faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

AGSSO: gripe é risco à segurança do trabalho

SÃO PAULO, 26 de abril de 2016 /PRNewswire/ -- Um principais fatores de absenteísmo do trabalho, a gripe também compromete a segurança ocupacional. Mesmo um ataque leve pode reduzir a rapidez de reação de uma pessoa em 20%-40%, com sérias implicações para a segurança ocupacional. Ou seja, manter pessoas resfriadas ou gripadas trabalhando pode elevar os riscos de acidentes de trabalho. 

"É importante que as empresas usem o mapeamento de risco das funções para monitorar os colaboradores dessas áreas que contraem gripes ou resfriados. Nestes casos, o respeito ao prazo para o pleno restabelecimento da saúde deve ser visto como um item de segurança do trabalho", recomenda Januário Micelli, presidente da AGSSO- Associação de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional.

De maneira geral, a gripe é responsável por 10% das faltas. Estudos mostram que durante o ciclo da doença, o absenteísmo se eleva, indo de 0,79 a 4,9 dias de trabalho. Pesquisas indicam que custos indiretos podem chegar a US$ 15 bilhões por ano. A perda de produtividade causada pela morbidade e pela mortalidade da gripe é estimada em US$ 498 / dia no Brasil. Mesmo aqueles que contraem doenças semelhantes à gripe e permanecem em atividade ou retornam ao trabalho antes de seu pleno restabelecimento têm produtividade mais baixa.  

"Não deixar de trabalhar quando se está resfriado ou gripado e retomar as funções antes do término do ciclo da doença são práticas que devem ser combatidas", destaca Januário Micelli.  "Além de produzirem menos, esses profissionais elevam o risco de disseminação da doença para seus colegas", lembra.

O recente surto do vírus H1N1 está elevando a busca pela vacina. "A Organização Mundial de Saúde recomenda a vacinação preventiva, especialmente de pessoas em situação de risco ou maior fragilidade. Pois bem: trabalhadores que desempenham suas funções em locais fechados, com ar condicionado e, portanto, ventilação restrita, estão claramente no grupo de risco", alerta Paulo Zaia, diretor da AGSSO. "Por isso, a vacinação preventiva não pode ficar de fora do calendário e do orçamento das empresas", conclui.

Mas há outras medidas que também devem ser adotadas. "Seja em casa ou no trabalho, as pessoas devem manter os ambientes arejados, lavar sempre as mãos ou higienizá-las com álcool gel e usar lenços descartáveis para espirrar ou tossir", recomenda Zaia. "No caso de empresas com restaurantes industriais, é importante reforçar, no cardápio, a presença de alimentos com vitamina C, como sucos naturais e frutas na sobremesa", destaca.

Contato:
(11) 4625-0605
www.agsso.org.br

FONTE AGSSO - Associação de Gestão de Segurança e Saúde Ocupacional

Torrent do Brasil promove campanha digital com super-heróis para combater a hipertensão

SÃO PAULO, 26 de abril de 2016 /PRNewswire/ -- A Torrent do Brasil usará a linguagem dos desenhos animados de super-heróis para divulgar, através da mídia digital, (https://www.facebook.com/torrentbrasil) sua campanha de combate à hipertensão, vinculada às atividades do Dia Nacional do Combate à Hipertensão, comemorado hoje, em 26 de abril.  Através de alguns personagens e de forma divertida, serão feitos alertas para os riscos da má alimentação, a importância das visitas ao médico e a busca de uma vida mais saudável e equilibrada. O objetivo da campanha, segundo Waldemar Júnior, gerente de produtos da Linha Cardiologia & Diabetes da Torrent, é tratar a prevenção à Hipertensão como uma verdadeira guerra que precisa de constante atenção para ser vencida. Afinal, a Hipertensão é uma das maiores fontes de problemas cardiovasculares e hoje atinge 48 milhões de brasileiros de todas as faixas etárias, metade dos quais nem sabe que é hipertenso. "Queremos utilizar a força das redes sociais para lembrar a importância do diagnóstico e tratamento precoce dessa doença tão perigosa e que ataca silenciosamente". A campanha da Torrent do Brasil conta com o apoio da Sociedade Brasileira de Cardiologia.

