faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Os 9 pensamentos de um líder genuíno

shutterstock_397875130

Os bons empresários são aqueles criadores e infratores de certa forma porque não seguem caminhos batidos buscando a própria fuga do convencional, com este tipo de ousadia , os empresários possuem o caráter e personalidade para se tornar líderes de pensamentos e verdadeiras inspirações.

É importante que um CEO seja generoso, com o próprio tempo, talento, conselhos e até com o dinheiro também. Não existe um líder respeitado por ser rude ou mesquinho, líderes dão intencionalmente e estrategicamente , certificando-se de que a sua generosidade não comprometa a sua integridade nem denigra o destinatario.

01. Mantenha-se atualizado nas mídias sociais

Líderes precisam manter um pulso sobre a cultura em geral, e o teor do seu nicho em particular do healthcare, entendendo como aproveitar a tecnologia de mídias sociais para melhorar seu pensamento influência liderança.

Twitter , LinkedIn , Facebook, Pinterest , Google+ - todos estes podem empurrar os pensamentos de um líder de pensamento mais longe , desde que ela sabe como usá-los de forma eficaz.

02. Além da mídia, manter um blog

Ah , o blog . É inegável no mundo digital, a capacidade de manter a construção de um negócio e espalhar a palavra para tomar força. Poucos líderes que não mantêm ativamente um blog. Há alguns empresários muito influentes sem um.

Apesar de sua liderança , no entanto, eles não necessariamente pretendem ser líderes .

Um líder de pensamento verdadeiro deve ter uma plataforma para transmitir esses pensamentos. A melhor plataforma para esse fim é um blog, uma das mais simples ferramentas de publicação on-line para usar é WordPress.

03. Dar voz às próprias opiniões 

O formador de opinião deve expressar livremente o que pensa da forma que possa influenciar outras opiniões sobre determinado tópico, mas sendo opinativo se preocupe em ser gentil e generoso para não passar a impressão de arrogância, mantendo em mente o que você acredita.

04. Diga coisas que podem ser citadas

Uma das razões para formadores de opinião serem conhecidos é porque dizem frases de cair o queixo de forma surpreendentemente clara e simples. Tais citações poderosas e expressivas são ferramentas poderosas para espalhar pensou melhor e mais rápido do que você pensou ser possível.

05. Tenha uma historia

Não se torna um líder do nada. Essa liderança deve crescer a partir do solo de trabalho duro , experiência verdadeira e sucesso moderado. Você não tem que fundar o Google ou publicar um best-seller , a fim de juntar-se às fileiras dos líderes, mas você tem que ter um pouco de respeito. De onde vem esse respeito vêm?

Por exemplo, se você quer ser um líder de pensamento entre os empresários de mídia social, então você deve ter alguma experiência de iniciar uma empresa de mídia social.

No momento em que você pisa no pedestal, as pessoas vão começar a examinar a base do pedestal, perguntando: " Como você chegou lá? Quais são as suas qualificações? ", Certifique-se de que eles vêem algo verdadeiro , digno e respeitável.

06. Fale em eventos

Os melhores líderes são bem conhecidos por seu excelente desempenho em grandes espaços e outros grandes eventos da indústria.

Tais eventos de expressão oral são apenas para convidados, mas você pode começar pequeno. Eventos que falam menos populares são acessíveis aos líderes de nível de entrada, encontros locais, faculdades comunitárias e hangouts do Google+ são lugares excelentes para aguçar a sua capacidade de falar e construir portfólio seu alto-falante.

07. Tenha uma estratégia de marca pessoal

CEOs entendem o valor de uma marca pessoal, para eles, se envolver com identidades pessoais para uma finalidade específica - não apenas para obter um pontapé narcisista da vida.

Líderes usam sua marca pessoal para construir empresas inteiras a partir do zero. Uma marca pessoal se torna mais importante do que apenas uma plataforma pessoal. É uma posição de influência, a fim de fazer backup de sua posição de liderança de pensamento.

A verdadeira marca pessoal requer uma quantidade significativa de tempo e esforço. Não é um casual, marca pessoal leva a mesma quantidade de tempo, custo e esforço como faz para marcar um negócio. E é tão importante.

08. Amigos influentes

É difícil dizer se ter amigos poderosos te torna um líder ou ter amigos poderosos é uma consequência de ser líder. As chances do mercado apontam para ambos.

