ONC publica dois novos guias para a as empresas de TI em saúde

shutterstock_251313145

A ONC , Office of Nacional Coordinator em helath IT nos Estados Unidos divulgou dois novos relatórios para auxiliar prestadores em temas de TI em saúde e segurança do paciente.

O primeiro relatório examina as evidencias mais recentes sobre saúde, TI e segurança do paciente. Ele identifica lacunas na investigação e incentiva o desenvolvimento ou aperfeiçoamento de ferramentas existentes.

Além disso, esse guia aponta as intervenções que poderiam melhorar a segurança e uso seguro de TI para a saúde, destacando informações sobre os tipos e frequências de eventos de segurança a partir das questões de usabilidade e interoperabilidade que podem melhorar segurança.

Os problemas de identificação dos doentes em uma clínica, por exemplo e como a decisão de apoio para melhorar a segurança do paciente sem um impacto negativo devido às alertas de fadiga.

Já o Segundo relatório fornece recomendações para solucionar possíveis problemas de segurança, tais como fluxo de trabalho, comunicação e gestão de medicamentos.

Os dois relatórios em conjunto, destacam que a saúde não depende apenas de sistemas de registros eletrônicos, mas também de fatores complexos adicionais, incluindo a liderança de uma instituição, a cultura, a prontidão, práticas de instalação, formação e manejo de atualizações.

Ainda, a melhoria da usabilidade e interoperabilidade oferece "oportunidades importantes" para melhorar a utilização segura da saúde em TI. As ferramentas mais recentes de emissão da ONC para reforçar a segurança do paciente em toda da comunidade de health TI.

É importante ler os dois relatórios para entender como algumas áreas não são pensadas e acabam passando despercebido por muitos gerentes e até por muitos softwares programados, os guias estão disponíveis para contribuir toda a industria de TI e de saúde com foco na segurança do paciente.

Leia mais sobre a ONC aqui.

O que um erro de medicação tem a ver com a logística hospitalar?

shutterstock_225623650

De tempo em tempo algum incidente envolvendo erros na administração de medicamentos em hospitais são noticiados pela imprensa. Mas, você já parou para pensar que fora os casos que são divulgados pela mídia, quantos ocorrem diariamente, alguns sem grandes consequências, mas outros bem graves, inclusive fatais? Do que se tem notícia nos bastidores do segmento, calcula-se que até 38% dos erros de medicação acontecem no momento da administração.

Embora sempre o problema recaia sobre o profissional de enfermagem que aplica a medicação, é importante destacar que o erro não pode ser atribuído apenas a ele, já que a dinâmica que parte da prescrição pelo médico, segue um fluxo operacional que envolve diversos outros profissionais e setores em almoxarifado, farmácia e afins, de onde muitas vezes ocorrem trocas de informações e medicamentos.

Ligando os pontos ao título deste artigo, não posso deixar de abordar o quão importante é um serviço de inteligência em logística hospitalar para a solução destas ocorrências.

Um perfeito mapeamento de fluxo das prescrições, ancorado em um sistema automatizado, com chaves customizadas e restritas de acesso, rastreando todos os suprimentos e os responsáveis por seu manuseio, da entrada e armazenamento no hospital até o uso no beira-leito, comprovadamente reduz as possibilidades de erro para menos de 1%.

São tecnologias e capacitações que asseguram vidas de pacientes, o emprego de profissionais, e previnem crises financeiras e de imagem para nas instituições.

Afinal, se é para ser notícia, que sejamos com resultados de boa gestão e de qualidade. E você, de que forma quer ser notícia?

Domingos Fonseca, presidente da UniHealth Logística Hospitalar

Sociedade Brasileira de Ortopedia promove evento científico sobre problemas da mão, em Curitiba

shutterstock_149013818

A Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia - SBOT convida os especialistas do Paraná para o evento do Programa de Educação Continuada sobre Mão, marcado para Curitiba, no dia 17 de junho.

A programação inclui palestras de Carlos Henrique Fernandes, Carlos Alberto Bidute Cortez e Luciano Drigo Perez e o patrocínio é da Baumer.

O local do evento é o Auditório 2 do Hospital Universitário Cajuru, que fica na Av. São José, 300, Cristo Rei - Curitiba/PR e as inscrições podem ser feitas com Alessandra, seja por via eletrônica, no e-mail sbotpr@sbotpr.org.br, seja pelos telefones (41) 3262-8023.