Ação junto ao público interno - No dia oficial do Combate à Hipertensão a Torrent fará também uma ação de endomarketing das 9 às 18 horas nas suas duas unidades localizadas no Morumbi e em Barueri, quando enfermeiros realizarão testes de glicemia e colesterol nos funcionários no decorrer do dia e uma nutricionista dará orientações e dicas sobre alimentação e estilo de vida. Além disso, cardiologistas darão aulas médicas falando dos perigos e consequências da hipertensão. www.torrent.com.br

Informações à imprensa com Marilda de Carvalho Martins
Fones: 11 – 5041-3074/9-9978-2900

FONTE Torrent do Brasil

Real Hospital Português triplica capacidade de atendimento com sistemas integrados de gestão hospitalar

shutterstock_114106825

Para otimizar o fluxo e os processos de trabalho, integrar plenamente todos os setores e otimizar o atendimento ao paciente, o Real Hospital Português adotou o SmartHealth, sistema de gestão hospitalar da Pixeon. Com 800 leitos, oito UTIs e quatro blocos cirúrgicos, o Hospital necessitava de uma solução capaz de gerenciar e interligar todas as etapas do atendimento. A solução da Pixeon otimizou o fluxo de toda a instituição, triplicando a capacidade de atendimento da emergência geral desde a instalação do sistema HIS.

A emergência, porta de entrada da maior parte dos pacientes da instituição, ganhou maior eficiência com o gerenciamento do sistema, o que facilita no momento de realizar procedimentos emergenciais. “A capacidade de atender mais pessoas com maior qualidade, eficiência e menor tempo só foi possível com o uso do sistema”, explica Ademir Novais, Gerente de TI do Real Hospital Português.

Além de centenas de leitos ativos, com uma taxa de ocupação que gira em torno de 80%, o Real Hospital Português possui 5 mil colaboradores, faz mais de 20 mil atendimentos e realiza 220 mil exames laboratoriais e 24 mil exames de imagem, e atingiu, no último ano, mais de três milhões de atendimentos no total via HIS. As informações que um hospital deste porte gera são variadas e complexas, e podem ser fonte de big data para diversos índices da instituição.

Com este perfil, o principal benefício que o hospital pode ter com o uso do SmartHealth é simplificar os dados e a quantidade de informações, tornando sua leitura mais acessível, coerente e eficaz. “Não seria viável gerir um hospital deste porte sem uma ferramenta que ajudasse a tomar decisões estratégicas na operação”, diz o vice-provedor Alberto Ferreira da Costa Junior. O HIS entrega relatórios e indicadores que auxiliam no planejamento estratégico e na criação de planos para cada um dos serviços oferecidos pelo hospital.

Além de facilitar a medição de indicadores, o HIS auxilia na eficiência operacional. Sua interface é de fácil manuseio e perpassa os mais diferentes setores do hospital, tais como: laboratório, exames de imagem, UTI e centro cirúrgico. Todos eles têm uma interface única para trocar informações e fazer, por exemplo, um controle em tempo real de prescrição de medicação, liberação da farmácia, chegada da medicação e aplicação no paciente.

O monitoramento integrado, completo e em tempo real destas atividades beneficia o paciente em vários âmbitos. Ele não só vai ser atendido mais rapidamente, devido ao controle integrado do fluxo de trabalho do hospital, como também terá maior segurança e tranquilidade, pois seus dados estão melhor ordenados em seu prontuário, que agora é eletrônico (PEP). Com o PEP, a tomada de decisão do médico é mais bem embasada pelo fato do profissional ter acesso integral as informações do histórico do paciente.