Faça amizade com pessoas que irão ajudá-lo a se tornar uma pessoa melhor. Mas não basta sanguessuga fora deles. A amizade é uma via de mão dupla e você tem que fazer a sua parte para provar que tal relação é benéfica.

09. Pense de forma estratégica

Muitas pessoas querem ser um líder de influência, mas não entendem o seu significado - o que exige deles, e que a liderança em seu contexto verdadeiramente significa.

Para ser eficaz como estratégia, líderes devem agir de maneira intencional sobre por que eles estão envolvidos. A resposta ao porque irá influenciar a prática do como irá fazer isso.

Conselho Federal de Medicina estipula novos critérios para cesarianas

Documento determina que partos por cesariana só podem ser realizados a partir da 39ª semana de gestação; antes da resolução o procedimento era autorizado a partir da 37ª semana

gravidaO CFM (Conselho Federal de Medicina) determinou que os partos por cesariana só poderão ser realizados a partir da 39ª semana de gestação para garantir a segurança do feto. A decisão foi publicada com registro 2144/2016 no Diário Oficial da União desta sexta-feira (17) e já está em vigor.

Antes dessa recomendação, bebês que nasciam entre a 37ª e a 42ª semana eram considerados à termo. No entanto, o CFM afirma que pesquisas apontam a incidência recorrente de problemas específicos em grupos de neonatos com idade gestacional inferior a 39 semanas.


A resolução determina ainda que é direito da gestante, em situações eletivas, optar pela realização de cesariana, desde que tenha recebido todas as informações de forma detalhada sobre o parto vaginal e seus respectivos benefícios e riscos. A decisão da gestante deve ainda ser registrada em termo de consentimento livre.

“A autonomia da paciente é um princípio relevante e foi um dos norteadores do CFM para a elaboração dessa norma, que considerou também outros parâmetros bioéticos, como a justiça, a beneficência e a não maleficência. Para que o parto cesariano por conveniência da paciente seja aceito, é mister que ela esteja bem informada e tenha sido orientada previamente para compreender as implicações de sua decisão”, explica o conselheiro José Hiran Gallo, relator do documento e coordenador da Comissão de Ginecologia e Obstetrícia do CFM.

O documento diz que é ético o médico atender à vontade da gestante de realizar parto cesariano, mas caso tenha discordância entre as partes, o profissional pode alegar seu direito de autonomia e indicar outro especialista para realizar o procedimento.

“A paciente, quando devidamente esclarecida, decide com o médico as suas opções de tratamento. A essência é a harmonização entre o princípio da autonomia do paciente e a do médico, que deve se basear na melhor evidência científica, sendo que o foco é garantir a segurança fetal e materna”, finaliza Gallo.

Posicionamento

Em comunicado oficial, A FEHOESP (Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo), afirmou que apoia a resolução do CFM que, segundo o presidente da Federação, Yussif Ali Mere Júnior, visa preservar a segurança da criança, já que estudos em várias partes do mundo concluem que a partir desse período há menos riscos para o bebê. "A medida pode também colaborar para que haja menos intercorrências  nos hospitais por conta de cesáreas precipitadas", enfatiza o representante dos hospitais.

O Hospital Israelita Albert Einstein já segue esse protocolo há três anos e, segundo a coordenadora médica da maternidade da instituição, Rita de Cássia Sanchez, o número de cesarianas não deve sofrer um impacto significativo. “Estamos falando em partos eletivos, agendados, portanto, não acredito que  haja um reflexo no número de procedimentos”. A coordenadora reforça ainda que a medida foi embasada em evidências científicas e benéfica no sentido de proteger os bebes de nascimentos no Termo Precoce desnecessariamente. “Sempre que se exerce medicina baseada em evidências científicas, e com intuito de não maleficência, estaremos oferecendo uma assistência de qualidade, diminuindo a morbidade de mães e bebês”, finaliza Rita. 

 

Startup americana recebe incentivo para ampliar serviços de saúde comportamental

shutterstock_300772457

Os problemas de saúde comportamental atingem cerca de 18% da população mundial e a ineficiência do setor de saúde é um problema que também atinge a área: U$ 23 bilhões de dólares são perdidos em produtividade em adicional dos U$ 22.8 bilhões realmente gastos nos Estados Unidos.