A SBOT lembra que o Programa de Educação Continuada é desenvolvido para levar os mais recentes conhecimentos e a evolução da tecnologia e dos procedimentos aos médicos de todo o Brasil, uma vez que a Ortopedia é uma das áreas do conhecimento humano que mais evolui e incorpora inovações.

Ao promover essas reuniões científicas pelo Brasil, a Diretoria da SBOT objetiva multiplicar esse conhecimento e levar conferencistas selecionados entre os especialistas mais destacados de cada área aos médicos de cada região. O sucesso desses eventos tem demonstrado que a iniciativa é bem recebida pelos ortopedistas associados.

17 tendências que estão modelando a saúde [Infográfico]

shutterstock_394732315

O Infográfico de hoje apresenta uma lista de tendências que vão mudar, ou já estão mudando, o mercado de saúde mundialmente.

Os fatores serão apresentados com explicações para você entender o que pode modelar e até mesmo direcionar as diretrizes, estão apontados na imagem como shapers e drivers respectivamente e ao final explicando a combinação dos dois para atingir insigts desse cenário.

01. Nos Estados Unidos, são gastos U$ 3.8 trilhões em Healthcare. Mesmo que possamos dizer que saúde é a atividade mais cara de qualquer país, esse é o país que mais gasta e modela o mercado de saúde mundial. Desse valor, 18% é destinado ao processamento de dados eletrônicos.

02. A reforma de pagamento no sistema de saúde realizada nos EUA ajudou a economizar cerca de U$ 380 milhões no ano.

03. O número de planos de saúde digital e contas digitais está aumentando consideravelmente e, em resposta, os prestadores passaram a oferecer serviços a la carte e planos personalizados para cada procedimento e perfil.

04. O quarto direcionador também é a nova geração de médicos mais abertos aos recursos digitais como mecanismo de praticidade na cadeia de saúde.

05. A internet e o uso da rede que aumentou e se espalhou de forma viral pelo mundo, outro driver excelente para o mercado de saúde

06. Armazenamento: É um driver no mercado, porque o espaço digital passou a ser tão valioso quanto o espaço físico e a expansão do uso de 12. 9 milhões de enfermeiras e médicos mostra a importância do espaço para armazenamento de arquivos.

07. Poder do consumidor é algo que só vai crescer com o aumento da demanda e do mercado em si. As informações e a facilidade das transações também ampliam esse poder, o engajamento vem nos levando ao atendimento remoto e à feedbacks personalizados.

08. As doenças crônicas em 2023 vão ter aumentado. Teremos 40% de aumento em doenças cardíacas e 50% câncer e diabetes.

09.  Envelhecimento da população aumentará e 20% da população terá a idade de mais de 65 anos.

10.  O Consumo de saúde e bem estar está aumentando consideravelmente com os anos e o mercado movimentará uma estimativa de U$ 6.5 bilhões em 2018.

11. Os usuários de Homecare serão 1.3 milhões nos EUA, pelo ano de 2020.

12. O investimento público americano em startups de saúde digital foi de U$ 2.3 bilhões no primeiro semestre de 2014.

13. A segurança do paciente e da informação sempre foi importante para a indústria. E cada vez mais as redes procuram estabelecer conformidades de privacidade e segurança para ampliar a proteção médica.

14. O sistema de saúde norte-americana Medicare incentiva a telemedicina com novos modelos para planos que incluem procedimentos do tipo.

15. Consultas de vídeo com médicos vão aumentar de 900.00 para 2.3 milhões em 2018.

16. 11 milhões de americanos são projetados para receber seguro de saúde e o número do gasto com saúde diminuirá de 11.4% para 9.1% em 2020.

17.  Ferramentas digitais sem-fio estão expandindo e o mercado está para atingir 112 milhões de unidades em 2018.

to day1

Bebês reagem à voz materna quando emitida através da vagina a partir da 16a semana de gravidez

MAASTRICHT, Holanda, 15 de junho de 2016 /PRNewswire/ -- O feto move a boca de maneira exagerada quando ouve uma voz humana. Isso ocorre a partir da 16ª semana de gravidez (com um feto de 11 cm) e apenas quando a voz chega a ele através de um dispositivo intravaginal criado para esse fim. Essa foi uma das conclusões do estudo apresentado pelo Dr. Álex García-Faura, diretor científico do Institut Marquès, no 25º Congresso Europeu de Medicina Pré-Natal realizado em Maastricht (Holanda).