A redução de glosa é outro benefício que o sistema proporciona para a instituição. Com a solução, cerca de 1,6 mil computadores estão interligados ao HIS para gerar prontuários eletrônicos, o que facilita a comunicação com planos de saúde, auxilia na troca de informações e garante o preenchimento completo de informações que os convênios precisam para pagar ao hospital, tornando o faturamento mais eficiente.

Com mais de 160 anos de história, o hospital possui um serviço consolidado na região nordeste do país e opta por unir tradicionalismo e avanços tecnológicos. “Evoluímos muito e a passos largos em tecnologia, crescemos exponencialmente a capacidade de atendimento do hospital, sempre nos inspirando e procurando nos igualar aos melhores do mundo. Novas tecnologias, extremamente importantes para a área da saúde, são lançadas quase que diariamente, e é necessário ao hospital acompanhar a inovação destes últimos anos”, diz Alberto Ferreira da Costa, provedor do Real Hospital Português.

“Temos 900 médicos utilizando o sistema e sabemos que os profissionais têm consciência do aumento da produtividade conforme aprendem a utilizar melhor o sistema. É um processo continuo de crescimento de uso que gera maior eficiência”, salienta o vice-provedor Alberto Junior, que também mostra a satisfação do Real Hospital Português com a parceria realizada desde a implantação do sistema. “Buscamos trabalhar com bons parceiros, com vasta experiência no setor, para cada situação e cada tipo de trabalho que o hospital realiza. Estamos muito satisfeitos e a parceria com a Pixeon tende a gerar outros bons frutos”, finaliza.

Sobre a Pixeon (www.pixeon.com.br)

A Pixeon é uma das maiores desenvolvedoras brasileiras de soluções hospitalares, de medicina diagnóstica e laboratorial, responsável pelos sistemas HIS, PACS, RIS e LIS, utilizados em hospitais, clínicas, centros de diagnóstico e laboratórios, em todo o país. A empresa possui unidades em Florianópolis (SC),  São Bernardo do Campo (SP) e Salvador (BA), com escritórios distribuídos pelo Brasil. No total, mais de 1500 clientes utilizam os sistemas da Pixeon. De forma integrada, a empresa oferece uma solução completa, nacional e adaptada à realidade de estabelecimentos de saúde de todos os portes.

Grupo Equipamed concretiza posição de maior fornecedor de equipamentos

Freestyle

O Grupo Equipamed é uma das principais referências nacionais em importação e distribuição de equipamentos médicos e hospitalares. Fundada em 1979, a empresa oferece itens nesse segmento desde 1997, quando passou a distribuir os produtos da suíça Medela – maior fabricante de equipamentos de aleitamento no mundo – ao País.

Além de oferecer com exclusividade no Brasil os equipamentos de aleitamento da Medela, a Equipamed trabalha com uma marca de fabricação própria, a Alleite, que fornece produtos não cobertos pela linha da companhia suíça.

A empresa oferece cinco grupos de soluções da Medela: extração e coleta hospitalar, extração individual, armazenagem, alimentadores e produtos de cuidados com os seios. Nesses grupos estão itens que variam desde extratores elétricos para uso de longo prazo, que imitam o processo de sucção do bebê para estimular o reflexo de ejeção de leite, até bombas portáteis, alimentadores para bebês com dificuldade de sucção e cremes para hidratação dos mamilos.

Com a Alleite, a Equipamed complementa o portfólio de produtos para aleitamento materno. São comercializados copos dosadores e produtos pré e pós-gestação, como conchas rígidas para preparação dos mamilos, conchas corretivas e para proteção.