Muito é ensinado e aceitado sobre doenças como depressão hoje em dia, mas as diretrizes para abordar não vem crescendo tanto de forma assertiva. Os dados do US Preventive Services Task Force (USPSTF) apontam que exames de depressão devem incluir sistemas que garantam um tratamento eficaz e opções de acompanhamento, no entanto eles não consideram os custos relevantes da prestação de um serviço na sua avaliação.

A startup do portólio da Rock Health, Lanter, é líder no setor de evidence-based on-line para tratamento de saúde mental porque oferece uma abordagem diferente para resolver o problema de acessibilidade. Os serviços são destinados a quem tem sintomas de ansiedade ou stress e são acessados em qualquer dispositivo através de sessões personalizadas para quando for mais conveniente para o usuário.

As sessões de auto-guiadas são baseados em terapia comprovada cognitivo-comportamental (TCC) e técnicas de mindfulness , que são apresentados em uma variedade de formatos interativos e simples de manipular. Os usuários também estão emparelhados com um profissional pessoal de saúde, a quem pode enviar mensagens a qualquer momento para pedir orientação ou validação.

Desta forma , a startup Lantern pretende mudar a prestação de serviços de bem-estar de saúde mental para que as pessoas podem se encarregar do seu próprio bem-estar emocional e todos por US $ 49 por mês , uma fração do custo da terapia tradicional.

A companhia levantou U$ 17 milhões para expandir seus serviços para outras patologias de saúde comportamental atingindo pacientes com condições mais complexas. "A integração da saúde comportamental para cuidados médicos mais ampla e com foco na prevenção de grandes grupos de pacientes é a única maneira que podemos oferecer alta qualidade, saúde mental, o custo-benefício ", disse Eva Szigethy , MD , Ph.D. , professora associada de psiquiatria e pediatria da Universidade de Pittsburgh School of Medicine, que estarão trabalhando em estreita colaboração com a equipe da Lantern.

Comissão de Ética da ABIMED passa a ter atuação independente

Novo documento permite que comissão possa aplicar sanções em caso de infração

Abimed01Com o intuito de assegurar a autonomia de suas decisões, a Comissão de Ética da ABIMED (Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia de Produtos para Saúde) passou a atuar com independência em relação à Diretoria Executiva, Conselho de Administração e demais cargos administrativos da entidade. 

A medida começou a vigorar a partir de março deste ano, quando foi aprovado em assembleia geral o novo estatuto social da associação. Em maio, o regimento interno que regulamenta as competências e escopo de atuação da comissão foi aprovado e, entre as mudanças estabelecidas no documento, está também a possibilidade de o comitê aplicar sanções às empresas em caso de infração. Conforme a gravidade da ocorrência, as penalidades podem variar entre advertência, suspensão ou exclusão da empresa do quadro associativo da ABIMED. 

“Perder o direito de ser associado de uma entidadecomo a ABIMED começa a ter impacto também nos negócios. É cada vez mais frequente que fontes pagadoras privadas, como hospitais e planos de saúde, queiram saber dos fornecedores qual é o código de conduta que ele segue”, explica Felipe Kietzmann, presidente da Comissão.

Para assegurar um padrão de integridade comum a todas as empresas associadas da associação, a comissão deverá iniciar um processo de avaliação da idoneidade das empresas postulantes. Em relação a estas, a Comissão de Ética passará a opinar antes do Conselho de Administração e baseará seu parecer em pesquisa reputacional prévia.

Integrada por 190 empresas do setor médico-hospitalar, a ABIMED foi pioneira ao lançar, em 2006, o primeiro Código de Conduta da área da Saúde no país. O Código foi revisto e atualizado periodicamente e está em sua quarta edição. A adesão ao documento é pré-requisito para as empresas fazerem parte da entidade. 

Unidade da Rede São Camilo alcança estágio 6 do EMRAM

Com prontuário eletrônico do SOUL MV, unidade da Rede São Camilo garante certificação que avalia níveis de informatização hospitalar

FachadaSantanaA unidade Santana da Rede São de Hospitais São Camilo de São Paulo atingiu o nível 6 do EMRAM (Electronic Medical Record Adoption Model) que avalia a informatização hospitalar. A certificação foi conquistada após investimentos em infraestrutura, equipamentos, treinamentos de profissionais e ajustes de processos, e garantiu a unidade no grupo de elite mundial de hospitais com maturidade digital.