Para visualizar o comunicado de imprensa em multimídia, clique em: http://www.multivu.com/players/uk/7859951-institut-marques-babies-react-mother-voice/

De acordo com o estudo os bebês não ouvem praticamente nenhum ruído externo e apenas reagem aos sons que chegam até eles através da vagina, o que confirma que raramente ouvem vozes através do abdômen da mãe. Suas reações foram estudadas utilizando-se o Babypod®, um pequeno aparelho que é inserido na vagina como um tampão e conectado a um telefone móvel, permitindo que a voz da mãe ou de outra pessoa atinja o feto.

"Um feto reage com movimentos de vocalização quando recebe mensagens de voz através da vagina da mãe. A resposta é diferente quando emitimos música e isso porque a voz e a música ativam circuitos diferentes do cérebro: a música ativa os circuitos dos neurônios que desencadeiam emoções", disse Dr. García-Faura, que comparou as diversas reações através do uso de ultrassons transabdominais. Sendo assim, 70% dos fetos movem a boca quando se conversa com eles; ao ouvir música, eles fazem movimentos mais complexos que também incluem a protrusão da língua.

Esse estudo faz parte da linha de pesquisas inovadoras do Institut Marquès baseando-se nos benefícios da música no início da vida. Os achados referentes ao reconhecimento da voz materna propõe um novo desafio: "Os fetos respondem da mesma maneira a todas as vozes, o que leva a uma nova pergunta: saber se as centenas de bebês já estimulados durante a gravidez serão capazes de reconhecer as vozes dos pais se as ouviram no útero durante a gravidez e também descobrir se isso representa um estímulo para o desenvolvimento da linguagem e da comunicação", diz o especialista.

Além de possibilitar a comunicação com o feto, o Babypod® é seguro e oferece aplicações médicas altamente importantes: excluir a possibilidade de surdez fetal e facilitar ultrassons quando a produção de respostas no bebê melhora a visualização das estruturas fetais.

Para mais informações acesse o website: http://institutomarques.com/area-cientifica/musica-y-estimulacion-fetal/.

Informações adicionais: 
Web:
http://www.institutomarques.com
http://www.babypod.net

Facebook:
http://www.facebook.com/musicinbaby /
http://www.facebook.com/institutomarques/

Twitter: @_Babypod

Institut Marquès
Mireia Folguera
mireia.folguera@institutomarques.com
+34-93-285-82-16 / 649-901-494

Weber Shandwick
Rocío Bueno
rbueno@webershandwick.com
+34-91-745-86-64 

(Foto: http://photos.prnewswire.com/prnh/20160613/378315 )

FONTE Institute Marquès

Conhecido como o Instagram para médicos, o aplicativo Figure 1 anuncia lançamento de sua versão em português

shutterstock_114081610

5.5-inch (iPhone 6+) - Screenshot 2 Figure 1, a maior plataforma global para compartilhamento e discussão de casos clínicos agora está disponível em português. A comunidade médica brasileira já pode compartilhar casos em sua língua nativa, além de continuar tendo acesso a milhares de casos em inglês. Esta é a primeira vez que o Figure 1, lançado em 2013, é disponibilizado em outro idioma.

Os profissionais da saúde brasileiros já compõem o sexto maior mercado no Figure 1 e estão entre os mais ativos na plataforma. Médicos e enfermeiros do Brasil utilizam a plataforma para aprender através da troca de experiências com mais de um milhão de profissionais da saúde de todo o mundo conectados através do Figure 1 - e também se destacam pela forma de articular discussões e compartilhar seus conhecimentos com o mundo.

A expertise da comunidade brasileira de profissionais da saúde e sua predisposição em colaborar na discussão de casos ficou particularmente evidenciada quando o vírus do Zika se transformou em uma epidemia global. Em um dos casos compartilhados, um médico de família respondeu à uma pergunta sobre como distinguir clinicamente Dengue e Zika:

“O Zika vírus provoca um quadro mais brando, a febre é baixa e quase sempre nem chega aos 38ºc. O exantema (manchas no corpo) é fugaz, aparece praticamente junto com a febre e é bastante pruriginoso. Já na Dengue a febre é alta e o exantema normalmente aparece entre 3 a 5 dias do início dos sintomas.”

“O aplicativo me auxiliou no diagnóstico diferencial de um caso de dengue, onde as outras suspeitas eram Zyka e Chykungunya”, conta o estudante de medicina da Universidade de Taubaté, Diego Tajes, que utiliza o Figure 1 na versão em inglês há quase dois anos.

