Abrafarma anuncia novo conselho diretivo

Abrafarma anuncia novo conselho diretivo
Data: 03/11/2014 Hora: 16:00 Editoria: Empresas Reporter: Luciana Marinelli Local: Sede do Grupo Pague Menos. Rua Senador Pompeu, 1520, Centro, Fortaleza/CE Pauta: entrevista com o presidente do Grupo Pague Menos, DEUSMAR QUEIROS Personagem: DEUSMAR QUEIROS, presidente da Pague Menos. Tags: DEUSMAR QUEIROS, Pague Menos, Fortaleza, ceara, Farmacias, Retrato, Personagem, Economia, Mercado, Empresas. Foto: Jarbas Oliveira/Valor

A Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) anuncia seu novo conselho diretivo para um mandato de dois anos, válido até maio de 2018. Fundador e presidente do conselho das Farmácias Pague Menos (CE), Francisco Deusmar de Queirós foi eleito por aclamação para a presidência da entidade, que congrega as 28 maiores redes do varejo farmacêutico nacional.

A eleição ocorreu em assembleia realizada no último dia 31 de maio, com a presença dos presidentes de todas as associadas. O quadro de dirigentes inclui também o vice-presidente Eugenio De Zagottis (Raia Drogasil-SP), o diretor financeiro Modesto Carvalho de Araújo Neto (Araujo-MG), o diretor de relações institucionais Gilberto Martins Ferreira (Drogaria São Paulo-SP) e o diretor de planejamento Julio Ricardo Mottin Neto (Panvel-RS).

Queirós já ocupou o posto de presidente da Abrafarma no período de 2000 a 2002. “Hoje, assumo o comando da entidade cujas associadas devem somar um faturamento superior a R$ 40 bilhões neste ano, enquanto todo o varejo farmacêutico nacional deve chegar a R$ 84 bilhões”, ressalta.

O novo presidente reiterou ainda o compromisso de auxiliar na modernização das redes, capacitando farmacêuticos e aperfeiçoando os serviços clínicos, por meio do projeto de Assistência Farmacêutica Avançada. “Seguiremos em linha com nosso principal objetivo, que é o de assegurar conforto, bem-estar e conveniência à população. E a julgar pela visível evolução do setor nos últimos anos, acompanhando tendências internacionais, estamos no caminho certo”, ressalta.

Sérgio Mena Barreto permanece à frente da presidência executiva, tendo como secretária executiva Sandra Alves de Lima. “Vamos reforçar nosso empenho na defesa dos principais interesses da atividade, ao trabalhar pelo amplo acesso à saúde e contra a elevada carga tributária aplicada sobre os medicamentos”, acrescenta.

Confira abaixo os integrantes da diretoria:

Conselho Diretivo (2016-2018)

Presidente - Francisco Deusmar de Queirós

Vice-Presidente - Eugenio De Zagottis

Diretor Financeiro - Modesto Carvalho de Araújo Neto

Diretor de Relações Institucionais - Gilberto Martins Ferreira

Diretor de Planejamento - Julio Ricardo Mottin Neto

Diretoria Executiva (2016-2018)

Presidente-Executivo - Sérgio Mena Barreto

Secretária-Executiva - Francisca Sandra Alves de Lima

Suplentes do Conselho Diretivo (2016-2018)

Armando Ahmed

Eduardo Pereira de Souza

Marcelo Delfini Cançado

Conselho Fiscal (2016-2018)

Hayato Takeda

Renato Cavalheiro Garcia

Rubens Benedito Augusto

Sobre a Abrafarma

Fundada em 1991, a Abrafarma reúne as 28 maiores redes de farmácias do País, que contam com 6.009 lojas em todos os estados brasileiros e Distrito Federal. As redes associadas representam cerca de 44,5% das vendas de medicamentos no País, tendo realizado mais de 833 milhões de atendimentos em 2015, com vendas totais de R$ 35,94 bilhões. A associação tem como objetivo o aprimoramento das empresas filiadas, a preservação da imagem institucional, o relacionamento com entidades públicas, governo e fornecedores, além de apoio jurídico e pesquisa de mercado para o aperfeiçoamento das atividades.

Acesse www.abrafarma.com.br

Siga no Facebook (@abrafarma), no Twitter (@abrafarma),

no Linkedin (Abrafarma) e no Instagram (@abrafarma)

#abrafarma #varejofarmaceutico

InterSystems lança sistema de gestão para laboratórios, TrakCare Lab Enterprise

shutterstock_66132013

A InterSystems, líder global em Tecnologia de Informação para Saúde, anunciou o lançamento do TrakCare Lab Enterprise, primeiro sistema de gerenciamento de negócios para laboratórios do mundo. A nova solução já está sendo implementado no Gloucestershire Hospitals NHS Foundation Trust e no Northern Devon Healthcare NHS Trust, no Reino Unido.

