faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Anahp lança edição 2019 do anuário com principais indicadores da saúde suplementar

Anahp lança edição 2019 do anuário com principais indicadores da saúde suplementar

A Associação Nacional de Hospitais Privados (Anahp), entidade representativa dos principais hospitais de excelência do país, lançou durante a 26ª Hospitalar, no Expo Center Norte, em São Paulo, o Observatório 2019, publicação que reúne os principais indicadores mercadológicos, econômico-financeiro e pesquisas inéditas sobre saúde privada.

A publicação, que já está na sua 11ª edição, é uma referência como fonte de saúde do Brasil, por conta de seu aprimoramento e adaptação dos indicadores conforme a evolução do mercado hospitalar. "É um trabalho constante e de muita transparência. A Anahp busca trazer informações atuais que impactam a cadeia de saúde para que todos os elos possam juntos encontrar soluções para a sustentabilidade e melhorias contínuas do sistema", explica o vice-presidente do Conselho Administrativo da instituição, dr. Ary Ribeiro.

Na ocasião, mais de 60 pessoas acompanharam a cerimônia de abertura realizada pelo presidente da Anahp, Eduardo Amaro, e o diretor-executivo, Marco Aurélio Ferreira, que ressaltaram a importância do anuário. "Este lançamento é um dos mais significativos pela representatividade que o Observatório tem como referência em saúde. Sem dúvida alguma, a cada ano cresce o aprimoramento das análises, tornando-as mais relevantes para o desenvolvimento do setor", explicou Amaro.

A publicação traz o panorama econômico do setor com números atualizados dos hospitais associados Anahp, como o balanço financeiro das instituições privadas, geração de empregos do setor e número de leitos. O Observatório 2019 ainda registrou análises do mercado de saúde suplementar e do perfil clínico e epidemiológico, além de estudos dos indicadores operacionais, assistenciais, de qualidade e segurança, além de protocolos institucionais e ainda os indicadores econômicos e financeiros, de gestão de pessoas e de sustentabilidade dos hospitais associados.

Um dos dados publicados mostra que o faturamento bruto dos hospitais associados chegou a 38,6 bilhões de reais em 2018, o que corresponde a 25,2% das despesas de saúde suplementar. Houve um crescimento de receita líquida por saída hospitalar de 1,10%, enquanto a despesa total por saída hospitalar caiu 4,86% no mesmo período. O editor do anuário e vice-presidente do Conselho Administrativo da associação, Ary Ribeiro, explicou o que gerou estes resultados. "Os hospitais estão sendo extremamente eficientes, mantendo a rentabilidade e buscando sustentabilidade através da utilização adequada de recursos. O tempo médio de permanência também tem caído sucessivamente ao longo dos anos e fechou com a média de 4,13 dias. Estas são evidências de que a Anahp pratica aquilo que ensina que é dar atenção ao uso adequado de recurso reduzindo o desperdício", comentou.

Outra novidade desta edição é a parceria com Centro de Estudos em Gestão de Serviços de Saúde, do Instituto COPPEAD de Administração, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Com os dados do SINHA, a instituição utilizou evidências baseadas na literatura nacional e internacional que proporcionou uma análise diferente, relacionadas à eficiência e produtividade das instituições associadas.

Unimed Odonto e Asisa Dental brindam consolidação da parceria

Unimed Odonto e Asisa Dental brindam consolidação da parceria

A Seguros Unimed encerra, nesta sexta-feira (24), a sua participação na feira Hospitalar, que ocorre desde a última terça-feira (21), no Expo Center Norte, em São Paulo. No ano em que completa 30 anos de contribuições ao Sistema Unimed e à Saúde Suplementar, a Companhia levou ao evento todo o seu portfólio de produtos voltado aos profissionais e às entidades do setor, nos segmentos de Saúde, Odontologia, Vida, Previdência e nos Ramos Elementares – com destaque para os produtos de Responsabilidade Civil Profissional. Além disso, como destaque, reafirmou a parceria estratégica da sua operadora de planos odontológicos, a Unimed Odonto, com a Asisa Dental, empresa que faz parte do Grupo Asisa e da Lavínia, maior cooperativa médica europeia com mais de 2,2 milhões de segurados.