Cemig Saúde implementa solução da TOTVS e economiza R$ 80 mil

shutterstock_130139699

A Cemig Saúde, entidade de autogestão criada exclusivamente para operar o Prosaúde Integrado da Cemig (PSI) - plano restrito aos empregados da Cemig e algumas de suas coligadas -, adotou novas funcionalidades do TOTVS Guia Saúde powered by Mobile Saúde. O objetivo era substituir o documento de identificação do beneficiário impresso em PVC pelo cartão virtual, mais econômico e sustentável. Com a ferramenta, a entidade economizou mais de R$ 80 mil no primeiro mês.

As carteirinhas dos funcionários da Cemig precisavam ser trocadas devido ao seu prazo de validade e à necessidade de atualizar ou incluir novos dados para atender às exigências da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), como por exemplo, o número do Cadastro Nacional de Saúde (CNS). Essas trocas constantes representam um alto custo para qualquer plano de saúde e também para os beneficiários.

Para se ter uma ideia, em dezembro de 2015 venceram cerca de 50 mil carteirinhas dos usuários da Cemig Saúde e todas elas teriam de ser substituídas por novos cartões de PVC. Para reduzir esse impacto financeiro, a entidade adotou a funcionalidade de cartão virtual do TOTVS Guia Saúde e economizou 80% do que investiria na troca dessas carteirinhas.

“Fomos uma das primeiras operadoras a adotar a versão digital do documento. Essa inovação, além de uma enorme redução de custos, nos permitiu eliminar a agressão ao meio ambiente com o descarte dos cartões de plásticos vencidos. Além disso, agora, conseguimos atualizar as informações de forma ágil e atender, assim, a todas as exigências da ANS”, afirma Virgínia Santos Oliveira, Assessora de Comunicação da Cemig Saúde.

A entidade já usava o TOTVS Guia Saúde powered by Mobile Saúde para divulgar sua rede conveniadas para os beneficiários, bem como informações cadastrais detalhadas, horários de atendimento e especialidades atendidas . Até a adoção da nova funcionalidade, a solução tinha apenas cerca de 1.500 downloads. Em pouco mais de um mês após o lançamento da carteirinha virtual já haviam sido realizados mais de cinco mil downloads do aplicativo. Essa explosão no número de usuários demonstra o sucesso da nova carteirinha.

“O TOTVS Guia Saúde simplifica a divulgação da rede credenciada aos beneficiários nos meios digitais e suporta cartões de planos de saúde, evitando roubos e reduzindo os custos das operadoras. O objetivo é ajudá-las a oferecer um atendimento diferenciado, por meio da agilidade de atualização das informações e a centralização dos dados em um único local, que pode ser acessado em qualquer lugar e a qualquer hora por meio de dispositivos móveis”, informa Marcelo Souccar, Head do segmento de Saúde da TOTVS.

Atualmente, mais de 1,2 milhão de vidas possuem acesso à ferramenta e realizam mais de meio milhão de buscas mensais.

Ética Saúde é apresentado na Fehosp

Ética Saúde é apresentado na Fehosp

A diretoria-executiva do Instituto Ética, Claudia Scarpim, esteve na terça passada, 19 de abril, na sede da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes do Estado de São Paulo - Fehosp, que congrega mais de 400 instituições. Ela foi recebida pelo diretor-presidente da Fehosp, Edson Rogatti, pelo assessor de Qualidade e Relações Institucionais, José Américo Borges, e estava acompanhada do assessor de imprensa do Ética Saúde, José Luchetti.

Claudia Scarpim fez uma ampla apresentação do Ética Saúde em um encontro que durou mais de uma hora e convidou a Federação para fazer parte do Conselho Consultivo do Instituto. Edson Rogatti e José Américo Borges ficaram bastante interessados e ofícios foram encaminhados no dia seguinte, 20 de abril, formalizando a proposta de ingresso.

Além do convite à Fehosp para integrar o Conselho Consultivo do Instituto Ética Saúde, ofício também foi encaminhado à Confederação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas - CMB, com sede em Brasília, já Edson Rogatti acumula também a presidência da CMB.

