão de documentos. Paralelo a essa questão, todavia, fatores como custo de operação e a rapidez no atendimento seguem como pontos-chave para o sucesso das clínicas e laboratórios do mundo todo. Essa combinação tem impulsionado o desenvolvimento de novas opções para impressão digital de exames.

Empresa cria solução de Realidade Virtual para área da saúde

VRMed

VRMed proporciona uma nova experiência aos usuários dos ambientes de saúde, além de resultar em otimização de custos

Nenhum paciente gosta de ficar no ambiente hospitalar. Seja na espera para uma consulta ou durante o repouso pós-operatório. O fato é que esta estada gera estresse, angústia e, em alguns casos, até prejuízo na recuperação.

Diante desta constatação o médico Ricardo Cabral vivia atento. Em sua experiência clínica como ginecologista observava o desconforto das pacientes. Inquieto, a busca por uma solução o acompanhava. Era preciso fazer com que os pacientes tivessem uma experiência mais confortável para obter melhores resultados naquilo que todo mundo quer quando adoece: a recuperação.

Foi assim, que, ao longo de sua carreira a veia empreendedora deu vazão à curiosidade para buscar alternativas. Quando se deparou com a Realidade Virtual, não pensou duas vezes. Ali estava a resposta que precisava. Aquela era uma forma de entreter o paciente e deixá-lo mais à vontade, reduzindo o estresse e sofrimento.

Associado a um grupo de especialistas altamente qualificados, criou o VRMed, solução que utiliza óculos de Realidade Virtual para entreter os pacientes. “O sistema tem como objetivo final melhorar a qualidade no cuidado e bem estar, fomentando a tolerância durante os processos, além de motivar o paciente na realização dos tratamentos”, explica Cabral.

Ainda de acordo com o médico, ao facilitar a realização de procedimentos, que podem variar de um simples repouso até situação mais complexas como um pós-cirúrgico, por exemplo, o VRMed estimula a sensação de bem estar e conforto.

“Ao reduzir a ansiedade durante os procedimentos e serviços prestados a solução também colabora para melhorar a imagem da unidade de saúde, além de reduzir os índices de retrabalho”, diz o médico, que acrescenta: “Com isso também aumenta a percepção positiva sobre os serviços prestados”.

Realidade diferenciada

Lúdico, o VRMed transporta o paciente para um outro local, amenizando de forma considerável as ansiedades, dores e angústias causadas pela permanência no ambiente hospitalar. “Ao estimular a tolerância durante os procedimentos também motivamos o paciente, o que pode levar a uma significativa melhora na realização dos tratamentos”, observa o especialista.

Tecnologia a serviço do bem estar

Ao oferecer um sistema de Realidade Virtual com foco no bem estar, a RCS dá um importante salto qualitativo para o setor médico-hospitalar. “Trabalhamos focados na experiência do usuário e também na redução de custos para os hospitais e clínicas. Desta forma, é possível otimizar resultados e, efetivamente, colocar a tecnologia a serviço do bem estar”, enfatiza Cabral.

Especializada em inovação e tecnologia a RCS está em constante busca de soluções que facilitam o fluxo de trabalho, reduzem desperdício, geram ganham financeiros e ainda melhoram muito a experiência e a percepção dos usuários do sistema de saúde. “Oferecemos o serviço de disponibilização de tecnologia (hardware e software) justamente para aprimorar o atendimento e a experiência dos pacientes de forma descomplicada e muito prática.”, enfatiza Cabral.

Realidade Virtual

O VR Med utiliza óculos de Realidade Virtual durante os mais diversos procedimentos (aplicação de remédios, tratamento, internação, etc). Tudo de forma a “distrair” o paciente no ambiente hospitalar. Seja ele adulto ou criança.

Versátil, a solução permite aplicar a tecnologia em favor da humanização do atendimento. Com isso, o perfil do usuário é considerado de modo a customizar aquilo que será apresentado nos óculos. Para um amante de motos, por exemplo, é possível apresentar conteúdo de motocicletas. Para uma criança, animação infantil, por exemplo.

Já em operação em vários hospitais de Minas Gerais, a solução proporciona ainda um novo canal de comunicação direta dos estabelecimentos com seu público-alvo. “Em tempos de customização e informações on demand, essa é uma ferramenta altamente estratégica para levar conteúdo de qualidade diretamente ao target de cada estabelecimento”, observa o diretor, que explica ainda que a meta da empresa é ampliar o escopo de atuação para unidades de saúde em todo o Brasil. “Estamos em processo de expansão e nossa meta é fazer com que o sistema VRMed vire referência em todo o segmento”, finaliza.

