faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Ecoterra - a primeira empresa do Chile a obter a certificação de bem-estar animal Certified Humane®

HERNDON, Virginia, 19 de maio de 2016 /PRNewswire/ -- A organização não-governamental Humane Farm Animal Care (HFAC), líder mundial na certificação que visa a melhoria da vida de milhões de animais de produção, anunciou esta semana que a empresa Ecoterra, de Santiago, Chile, tornou-se a primeira granja chilena a obter a certificação Certified Humane®.

Logo - http://photos.prnewswire.com/prnh/20140922/147672

Os ovos Ecoterra free-range foram lançados em 2011 visando transformar os sistemas agroindustriais do Chile em sistemas que convivam em mais harmonia com os animais, o meio ambiente e as comunidades vizinhas.

"Quando vi o selo Certified Humane em produtos no Brasil, Canadá e nos Estados Unidos e entendi do que se tratava, tive certeza que esta certificação poderia verificar o manejo com bem-estar animal que adotamos," diz Pablo Andres Albarrán Lama, fundador e presidente da Ecoterra. "Criamos as galinhas no sistema free-range da forma mais natural possível. Nossas galinhas poedeiras estão no pasto durante todo o dia podendo ciscar, bater as suas asasDe esta manera, las aves tienen la libertad de desplazarse por todo el terreno sin impedimentos, escarbar, aletear, darse baños de arena, elegir sus propios nidos, dormir y descansar en perchas en altura también elegidas por ellas., tomar banho de poeira, dormir, ter acesso a poleiros e descansar. Sua dieta vegetal é complementada com insetos que encontram nas plantas das nossas pradarias."

Os ovos Ecoterra são encontrados em mais de 500 pontos de venda no Chile, incluindo a cadeia Wal-Mart, bem como restaurantes, hotéis e vendas on-line. Com uma certificação adicional de comércio justo a empresa trabalha em parceria com pequenos agricultores que produzem ovos no mesmo sistema que a Ecoterra, respeitando as exigências do programa Certified Humane, possibilitando um modo de vida mais sustentável a estas pessoas.  "Algo que um pequeno agricultor não poderia realizar sozinho", diz Albarrán. "Estamos ajudando nossos parceiros a serem empreendedores que podem adotar práticas ecologica e economicamente sustentáveis, e estamos também possibilitando que implementem os referenciais de bem-estar animal nas suas granjas."

O selo Certified Humane®, agora disponível em 5 países – Estados Unidos, Canadá, Brasil, Peru e Chile – assegura aos consumidores que os animais de produção, como galinhas poedeiras, são criados de acordo com um conjunto de normas que garantem que possam viver livre de gaiolas e expressar os seus comportamentos naturais como bater as suas asas e circular livremente. Eles também devem ser criados sem antibióticos e sem ingredientes de origem animal na sua dieta.

De acordo com Luiz Mazzon, Diretor Geral do programa Certified Humane para a América do Sul, "quando a Humane Farm Animal Care iniciou suas atividades em 2003, nunca sonhamos que cresceria tão rapidamente. No entanto, nestes últimos anos, constatamos uma demanda enorme nos Estados Unidos e Canadá por alimentos produzidos de forma humanitária. Estamos vendo isso acontecer agora com os consumidores da América do Sul. Os produtores estão respondendo à esta demanda ao adotar práticas humanitárias de criação e possibilitando a chegada ao mercado de mais alimentos Certified Humane®." 

Os consumidores podem baixar gratuitamente o aplicativo Certified Humane® para celulares, disponível em inglês, espanhol, português e francês, para encontrar os pontos de venda mais próximos que oferecem produtos Certified Humane®. Para mais informações sobre a HFAC e o selo Certified Humane®, visite www.certifiedhumane.org.