Prevenção da neutropenia evita suspender quimioterapia

quimio

A Teva, uma das maiores empresas globais no setor farmacêutico com longa tradição em pesquisa e desenvolvimento, traz ao mercado brasileiro um novo medicamento para prevenir a neutropenia1 – que se caracteriza pela redução dos níveis dos glóbulos brancos e, por consequência, diminuição da imunidade.

Essa nova substância é denominada lipegfilgrastim e pode prevenir a ocorrência da neutropenia em pacientes oncológicos em tratamento quimioterápico, evitando a redução de dose ou a interrupção da quimioterapia. O lipegfilgrastim, comercializado no Brasil com o nome de Lonquex, é uma terapia avançada, que evita a necessidade de múltiplas injeções diárias, prevenindo a ocorrência de neutropenia com apenas uma injeção por ciclo de quimioterapia.

A neutropenia é um evento adverso frequente no tratamento do câncer, e uma vez instaurada pode retardar a quimioterapia, prejudicando a continuidade do tratamento. Quase metade dos pacientes com tumores sólidos que passaram pelo menos por um ciclo de quimioterapia pode apresentar um episódio da doença. O Instituto Nacional do Câncer (INCA)2 estima que, no biênio 2016-2017, sejam registrados cerca de 600 mil novos casos de câncer.

“É muito angustiante para o paciente ter de paralisar o tratamento por causa da queda na imunidade provocada pela quimioterapia, por isso é fundamental prevenir e tratar a neutropenia para evitar o agravamento do quadro clínico e manter a continuidade do tratamento. Podemos dizer que a neutropenia é um dos eventos adversos mais graves provocados pela quimioterapia em pacientes oncológicos”, comenta o professor associado de Hematologia do departamento de Clínica Médica da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Angelo Maiolino.

Nesse cenário, as sociedades Americana3 e Europeia4 de Oncologia (ASCO e ESMO) recomendam a prevenção da neutropenia com medicamentos que estimulem e regularizem a produção dos glóbulos brancos, como o lipegfilgrastim.

“É de extrema importância a conscientização de médicos e pacientes sobre todos os eventos colaterais da quimioterapia, que vão muito além de queda de cabelos e diarreia, os sintomas mais conhecidos pela população. Existem outras consequências severas, que podem ser evitadas com o acompanhamento e o tratamento adequado”, complementa o especialista.

Evidência científica

Vários estudos clínicos demonstram que lipegfilgrastim é eliminado mais lentamente pelo organismo, dessa forma seus benefícios têm uma duração maior, necessitando de apenas uma injeção por ciclo de quimioterapia. O estudo comparativo do medicamento com pegfilgrastim revela que lipegfilgrastim foi eficaz e seguro na prevenção na neutropenia, e os pacientes tratados com lipegfilgrastim apresentam uma redução de 1,5 dia no tempo de recuperação da contagem absoluta de neutrófilos em comparação a pegfilgrastim. 5

Sobre Lonquex

Lonquex é indicado para a redução da duração da neutropenia e incidência de neutropenia febril em pacientes oncológicos tratados com quimioterapia. O produto é disponibilizado em seringa preenchida com mecanismo de proteção da agulha para administração por via subcutânea, na parte superior do braço, no abdômen ou na coxa. O medicamento também está disponível em vários mercados europeus, incluindo Reino Unido, Alemanha e Holanda.