O TrakCare Lab Enterprise, embora também disponível de forma isolada, é um módulo chave incorporado ao sistema de informação para saúde, o InterSystems TrakCare®. Ambas as instituições, Gloucestershire Hospitals NHS e Northern Devon NHS Trust, estão implementando o TrakCare Lab Enterprise fazendo com que essas sejam as implantações mais amplas do TrakCare.

“Serviços de patologia em todo o mundo estão passando por rápidas mudanças”, destaca Martin Wilkinson, diretor de Introdução a Produtos, Estratégia e Adoção de Usuários da InterSystems. “Estas mudanças estão sendo impulsionadas pelos avanços em cuidados médicos, demandas de gerenciamento de doenças crônicas, bem como pela implementação da consolidação e especialização laboratorial”.

O TrakCare Lab Enterprise foi idealizado para ajudar os clientes da InterSystems neste segmento a transformarem seu modelo, baseado em um serviço reativo de teste e resultados – tipicamente apoiados por dados e soluções de gestão analítica tradicionais – para uma organização orientada a dados capazes de atender as crescentes expectativas em relação à patologia moderna, a qual estuda as causas das doenças e sua evolução a nível molecular utilizando ferramentas da genética e análise bioquímica.

“Atualmente os médicos querem relatórios de resultados de testes sob medida, visualizando-os junto aos sistemas de registro médico eletrônico”, afirma Wilkinson. “Agências de saúde pública estão demandando informações para biovigilância (mecanismo de averiguação de procedimentos e produtos em relação a questões de saneamento básico – no Brasil realizado pela ANVISA - Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e abordagem proativa à prevenção de doenças. Ao mesmo tempo, laboratórios estão sendo pressionados para entregar mais resultados de testes a um custo menor”.

Enquanto suporta práticas modernas de negócios laboratoriais, o TrakCare Lab Enterprise também permite a otimização das operações, reduzindo o tempo de resposta para tarefas repetitivas, incluindo a captura de dados necessários e a entrega de feedback sobre resultados de desempenho. Isto fornece visibilidade, controle e prestação de contas, equivalentes a de um ERP ao longo de todos os processos de testes.

Criado com base na plataforma de informática para saúde, o TrakCare Lab Enterprise permite às organizações capturar, compartilhar, compreender e agir sobre um dado para melhorar a tomada de decisões operacionais. A solução também simplifica a administração e apoia planejamentos efetivos e responsivos para o futuro.

Hospital da Arábia Saudita alcança Estágio 7 de EMRAM do HIMSS Analytics com InterSystems TrakCare

shutterstock_165931877

O King Khaled Eye Specialist Hospital (KKESH), situado no Reino da Arábia Saudita, entrou para o grupo de elite dos únicos nove hospitais fora dos Estados Unidos a alcançarem o Estágio 7 de EMRAM do HIMSS Analytics, empresa de pesquisa e análise global. O reconhecimento indica que o hospital está aplicando o mais alto nível de tecnologia de informação clínica e mecanismos de segurança para fornecer os melhores cuidados médicos. Segundo a instituição, o InterSystems TrakCare - sistema unificado de informação de saúde, da InterSystems, empresa líder em Tecnologia de Informação para saúde – é um dos grandes responsáveis por esta conquista.

Segundo funcionários do KKESH, o TrakCare auxiliou a instituição a alcançar o Estágio 6 de EMRAM cinco meses após a implantação da solução, e o Estágio 7 em apenas dois anos. Com a ajuda do TrakCare, a organização do Oriente Médio consolidou a informação clínica e administrativa de todos os pacientes em um único banco de dados com interface amigável, ao mesmo tempo em que integrou outros sistemas de TI existentes no hospital.

O Estágio 7 do HIMSS Analytics compreende a informatização completa da organização de saúde, exigindo: Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) completo e em pleno uso por todos os setores do hospital; Integração para compartilhar informações clínicas; Armazenamento de informações relacionadas as atividades da organização em bancos de dados, de forma consolidada para alimentar relatórios com resultados clínico-assistenciais, qualidade e Business Intelligence (BI); e Dados clínicos disponíveis entre todos os setores: emergência, internação, UTI, ambulatório e centro cirúrgico.

Com a informatização dos processos clínico-hospitalares, o KKESH posiciona-se como um dos hospitais que menos utilizam papel no mundo, de acordo com o HIMSS Analytics. O King Khaled Eye Hospital Specialist será reconhecido no Ministério da Saúde do Reino da Arábia Saudita e no HIMSS Middle East Conference 2016, que acontece nos dias 12 e 13 de outubro, no Four Seasons Hotel, Riyadh, Arábia Saudita.

Sobre a InterSystems

A InterSystems fornece os mecanismos por trás das aplicações mais importantes do mundo. Em Saúde, Serviços Financeiros, Governo e outros setores onde vidas e informações críticas estão em jogo, a InterSystems tem sido um fornecedor estratégico de tecnologia desde 1978. A InterSystems é uma empresa privada com sede em Cambridge, Massachusetts (EUA), com escritórios pelo mundo inteiro, e seus produtos são usados diariamente por milhares de pessoas em mais de 100 países. Para mais informações, visite: InterSystems.com.br.