Sobre a RCS

Em operação desde 2013, a RCS (Rede de Cuidados de Saúde) – www.rcs.med.br é composta por profissionais experientes na área de gestão de serviços de saúde. Jovem e inovadora, com uma concepção atemporal, a empresa busca o desenvolvimento de soluções customizadas para os serviços de saúde. Reconhecida pela expertise em gestão da saúde com o conceito hands on, a RCS lança mão da tecnologia a serviço da qualidade e humanização dentro dos ambientes de saúde, sempre zelando pelo respeito, confiança e credibilidade.

ANVISA aprova a comercialização do teste de Mayaro vírus

Mayaro virus

A EUROIMMUN Brasil, empresa alemã referência em soluções para diagnóstico, anuncia a aprovação da ANVISA para comercializar o teste de Mayaro vírus no Brasil. O kit - desenvolvido a partir do método ELISA - determina a presença de anticorpos humanos da imunoglobulina da classe IgG ou IgM contra o vírus Mayaro no soro ou plasma humano, para o suporte do diagnóstico por infecção desse vírus.

A disseminação de novas arboviroses, como o vírus Mayaro, causador da Febre do Mayaro (que provoca dores musculares e articulares similares à dengue), ocorre, principalmente, durante o verão e períodos de chuvas intensas. Por isso, é importante que a população fique atenta e procure se diagnosticar em caso de suspeita. “A aprovação da ANVISA é muito relevante, pois vamos poder iniciar a comercialização deste teste justamente num período de maior incidência de arboviroses”, ressalta Gustavo Janaudis, diretor-executivo da EUROIMMUN Brasil.

Conforme dados divulgados pelo Ministério da Saúde, esse vírus já estava ativo no Brasil em 2014. Entre dezembro de 2014 e janeiro de 2016 (semana epidemiológica 01), foram registrados 343 casos humanos suspeitos de doença.

Os casos foram identificados em onze estados distribuídos nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com destaque para o estado de Goiás com a maior frequência 183 (53,3%), seguido do Pará com 68 (19,8%) e Tocantins, com 25 (7,2%) casos suspeitos. Entre os casos notificados, 70 (20,4%) foram confirmados, 29 (8,4%) foram descartados e 244 (71,3%) permanecem em investigação, aguardando os resultados laboratoriais.

O teste da EUROIMMUN, pioneira no diagnóstico de arbovirose, apresenta alta sensibilidade de especificidade e poços revestidos com proteína estrutural recombinante produzida na EUROIMMUN. É ideal para triagem, confirmação e controle de surtos e é compatível com máquinas de automação para diagnóstico

Indigo inicia o ano avançando no segmento hospitalar

Folder-Hospitais-v-31072015

A Indigo, líder mundial em gestão de estacionamentos e mobilidade individual, continua investindo para ampliar sua presença no segmento hospitalar. A empresa iniciou a operação do estacionamento do Conjunto Hospitalar Sorocaba (CHS), localizado no interior de São Paulo, e do Hospital Banco de Olhos (HBO), em Porto Alegre (RS). Essas conquistas totalizam mais de 1.000 vagas e 20 novos empregos diretos na companhia.

Fundado em 1969, o CHS atende mais de 48 municípios do sudoeste paulista. É referência para atendimentos de hemodiálise, traumatologia, neurocirurgia, tratamento de queimados, urgência e emergência de alta complexidade. No complexo são atendidos cerca de 16 mil pacientes por mês. É o único hospital com neurocirurgião de plantão presencial em toda a macrorregião de Sorocaba.

O HBO teve sua fundação em 1956 e faz parte do Grupo Verzeri. A instituição conta com um dos melhores centros de cirurgia refrativa do País. O centro cirúrgico, recentemente reformado, constitui-se de uma instalação moderníssima, fato que dá segurança aos pacientes, médicos e enfermeiros. O hospital conta na sua estrutura com quase 500 colaboradores.

Especialmente no segmento hospitalar, a Indigo atua em alguns dos principais centros de saúde do Brasil, como o Hospital Israelita Albert Einstein e o Hospital Sírio-Libanês, além de outros grandes complexos hospitalares cujos estacionamentos contam com a administração da empresa. No total, são quase 40 hospitais com mais 9 mil vagas gerenciadas.