Entre os requisitos mínimos definidos pelo EMRAM 6, estão o circuito fechado da administração de medicamentos com checagem à beira leito e a interação da documentação médica com sistemas de apoio à decisão clínica. Segundo o diretor de TI da Rede de Hospitais São Camilo, Klaiton Simão, por ser uma ferramenta muito aderente aos processos preconizados pelo EMRAM, o prontuário eletrônico SOUL MV, facilitou a adequação da parte assistencial do hospital. “Tudo que a HIMSS exige, o prontuário eletrônico do sistema realiza. Então, o terreno já estava preparado para a consolidação dos novos processos.”

Quando foi implantada, a nova tecnologia proporcionou mais eficiência nos processos clínico-assistenciais e, consequentemente, aumentou a satisfação e a confiança dos pacientes. “Causa um impacto muito positivo no cliente quando ele vai a uma consulta e o médico já tem todo o seu histórico, desde a última data em que ele esteve na instituição até as medicações que foram prescritas”, afirmaKlaiton.

Como a certificação da HIMSS tem como premissa controles que proporcionam segurança e rastreabilidade ao processo assistencial, para Klaiton é muito perceptível os ganhos conquistados na unidade Santana. “A partir do momento que são fixados processos e criadas barreiras sistêmicas, a chance de ocorrência de erros na administração do medicamento, por exemplo, cai praticamente a zero. Com a unidade Santana trabalhando nesses preceitos, os investimentos serão agora estendidos às unidades Pompéia e Ipiranga para, em 2017, consolidar a conquista do nível 6 e, a partir de 2018, buscar o nível 7.”

Dra. Waleska Santos palestra para dirigentes da Saúde na Holanda

Presidente e fundadora da Feira + Fórum Hospitalar participou de missão entre os dias 12 e 16 de junho, que foi promovida pelo consulado holandês para fomentar a relação entre os países

drawaleskaA fundadora e presidente da Feira + Fórum Hospitalar, Dra. Waleska Santos, encerrou sua participação na missão São Paulo - Amsterdam com uma palestra para dirigentes dos Ministérios da Saúde, Bem Estar, Esportes, Educação e Cultura dos Países Baixos, incluindo também  pesquisadores e empresários. A apresentação aconteceu em Haia, na Holanda, durante a viagem  organizada pelo consulado holandês para fomentar as relações entre as capitais, entre os dias 12 e 16 de junho.


A Holanda tem sido considerada dona do sistema de saúde mais avançado da Europa, trabalhando fortemente em inovação e na qualidade dos serviços, o que tem ajudado a enfrentar os grandes desafios da atualidade, como aumento da longevidade e o crescente custo do sistema.


Durante os quatro dias, lideranças e empresários do setor que participaram da missão, puderam descobrir oportunidades para a Saúde no país, criar um panorama de cooperação do setor, participar de workshops e seminários especializados e realizar visitações à hospitais. Entre os presentes, destacam-se o coordenador adjunto do BioBrasil - Comitê de Saúde e Biotecnologia da Fiesp, Eduardo Jacomassi, e o superintendente da ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios), Paulo Henrique Fraccaro.


O último dia do programa foi dedicado à visita à Alzhaimer Village, em Weesp, no norte do país. O condomínio de 23 casas recebe 151 pacientes, que levam uma vida como se estivessem em suas próprias casas. No complexo há restaurantes, salas de recreação, teatro, biblioteca, salas de ginástica e fisioterapia, jardins e supermercado. Ao todo, 250 profissionais compõe o staff, entre médicos, enfermeiras, cuidadoras e demais serviços.

Crise é momento de oportunidades

shutterstock_146565584

Pensar em crise e oportunidade parece, por muitas vezes, ser opostos em uma visão incerta, mas quando abrimos os olhos para o mundo de uma forma diferente, podemos ter a visão de como aproveitar os momentos de dificuldade e instabilidade do País de maneira positiva. E, a TI para saúde é um dos setores que, felizmente, não sofre um impacto tão intenso da crise.

Ainda assim, como a crise afeta o País como um todo, é necessário não apenas olhar o setor de forma diferenciada, mas também compreender que o cenário econômico no geral deve impulsionar a criatividade e a necessidade de sair do status quo. A escassez de recursos é uma das forças propulsoras da inovação.