Sobre a Humane Farm Animal Care
A Humane Farm Animal Care (HFAC) é a organização não-governamental líder mundial na certificação que visa a melhoria da vida de milhões de animais de produção. O selo Certified Humane® garante aos consumidores que as carnes, frangos, ovos ou produtos laticínios que consomem foram produzidos de acordo com os exigentes referenciais da HFAC para a criação de animais com bem-estar. Os animais devem receber uma dieta nutritiva sem antibióticos ou hormônios, devem ser criados com abrigo, áreas para descanso, e espaço suficiente para que possam expressar os seus comportamentos naturais. Desde que o programa da HFAC foi lançado em maio de 2003, mais de 140 empresas, representando milhares de fazendas e 103 milhões de animais de produção, foram certificadas através do programa, que atualmente existe nos Estados Unidos, Canadá, Brasil, Peru e Chile. Para conhecer mais sobre a HFAC, visite a página www.certifiedhumane.org.

FONTE Humane Farm Animal Care

Congresso latino-americano de ciências da vida será realizado na Cidade do Panamá

CIDADE DO PANAMÄ, 19 de maio de 2016 /PRNewswire/ -- A ACI tem o orgulho de produzir o Terceiro Congresso Latino-Americano de Compliance em Farmacêutica e Aparelhos Médicos , de 23 a 25 de agosto de 2016 e em parceria com o a Rede Latino-Americana de Compliance e Ética, no hotel Hilton da Cidade do Panamá.  Este evento bienal atrai mais de 250 profissionais de compliance das empresas de ciências da vida e de organizações médicas e de pacientes de toda a América Latina pra tratar dos desafios e oportunidades em compliance enfrentados por multinacionais na região.

Logo - http://photos.prnewswire.com/prnh/20160425/359448LOGO

Com o recente crescimento exponencial nos setores farmacêutico e de aparelhos médicos em toda a América Latina, políticas e regulações são continuamente esticadas para atender às crescentes preocupações com a corrupção, suborno e transparência. Com palestrantes variando desde executivos de compliance regionais e mundiais da categoria C-suite, a representantes governamentais seniores e diretores das principais organizações de ética e transparência da América Latina, o congresso de 2016 novamente vai atacar temas de compliance de forma direta.  Fazendo par com um conjunto de conferências; painéis de discussão no plenário; sessões práticas de trabalho e mesas-redondas com executivos, os participantes terão a oportunidade de:

  • Fazer benchmark com diretores de compliance e líderes do setor
  • Atualizar programas de compliance para alinharem-se com os mais recentes códigos e regulações
  • Ouvir diretamente as lideranças das principais associações farmacêuticas e de aparelhos médicos
  • Envolverem-se em grupos de trabalho com base em soluções para tratar dos principais desafios do setor e reunir inteligência de mercado específica
  • Fazer network com seus pares de toda a América Latina

Veja a agenda aqui.

Profissionais de compliance de primeiro time da Sanofi, Merck, Johnson & Johnson, Takeda Pharmaceutical, Novartis, Sandoz, Brystol Meyers Squibb, Stryker e muitas outras empresas vão falar. Um antigo participante, da Medtronic, disse: "Essa é uma iniciativa e um evento incríveis... criando um fórum importante, para que o setor e interessados compartilhem seu saber e melhores práticas sobre os tópicos que são realmente importantes para o crescimento sustentável do mercado e acesso dos pacientes às melhores terapias e tratamentos de que precisam".

Composto por especialistas do setor, advogados e outros profissionais, o Instituto Americano de Conferências (American Conference Institute) opera como um think tank, monitorando tendências e evoluções em todos os principais setores da indústria, leis e políticas públicas, com uma visão de fornecer informações do ponto de vista da liderança.

A Rede Latino-Americana de Ética e Compliance é um grupo ad hoc e voluntário de profissionais e consultores jurídicos de empresas farmacêuticas, de aparelhos médicos e outras ciências da vida que se reúne trimestralmente para discutir assuntos legais e de compliance e as melhores práticas tentando elevar os padrões éticos.

FONTE American Conference Institute

Ministro da Saúde abre diálogo com entidades do setor

Ministro da Saúde abre diálogo com entidades do setor

O Ministro da Saúde, Ricardo Barros, visitou, na manhã de hoje, a Feira Hospitalar com a missão de conversar com as Associações e Entidades do Setor.