“Começamos 2019 com força total e investindo em um segmento muito importante para nossa empresa. Alcançaremos na área da saúde a mesma liderança que construímos no mercado de Shopping Centers, utilizando tecnologia para qualificar o atendimento aos clientes, proporcionar melhor experiência ao usuário e melhorar o resultado dos hospitais em que atuamos.” afirma Roque Perachi, diretor Comercial da Indigo no Brasil.

Atualmente, a empresa faz a gestão de mais de 200 estacionamentos em 22 Estados e no Distrito Federal, proporcionando mais de 3 mil empregos diretos.

Evidenciando a importância desse segmento, entre os dias 21 e 24 de fevereiro, a Indigo participará, na qualidade de patrocinadora, do Saúde Business Fórum (SBF), que será realizado na Bahia e contará com os principais executivos do setor no Brasil e de toda América Latina.

A Telemedicina veio para transformar

Francisco-Vignoli-1024x683

No mundo atual estamos vivendo a ultramudança nas formas de interação social – o contato virtual, através das mídias digitais. Seria impossível que essas mudanças, com o paralelismo de novas tecnologias, não envolvessem de forma intensa as áreas médicas. É importante salientar que a medicina não é uma ciência, mas um conjunto de ciências. Desta forma, todas as ciências têm na medicina uma gigantesca empatia.Perfeita para a adesão de novas tecnologias e formas de comunicação ou ambas associadas. A Telemedicina é isso.

A Telemedicina é um conjunto de serviços médicos à distância - consultas, resultados de exame, orientações, aconselhamentos e até mesmo procedimentos medico-cirúrgicos feitos ou orientados à distância.

Possibilidades fantásticas já existem e, novas estão em desenvolvimento, não antes de causar surpresas e multilateralismo de opiniões, como tudo que é inovador. É importante observar que os conselhos de medicina já estudam a matéria há tempos. No Brasil e no mundo já existem inovadores e audaciosos serviços de telemedicina sob várias formas ou nomes.

Eu, particularmente, tenho carinho pela expressão “cuidado digital”, ela denota a razão da medicina que é cuidar. As expressões “Telemedicina” ou “atendimento médico virtual” me causam a impressão de algo impessoal, algo que pode ser facilmente realizado por uma Unidade de Resposta Audível (URA), me encanta a certeza que há do outro lado de uma tela, por exemplo, pessoas cuidando de pessoas. Neste novo universo de serviços, eu gosto da ideia de continuar a ser e atender clientes.

O uso de software, inteligência artificial, machine Learning, BI…já estão atuando intensamente na nova relação médica, trata-se de uma realidade inquestionável. Qual médico já não foi abordado pelo whatsapp, por exemplo? Transitar informações, transformá-las em instrumentos de comunicação em benefício da saúde de populações é fantástico!

A era do cuidado digital é uma boa oportunidade para controlar e/ou validar custos médicos desnecessários. Os recursos financeiros do Estado e das empresas são limitados e boas práticas da economia da Saúde devem ser implementadas. Quem nunca ouviu falar da inflação médica?

Hoje, as empresas financiadoras da saúde suplementar pagam pelos planos dos funcionários e devem estar cientes da forma com que seus custos em saúde são utilizados. O conhecimento é fundamental para operar de forma eficiente seus orçamentos. O desperdício compromete de forma drástica o resultado dessas organizações. Por isso, oferecer saúde é legal e necessário, mas suspender a assistência médica por quebra da capacidade de financiamento é cruel para todos os envolvidos.

É uma economia assimétrica, onde as partes jogam para seu interesse sendo impossível manter o equilíbrio. As práticas de saúde digital, incluindo a telemedicina, podem ser usadas para dar transparência, velocidade e agilidades às informações para tomada de decisões. Estamos falando que existe uma cadeia de serviços médicos que deve ser conhecida profundamente pelas empresas e administrada de acordo com as necessidades de forma que sejam evitados desperdícios, atualmente em torno de 40%.

Essa é uma questão de logística de informação da saúde que esta em jogo. O objetivo é, por meio do uso de tecnologias e serviços, colocar a empresa que contrata os planos de saúde no centro da operação. Tirá-la do papel de simples pagadora para o papel de “gestora” de todo o processo.Todas as empresas conhecem bem suas necessidades logísticas, por que não conhecer melhor a cadeia de serviços médicos? Não é simples, nem fácil, mas é totalmente possível.

Um dos modelos é a implantação de Centrais de Saúde, Hubs de informação que administrem a saúde do grupo assistido, sempre protegendo o sigilo médico e observando a demanda, as necessidades e a qualidade dos serviços, tudo isso de forma remota, à distância - telegerenciamento.