“Nosso objetivo é ampliar a participação da Unimed Odonto no mercado de São Paulo, em 2019. Nesse contexto, a Asisa Dental vem para somar, com clínicas e profissionais altamente capacitados para um cuidado com a saúde bucal diferenciado, em várias especialidades”, destacou o diretor-presidente da Seguros Unimed, Dr. Helton Freitas. Com a parceria, todos os clientes da operadora podem utilizar as clínicas da Asisa, na capital paulista.

Segundo o diretor da Asisa Dental, Carlos Martinez, a rede de clínicas está consolidando a sua entrada no mercado brasileiro, trazendo a experiência e a tecnologia já conquistada em sua atuação na Europa. “A Unimed Odonto compartilha dos nossos valores e do nosso DNA cooperativista. Por isso, temos a certeza de uma atuação conjunta de sucesso”, enfatizou.

Esta foi a quinta participação da Seguros Unimed na feira Hospitalar. O evento é considerado o maior do setor da saúde nas Américas.

Sobre a Seguros Unimed

Cuidar para transformar. Essa é a essência e o direcionamento que norteia os negócios da Seguros Unimed. Por sua origem no cooperativismo médico, a Seguradora tem como foco atender, além do Sistema Unimed, as demandas do segmento cooperativo e do setor de saúde. A Companhia foi fundada em 1989, tendo como missão inicial comercializar planos de previdência privada para os médicos cooperados ao Sistema Unimed em todo o país. 

Com o passar dos anos, ampliou os seus negócios e ganhou participação no mercado segurador brasileiro, atendendo a 6 milhões de clientes também nos segmentos de Saúde, Odontologia, Vida e Ramos Elementares – estes com ênfase nos seguros de Responsabilidade Civil Profissional. Atualmente, possui mais de 1,2 mil colaboradores presentes na Matriz e na Central de Relacionamento, situadas em São Paulo, além de 22 escritórios regionais. Com faturamento global de R$3,26 bilhões em 2018, a Seguros Unimed projeta crescimento acima de 14% para 2019 – e está entre as maiores e mais sólidas do mercado, segundo os rankings da imprensa de negócios.

Barela chega a 60 franquias e investe em tecnologia e treinamento

Barela chega a 60 franquias e investe em tecnologia e treinamento

Corretora do grupo It´sSeg Company, especializada em venda de seguros e planos de saúde para pequenas e médias empresas, atrai empreendedores em busca de desafios e remuneração atraente

A Barela, corretora de seguros e planos de saúde para pequenas e médias empresas, acaba de chegar à marca de 60 franquias em São Paulo. Com essa conquista, a companhia demonstra que vem tendo bons resultados com um modelo de negócios que tem apresentado crescimento orgânico e estruturado.

“A venda de seguros e pacotes de benefícios para empresas de menor porte ainda não é feita de forma consultiva do Brasil. É um mercado fragmentado e operado por pequenos corretores, muitos deles não especializados. Vamos ocupar este nicho levando tecnologia, expertise e capacidade de negociação”, diz Thomaz Menezes, presidente da It’sSeg.

A corretora existe desde 1995 e em 2014 foi adquirida pela It´sSeg Company, uma gigante do setor que tem Thomaz Menezes, ex-presidente da SulAmérica Seguros como fundador e o fundo inglês Actis como investidor.

A expectativa da empresa é inaugurar cerca de 300 franquias nos próximos três anos no país. “Queremos atrair profissionais experientes, como ex-executivos de seguradoras e ex-gerentes de bancos que queiram inaugurar uma nova fase  na vida profissional como empreendedores”.

A primeira franquia da Barela foi inaugurada em julho de 2017. A companhia tem cerca de 20 mil empresas clientes e administra  uma carteira com cerca de 100 mil vidas. “Há uma demanda forte de mercado, impulsionada pela necessidade de redução de custos com benefícios nas empresas que só uma venda consultiva consegue entregar”, avalia Menezes.