Desde o início do mandato, o Ministro tem sentado para conversar com diferentes grupos profissionais, como recentemente fez com lideranças médicas, para, segundo ele "aprender mais sobre o funcionamento do setor".

Entre declarações polêmicas, como o redimensionamento do tamanho e do montante investido para o Sistema Único de Saúde, Barros comenta algo que é urgente no setor: ele precisa ser informatizado. No referido encontro, segundo o portal Jornal da Globo, Barros atribuiu aos gestores a resistência na adoção de informatização do setor "eu não duvido que essa falta de informatização que nos temos hoje seja as vezes uma vontade do gestor porque, se ele informatizar, não vai conseguir desviar nada do sistema."

Ao ser perguntado sobre as próximas ações, o Ministro disse que a palavra de ordem da sua gestão é eficiência “fazer mais com menos”.

Ele vai conversar com representantes da Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos (ABIMO), da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP), da Associação Nacional de Hospitais Privados (ANAHP).

Quanto à declaração feita durante a semana sobre a diminuição do SUS, Ricardo Barros diz que esta é uma polêmica desnecessária e que foi mal entendido pela imprensa na sua declaração prévia. Ele reforça que o direito à saúde está assegurado na Constituição e será garantido durante a sua gestão.

“O financiamento da saúde é um direito constitucional, então precisamos manter e aumentá-lo. Para isso, precisamos de eficiência. Estou aqui para entender a dimensão do setor, ver os avanços tecnológicos e conhecer tecnologias que promovam a redução de custos no setor”

Na ocasião, Yussif Ali Mere Jr., presidente da Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo, entregou um documento ao Ministro solicitando a revisão de algumas portarias específicas de diferentes áreas da saúde.

Ao ser questionado sobre o tema, Yussif disse que “todas as revisões propostas não interferem na qualidade assistencial, mas garantem uma economia substancial na área”.

Esperamos que este seja o primeiro passo para a construção de um maior diálogo entre o setor público e o setor privado.

Artigo de médico brasileiro sobre diagnóstico precoce de microcefalia e infecção por zika vírus é publicado em revista inglesa

Capa da revista Ultrasounds

Um artigo liderado por um médico brasileiro foi capa da edição deste mês da revista Ultrasound in Obstetrics & Gynecology, um dos periódicos mais respeitados internacionalmente por suas pesquisas e estudos relacionados à radiologia e medicina fetal. O artigo trata da importância do diagnóstico por imagem na identificação precoce da microcefalia, trazendo as principais descobertas sobre a doença, associada à infecção por zika vírus. O trabalho também compara as imagens pré-natais com as de moldes físicos impressos em 3D, com o objetivo de esclarecer melhor a patologia aos pais e profissionais de saúde.

O trabalho, intitulado Infecção pelo Zika Vírus e Microcefalia: Correlação das Imagens Pré-natais, Pós-natais e Modelo Físico (traduzido do inglês), contou com a autoria principal do especialista brasileiro em medicina fetal Heron Werner, integrante do corpo clínico do Alta Excelência Diagnóstica, em parceria com outros sete pesquisadores.

Segundo Heron Werner, no estudo, foi analisada uma grávida de 27 anos, moradora da periferia do Rio de Janeiro, com 12 semanas de gestação, que apresentava sintomas de zika. A paciente foi submetida a exames de imagem antes de realizar os testes laboratoriais que descartaram herpes, sífilis, dengue e chikungunya. “Nos exames de ultrassom feitos no terceiro trimestre, constatamos más-formações cerebrais, o que levantou a suspeita da infecção intrauterina pelo zika vírus”, afirma o médico.

Após o achado, a paciente foi encaminhada para a CDPI, uma das instituições participantes do estudo, para realizar uma ressonância magnética, que confirmou a microcefalia, entre outras deformidades, como calcificações e dilatações ventriculares no cérebro do bebê, que nasceu com 38 semanas.