Os casos do Zika vírus compartilhados no Figure 1 foram visualizados por milhares de profissionais da saúde do mundo inteiro, e para muitos consistiram na primeira oportunidade de acompanhar casos do vírus em tempo real, e desta forma aprender sobre seus principais sintomas e formas de diagnóstico.

"Sabemos que os profissionais da saúde brasileiros são alguns dos membros de maior destaque no Figure 1", diz o Dr. Landy, co-fundador do Figure 1. "Estamos entusiasmados em poder oferecer a oportunidade de que possam interagir em seu idioma nativo para que toda a comunidade médica do Brasil possa compartilhar seus conhecimentos e experiências com o mundo."

Mais de um milhão de profissionais da saúde em mais de 190 países utilizam o Figure 1. Isto o posiciona como a maior comunidade de profissionais da saúde do mundo, uma plataforma colaborativa onde é possível observar o que acontece no mundo da saúde em tempo real. Milhares de casos já foram compartilhados e visualizados mais de 1.5 bilhão de vezes. Com 65% dos estudantes da América do Norte utilizando o aplicativo como fonte de conhecimento, o Figure 1 representa o futuro da medicina.

O Figure 1 faz parte de uma mudança de paradigma promovida pelo movimento “mobile health”, que vem derrubando barreiras no processo de compartilhamento de informação na área da saúde. O aplicativo desafia o método tradicional de estudo de casos clínicos oferecendo uma forma instantânea e colaborativa para discussão de casos clínicos reais.

Ao baixar o aplicativo gratuito, disponível para iOS e Android, o usuário pode tirar fotos, usar as ferramentas disponíveis para ocultar informações de identificação do paciente, e utilizar um termo de consentimento com assinatura digital adaptado à legislação brasileira. Em questão de minutos o caso pode ser compartilhado dentro de uma comunidade global para sua discussão.

InterSystems é reconhecida pela 18ª vez consecutiva no ranking Healthcare Informatics 100

shutterstock_108722111

A InterSystems, líder global em software para saúde conectada, foi classificada, pelo 18º ano seguido, entre as maiores fornecedoras globais de TI pela revista Healthcare Informatics, uma das principais publicações do mundo sobre a indústria da saúde. A empresa ficou com a 31ª posição na edição 2016 da Healthcare Informatics 100, que selecionou as maiores empresas fornecedoras de tecnologia para o setor de saúde com base nas receitas obtidas com a venda de produtos e serviços de TI em saúde, referentes ao mercado americano em 2015.

Confira a lista completa aqui: http://www.healthcare-informatics.com/HCI100?sort_by=field_hci100_rank_value&sort_order=ASC&page=1

Sobre a InterSystems

A InterSystems fornece os mecanismos por trás das aplicações mais importantes do mundo. Em Saúde, Serviços Financeiros, Governo e outros setores onde vidas e informações críticas estão em jogo, a InterSystems tem sido um fornecedor estratégico de tecnologia desde 1978. A InterSystems é uma empresa privada com sede em Cambridge, Massachusetts (EUA), com escritórios pelo mundo inteiro, e seus produtos são usados diariamente por milhares de pessoas em mais de 100 países. Para mais informações, visite: InterSystems.com.br.

Como a mobilidade pode diminuir custos operacionais?

shutterstock_130385540

A tecnologia veio para ficar e, apesar de muitas vezes ter custos elevados de implementação, ela, a tecnologia, beneficia as empresas com a diluição dos valores investidos ao longo do tempo. Além disso, as  corporações da área da saúde que optam por atualizações tecnológicas oferecem capacidade produtiva mais elevada, pois permite o trabalho remoto e oferece aos funcionários as melhores alternativas para atendimentos de qualidade.

Sobre a diminuição de custos:

O uso da tecnologia em hospitais, clínicas e laboratórios  oferece uma série de vantagens que impactam diretamente nos custos da operação. Ao adotar um sistema de gestão de dados e arquivos seguro e em conformidade com as regras dos órgãos regulatórios da saúde, por exemplo, as salas destinadas aos arquivos são dispensadas e podem ser utilizadas para outras finalidades.

Outra forma de reduzir custo é evitar a rotatividade do corpo clínico. Ao oferecer mobilidade para o trabalho, o profissional tem acesso completo aos dados de um paciente e pode preencher a parte burocrática no conforto da própria casa ou até mesmo dentro de um táxi - e de forma segura. Oferecer a possibilidade de médicos conversarem para trocar informações de maneira remota e protegida faz com que os pacientes tenham qualidade no atendimento e ter um excelente atendimento coloca a marca da corporação em novos patamares.