Quem tem informação real e imediata, passa a ter capacidade de planejamento que chamamos de logística de informações da Saúde.

Bom, para finalizar, lembro que a palavra TELE sempre está associada à grandes mudanças, por ser substantivo feminino, merece mais atenção. A SAÚDE DIGITAL, assim como a TELEMEDICINA, vieram para transformar e para ficar!

Teleabraços!

Sobre o Autor:

Francisco Vignoli, MD, Carelink, empresa especializada na logística de informação de saúde.

Pró-Saúde anuncia Semana de Farmácia Hospitalar

farmaceutico-responsavel

A prescrição, uso e administração de medicamentos em pacientes serão destaques durante a 1ª Semana de Farmácia Hospitalar, promovida pela Pró-Saúde, entre os dias 21 e 25 de janeiro, nas unidades de saúde gerenciadas no Brasil, onde são realizados mais de 1 milhão de atendimentos todos os meses.

O tema foi escolhido a partir do Desafio Global de Segurança do Paciente, lançado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em março de 2017, que projeta reduzir pela metade os danos evitáveis associados a medicamentos, em um período de cinco anos. Para isso, a OMS instituiu como meta “Melhorar a segurança na prescrição, no uso e na administração dos medicamentos”.

“Para alcançarmos esse objetivo, vamos aprimorar os processos de atendimento, com a inclusão de novas diretrizes de assistência ao paciente em que os profissionais da Farmácia assumam um papel estratégico nesse contexto”, explicou o diretor Médico Corporativo da Pró-Saúde, Fernando Paragó. A escolha da data, segundo ele, marca o Dia Nacional do Farmacêutico (20/1).

Ele destacou a importância da atuação integrada envolvendo toda equipe que realiza o atendimento direto ao paciente — médicos, enfermeiros e farmacêuticos. “Temos de empoderar os pacientes”, acrescentou o diretor. “Eles precisam entender como os medicamentos prescritos pelo médico vão ajudá-los na recuperação. Precisam compreender as reações e os riscos que o uso indevido da medicação provoca e o farmacêutico é o profissional qualificado para transmitir este conhecimento”, disse Paragó.

De acordo com a OMS, os incidentes envolvendo medicamentos afetam, aproximadamente, 1,3 milhão de pessoas todos os anos, apenas nos Estados Unidos, País onde essas ocorrências são monitoradas constantemente. Estima-se que, em nações de baixa renda, os registros de incidentes envolvendo medicamentos sejam o dobro. O cálculo do custo associado a esses incidentes pode alcançar, segundo a OMS, 42 bilhões de dólares por ano no mundo.

Consultórios farmacêuticos

Uma das propostas que vão ser debatidas na 1ª Semana de Farmácia Hospitalar da Pró-Saúde será a instituição do conceito de consultórios farmacêuticos nas unidades gerenciadas — consolidando o envolvimento dos profissionais da Farmácia nas ações de assistência.

Durante o evento, a Pró-Saúde vai compartilhar ações de gestão que resultaram em melhorias significativas nos hospitais. “A ideia é destacar o potencial da Farmácia Hospitalar como um dos pilares no tratamento e na reabilitação dos pacientes”, destacou a gerente Corporativa de Atenção Farmacêutica da Pró-Saúde, Letícia Teles da Silva.

No primeiro dia, explicou Letícia, a programação será padrão para todas as unidades. Nas demais datas, cada hospital terá autonomia para desenvolver suas próprias ações. “Essa estratégia respeita as questões locais, na medida em que o estágio de aprimoramento dos serviços de Farmácia Hospitalar varia de hospital para hospital”, observou Letícia. Ela acrescentou que a Semana de Farmácia Hospitalar passou a fazer parte do calendário oficial de atividades da instituição.

As ações implantadas pela Pró-Saúde — uma das maiores gestoras de serviços hospitalares do País — exercem impacto considerável. Hoje, as unidades sob sua gestão realizam mais de 1,1 milhão de atendimentos por mês. Só no Estado do Pará, dez hospitais sob gestão da instituição prestam assistência à população. Atualmente, mais de 500 colaboradores atuam na área da Farmácia Hospitalar em todas as unidades gerenciadas pela Pró-Saúde — são farmacêuticos, técnicos e assistentes.