Para que os pais pudessem entender melhor a doença e também para servir como base para outros estudos, os pesquisadores realizaram um molde impresso em 3D do cérebro do bebê microcéfalo, com base em uma tomografia pós-natal. “Nós acreditamos que um modelo físico e virtual 3D dessa patologia fetal poderia ser útil para os profissionais de saúde e os pais, além de melhorar o aconselhamento em casos de infecção intrauterina por zika vírus e microcefalia”, explica Heron Werner.

Heron reforça que a grande importância do estudo é destacar que os exames de imagem são fundamentais para o diagnóstico de microcefalia durante o pré-natal e para entender quais serão as consequências da doença na formação cerebral.

O artigo, que contou com a participação das instituições Clínica de Diagnóstico por Imagem (CDPI), Pontifícia Universidade Católica (PUC Rio), Hospital Civil de Guastalla, na Itália, Create Health Clinic, em Londres, e Escola Paulista de Medicina, da Universidade Federal de São Paulo (EPM-Unifesp), encontra-se disponível para mais de 15 milhões de cientistas no ScienceDirect, plataforma on-line que permite acesso a artigos escritos pelos mais renomados autores do cenário científico, nas principais áreas do conhecimento.

Nova versão do Viva Sem Tabaco será lançada no Dia Mundial Sem Tabaco

shutterstock_210223813

O próximo dia 31 será o Dia Mundial sem Tabaco. A data foi criada pela Organização Mundial de Saúde (OMS) para alertar sobre os riscos de doenças e até mesmo mortes que podem ser causadas pelo uso do tabaco. Neste dia também entrará no ar a nova versão do programa Viva Sem Tabaco.

Sua primeira versão foi lançada em 2013 e o sistema já conta com cerca de 300 usuários cadastrados. A proposta é oferecer informação de qualidade, de forma gratuita e online, para auxiliar o processo de quem deseja parar de fumar.

As atualizações foram feitas para melhorar a experiência do usuário, além de contar com um novo layout. As pessoas, após responderem algumas perguntas, receberão um plano completamente personalizado para guiar suas próximas ações a fim de deixar o vício.

Todo o programa foi realizado por especialistas em tabagismo, com o auxílio de fumantes e ex-fumantes. O Viva sem Tabaco possui a certificação da Health on the Net Foundation, que considerou o site compatível com os critérios do código de ética de publicações em saúde da internet. Além disso, está disponível para acesso internacional, com traduções em vários idiomas, entre eles, inglês e alemão.

O projeto faz parte da linha de pesquisa de e-saúde do Centro de Referência em Pesquisa, Intervenção e Avaliação em Álcool e Outras Drogas (CREPEIA) em parceria com o Departamento de Ciência da Computação da Universidade Federal de Juiz de Fora.

Site: http://www.vivasemtabaco.com.br

Pode o Mobile Health interessar ao Segmento de Varejo?

shutterstock_174190280

Atualmente os consumidores têm mostrado um grande apetite no uso das “mobile apps” do “Mobile Health” (ou mHealth [1]) que permitem que eles rastreiem sua saúde.

Dos taxistas aos hotéis, algumas das áreas de atividades mais antigas da economia no mundo têm sido alavancadas pelas “mobile apps” como os famosos Uber e o Airbnb. A Saúde, por outro lado, uma outra indústria que tem suas raízes em tempos antigos, tem se mantido relativamente imune à disrupção digital, embora a tecnologia tenha começado a aparecer como um grande “enabler” da medicina moderna [2] e [3].

A grande maioria dos pacientes ainda procura os serviços de um profissional de saúde quando eles querem testar seus "sinais vitais", ou utilizar dispositivos analógicos pesados que pouco mudaram em comparação com aqueles de cerca de 50 anos atrás.

Ao mesmo tempo, há um grande apetite do consumidor por uma nova geração de aplicativos de saúde e, dispositivos digitais conectados, o que permitiria às pessoas controlar sua própria saúde.

A disseminação cada dia vez maior do mHealth [4] e [5] vai proporcionar o surgimento de novos modelos de negócios no segmento de Saúde.

Recentemente tivemos alguns movimentos inovadores do varejo dos EUA no mercado de Saúde.