A gamificação da saúde para pacientes engajados

shutterstock_199664267

Lançada há pouco tempo pela aceleradora Alchemist a Sempre Health é uma startup norte-americana que tem a proposta inovadora em reduzir o custo de medicamentos de prescrição a partir da recompensa aos pacientes ao adotar um estilo de vida saudável.

O plano é gamificar a saúde e incentivar o bom comportamento em relação ao próprio tratamento, esse serviço é comparado ao desconto dado pelas seguradoras aos motoristas responsáveis ao pagar o seguro. No caso da Sempre, o "bom comportamento" é projetado para aliviar o custo no ponto de venda para aqueles que não conseguiriam comprar o medicamento sem esse recurso.

A ideia atingiu o co-fundador, Anurati Mathur, cientista de dados, fundador e cientista de dados da Propeller Health, quando teve uma experiência em que se afastou de sua prescrição ao descobrir sairia U$ 150,00 do do próprio bolso. "As pessoas poderão salvar o dinheiro que irão gastar no sistema de saúde. Toda vez que o paciente tomar um medicamento, ir ao médico para um exame, obter uma mamografia ou colonoscopia está sendo um paciente responsável", diz Mathur. "O seu bom comportamento é usado como moeda, com o Sempre Saúde, estamos criando um mundo em que comportamento pode subsidiar sua despesa".

Como funciona

Dados comportamentais das farmácias são repassados para a Sempre Health, como as prescrições e outras informações. assim monitorando o consumidor no ponto de venda. Para garantir e incentivar a conformidade dos regimes de tratamento, a empresa fornece avisos via SMS e outras plataformas com o auxilio da análise de empresas parceiras que trabalham com software da empresa, analisando e tirando as informações valiosas dos dados coletados.

As companhias com essa finalidade estão procurando auxilio governamental e parceiras do estado para encontrar melhor acesso à todas as farmácias do país de forma que elas também reduzam os preços dos medicamentos por reivindicações legais.

Enquanto isso outras empresas no mercado também buscam meios de engajar o paciente ao tratamento do mesmo, como reduzir universalmente o preço dos medicamentos através de parcerias mais complexas. Empresas como a GoodRx e Blink Health estão com o objetivo de reduzir o custo dos medicamentos prescritos, mas eles  com objetivos de fazê-lo através da informação, como a GoodRx que oferece os preços para comparação dos remédios em diferentes pontos de vendas, já a Blink Health oferece os menores preços para e-commerce e a localização das farmácias mais próximas para a retirada do pedido.

Leia mais sobre o artigo aqui.

Canal de Denúncias do Ética Saúde contabiliza quase 1200 denunciados

shutterstock_245893798

Em 10 meses, o  - Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos Implantáveis (www.eticasaude.com.br) já recebeu 366 denúncias com informações de suspeitas e indícios de irregularidades. Ao todo, 1195 denunciados foram citados, sendo 467 distribuidores (39%), 403 médicos (33,7%), 163 hospitais (13,6%), 86 importadores (7,2%) e 76 fabricantes (6,4%). 384 são signatários do Ética Saúde e 811 não.

O Estado com o maior número de denúncias é São Paulo (92), seguido de Mato Grosso do Sul (54), Mato Grosso (48), Rio Grande do Sul (41), Maranhão (21), Rio de Janeiro (20), Paraná (18), Espírito Santo (11), Bahia (11) e Pernambuco (10). Os demais estados somam 40 chamados.

O assunto que mais registra relatos é “Concessão de incentivos pessoais ou comissões para indução de prescrição de produtos ou uso de material”, com 163 denúncias. Em seguida vem “Paciente/Laudo Médico”, com 38 casos, e “Prática de doação de equipamento ou instrumental com o intuito de obter vantagem indevida”, com 30 registros.

O principal meio de contato foi o site (317), seguida de ligação telefônica (43). E 310 das 366 denúncias foram anônimas e 56 identificadas. As denúncias ao Canal de Denúncia podem ser feitas de forma anônima ou identificadas pelo www.eticasaude.com.br ou pelo 0800-741-0015.

No mês de maio o Conselho de Ética do Instituto Ética Saúde instaurou os primeiros procedimentos disciplinares de denúncias contra signatárias que estavam sob investigação. As acusadas terão 10 dias para se pronunciar, após serem notificadas. Assim que apresentarem suas defesas, os processos voltam para os conselheiros, que vão analisar caso a caso e já aplicar as sanções.

As denúncias que não envolvem nenhuma empresa signatária serão encaminhadas à Associação Nacional do Ministério Público de Defesa da Saúde (AMPASA), com a qual o Ética Saúde assinou um Acordo de Cooperação que garante um encaminhamento eficaz.