Sobre a Teva

A Teva Farmacêutica é uma das maiores empresas globais no setor farmacêutico e oferece soluções com alta qualidade voltadas para a melhora da qualidade de vida dos pacientes. Com sede em Israel, a Teva é o maior produtor de medicamentos genéricos do mundo, valendo-se de um portfólio com mais de 1.000 moléculas para produzir uma ampla gama de produtos genéricos para quase todas as áreas terapêuticas. Além disso, a Teva tem uma posição de liderança mundial em tratamentos inovadores para doenças do sistema nervoso central, incluindo a dor, bem como um forte portfólio de produtos para a área respiratória. A divisão de Pesquisa e Desenvolvimento da Teva integra medicamentos genéricos e de marca, criando novas formas de abordagem para as diferentes necessidades dos pacientes combinando o desenvolvimento de novas drogas com dispositivos, serviços e tecnologias. No Brasil desde 2006, a empresa oferece produtos para Saúde Feminina, Oncologia, Respiratória, Neurologia, Hematologia e Infectologia. A receita líquida global da Teva totalizou US$ 6,17 bilhões em 2015.

Referências:

1 Freifeld AG, Bow EJ, Septkowits KA, Boeckh MJ, Ito JI, Mullen CA, Raad II, Rolston KV, Young JA, Wingard JA. Clinical Pratice Guideline for the Use of Antimicrobial Agents in Neutropenic Patients with Cancer: 2010 update by the Infectious Disease Society of America. Clin Infect Dis 2011;52(4):e56-e93.

2 http://www.inca.gov.br/estimativa/2016/estimativa-2016-v11.pdf.

3 Smith TJ, Khatcheressian J, Lyman GH, et al. 2006 update of recommendations for the use of white blood cell growth factors: an evidence-based clinical practice guideline. J Clin Oncol. 2006;24(19):3187-205.

4 Aapro MS, Bohlius J, Cameron DA, et al. 2010 update of EORTC guidelines for the use of granulocyte-colony stimulating factor to reduce the incidence of chemotherapy-induced febrile neutropenia in adult patients with lymphoproliferative disorders and solid tumours. Eur J Cancer. 2011;47(1):8-32.

5 Bondarenko et al. BMC Cancer. 2013;13:386.

6 Bond et al. Abstract accepted for poster presentation at ISPOR EU 2015.

Hospital Bandeirantes cria Núcleo de Atenção e Acompanhamento de Cardiomiopatias

Foto_Fachada_Bandeirantes

As temidas dores no coração e a insuficiência cardíaca recebem atenção especial no Hospital Bandeirantes, localizado na Liberdade em São Paulo, com a criação de um centro especializado para consultas e agendamento de exames, o NAAC (Núcleo de Atenção e Acompanhamento de Cardiomiopatias), voltado ao tratamento de pacientes que sofrem de doenças crônicas do coração.

A miocardite, inflamação do músculo cardíaco causada por doenças comuns, como diarreia, viroses e gripes, e específicas, como a miocardiopatia hipertrófica, displasia arritmogênica do ventrículo direito e as miocardiopatias restritivas, serão tratadas por um grupo multiprofissional que reúne médicos clínicos e grupos de reabilitação cardiovascular, eletrofisiologia, nutrição, psicologia, fisioterapia e assistente social.

Ainda será disponibilizado um portal exclusivo no qual o próprio paciente será responsável por incluir informações pessoais sobre pressão arterial, frequência cardíaca, calorias, passos, peso, IMC (índice de massa corpórea) e bioimpedância (gordura corporal) que irão gerar alertas para equipe de gerenciamento do NAAC. Esse recurso visa aproximar ainda mais o médico do paciente, criando grandes benefícios no tratamento da doença.

Para agendar consulta no NAAC do Hospital Bandeirantes, ligue (11) 3345-2331 ou acesse o portalhttp://www.bandcor.com.br.

SOBRE O HOSPITAL BANDEIRANTES

Com 70 anos de história, o Hospital Bandeirantes é reconhecido por seus Centros de Referência e atendimentos em alta complexidade. Com uma média de 14 mil internações/ano e 10 mil cirurgias/ano, a Instituição possui certificação em nível diamante concedida pela Accreditation Canada International (ACI) – Qmentum. São mais de 3 mil médicos e 2 mil colaboradores focados em um único objetivo: manter-se referência no segmento hospitalar, preservando a qualidade de seus tratamentos clínicos e cirúrgicos. Aliado ao atendimento humanizado e ao amadurecimento da gestão sustentável na busca do crescimento com riscos mínimos, o Hospital visa fortalecer seu compromisso com o colaborador, comunidade e meio ambiente.