Um desses movimentos vem do gigante varejista Target que está se preparando para lançar nesse mês de maio uma inciativa de saúde conectada em 550 das suas 1.800 lojas.

O novo serviço chamado “Connected Care” vai inaugurar uma seção de farmácia própria nas lojas do varejista e incluirá 14 dispositivos de saúde, incluindo medidor de pressão sanguínea e ferramentas de gerenciamentos de dor, e todos eles podem ser conectados a smartphones e permitirão que os clientes confiram os seus sinais vitais e, também, compartilharem os seus dados de “bem estar” (“wellness”). O porta-voz do Target disse que “eles sabem que os clientes estão muito interessados nesses tipos de produtos, e o varejista avaliará os planos de crescimento futuro da oferta baseando-se no “feedback” dos clientes e, também como não poderia deixar de ser, nos resultados das vendas” [6-8]. A oferta do Target será ancorada pelo parceiro tecnológico Qardio [9].

No final de 2015, o varejista Target vendeu seu negócio de farmácia “convencional” para a grande cadeia de farmácias dos EUA, a CVS Health, que também está buscando negócios na área de “saúde conectada” pois essa rede entende que a experiência de “saúde conectada” pode ajudar aos seus clientes a economizar tempo e dinheiro e, ao mesmo tempo, “alavancar” a sua saúde [10].

Apenas alguns meses antes do mercado saber do negócio de “Connected Care” do Target, a rede CVS anunciou várias ferramentas digitais para facilitar e tornar mais eficiente o gerenciamento de saúde e, a integração com a sua app de farmácia com o famoso “wearable” Apple Watch [11]. A tecnologia “wearable” cada vez mais estará presente na vida das pessoas para ajudá-las na saúde, “bem estar” (“wellness”) e “aptidão física” (“fitness”) [12].

Nos EUA o interesse do segmento de Varejo pelo negócio de Saúde não é novo. Ele tem mais ou menos uns 15 anos de existência [13] mas agora a tecnologia de mHealth está possibilitando o lançamento de serviços inovadores. E com certeza, a presença de novas tecnologias (p. ex., Internet das Coisas, Sensores, “Wearables”, Genômica, entre outras) vão possibilitar uma ampla gama de novos serviços no varejo. Preparem-se!

No Brasil, esses serviços podem trazer novas oportunidades de negócios – pelo menos – para as Operadoras de Telecomunicações (que “ciscam, ciscam” mas não consegue ter uma oferta diferenciada em “mobile health”), para as grandes Redes de Varejo e para as grandes Redes de Farmácias (ou também através da associação entre esses três grande “players”).

Vamos ver quando o mercado brasileiro começa a olhar (e implantar) estas novas oportunidades de saúde no varejo. O que você acha? Vai demorar?

Referências:

[1] mHealth, Wikipedia

https://en.wikipedia.org/wiki/MHealth

[2] Internet das Coisas: Como “Big Data” pode guiar a transformação da Saúde?, Convergência Digital, 06.abr.2015

http://convergenciadigital.uol.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?UserActiveTemplate=site&infoid=39314&sid=15

[3] Quem são os “superstars” da área biomédica do Google?, Saúde Business, 15.nov.2016

http://saudebusiness.com/quem-sao-os-superstars-da-area-biomedica-do-google/

[4] Saúde Preventiva através de Smartphone e Big Data, Saúde Business, 29.abr.2016

http://saudebusiness.com/saude-preventiva-atraves-de-smartphone-e-big-data/

[5] A Decolagem do Mobile Health, Saúde Business, 05.mai.2016

http://saudebusiness.com/a-decolagem-do-mobile-health/

[6] Target preps connected mHealth consumer in-store offering, Fierce Mobile Healthcare, 17.apr.2016

http://www.fiercemobilehealthcare.com/story/target-preps-connected-mhealth-consumer-store-offering/2016-04-17

[7] Exclusive: Target Testing Connected Health Sections, Twice, 12.apr.2016

http://www.twice.com/news/retail/exclusive-target-testing-connected-health-sections/61110