As punições previstas para as signatárias consideradas culpadas são: recomendação, advertência, suspensão ou exclusão da empresa denunciada do Ética Saúde, criando assim um Cadastro Positivo.

ÉTICA SAÚDE  - logo novoSobre o Ética Saúde

O Ética Saúde surgiu em junho de 2015 com o Acordo Setorial - Importadores, Distribuidores e Fabricantes de Dispositivos Médicos para autorregular o mercado. Uma iniciativa do Instituto Ethos e da ABRAIDI, logo se tornou um marco na saúde. No início de 2016, o Ética Saúde passou a ter personalidade jurídica e virou um Instituto.

O Instituto Ética Saúde busca garantir a segurança do paciente por meio de uma conduta ética entre paciente e médico em um ambiente de concorrência justa e transparente. Os objetivos consentidos do Instituto Ética Saúde incluem evitar incentivos ilegais ou antiéticos para agentes públicos e privados, prática de atos médicos ilegais ou antiéticos, evasões fiscais, irregularidades regulatórias, concorrência desleal, violação de direitos do consumidor e falsificação.

Este arcabouço será fiscalizado por meio de denúncias anônimas ou identificadas, com apuração justa e realização de um cadastro público positivo, para revelar à sociedade quais empresas atuam efetivamente de forma ética. O Canal de Denúncias é administrado de forma independente pela ICTS Protiviti, empresa premiada pela Controladoria Geral da União – CGU como sendo "Pró-Ética", em 2015.

O Instituto Ética Saúde tem a governança formada por uma Assembleia Geral, onde fazem parte todos os associados; um Conselho de Administração, com mandato de dois anos e eleito pela Assembleia Geral; um Conselho Consultivo com representantes de entidades de todos os segmentos do setor de saúde; e o Conselho de Ética, órgão de caráter disciplinar formado por três integrantes, sem qualquer vínculo com o setor de saúde.

Funfarme/Hospital de Base entrega UTI e Unidade de Internação de Hematologia Oncológica

UTI nova 7 andar (4)

As Diretorias da Funfarme – Fundação Faculdade Regional de Medicina e do Hospital de Base de São José do Rio Preto (HB) entregaram mais dois novos setores do complexo hospitalar: uma nova UTI e uma Unidade de Internação de Hematologia Oncológica. As novas unidades oferecem ambientes mais seguros, humanizados e adequados ao perfil dos pacientes do Sistema Único de Saúde ali internados.

A entrega destas duas unidades, assim como as dezenas de novas instalações inauguradas nos últimos anos, reforçam o compromisso do complexo hospitalar de ser cada vez mais referência em corpo clínico e multiprofissional e em infraestrutura, destacou o diretor-executivo da Funfarme, Dr. Horácio José Ramalho. “A crise em que vive o Brasil não nos intimida. A comunidade da Funfarme empenha-se ao máximo por saber que tem a responsabilidade de oferecer o melhor aos nossos pacientes e à população.”

O diretor administrativo do Hospital de Base, Dr. Jorge Fares, lembrou que as unidades beneficiam também os profissionais da instituição. “Nossos colegas terão ainda mais prazer e alegria ao trabalharem nestes novos setores, o que seguramente repercute no atendimento aos pacientes.”

As novas e modernas unidades também beneficiam a população na medida em que proporcionam ambientes ideais para o aprendizado e aprimoramento dos médicos e demais profissionais de saúde que atuam na fundação, ressaltou o diretor-geral da Famerp – Faculdade de Medicina de Rio Preto, Dr. Dulcimar Donizeti de Souza.

UTI do 7º andar

Com 250 metros quadrados e 10 leitos, a UTI foi totalmente reformulada e recebeu os mais modernos equipamentos para o monitoramento de pacientes da Neurocirurgia, o que vai permitir à equipe multiprofissional realizar diagnósticos mais precoces e precisos. “Isso é fundamental para que possamos atuar mais rapidamente e forma precisa e segura em pacientes para os quais o tempo é precioso”, explica Dr. Dionei Freitas de Morais, chefe do Serviço de Neurocirurgia do Hospital de Base.

“O HB possui seguramente um dos maiores Serviços de Terapia Intensiva do Brasil, com profissionais altamente qualificados e a melhor infraestrutura que podemos dispor”, completa Dra. Suzana Lobo, coordenadora do Serviço de Medicina Intensiva do hospital.

Unidade de Internação de Hematologia Oncológica

Localizada no 6º andar do HB, a nova Unidade de Internação de Hematologia Oncológica conta com médicos e profissionais de enfermagem especializados no atendimento de pacientes imunodeprimidos. Estes terão também um ambiente seguro e confortável, em área de 150 metros quadrados com 8 leitos, distribuídos em quatro quartos, equipados com televisões e frigobares.