Uma lista de vantagens para quem adota soluções móveis seguras:

  • Oferecer serviços de qualidade: aparelhar a equipe com mobilidade significa organizar as informações, ter a disposição exames e laudos evolutivos, sem contar que médicos e enfermeiros podem se comunicar com colegas que não estão presentes fisicamente.
  • Aumento da produtividade: os deslocamentos, principalmente nas grandes capitais são caóticos. O serviço de mobilidade segura permite que os funcionários trabalhem em trânsito ou até mesmo remotamente.
  • Proteger as informações: a solução utilizada nos países de primeiro mundo, e que oferece o serviço de nuvem, permite diferentes tipos de acesso, por diferentes aparelhos e de maneira segura. Isso facilita a vida da equipe médica que pode trabalhar tanto em desktops, como nos dispositivos móveis particulares.
  • Modernização da TI: com informações em ambiente digital é necessário rever as políticas de segurança de cada empresa. Sem contar que é possível expandir a corporação fisicamente sem se preocupar com instalação de novos computadores.

É inevitável que empresas que atuam na área da saúde se modernizem nos conceitos de TI. Hospitais importantes dos Estados Unidos como o Hennepin County Medical Center (HCMC) e o Kaweah Delta Medical Center (KD) já funcionam de maneira mais eficiente e provam que investimentos em tecnologia são fundamentais para a expansão dos negócios e para a produtividade da equipe.

DaVita leva cuidados renais de primeira classe para os pacientes no Brasil

DENVER, 13 de junho de 2016 /PRNewswire/ -- A DaVita Kidney Care, uma divisão da DaVita HealthCare Partners Inc. (NYSE: DVA) e prestadora global de serviços de terapia renal, anunciou hoje a aquisição do seu primeiro centro de diálise no Brasil, onde a empresa irá tratar e apoiar os pacientes com doença renal crônica (DRC) em Uberlândia.

"Este é um momento histórico na estratégia da nossa empresa para fornecer um tratamento de excelência aos pacientes no Brasil e ao redor do mundo", disse Kent Thiry, presidente e CEO da DaVita. "Embora esse seja o marco da nossa primeira aquisição, estamos ansiosos para, em um futuro próximo, investir em muitas outras clínicas de tratamento renal da mais alta qualidade."

Nos EUA, a DaVita Kidney Care é amplamente reconhecida por seus resultados clínicos de alta qualidade que guiam todos os outros principais provedores de diálise, de acordo com os programas QIP e Five-Star do Centers for Medicare and Medicaid Services. A abordagem amigável dos colegas de equipe da DaVita no local de trabalho lhe rendeu inúmeros prêmios nacionais, tornando-se o empregador mais procurado pelos médicos, bem como pelos líderes empresariais.

"A intenção da DaVita de fazer parceria com médicos e equipes de atendimento para oferecer excelentes resultados para os pacientes e experiências incrivelmente positivas em clínicas foi um diferencial quando estávamos considerando as opções", disse o Dr. Helio Teixeira, ex-proprietário do Instituto do Rim Ltda. Em Uberlândia, uma clínica em Uberlândia adquirida pela DaVita.

"Somos conhecidos por sermos, em primeiro lugar, uma comunidade e depois uma empresa", disse Jeff Hemminger, diretor executivo da DaVita no Brasil. "Estamos honrados em expandir a nossa comunidade à medida em que saudamos nossos novos pacientes e colegas de equipe em Uberlândia."

Estima-se que 10 por cento da população mundial DRC e muitos não sabem disso porque os sintomas passam despercebidos, até que a doença avance para a insuficiência renal completa.  Para saber mais sobre doença renal ou sobre as operações internacionais da DaVita, visite DaVita.com/International.

Sobre a DaVita Kidney Care

DaVita Kidney Care é uma divisão da DaVita HealthCare Partners Inc., uma empresa listada pela Fortune 500 que, através de suas divisões operacionais, oferece uma variedade de serviços de saúde para as populações de pacientes na nao só nos Estados Unidos MAs em todo o Mundo. Uma provedora líder de serviços de diálise nos Estados Unidos, a DaVita Kidney Care trata pacientes com insuficiência renal crônica e doença renal terminal. A DaVita Kidney Care se esforça para melhorar a qualidade de vida dos pacientes por meio da inovação de cuidados clínicos e da oferta de planos de tratamento integrados, equipes de cuidados personalizados e serviços de gestão de saúde convenientes. Em 31 de março de 2016, a DaVita Kidney Care realizou ou prestou serviços administrativos em 2.402 centros ambulatoriais de diálise em todo mundo atendendo aproximadamente 192.000 pacientes. A DaVita Kidney Care suporta vários programas dedicados a criar uma mudança positiva e sustentável em comunidades. Para obter mais informações, visite DaVita.com.