Há dois modelos de franquia da Barela. O interessado pode optar por desenvolver suas atividades em atendimento home office ou abrir um escritório da marca. A franqueadora cuida da padronização do mobiliário e das instalações.

A qualificação do franqueado  inclui treinamento inicial com 100 horas de duração numa jornada que inclui  análise de mercado, legislação, sistemas, produtos, operação, gestão financeira, gestão de pessoas, técnica de vendas e marketing.

A Barela também oferece curso de formação na Superintendência de Seguros Privados (Susep), software de gestão de oportunidade de negócios e contatos iniciais para treinamento prático de atendimento e vendas, além de extranet com acesso a peças de marketing e comunicação, comissões, entre outras ferramentas.

Investimento em novas tecnologias e EAD 

Para ampliar a rede, treinar e capacitar ainda mais os atuais franqueados, a Franquia Barela está realizando investimentos e terá, no segundo semestre, a ferramenta para EAD. “Essa comodidade facilita justamente o processo inicial do franqueado, que é de entender o negócio Barela. Por meio de nossa tecnologia de treinamento a distância, o franqueado pode fazer o curso no ritmo que julgar mais apropriado. Com o nosso software ele pode assistir a todo o conteúdo e também fazer testes do seu conhecimento. É um benefício que iremos oferecer em breve e um diferencial em relação aos nossos concorrentes”, conta Menezes.

Nos treinamentos presenciais o franqueado também recebe uma orientação diferenciada. Há uma equipe treinada e capacitada a ensinar as melhores técnicas de vendas aos novos franqueados. “Fazemos uma espécie de coaching e mentoria para quem está entrando no negócio. Vimos que esse tipo de abordagem ajuda bastante para que o franqueado entenda as melhores técnicas e estratégias do nosso negócio”, detalha o executivo.

Sobre a It´s Seg Company

A It´sSeg Company foi criada em 2014 pelo executivo Thomaz Menezes, ex-presidente da SulAmérica Seguros, em sociedade com fundo inglês Actis, que tem mais de US$ 10 bilhões de ativos sob gestão. A It´sSeg Company movimentou R$ 1.8 bilhão em prêmios de seguros no mercado brasileiro em 2018. Este ano a companhia projeta movimentar R$ 2 bilhões no país. O grupo gerencia mais de 750 mil vidas e atende a uma carteira com 900 clientes corporativos, sendo que 80% dos negócios da companhia estão concentrados em seguro saúde.

Sobre a Barela

A Barela é hoje uma das maiores companhias do varejo no segmento de seguro saúde PME. Reconhecida no mercado pela credibilidade de sua plataforma de produtos e serviços, oferece planos familiares, planos por adesão e planos empresariais a mais de 100 mil clientes. A companhia foi criada em 1995 e, desde 2014 faz parte da It’sSeg Company.

Tecnologia amplia o acesso aos exames laboratoriais

hilab

Pesquisas indicam que análises são importantes para melhor diagnóstico médico; O Hilab, laboratório portátil, oferece exames a partir de R$ 30 com resultados em poucos minutos

Cerca de 70% das decisões médicas levam em conta resultados de exames laboratoriais, indicam especialistas da área da saúde. Os motivos são diversos, mas o principal é a confirmação ou exclusão das hipóteses geradas durante a consulta. O grande problema é que o acesso, atualmente no Brasil, a exames não é democrático.

Segundo o último levantamento do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES), dos 21.635 estabelecimentos de Medicina Diagnóstica, 90,8% são privados. Ou seja, o custo de um exame pode ser muito acima ao que o paciente poderia pagar. Outra barreira está na localização. No Norte, maior região do Brasil, por exemplo, existem apenas 1.060 laboratórios, e que muitas vezes não são tão próximos dos moradores. “Mesmo sendo importante, poucas pessoas têm acesso adequado a essas análises, que compromete todo o processo de diagnóstico, impedindo consequentemente a possibilidade de tratamento de várias doenças”, afirma Bernardo Almeida, médico infectologista e Chief Medical Officer da Hi Technologies.