Toda a ala está equipada com filtros HEPA, um dos dispositivos mais eficazes do mundo para reter impurezas no ar, o que assegura um alto nível de proteção contra a circulação de microorganismos. “Temos uma equipe e instalações que nos permitem oferecer um atendimento igual ao dos melhores centros do mundo nesta área, com segurança e conforto para nossos pacientes”, afirmou o médico hematologista Otavio Ricci.

A Unidade de Internação de Hematologia Oncológica receberá o nome de José da Silva Nascimento, justa homenagem da Funfarme e sua comunidade ao militar aposentado que, enquanto se tratava de um câncer no HB, disse à família que, em caso de morte, seu bem mais precioso, um Maverick 1974, fosse doado ao hospital para ser sorteado e a renda revertida à instituição. Desejo atendido, o dinheiro arrecadado complementou o montante investido pela Funfarme na infraestrutura e equipamentos da Unidade Hematológica.

5º FÓRUM DA SAÚDE E BEM-ESTAR é palco para debate sobre os principais temas do setor

SÃO PAULO, 1 de junho de 2016 /PRNewswire/ -- Para David Uip, secretário da Saúde do Estado de São Paulo, "a política pública contra uma epidemia envolve as gestões federal, estadual e municipal". Segundo ele, a prevenção, com a criação de vacinas e a realização de pesquisas no País, é o melhor caminho. O secretário foi um dos palestrantes do 5º FÓRUM DA SAÚDE E BEM-ESTAR, evento promovido pelo LIDE – Grupo de Líderes Empresariais e LIDE SAÚDE, ontem (31), no Hotel Grand Hyatt, em São Paulo.

Uip debateu ao lado de Alexandre Padilha, secretário da Saúde da Cidade de São Paulo, sobre as epidemias no Brasil ­- e como combatê-las -, sem isentar responsabilidades das esferas municipal, estadual ou federal. Ponderados os casos de dengue, chikungunya e zika vírus, o destaque ficou pelos números.

"Nos primeiros cinco meses de 2015, foram 898 mil casos de dengue, com 476 mortes. Em 2016, foram 300 mil casos, com 49 mortes. A chikungunya preocupa, pois houve 63 casos autóctones (criados dentro do Estado), enquanto, em 2015, não houve nenhum. Já a zika, em 2015, tivemos 39 casos confirmados. Nesse ano, até março, foram 1470, e um caso de microcefalia", pontuou o secretário. Ele também mencionou atenção sobre a sífilis e o vírus HIV, que passa por nova epidemia. "Morrem oito paulistas por dia em razão da Aids. O tratamento evoluiu, mas a doença ainda causa preocupação".

Os painéis seguintes contaram com exposições da médica pneumologista do Instituto do Sono, Luciane Fujita, que abordou longevidade e sono: "Perdem-se 27 minutos de sono por década até os 80 anos". Depois, Moisés Cohen, chefe de departamento de Ortopedia da FMUSP, comentou que "nas décadas de 70 e 80, houve um aumento de lesões pelo excesso de exercícios. Do outro lado, a vida sedentária mata aproximadamente dois milhões de pessoas por ano". Claudio Lottenberg, presidente do LIDE SAÚDE e do Hospital Albert Einstein, ressaltou a importância de identificar tecnologias que, de fato, sejam efetivas para o paciente, e também das bases de dados, para que as informações sejam mais bem aproveitadas.

O Fórum teve patrocínio da EMS e apoio da PHILIPS e SANOFI. Participação do HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN, com a colaboração de 3M, HOSPITAL BENEFICIÊNCIA PORTUGUESA, NESTLÉ e RV ÍMOLA. Fornecedores oficiais ANTILHAS, ECCAPLAN, GRUPO CDI, NBS, NESCAFÉ DOLCE GUSTO, NESTLÉ, RODOBENS COMUNICAÇÃO e ROOTS TO GO. As rádios BAND AM, BAND NEWS FM, BRADESCO ESPORTE, as revistas ISTOÉ, ISTOÉ DINHEIRO, PENSE LEVE, o jornal PROPMARK e a PR NEWSWIRE, foram os mídia partners.

Contato: Erica Valério
ericavalerio@grupodoria.com.br / 11 3039-6098

FONTE 5º FÓRUM DA SAÚDE E BEM-ESTAR

Novos dados sobre o tratamento Stretta para DRGE revelam eficácia de dez anos em pacientes com quadros  difíceis

Novos dados e nova geração do Stretta apresentados na DDW2016   

NORWALK, Connecticut, 1 de junho de 2016 /PRNewswire/ -- A Mederi Therapeutics Inc., fabricante do Tratamento Stretta para doença de refluxo gastroesofágico (DRGE), anunciou a apresentação de dados novos na semana passada, durante a Digestive Disease Week® (DDW) 2016, em San Diego. Esses novos dados de dez anos mostram a eficácia do Stretta em três tipos específicos de pacientes com DRGE não clássica: aqueles com alto índice de massa corporal (IMC), com sintomas respiratórios de DRGE, e os que sofrem de DRGE recorrente depois de cirurgia anti-refluxo. As atividades da DDW incluíram o lançamento do novo sistema Stretta RFT3, e quatro apresentações por médicos especializados em Stretta em âmbito internacional. 