Site: http://www.hospitalbandeirantes.com.br

facebook.com/HBandeirantes

MicroStrategy apoia Bionexo a aumentar eficiência operacional

shutterstock_149667980

A Bionexo, empresa pioneira no desenvolvimento de soluções web para e-commerce hospitalar, tem apostado na inteligência analítica para aprimorar a qualidade das informações e com isso suportar seu comprometimento com a transparência e ética nas relações comerciais na indústria da saúde. A companhia, responsável por integrar digitalmente toda a cadeia produtiva do setor, utiliza a plataforma da MicroStrategy para elaborar análises, tanto para atender às necessidades de gestão interna como para apoiar seus parceiros comerciais a tomarem as melhores decisões de negócios.

Fundada em 2000, a Bionexo está estruturada no Brasil e presente em outros quatro países, ocupando posição de liderança em seu mercado de atuação na América Latina e Europa. Seu foco é criar oportunidades de negócios voltados a compras hospitalares em meio digital, incluindo desde materiais, medicamentos, alimentos, papelaria, produtos de limpeza até equipamentos de manutenção e informática. Mundialmente são mais de 18 mil fornecedores, 1,2 mil hospitais atendidos e R$ 4,9 bilhões transacionados em suprimentos anualmente.

De acordo com Fabio Wakim Trentini, CIO da Bionexo, o BI tem um papel crucial nesse contexto e permitiu não só trazer mais eficiência operacional, como também otimizar o tempo de elaboração dos relatórios e melhorar a qualidade das informações fornecidas para os seus gestores e clientes. Antes do início do projeto, há pouco mais de um ano e meio, o processo era extremamente operacional e realizado manualmente, o que levava semanas e, muitas vezes, demandava algum tipo de retrabalho por parte da equipe. Após a adoção efetiva de inteligência, em poucas horas, é possível gerar análises completas, com mais precisão e com base em terabytes de dados históricos.

“A Bionexo é uma empresa comprometida em fornecer soluções efetivas para seus clientes, ajudando-os a alcançar o melhor resultado financeiro e incrementar a gestão do seu negócio. Por isso, buscamos continuamente novas tecnologias que nos ajudam a atingir esses objetivos. O BI suporta o principal diferencial, que é prover análises baseadas em dados reais, com grande veracidade. Conseguimos mostrar para os nossos parceiros o quanto ele está economizando ao utilizar os nossos serviços e o impacto que isso traz para seus negócios”, ressalta.

Com base no cruzamento de dados provenientes de diversas fontes, respeitando a confidencialidade das informações, a Bionexo tem a capacidade de entregar uma série de estudos e dashboards que permitem aos departamentos de compras dos hospitais entenderem não só o seu comportamento, mas também o do mercado. Esses relatórios podem ser disponibilizados e visualizados para os clientes via web na própria plataforma.

Por outro lado, a solução analítica também trouxe benefícios para a gestão da própria Bionexo. O corpo diretivo obtém uma visão muito mais detalhada do que acontece, especialmente em relação ao cumprimento ou não das metas corporativas. A área de pós-vendas também consegue identificar as necessidades dos seus clientes e, com isso, alcançar um perfil muito mais consultivo, o que ajuda a diversificar a oferta de produtos e serviços e atender com mais precisão.

A Bionexo utiliza a versão MicroStrategy 10.2 e pretende migrar em breve para a 10.3, que acaba de ser lançada. Para o desenvolvimento do projeto e efetiva utilização da ferramenta contou com o treinamento e o apoio de especialistas da MicroStrategy. “Especialmente após a adoção da versão 10.2 conseguimos obter visualizações muito mais aprimoradas e isso impactou bastante em nossos negócios, fortalecendo a cultura analítica dentro da nossa empresa”, explica Trentini.