[8] Referências do Google sobre “Connected Care + Target Health Retail”

https://www.google.com.br/search?q=%E2%80%9CConnected+Care%E2%80%9D+Target+Health+Retail&rlz=1C1QJDA_enBR621BR649&oq=%E2%80%9CConnected+Care%E2%80%9D+Target+Health+Retail&aqs=chrome..69i57.857j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8

[9] Qardio

https://www.getqardio.com/

[10] CVS digital exec: We're forging ahead on digital health tools, Fierce Mobile Healthcare, 08.feb.2016

http://www.fiercemobilehealthcare.com/story/cvs-digital-exec-were-forging-ahead-digital-health-tools/2016-02-08

[11] CVS debuts new tools to boost med adherence, reduce healthcare costs, Fierce Mobile Healthcare, 21.nov.2015

http://www.fiercemobilehealthcare.com/story/cvs-debuts-new-tools-boost-med-adherence-reduce-healthcare-costs/2015-11-21

[12] The Wearable Life 2.0: Connected living in a wearable world, PwC, 2016

https://www.pwc.com/us/en/industry/entertainment-media/assets/pwc-cis-wearables.pdf

[13] Building a Culture of Health: The Value Proposition of Retail Clinics, Robert Wood Johnson Foundation, April 2015 [PDF]

https://www.manatt.com/uploadedFiles/Content/5_Insights/White_Papers/Retail_Clinic_RWJF.pdf

Você sabe o que é Coaching Ontológico na Área da Saúde? Entenda um pouco mais sobre essa terapia que a Unidade Vila Nova coloca no mercado

Teenager having a  therapy session
Teenager having a therapy session while therapist is taking notes

O Coaching Ontológico preocupa-se com o significado da visão de mundo do coachee (paciente e/ou familiar), em compreender a forma como este se apropria do mundo. Nas sessões de Coaching Ontológico o coach elabora junto com o coachee a distinção entre fatos e opiniões, ampliando assim a visão das questões trazidas pelo coachee, possibilitando que este perceba a situação por meio de diversos pontos de vista, óticas e distintas interpretações.

Neste tipo de Coaching a linguagem não é vista somente como descritiva dos fenômenos da realidade, mas sim como geradora de realidade e promotora de insigths existenciais. Saber fazer uso das ferramentas linguísticas, ser mais eficaz nas distinções linguísticas e dominar as diversas formas de comunicação pode ser uma maneira de aproximar a situação desejada (meta) da situação atual.

Na área da saúde, o Coaching é direcionado tanto para os profissionais da área da saúde, quanto para os pacientes e seus familiares, assim como para a prevenção de doenças.

No caso dos profissionais, para que possam aceitar as mudanças, abandonar os hábitos ultrapassados, melhorar a resiliência (capacidade de adaptação), melhorar a capacidade de gerenciar conflitos e mudanças, adaptação à equipe multidisciplinar.

Para os pacientes, com o intuito de levar a consciência, a prevenção e comportamento seguro, quando precisam adaptar-se a um novo estilo de vida, a mudança de hábitos, aceitação de um diagnóstico como: diabetes mellitus, pós-cirurgia cardíaca, doença pulmonar obstrutiva crônica, câncer, obesidade, dentre outros. Além de vencer pré-conceitos próprios e de terceiros, aderência a um novo medicamento, nova rotina. Enfim, educação, orientação e abertura para novas possibilidades para viver com qualidade.

A diferença entre o coaching ontológico e a psicoterapia está em estipular um objetivo, uma meta, e traçar o plano para alcançá-la, mas se a pessoa tiver um obstáculo emocional mais profundo, que a impeça de partir para ação, será encaminhada para psicoterapia. Este é um processo com início, meio e fim.

Benefícios Advindos do Processo de Coaching

• Consecução de metas relacionadas a aquisição de qualidade de vida, saúde, entre outras;

• Manutenção do foco e do equilíbrio;

• Aprendizagem e autodesenvolvimento contínuos;

• Abertura de possibilidade para executar novas ações;

• Auxilia o cliente a assumir e utilizar o poder que está em suas mãos;

• Promover a saúde e aumentar o bem-estar das pessoas.