DaVita e DaVita HealthCare Partners são marcas comerciais ou marcas comerciais registradas da DaVita HealthCare Partners Inc.

Declarações prospectivas

Este comunicado contém declarações prospectivas de acordo com as leis federais de valores mobiliários nos Estados Unidos, incluindo declarações relacionadas ao crescimento previsto e prospectivo de alguns dos nossos empreendimentos internacionais, aos resultados clínicos que eles possam fornecer, à nossa estratégia de crescimento para expansão global e às prospectivas ou nossas expectativas em relação ao crescimento futuro. Os fatores que podem afetar os resultados futuros incluem os riscos e as incertezas associados com a nossa capacidade de consumar com sucesso qualquer transação que possamos anunciar ou operar com sucesso qualquer negócio que possamos adquirir, a expansão de nossas operações e serviços para os mercados fora dos Estados Unidos, regulamentos governamentais locais, condições econômicas gerais e outras condições do mercado local, além dos fatores de risco estabelecidos em nossos registros com a Comissão de Valores Mobiliários dos EUA, incluindo nosso Relatório Anual no Formulário 10-K para o ano encerrado em 31 de dezembro de 2015 e relatórios trimestrais subsequentes arquivados no Formulário 10-Q. As declarações prospectivas deverão ser consideradas à luz desses riscos e incertezas. Baseamos nossas declarações prospectivas em informações atualmente disponíveis para nós no momento deste comunicado, e não assumimos nenhuma obrigação de atualizar ou revisar quaisquer declarações prospectivas, seja como resultado de alterações nos fatores subjacentes, de novas informações, de eventos futuros ou de outros motivos.

Informações para contato
Mídia
Ashley Henson
+1 303.876.6626
+1 937.477.5242
Ashley.Henson@DaVita.com

Logo - http://photos.prnewswire.com/prnh/20140318/DC85712LOGO

FONTE DaVita Kidney Care

As 10 Startups brilhantes de 2016

shutterstock_107760329

O Portal Entrepreneur reuniu entre as 100 dez melhores ideias de startups brilhantes, 1o delas que são de Healthcare e prometem resolver os problemas, grandes ou pequenos de saúde e bem-estar. Aqui está a lista:

01. Akili Interactive Labs - Projeta ferramenta de jogos e vídeo games para tratar de pacientes com doenças como TDAH e Alzheimer.

02. Care At Hand - Plataforma de pesquisas que pode prever o risco do paciente em hospitalização entre visitas do médico, fazendo a comunicação entre os cuidadores e os profissionais da saúde.

03. Lola - Companhia feita por mulheres e que vende absorventes de algodão 100% natural e aplicadores de plástico sem BPA, com transparência total.

04. Oscar - A empresa de seguro de saúde já possui 145.000 clientes, possui uma linguagem fácil e explicação simples sobre os benefícios.

05. Vitals - Plataforma digital que premia os consumidores responsáveis do seguro de saúde. Em 2015, a Goldman Sachs liderou uma rodada de investimentos de U$ 40 milhões para a startup.

06. Iodine - Empresa que lança aplicativos para ajudar pacientes e explicar doenças específicas e remédios para o tratamento aos consumidores. O Start, por exemplo, é um app da companhia que ajuda pacientes com depressão a rastrear as melhoras do tratamento.

07. Livongo - Um aplicativo que ajuda a monitorar remotamente sinais dos pacientes, funciona como glicosímetro e pedômetro, seguindo os status do diabético e monitorando o tratamento.

08. Celmatix - Processa dados médicos de milhares de mulheres para prever quais tratamentos de fertilidade são melhores para resultar em uma gravidez de forma personalizada. Eles também estão desenvolvendo um teste genérico para prever infertilidade.

09. Emulate - Realiza pesquisas em medicamentos e testam em microchips que simulam órgãos humanos e os resultados são mais precisos do que em células e animais.

10. Hometeam - Oferece cuidados homecare para idosos com oferecimento de um iPad a cada família com atualizações regulares da saúde do paciente.