Dados de dez anos
Os dados, apresentados pelo dr. Mark Noar (do Centro para Estudos de Refluxo e Azia de Townson, MD), examinaram subgrupos de pacientes com DRGE com quadros difíceis que foram incluídos no seu estudo publicado com dados de dez anos, e demonstraram que todas essas populações de pacientes tiveram resultados primários de alívio de sintomas a longo prazo, redução do uso de medicamentos e satisfação do paciente. 

  • O Stretta é eficaz no tratamento de DRGE medicamente refratária, independentemente do IMC. Setenta e três pacientes compondo três subpopulações de IMC (normal, acima do peso e obeso) foram estudados. No estudo de acompanhamento de dez anos, todos os parâmetros apresentaram melhoria significativa em termos estatísticos, independentemente do IMC.   
  • O Stretta é eficaz no refluxo laringofaríngeo (RLF). Noventa e nove pacientes com RLF refratário e não refratário foram estudados. No estudo de acompanhamento de dez anos, todos os parâmetros apresentaram melhoria significativa em todo o  coorte pesquisado. 
  • Nos pacientes com DRGE refratária após uma Fundoplicatura de Nissen Laparoscópica (FNL), o Stretta resultou em melhoria sustentada com quase equivalência e resultados ligeiramente melhores que o coorte sem FNL. Dezoito pacientes com FNL refratária (RFNL+S) e 81 pacientes com DRGE refratária padrão foram estudados. No estudo de acompanhamento de dez anos, os dois subgrupos de pacientes demonstraram melhoria estatisticamente significativa nos resultados primários. 

Cerca de 30% dos adultos sofrem de DRGE crônica. Muitos desses pacientes estão insatisfeitos com o uso de inibidores de bomba de prótons (IBP) ou estão preocupados com os riscos associados ao uso de IBP a longo prazo. Muitos desejam evitar cirurgias invasivas. O Stretta fornece uma alternativa não cirúrgica e intermediária para esse tipo de paciente. 

Apresentando o  Stretta RFT3 – a RE-Geração 
Na DDW, a Mederi apresentou novas melhorias estéticas, funcionais e materiais para facilitar ainda mais o uso e otimizar a entrega do tratamento Stretta clinicamente comprovado. Essas melhorias incluem um produto GI com esquema de cores familiar, marcas de medição adicionais no cateter do Stretta, guias de procedimento mais visuais e mudanças no software para aumentar a automação do tratamento.  

Apresentações de médicos especialistas 
Especialistas em Stretta de todo o mundo apresentaram atualizações sobre os dados relativos ao Stretta e compartilharam suas experiências. Entre os palestrantes estavam o dr. Alvaro Reymunde de Ponce, Porto Rico; dr. Hwoon-Yong Jung de Seul, Coreia do Sul; dr. Luca Dughera de Torino, Itália, e dr. José de Jesús Herrera, da Cidade do México, México. O dr. Dughera revisou também seu dados publicados de oito anos e apresentou o aguardado estudo de acompanhamento de dez anos. "A grande maioria dos meus pacientes continua sem sintoma após dez anos, o nível de QVRS com DRGE se manteve, e 71% dos pacientes continuavam sem precisar de medicamentos", disse Dughera. Ele também discutiu sua experiência com o sistema Stretta, da Mederi. "Eu fui dos primeiros a utilizá-lo e vi o Stretta evoluir e se tornar um sistema com extrema facilidade de interface com o usuário. Estamos agora analisando os dados de 200 pacientes que receberam o Stretta da Mederi desde 2011. Os resultados parecem superiores ao meus dados de longo prazo publicados", ele acrescentou.    

"A Mederi está comprometida a produzir tecnologia que melhore a qualidade do tratamento para DRGE", comentou Bob Knarr, diretor executivo da Mederi. "Continuamos aprimorando o Stretta, mas dados novos continuam validando esse procedimento de eficiência comprovada e demonstrando suas vantagens econômicas. Os aspectos científicos e econômicos do Stretta revelam benefícios constantes e duradouros, e estamos entusiasmados em levar o Stretta a mais pessoas que sofrem com a DRGE em todo o mundo."  

Sobre a Mederi Therapeutics Inc. e o Tratamento Stretta
A Mederi fabrica dispositivos inovadores que usam energia de radiofrequência não abrasiva para tratar doenças digestivas. Produto da Mederi, o Tratamento Stretta foi comprovado como tratamento seguro e eficaz para a DREG em mais de 40 estudos. Mais de 20.000 procedimentos com Stretta foram realizados em todo o mundo, e o tratamento está disponível em mais de 40 países. 