Aumentar a eficiência, utilizar melhor os recursos e agregar valor à empresa são alguns dos pontos que devemos estar atentos. Mas como fazer isso? Que ferramentas podem auxiliar os gestores a tomar decisões assertivas em uma época na qual ter a produtividade baixa pode prejudicar ou até falir uma instituição?

No caso das instituições de saúde, a tecnologia de gestão para hospitais, clínicas de diagnóstico por imagem e laboratórios habilita a implementação de muitas melhorias que refletem um bom uso do tempo dos profissionais e dos equipamentos, mais segurança para os pacientes e ainda redução de custos.

A tecnologia, quando aplicada e utilizada de forma integral e estratégica, abre possibilidades infinitas. No caso das soluções para agendamento on-line de exames e troca de informações sobre exames anteriores, por exemplo, há soluções no mercado que possibilitam à instituição diminuir em até 300% os gastos na marcação de exames por eliminar o uso de call centers. Além dessa vantagem em termos econômicos, há também o engajamento do paciente, que agora é empoderado a escolher as melhores opções de horários sem precisar de um atendente, o que torna o processo mais eficiente e também a clínica, hospital ou laboratório mais competitivos, pois ao agregar valor com mais essa alternativa também traz mais opções ao paciente, que se sente autônomo em suas rotinas de cuidado à saúde.

Outro fator decisório na busca de oportunidades durante a crise nas instituições de saúde, é notar que o Brasil começou a investir tardiamente em tecnologias, principalmente na área da saúde, por esse motivo, encontrou no mercado soluções mais maduras e testadas muitas vezes. Atualmente, os sistemas já estão mais consolidados e há garantia de bons resultados, portanto, é importante aproveitar o momento para embarcar em tecnologias de ponta, que estejam em nível mais alto de desenvolvimento.

Processos pautados por papel, por exemplo, já não são mais necessários. A instituição que compreende isso ganha em performance, em segurança de dados e em redução de custos. Para exemplificar, um prontuário eletrônico garante integridade da informação, qualidade, eficiência do ciclo do atendimento do paciente, do fluxo de trabalhos dos profissionais envolvidos e inclusive alterações positivas no faturamento.

A National Conference on Health Statistics trouxe um dado relevante sobre o mercado norte-americano que também reflete o que o prontuário eletrônico representa para o Brasil: 75% dos provedores de saúde reportam que o PEP proporciona um maior cuidado ao paciente, além de transformar os processos clínicos: um hospital em Vermont, de acordo com dados da organização HealthIT.gov, implementou o prontuário eletrônico e com isso aumentou em 20% a visita diária aos pacientes internados, reduzindo o prolongamento desnecessário de tempo de estadia no hospital. Esse número nos faz pensar além do óbvio para um gestor, pois diminuir o tempo de estadia de um paciente em um hospital não é apenas economizar no uso de leito, medicamento ou insumos, é também levar conforto e humanização ao tratamento por meio de processos assertivos, que somente são possíveis com tecnologia que padronize a rotina da instituição.

Os exemplos estão em todos os setores: um estudo da Folks aponta que ao utilizar um sistema digital de farmácia com leitura de código de barras dos medicamentos a porcentagem de erros diminuiu de 11,5% para 6,8% nos hospitais analisados. Isso reflete diretamente em um cuidado maior com o paciente.

Dois hospitais do nordeste do país são cases de sucesso no uso de softwares para gestão hospitalar. Com um HIS (Hospital Information System) instalado, um hospital de Natal diminuiu seu tempo para tomar decisões estratégicas de 2 a 4 semanas para um processo praticamente imediato. Enquanto que outra instituição, de Pernambuco, aumentou em 200%, em apenas dois anos, o número de atendimentos por dia ao começar a utilizar o sistema.

A grande questão é que durante a crise econômica, é fundamental compreender as necessidades da instituição de saúde e entender que investimentos nas mais avançadas tecnologias de gestão podem ajudar a otimizar não apenas financeiramente, mas também no que consiste em produtividade do fluxo de trabalho. Mudanças estas que beneficiam por completo os negócios da saúde, fazendo-os prosperar mesmo durante períodos de economia retraída.

Magnamed estará presente nas Olimpíadas Rio 2016

oximag esquerda 04 copy

Ao todo serão fornecidas 136 unidades do ventilador de transporte OxyMag, que serão instaladas nas ambulâncias disponíveis em todas as dependências das competições.