Objetivos gerais

• Promover mudança de comportamento, aumentar sua capacidade de ação, abertura para novas formas de viver, adaptação a uma nova realidade do Coachee se for um paciente ou familiar próximo;

• Promover autodesenvolvimento, melhorar relacionamentos de forma geral, contribuir para o bem-estar do paciente, promover atitudes positivas e estratégias efetivas se o Coachee for um profissional da área da saúde.

Público-alvo do Processo de Coaching na Área da Saúde

Pessoas que:

• Estão diante de uma situação importante que mereça maior aprofundamento e elaboração;

• Precisam adaptar-se a uma equipe multidisciplinar;

• Precisam lidar com uma realidade dentro da própria casa com uma nova situação;

• Precisam lidar com efeitos colaterais de uma medicação imprescindível;

• Precisam desenvolver adequado comportamento diante de pacientes domiciliares e seus familiares;

• Precisam adaptar-se ao processo de envelhecimento e suas limitações;

• Que querem aprimorar suas habilidades interpessoais;

• Que querem uma mudança no estilo de vida com o objetivo de prevenir doenças;

• Buscam ter consciência para a prevenção e comportamento seguro.

Qual o tempo de duração do trabalho

• A orientação é um trabalho que envolve aproximadamente 10 a 12 sessões, cada caso é avaliado em conjunto com o coachee.

Currículo do Profissional (Coach)

Maira Izzi Dona - Fisioterapeuta (PUCC), com Especialização em Fisioterapia Respiratória (UNIFESP), com experiência de 12 anos na UTI do Hospital Sírio Libanês; 22 anos em atendimento domiciliar, em conjunto com o médico do paciente e eventuais profissionais da área da saúde, nutricionistas, técnicos de enfermagem, enfermeiros, cuidadores de idosos, psicólogos, terapeutas ocupacionais, fonoaudiólogos; Fisioterapeuta da Clínica Prof. Dr. David Uip; Formação em Instrutora de YOGA Básico e Avançado (Humaniversidade); Formação em Coaching Ontológico (Appana Mind); Formação em aplicação do Biofeedback (Appana Mind) e Pós-Graduação em Coaching Ontológico, UNIBR.

Para obter mais informações entre em contato com a Unidade Vila Nova

(11) 3045-2228

Rua João Lourenço, 190 - SP

Leonardo Menezes é o novo diretor executivo do Hospital Santa Teresa

14929512628_138679d966_z

Graduado em Medicina pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e especialista em Pediatria e Infectologia Pediátrica pela Sociedade Brasileira de Pediatria, o médico completou sua carreira acadêmica com MBA executivo em saúde pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Leonardo Menezes já foi médico consultor do laboratório Merck Sharp and Dohme, chefe do ambulatório de pediatria do Instituto Nacional de Saúde da Mulher, Criança e Adolescente Fernandes Figueira – FIOCRUZ, e chefe da comissão de controle de infecção hospitalar deste mesmo instituto.

No HST, instituição à qual se dedica há 11 anos, Menezes foi chefe da Comissão de controle de infecção hospitalar e diretor clínico antes de assumir o cargo de diretor executivo. “Minha meta à frente do Hospital Santa Teresa é mantê-lo dentro de sua missão institucional perante a sociedade de Petrópolis, com sustentabilidade econômica buscando novas oportunidades de crescimento”, finaliza.

Sobre a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC)

Com mais de 100 anos de atuação no Brasil, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) é responsável pela administração de 33 entidades em três segmentos de atuação: Saúde, Educação e Assistência Social. A ACSC criou um modelo de negócio no qual instituições que geram superávit transferem recursos para as obras sociais, a fim de executar dignamente suas atividades e acolher cada ser humano na sua integralidade, conciliando eficácia organizacional e compromisso com as necessidades das comunidades e valores cristãos. São cerca de 17.000 colaboradores distribuídos em diversas instituições de saúde, mantendo inúmeros estabelecimentos de ensino e acolhendo crianças, adultos e idosos em espaços assistenciais, com atendimento humanizado e serviços de qualidade para milhares de pessoas em 8 estados brasileiros (Ceará, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo).