Grupo Fleury e SINDHOSP promovem seminário sobre saúde suplementar

shutterstock_358804505

O Grupo Fleury e o Sindicato dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo – SINDHOSP promoveram a 9ª edição do Seminário que discute a Saúde no País, em busca da real sustentabilidade das atividades e dos negócios. Para debater a questão ‘Saúde suplementar: o sistema está em crise?’, foram convidados especialistas de diversas entidades, que apresentaram seus pontos de vista sobre temas como a Lei 13.003 e a padronização TISS - Padrão para Troca de Informação de Saúde Suplementar. A abertura do evento foi feita pelo presidente do Grupo Fleury, Carlos Marinelli, e pelo presidente do SINDHOSP, Yussif Ali Mere Junior.

O primeiro tema do seminário foi a Lei 13.003 de 2014, que torna obrigatória a existência de contratos escritos entre as operadoras e seus prestadores de serviços. A Agência Nacional de Saúde (ANS) deve estabelecer um índice de reajuste para prestadores, caso a negociação não seja efetiva. Marcelo Gratão, gestor do Instituto de Ensino e Pesquisa na Área da Saúde - IEPAS, apresentou uma pesquisa sobre a lei e ressaltou que apesar das respostas demonstrarem melhorias em relação à situação verificada em 2015, ainda há problemas no que se refere a contratualização e índices de reajustes a serem aplicados anualmente.

Já Sandro Leal, gerente geral da FenaSaúde, defendeu que a regulação deveria se ater a eliminar falhas de mercado e não estimular a indexação, por isso propôs ajustes a 13.003. Representando a ANS, a diretora de desenvolvimento setorial da entidade, Martha Regina de Oliveira, falou sobre os pontos abordados pelos dois palestrantes e também do fator de qualidade. Em seguida, Yussif Ali Mere Junior voltou ao palco para falar sobre as tendências e impactos da tributação da área de Saúde.

Outra pauta do Seminário foi o Padrão para Troca de Informação de Saúde Suplementar (TISS). Claudia Cohn, presidente da Abramed, alertou que ainda são observadas distorções na adoção do padrão para todos os lados e é preciso eliminar isso. A superintendente de análise de pagamentos de conta médico-hospitalares da Bradesco Saúde, Sonia Bastos, listou alguns fatores críticos para o sucesso da TISS, como a necessidade de atualização e a melhoria nos processos internos e na divulgação para prestadores e operadores. Concluindo o debate, Marizélia Leão Moreia, gerente de Padronização e Interoperabilidade da ANS, afirmou que a TISS ainda tem um longo caminho a percorrer, mas já avançou muito. Para ela, é preciso continuar fomentando pesquisas e estudos para aprimorar o padrão para que, assim, ele possa dar conta de suas metas.

Encerrando a programação, Dr. Wilson Shcolnik, gerente de Relações Institucionais do Grupo Fleury, comandou um talk show, que reuniu todos os palestrantes.

Além do Grupo Fleury e do Sindhosp, o evento teve apoio institucional da Aliança Brasileira da Indústria Inovadora em Saúde (Abiis), Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para a Saúde (Abimed), Associação Brasileira de Medicina Diagnóstica (Abramed), Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL), Confederação Nacional de Saúde (CNS), Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (Fehoesp), Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (Sbac) e Sociedade Brasileira de Patologia Clínica/Medicina Laboratorial (SBPCML).

Sobre o Grupo Fleury

O Grupo Fleury é uma das maiores e mais respeitadas empresas de medicina e saúde do Brasil. Aqui, pessoas, conhecimento e tecnologia são pilares que sustentam o presente e constroem o futuro. Com 90 anos de história somos reconhecidos pela opinião pública e comunidade médica em virtude da excelência em serviços ao cliente, qualidade técnica e inovação.