Contato para a mídia
Mike Elofer
mike@pascalecommunications.com
(484) 620-6167

FONTE Mederi Therapeutics Inc.

ONGS Dedicadas a pacientes reumáticos se unem para o primeiro Encontro de Espondiloartrites

shutterstock_286365830

Neste sábado, 4 de junho, em São Paulo, as organizações EncontrAR, GrupAR- RP (Grupo de Pacientes Artríticos de Ribeirão Preto), Grupasp (Grupo de Apoio aos Artríticos de São Paulo), Superando o Lúpus, Espondilite Anquilosante Brasil, Grupo RecomeçAR-RJ e o blog Artrite Reumatoide, dedicadas à melhoria da qualidade de vida do paciente reumático, organizam o I Encontro de Espondiloartrites, que inclui palestras multidisciplinares de especialistas, com o objetivo de contribuir para o “emponderamento do paciente sobre espondilite anquilosante e artrite psoriásica”. Para participar, o acesso é gratuito, mediante inscrição prévia pelo site www.encontrar.org.br O encontro tem apoio da AbbVie.

As espondiloartrites englobam doenças reumáticas inflamatórias, geralmente de caráter autoimune, que afetam primariamente a coluna e as articulações, ligamentos e tendões. Fazem parte deste grupo a espondilite anquilosante, a artrite reativa (síndrome de Reiter), a artrite psoriásica, e as artrites associadas a doenças intestinais inflamatórias (retocolite ulcerativa e doença de Crohn). Ainda não se conhece a causa exata da espondiloartrite, mas sabe-se que fatores hereditários desempenham um papel importante no desencadeamento da doença. (*)

Ciclo de Palestras – Na programação do I Encontro de Espondiloartrites, palestras de especialistas sobre o impacto da doença na vida do paciente, além de como identificar, diagnosticar e as estratégias e segurança dos tratamentos disponíveis. Entre os palestrantes confirmados, os reumatologistas Célio Roberto Gonçalves (presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia), Flávio Petean (Professor Assistente de Imunologia Clínica, da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP), e Rodrigo de Oliveira (Professor Assistente da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto/USP), o advogado sanitarista Tiago Farina Matos, autor do Manual do Direitos do Paciente Reumático, entre outros especialistas

Tecnologia agiliza o processo de atendimento hospitalar

shutterstock_128839495

Há cerca de dez anos, o Hospital Sírio-Libanês escolheu a ferramenta de gestão em saúde Tasy para fazer parte do seu dia a dia. O objetivo foi utilizar a tecnologia certa para reduzir a duração dos ciclos que envolvem o cuidado, sem abrir mão do calor humano dedicado aos pacientes e, acima de tudo, da qualidade e da segurança que são características da instituição.

A combinação de um hospital que investe constantemente em modernização e a uma solução de TI - como o Tasy - gerou resultados positivos logo nos primeiros anos. Na época, o Tasy pertencia a uma empresa brasileira que foi adquirida em 2010 pela multinacional Philips.

Nas palavras da superintendente de Tecnologia da Informação do Hospital Sírio-Libanês, Margareth Ortiz de Camargo, “o Tasy ajudou a otimizar os processos, porque quando um sistema entra em um hospital ele impulsiona todas as áreas a melhorarem os seus processos e assim irrompe uma nova organização de trabalho. Novos papéis surgiram a partir do Tasy, melhoria de processos e controles e a possibilidade de automação real entre as áreas”.

Autoatendimento

Após tantos anos utilizando o sistema, o hospital foi parceiro em grandes melhorias que são percebidas em muitos setores da organização. Recentemente, o HSL modernizou novamente alguns dos seus processos de atendimento. De acordo com Aina Colli, gerente da Unidade Itaim, a missão de melhorar a organização do fluxo de atendimento fez surgir a necessidade de desenvolver no sistema Tasy uma inteligência para organizar as filas e tirar o funil relacionado às senhas, oferecendo mais subsídios para a equipe atender aos pacientes dentro da unidade. O principal objetivo era atender aos pacientes com pontualidade, encaminhando-os aos exames ou procedimentos sem atrasos.

A Unidade Itaim, escolhida para a primeira implantação em julho de 2015, conta com o Autoatendimento, uma funcionalidade na qual o paciente se identifica através de seu CPF ou protocolo de agendamento. Ele informa ao sistema Tasy se já possui cadastro, se é preferencial, se trouxe todos os documentos, entre outras informações. A partir daí, o sistema garante agilidade no atendimento àqueles que estão com todos os pré-requisitos para os exames agendados, evitando atraso na realização dos procedimentos. Segundo a superintendente Margareth, o tempo médio de espera para o atendimento no centro de diagnóstico é de cerca de 9 minutos, mas pode chegar a uma hora fazendo com que uma posição de atendimento que atenderia cerca de 4 ou 5 pessoas atenda somente uma prejudicando o fluxo da fila. “Com o autoatendimento foi possível identificar o paciente, fazer a triagem para verificação de toda a documentação e a separação das filas. Diariamente 20% dos atendimentos são exceções que exigirão mais tempo no processo de atendimento, mas para os pacientes que passam pelo autoatendimento tivemos 18% de redução no tempo”, comenta a superintendente.