“É importante destacar que, na Pró-Saúde, nosso esforço vai muito além do cumprimento do plano de trabalho definido pelo nosso contratante. Atuamos sempre na busca por soluções inovadoras, no sentido de melhorar a eficiência e a qualidade dos serviços que ofereceremos aos pacientes. A saúde, especialmente no serviço público, é uma missão para todos nós”, observou Paragó.

Ele também destacou o trabalho permanente de atualização e aperfeiçoamento aplicado aos colaboradores em diversas áreas. “Trabalhamos com inteligência e essa condição exige conhecimento profissional atualizado”, acrescentou o diretor Médico Corporativo.

Saúde aposta em gestão para crescer

Frota 1

O investimento em saúde no Brasil não para de crescer. De acordo com IBGE, 9% do PIB nacional  é aplicado nesse segmento. O aumento exponencial já torna o país o oitavo maior mercado do mundo.

De acordo com o estudo  "2018 Global Health Care Outlook: The evolution of Smart Health", os gastos globais com cuidados com a saúde devem aumentar a uma taxa anual de 4,1% até 2021.

Espera-se que até 2020 as despesas com saúde nas principais regiões do mundo deverão chegar a US$8,7 trilhões. Para compensar a redução de margens, muitas organizações buscam novas medidas de redução de custos e exploram novas fontes de receita.

“A terceirização de serviços, como a unitarização de medicamentos, dentro dos hospitais, é um exemplo de como a cadeia de saúde pode priorizar o paciente neste processo, facilitando o trabalho dos profissionais da saúde para que eles se preocupem apenas com o paciente”, afirma a Karene Vilela, diretora de Marketing da empresa RV Ímola, que apoia o evento.

Questões como estas, além da discussão sobre a experiência e o engajamento do paciente no quesito saúde, serão discutidas noSaúde Business Fórum, de 21 a 24 de fevereiro, no Hotel Transamérica, na ilha de Comandatuba, Bahia.

Nova sede do Instituto de Olhos Villas

thumbnail_AmauryGuerreo, IlaraGuerra e marceloNascimento
Amaury Guerrero, CEO do Grupo Opty, com os sócios do IOV, os doutores Ilara Guerra e Marcelo Nascimento

Na noite da última terça-feira, dia 12, foi realizada a inauguração da nova sede do Instituto de Olhos Villas no município de Lauro de Freitas.“Essa unidade do Grupo Opty veio para oferecer o que há de mais moderno no segmento de oftalmologia para o município de Lauro de Freitas e demais municípios próximos, como Camaçari e Simões Filho”, enfatiza Amaury Guerrero, CEO do Grupo Opty, que esteve na Bahia para participar do evento.

O Instituto de Olhos Villas expande o padrão de excelência adotado desde sua fundação, há 10 anos, com novas especialidades nas diversas áreas da oftalmologia, realizando um atendimento humanizado e personalizado, apoiado pela estrutura de um moderno centro de diagnóstico. Nessa unidade será possível realizar novos exames, como Tomografia de Coerência Óptica (OCT), por exemplo, fundamental para uma série de diagnósticos, desde afecções na retina a glaucoma. “Estamos atentos ao crescimento da região metropolitana de Salvador e queremos oferecer aos nossos pacientes o que há de melhor na saúde dos olhos, tanto na prevenção, como no diagnóstico e tratamento”, complementa Marcello Palermo, diretor regional do Grupo Opty.

A nova sede conta com seis consultórios, salas de pré-exames e de exames, espaço kids e estacionamento com serviço de manobrista sem custo adicional. Fica localizada na Avenida Praia de Itapuã, região principal de Vilas do Atlântico, e atende convênios e particular, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h e aos sábados das 8h às 12h. Na Bahia, além do Instituto de Olhos Villas, fazem parte do Grupo Opty o Instituto de Olhos Freitas e o DayHORC.

O evento – Além do CEO do Grupo Opty, maior grupo de oftalmologia da América Latina, compareceram à inauguração o diretor Comercial e de Marketing, Cesar Cunha; o diretor regional, Marcello Palermo; e os sócios da unidade Dra. Ilara Guerra e Dr. Marcelo Nascimento.

O evento também contou com as presenças do Presidente da AHSEB (Associação de Hospitais e Serviços de Saúde do Estado da Bahia), Mauro Adam, acompanhado da superintendente da Associação, Maísa Domenech, além do secretário da Fazenda de Lauro de Freitas, Luiz Antonio de Souza, entre outros convidados, como representantes de convênios, fornecedores, parceiros, corpo clínico e médicos da região.