Insumos e medicamentos: Da contratação ao consumo [INFOGRÁFICO]

shutterstock_18561118

A Logística Hospitalar auxilia na redução de custos e na segurança do paciente, atendendo toda a complexidade de uma unidade de saúde e determinando com segurança os caminhos corretos que devem ter os medicamentos e insumos. Assim os gestores são auxiliados por esse protocolo a proporcionar mais segurança para o consumidor final, o paciente.

O Infográfico de hoje está ensinando como é esse processo em cadeia dentro de uma instituição se aplicada a logística corretamente ela proporciona uma redução de custos em 30% em insumos médicos e medicamentos: responsáveis pelo segundo maior custo nas instituições de saúde.

Sã0 gerados relatórios e informações em tempo real para aquisição desses insumos e medicamentos, ao fim, o fornecimento desses dados permite o planejamento de gastos e outros vieses, levando em conta a sazonalidade e prevendo perfis de consumo e de movimentação para antecipar uma compra correta de forma que evite desperdícios e gastos desnecessários para as companhias no setor de saúde.

4maio

Pixeon participa de programa mundial de imersão da Clínica Mayo

shutterstock_163503779

A Clínica Mayo, um dos maiores centros de saúde, pesquisa e desenvolvimento do mundo, localizado nos Estados Unidos, elegeu a Pixeon para participar da primeira edição do programa de codesenvolvimento de soluções Mayo Clinic Global Medical Business Immersion, que inclui outras cinco companhias de outros continentes.

A instituição é uma das maiores referências em healthcare no mundo, reconhecida nos Estados Unidos pela alta qualidade de seus serviços em cuidado ao paciente. A Mayo recebe em torno de 1,3 milhões de pacientes anualmente, possui 64 mil funcionários, 575 médicos e cientistas que realizam pesquisa e desenvolvimento a favor da modernização.

O objetivo da iniciativa da Clínica Mayo é dar às empresas participantes possibilidades de codesenvolvimento de novos produtos ou serviços por meio do acesso ao seu know-how e licenciamento de tecnologias do portfólio de produtos da instituição, além de estimular pesquisas clínicas.

“É uma honra ser selecionado para participar de um programa dessa relevância para o setor. Temos em nosso DNA o fator inovação e acreditamos que essa troca com outros players globais, chancelada pela Clínica Mayo, nos permitirá contribuir ainda mais para a saúde no Brasil e no mundo”, explica Roberto Ribeiro da Cruz, CEO da Pixeon. “É uma oportunidade única de vivenciar uma experiência profunda de aquisição de conhecimentos em tecnologia dentro de um dos maiores e mais modernos centros de healthcare do mundo”, complementa.

Além da brasileira Pixeon, participam do programa empresas da Escócia, Holanda, Canadá e Israel. A iniciativa prevê a aproximação da Clínica com a empresa por, em média, dois anos e visa trazer aos negócios a expertise tecnológica dos especialistas da Mayo.

Após passar por uma semana de imersão com especialistas da Mayo, Rogério Pires, diretor de Tecnologia e Serviços da Pixeon, acredita que a importância da participação no Global Medical Business Immersion vai além de uma chance de conhecer a tecnologia aplicada nas instituições americanas. “É imensurável o valor de poder trazer para os produtos Pixeon tecnologia e conhecimento dessa instituição tão forte na área de pesquisa para saúde”.

André Silveira, diretor de gestão e concepção de produtos da Pixeon, que também participa do projeto, acrescenta ao afirmar que “a oportunidade pode trazer ainda mais qualidade e especialização aos nossos produtos com a tarimba de um dos maiores centros de saúde do mundo”.

Como próximos passos para dar continuidade à oportunidade de imersão, a Pixeon definirá o foco a seguir dentre as possibilidades verificadas na visita realizada no último mês e traçará um plano a curto, médio e longo prazo que possibilitará evoluir no desenvolvimento das atividades com colaboração da Clínica Mayo.