O OxyMag um equipamento para suporte ventilatório, que atende desde bebês pequenos até adultos grandes e possui comandos de fácil manuseio, com display colorido touch screen. Extremamente fácil de transportar, pesa apenas 3,25Kg e possui interface simples e intuitiva, com bateria com mais de seis horas de autonomia.

“É uma honra poder contribuir com este evento tão importante para o esporte mundial, com o nosso produto que utiliza alta tecnologia e qualidade. Temos certeza que com nossos aparelhos as ambulâncias estão preparadas para qualquer eventualidade que ocorra durante os jogos” ressalta Tatsuo Suzuki, fundador e diretor da Magnamed.

“Magnamed - Inovação inteligente para a Vida”

Orizon investe em metodologia inovadora para atender de forma mais ágil e eficiente

shutterstock_93301639

A área de Tecnologia da Informação da Orizon – empresa líder em serviços para os segmentos de saúde, seguros e benefícios – implanta o DevOps na companhia para agilizar processos e continuar sendo uma referência em tecnologia inovadora na área da saúde. O conceito do DevOps consiste em alinhar as equipes de desenvolvimento com a de operações (infraestrutura, suporte e monitoramento de TI) e aproximar a TI às demais áreas, acelerando entregas de atualizações de sistema e de serviços com um elevado grau de qualidade.

Para o gerente executivo de Sistemas de TI, Leandro Gomes, a mudança cultural trazida pelo DevOps é estratégica para a Orizon, já que irá beneficiar clientes com mais agilidade e eficiência nos processos e é extremamente confiável. "O novo conceito permite reduzir prazo de entrega de atualizações de sistemas e de serviços, reagindo de forma mais rápida às necessidades do negócio. Ao mesmo tempo conseguimos reduzir o índice de falhas e o tempo médio para detecção e reparo de incidentes", explica Gomes.

O segredo do sucesso é modificar o ciclo de construção e entrega de sistemas e serviços. O método tradicional, conhecido como "cascata", era feito de forma linear, onde as fases (especificação, validação técnica, desenvolvimento, testes, homologação até a publicação manual) são iniciadas somente após a conclusão da etapa anterior. Com DevOps, várias etapas são iniciadas de forma simultânea com a participação de equipe multidisciplinar de desenvolvimento e Operações de TI, aplicação de provisionamento de infraestrutura, automação de testes e de publicações. "É uma mudança cultural, que abrevia a entrega, estimula a equipe e agrega valor ao negócio", completa o executivo de TI.

"Há algum tempo, as empresas podiam fazer poucas atualizações em seus sistemas ao longo de um ano, mas com as inovações constantes, os prazos têm sido abreviados para meses e até dias. Uma companhia como a Orizon, que sempre foi pioneira, mais uma vez dá um importante salto rumo ao futuro", destaca Leandro Gomes, lembrando de empresas globais que já utilizam DevOps, como o Facebook, o Google, a Apple e o Netflix.

"Os ciclos contínuos do método por meio da automação do processo, inclusão de gestão de configuração, validação de componentes estruturais/sistemas, blindam a produção de TI de inúmeras alterações simultâneas, que dificultam a identificação de possíveis eventos. Esta implantação visa melhorias internas e garante qualidade e disponibilidade dos serviços ao cliente", ressalta o gerente executivo de Infraestrutura de TI, Paulo Diegues.

Além do DevOps, estão sendo implantados um Laboratório de Inovação, melhorias em arquitetura, sistemas e a adoção da metodologia Lean, também inovadora. "Todos integrados. O DevOps é amplamente beneficiado com a metodologia Lean, assim como a dinâmica do Laboratório de Inovação", explica o diretor de TI, Luiz Ortiz.

Medicamento para tratamento de fibrose pulmonar idiopática é aprovado pela ANVISA

shutterstock_139106921 (1)

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) acaba de aprovar o Esbriet® (pirfenidona), medicamento oral da farmacêutica Roche, líder mundial em inovação em saúde, para o tratamento da fibrose pulmonar idiopática (FPI). A droga foi a primeira no mundo a combater a fibrose pulmonar idiopática, uma doença pulmonar restritiva, irreversível e letal. Apesar de ser considerada rara, estima-se que o Brasil é o país subdesenvolvido com mais incidências de FPI. A enfermidade dificulta a respiração e impede que os órgãos vitais recebam oxigênio para funcionar corretamente.