Primeira incubadora hospitalar de startups completa um ano com planos de expansão em 2019

Após nascer com o objetivo de promover inovação em saúde e reforçar a busca por excelência do complexo de atendimento da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, a incubadora de startups Eretz.bio completou um ano de atuação em dezembro de 2018, preparada para dar novos e importantes passos. Atualmente com 22 iniciativas tecnológicas em seu portfólio, o projeto prevê ampliar as atividades – e o número de empreendimentos medicinais incubados – ainda este ano. 

Localizada em São Paulo, a Eretz.bio tem trabalhos desenvolvidos de forma presencial e virtual e conta com espaços de coworking, laboratórios do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa (IIEP) e acesso às unidades do Einstein. A versão 2.0 do projeto deve ser inaugurada nos próximos meses na unidade Morumbi do hospital, dessa vez com foco em biotecnologia, com um diálogo internacional mais acentuado e com previsão de "spin-offs", novas iniciativas que sejam desenvolvidas a partir de pesquisas e desenvolvimentos concebidos na própria incubadora.

"A expansão da Eretz.bio será capaz de estreitar o relacionamento entre as startups com o próprio hospital, Medicina Diagnóstica, Instituto de Pesquisa e Unidades de Ensino, como as Faculdades de Medicina e Enfermagem, permitindo um fluxo de trabalho e colaboração cada vez melhor", afirma o presidente da Sociedade Beneficente Israelita, Dr. Sidney Klajner. O centro de saúde, de mais de 60 anos de história, conta com 13,2 mil colaboradores, 9,4 mil médicos e se consolida na pesquisa e inovação médica ao apostar em desafios pioneiros no país.

A criação da incubadora foi realizada pensando no envolvimento de toda a cadeia da saúde, do paciente aos órgãos reguladores e da indústria. Para isso, foram mais de 100 eventos, workshops e palestras realizados, incluindo o "Encontro Internacional de Empreendedorismo e Inovação em Saúde", atualmente o maior de seu gênero no país. A Eretz.bio faz parte do programa global de aceleração de startups Plug and Play Cleveland Innovation Platform, que reúne iniciativas de ponta em tecnologia para a saúde.

“Em 2019 estaremos fortalecendo o caráter internacional do processo de apoio ao empreendedorismo em saúde com a contínua parceria com a Plug n Play, incluindo a atração de startups estrangeiras e auxílio para aquelas startups nacionais em estágio mais avançado no processo de expansão global”, conclui Claudio Terra, Diretor-Executivo de Inovação e Gestão do Conhecimento do Einstein.

Cia da consulta recebe investimento de R$ 33 milhões para expansão em 2019

confianca_medico_paciente

A Cia da consulta, conhecida pelos serviços de alta qualidade com preços abaixo da tabela, prevê investimento de R$ 33 milhões em 2019. A última rodada de investimentos, que aconteceu no último trimestre do ano passado, terá o aporte financeiro destinado às infraestruturas das unidades, ampliação de serviços de exames e procedimentos, além da capacitação dos colaboradores para garantir a qualidade de atendimento aos pacientes.  

Com projeto para a otimização da logística de exames e procedimentos, os recursos serão alocados para que os pacientes tenham acesso ainda mais rápido e eficaz aos serviços.  Para o CEO da Cia da consulta, Victor Fiss, ampliar o acesso à saúde de qualidade é a principal intenção do negócio. “Pretendemos crescer em sete vezes o faturamento até o final deste ano. Nossa missão é democratizar a saúde e ser uma empresa sustentável, mantendo sempre a preocupação em expandir o negócio sem comprometer a qualidade do serviço oferecidos aos pacientes”, pontuou o executivo.  

Em fevereiro de 2019 foi inaugurada sua quinta unidade no Shopping Metrô Tatuapé, com previsão de abertura de mais dez unidades até o final do ano na capital paulista. Contando com unidades jovens, foram investidos R$ 10 milhões em 2018 nas clínicas localizadas em Moema, Faria Lima, Santa Cruz e Praça da República – sendo esta última a mais antiga dentre elas, contando com 10 meses de operação.  

A Cia da consulta oferece consultas em mais de 35 especialidades – como clínica médica, ginecologia, cardiologia, cirurgia geral, pneumologia, entre outras – e realiza exames laboratoriais e de imagem. A rede de clínicas possui também parcerias com outros nomes importantes da área da saúde, dentre eles o Hospital Alemão Oswaldo Cruz - um dos maiores complexos hospitalares privados do país e da América Latina, para a realização de cirurgias solicitadas pelos médicos.