O uso do autoatendimento leva em média 19 segundos para preenchimento dos dados e retirada da senha. O próprio colaborador do HSL faz o monitoramento das filas e realiza a gestão de acordo com as necessidades que surgem. “Foi definida uma meta no tempo de atendimento das diferentes filas e a senha está vinculada ao horário de atendimento, dessa forma, se houver alguma “explosão” de tempo facilmente será diagnosticada fazendo com que o agente possa tomar uma decisão rápida, respeitando as necessidades de cada público. As queixas recebidas nas manifestações via SAC, específicas a demora na recepção, reduziram em 50%”, comenta Aina Colli.

Questionário Eletrônico

A mesma preocupação com a qualidade do atendimento ao paciente se aplica a utilização do questionário eletrônico. Sob o ponto de vista do paciente, principalmente, o processo ficou muito prático e fácil. Neste novo formato, a informação dada pelo paciente é preenchida diretamente no tablet e compõe o prontuário eletrônico dele transitando por todos os procedimentos que o paciente fará.

Chegando ao local do exame, o paciente é abordado pelo profissional de atendimento, que lhe oferece um tablet, para o preenchimento de um questionário de informações necessárias à realização do exame. As respostas são enviadas imediatamente para análise do profissional de saúde que irá cuidar do procedimento naquele dia. “O paciente não é exposto a perguntas repetidas em cada procedimento pois as informações ficam disponíveis no sistema Tasy para consulta. Além disso, todas estas informações serão resgatas nas próximas vindas deste paciente, bastanto apenas a simples conferência, eventual atualização ou inclusão de informações adicionais relacionadas a um procedimento específico”, explica Aina Colli.

Tanto o preenchimento do questionário, quanto o autoatendimento, que foram implementados na unidade de Itaim do HSL, reduziram consideravelmente o tempo de atendimento, resultando em mais praticidade, agilidade no atendimento e, consequentemente, melhores resultados financeiros. Em 2016 estes recursos também estarão disponíveis na sede que fica no bairro da Bela Vista em São Paulo e nas demais unidades incluindo as que ficam em Brasília. De acordo com Solange Plebani, general Manager da Philips, é gratificante ver os resultados alcançados pela instituição e também o quanto o sistema Tasy auxilia no processo de atendimento. “Inovação é um dos valores do hospital e também da Philips, finaliza Solange.

Sobre a Philips

A Philips do Brasil é uma subsidiária da Royal Philips da Holanda e atua no País há mais de 90 anos. Líder dos mercados locais de eletroeletrônicos, eletrodomésticos portáteis, produtos para cuidados pessoais, lâmpadas, aparelhos de raios-X e sistemas de monitoramento de pacientes. Outras informações para a imprensa estão disponíveis no site da Philips do Brasil: www.philips.com.br.

Sobre a Royal Philips

A Royal Philips (NYSE: PHG, AEX: PHI) é uma empresa diversificada de saúde e bem-estar, com foco em melhorar a vida das pessoas por meio de inovações nas áreas de Healthcare, Consumer Lifestyle e Lighting. Com sede na Holanda, a Philips teve em 2014 um faturamento de EUR 21,4 bilhões e emprega aproximadamente 108.000 funcionários nas áreas de vendas e serviços em mais de 100 países. A empresa é líder em soluções para cuidados cardíacos e intensivos e com a saúde e bem-estar em casa, soluções de iluminação energeticamente eficientes e novas aplicações de iluminação, bem como barbeadores elétricos e cuidados de saúde oral. Notícias da Philips em www.philips.com/newscenter

Sobre o Hospital Sírio Libanês

A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês (SBSHSL) é uma Instituição filantrópica brasileira, fundada em 1921, que desenvolve ações integradas de assistência social, de saúde, de ensino e de pesquisa. Referência internacional, o Hospital Sírio-Libanês une a excelência médica e tecnológica com o tratamento humanizado, beneficiando milhares de pacientes que buscam diagnóstico e tratamento em mais de 60 especialidades.

O Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa tem como missão gerar e difundir conhecimentos e capacitar profissionais de todo o Brasil. Além disso, atua no sentido de ampliar e incorporar novas tecnologias, contribuindo para a assistência à saúde. Na área de Responsabilidade Social, a SBSHSL também atua como parceira do Ministério da Saúde, por meio do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), nas áreas de ensino, pesquisa e assistência em saúde. Também possui contratos com as Secretarias Estadual e Municipal de Saúde de São Paulo, para a gestão de unidades públicas de saúde.