As análises combinadas de três estudos de fase III - ASCEND e CAPACITY I e II, que juntos somaram 1.247 pacientes, mostraram uma redução de 38% no risco de morte depois de até dois anos de tratamento. O medicamento já está presente em mais de 38 países do mundo com aprovação da FDA (Food and Drug Administration), dos Estados Unidos e da EMA (European Medicines Agency), da Europa. Com sua chegada ao Brasil, a expectativa é que ele atenda uma população de pacientes que ficou desamparada por muitos anos.

A progressão da FPI varia de acordo com cada caso e tem curso imprevisível. A expectativa é que, com o tratamento e a maior geração de dados, seja possível conhecer ainda mais sobre a progressão e evolução da enfermidade, que é considerada pela classe médica como mais agressiva do que muitos tipos de cânceres. “O objetivo da Roche é trazer toda sua inovação e expertise para as doenças pulmonares e, principalmente, para necessidades médicas ainda não atendidas”, explica Lênio Alvarenga, diretor médico da Roche Farma Brasil.

Em 25 anos empenhada em inovação, a experiência respiratória da empresa inclui medicamentos para asma, fibrose cística e câncer de pulmão. Após a aprovação da ANVISA, o Esbriet aguarda a precificação estabelecida pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED) para o início da sua comercialização. A análise dura aproximadamente três meses.

Sobre FPI

A fibrose pulmonar idiopática é uma doença rara que na maioria das vezes atinge pessoas acima de 45 anos, principalmente homens. Sem causas clínicas comprovadas, experiência de especialistas apontam que o tabagismo pode ser um dos fatores de risco para o diagnóstico.

A doença não tem cura, entretanto, um número limitado de pacientes busca o transplante de pulmão para combater a enfermidade. A sobrevida média é de 3 anos após o diagnóstico. Estatísticas mais otimistas apontam que entre 20% a 40% dos pacientes vivam até cinco anos.

Sobre a Roche

A Roche é uma empresa global, pioneira em produtos farmacêuticos e de diagnóstico, dedicada a desenvolver avanços da ciência que melhorem a vida das pessoas. É considerada a maior empresa mundial de biotecnologia, com medicamentos verdadeiramente diferenciados nas áreas de oncologia, imunologia, infectologia, oftalmologia e doenças do sistema nervoso central.

A Roche também é líder mundial em diagnóstico in vitro e diagnóstico tecidual do câncer, além de ocupar posição de destaque no gerenciamento do diabetes. Combinando as forças das divisões farmacêutica e diagnóstica, a Roche se tornou líder em medicina personalizada - estratégia que visa encontrar o tratamento certeiro para cada paciente, da melhor forma possível.

Fundada em 1896, a Roche busca constantemente meios mais eficazes para prevenir, diagnosticar e tratar doenças, contribuindo de modo sustentável para a sociedade. 29 medicamentos desenvolvidos pela Roche fazem parte da Lista de Medicamentos Essenciais da Organização Mundial da Saúde, entre eles antibióticos que podem salvar vidas, antimaláricos e terapias contra o câncer. Há sete anos consecutivos, a Roche é considerada líder em sustentabilidade no grupo de indústrias de produtos Farmacêuticos, Biotecnológicos e Biológicos dos Índices Dow Jones de Sustentabilidade.

Com sede em Basileia, na Suíça, o Grupo Roche atua em mais de 100 países e, em 2015, empregava mais de 91.700 pessoas em todo o mundo. Em 2015, a Roche investiu 9,3 bilhões de francos suíços em Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) e suas vendas alcançaram 48,1 bilhões de francos suíços. A Genentech, nos Estados Unidos, é um membro integral do Grupo Roche. A Roche é acionista majoritária da Chugai Pharmaceutical do Japão. Para mais informações, visite www.roche.com.

Todas as marcas comerciais utilizadas ou mencionadas neste release estão protegidas por lei.

Referências

1.http://sbpt.org.br/espaco-saude-respiratoria-fibrose-pulmonar-idiopatica

2. http://www.roche.com/media/store/releases/med-cor-2015-09-29.htm

3. http://www.roche.com/media/store/releases/med-cor-2014-10-16b.htm