Como forma de democratização aos exames, o Hilab é uma das opções que surgiram para revolucionar a área da saúde, oferecendo diversos tipos de exames laboratoriais com preços entre R$ 30 e R$ 80. O laboratório portátil, que é desenvolvido pela Hi Technologies, está disponível em farmácias e consultórios médicos, e entrega os resultados em poucos minutos. “Com o aumento das opções de exames e redução progressiva no custo, a tendência é de serem cada vez mais utilizadas como suporte às decisões diagnósticas e terapêuticas”, avalia o médico.

Sendo assim, garantir acesso aos exames é importante para suprir o viés da escassez existente no sistema de saúde. Isso se aplica principalmente às doenças subdiagnosticadas como HIV e Hepatites B e C e doenças prevalentes na população como diabetes, dislipidemia, hipotireoidismo. “Realizar exames adequadamente torna possível o aprimoramento no conhecimento da distribuição das doenças e dos fatores de risco associados a elas”, explica Almeida.

O Hilab funciona de forma simples, pouco invasiva, sem seringas, e praticamente indolor. Um profissional de saúde treinado faz um pequeno furo na ponta do dedo do paciente para coletar algumas gotas de sangue. Após a coleta, a amostra é colocada em contato com os reagentes dentro de uma pequena cápsula, que é depositada dentro do dispositivo que cabe na palma da mão. O dispositivo, então, cria uma "versão digital" da amostra que é transmitida instantaneamente via internet para a equipe de biomédicos do laboratório físico, onde especialistas, que contam o auxílio de algoritmos de Inteligência Artificial (IA) própria, vão emitir um laudo em questão de minutos. Por fim, o paciente recebe o resultado no smartphone via SMS ou no app Hilab.

Sobre a Hi Technologies

Fundada pelos empreendedores Marcus Figueredo e Sérgio Rogal respectivamente CEO e CTO, a Hi Technologies começou com poucos recursos, mas não fez da falta de verbas uma barreira para seguir seu propósito de reinventar a tecnologia médica, criando produtos e soluções que ajudem a democratizar o acesso à saúde. Seu carro-chefe é um inovador laboratório de “bolso” conectado à internet, o Hilab, serviço de exames laboratoriais que usa inteligência artificial para acelerar o diagnóstico médico. Este serviço foi vencedor do prêmio Inova e Saúde em 2018 pela ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos). A Healthtech tem entre seus investidores a Positivo Informática, a Qualcomm Ventures e a monashees.

Internet das coisas tem o maior potencial de transformação dos negócios nos próximos três anos, aponta KPMG

IOT_1

A pesquisa da KPMG "Inovação na indústria de tecnologia 2019" (Technology Industry Innovation Survey) apontou a internet das coisas como o principal direcionador da transformação dos negócios nos próximos três anos. O levantamento entrevistou 740 líderes da indústria de tecnologia este ano que analisou as dez ferramentas que irão mudar as empresas a curto prazo.

Segundo o estudo, a automação robótica de processos (RPA, do inglês "Robotic process automation") subiu para a segunda tecnologia com maior potencial para transformar o negócio. Essa foi a principal mudança já que na pesquisa anterior constava na nona posição. De acordo com os entrevistados, a robótica está mais associada a ganhos de eficiência e lucratividade e, na sequência, ao aumento da fatia de mercado. Ainda, segundo o levantamento, o maior desafio da adoção dessa ferramenta é a complexidade da implantação.

A pesquisa mostrou ainda que a inteligência artificial e aprendizado de máquina (machine learning) foram elencadas na terceira posição, perdendo uma posição em relação ao estudo anterior. Os entrevistados indicaram que as principais dificuldades de implementação dessas ferramentas são as dúvidas em relação à viabilidade econômica, complexidade da tecnologia e questões regulatórias.

As outras ferramentas foram citadas pelos entrevistados são blockchain (4º lugar), robótica e automação, incluindo veículos autônomos (5º), realidade aumentada (6º), realidade virtual (7º), rede social e tecnologias colaborativas (8º), biotecnologia e saúde digital (9º) e plataformas de compartilhamento (10º).

"A pesquisa mostrou que estamos vivendo um período em que empresas de praticamente todos os setores estão se posicionando para implementar modelos de negócios inovadores baseados em tecnologia", analisa o sócio-diretor da KPMG no Brasil, Felipe Catharino.

Para ter acesso à pesquisa completa, basta clicar aqui.

Sobre a KPMG

A KPMG é uma rede global de firmas independentes que prestam serviços profissionais de Audit, Tax e Advisory. Estamos presentes em 154 países e territórios, com 200.000 profissionais atuando em firmas-membro em todo o mundo. No Brasil, são aproximadamente 4.000 profissionais, distribuídos em 22 cidades localizadas em 13 Estados e Distrito Federal.

Orientada pelo seu propósito de empoderar a mudança, a KPMG tornou-se uma empresa referência no segmento em que atua. Compartilhamos valor e inspiramos confiança no mercado de capitais e nas comunidades há mais de 100 anos, transformando pessoas e empresas e gerando impactos positivos que contribuem para a realização de mudanças sustentáveis em nossos clientes, governos e sociedade civil.

Teste inovador imita a natureza na detecção de endotoxinas

industria-de-biotecnologia-cresce-mas-eficiencia-e-financiamento-preocupam.jpg

Linha Endonext, da bioMérieux, inclui molécula sintetizada que atua de forma similar à substância LAL, presente no sangue de caranguejos-ferradura

Uma das grandes preocupações das indústrias farmacêuticas produtoras de soluções injetáveis é a detecção de substâncias chamadas endotoxinas bacterianas. Essas substâncias são consideradas potenciais fontes de pirogênio, que quando injetadas na corrente sanguínea causam um aumento de temperatura corpórea, podendo levar o indivíduo à morte.

Tendo em vista este elevado risco, todas as indústrias farmacêuticas produtoras de injetáveis realizam em seu escopo de análises de controle de qualidade um rigoroso controle dos níveis de endotoxina em várias etapas de seus processos produtivos, visando a garantir a ausência total de endotoxinas bacterianas em seu produto final.

Como veremos, ainda hoje indústrias de biotecnologia utilizam animais na produção de biocomponentes ou reagentes, mas há soluções inovadoras e ecologicamente corretas disponíveis, oferecendo ainda mais precisão e confiabilidade aos testes.

O primeiro teste desenvolvido com este objetivo foi introduzido na USP (Farmacopeia Americana) em 1942 e consiste na administração intravenosa do produto em coelhos, seguida de constantes monitoramentos, visando a detectar a presença (ou não) de alterações térmicas, o que indicaria a presença de pirógenos.

Em janeiro de 1973, o FDA (Food and Drug Administration) autorizou a utilização de uma nova metodologia que usa uma substância chamada LAL (Limulus Amebocyte Lysate ou Lisado de Amebócito de Limulus) presente no sangue de caranguejos-ferradura do gênero Limulus.

A partir de então, muitas empresas passaram a adotar essa metodologia para detectar a presença de endotoxina bacteriana em seus produtos. Entretanto, essa ainda não é a melhor opção, pois o Limulus (caranguejo-ferradura) vem apresentando uma redução significativa da sua população ano a ano, correndo sério risco de extinção, afetando não só a produção do LAL, mas também provocando um sério desequilíbrio ecológico nas regiões de habitat natural deste animal.

Além disso, o uso de uma fonte animal para a produção de um reagente reduz a reprodutibilidade e padronização das análises, devido à complexidade na composição, inerente a produtos de origem biológica, que varia a cada lote.

Muitas indústrias biofarmacêuticas têm considerado a redução do uso do LAL, inclusive substituindo o uso de animais, por testes “in vitro” ou produções recombinantes que não necessitem do uso de animais.

Evolução em laboratório

Exatamente nesse último principio, que é a reposição, vemos os principais avanços nos testes para detecção de endotoxinas bacterianas. Em 1997, pesquisadores da universidade de Singapura realizaram a clonagem do gene responsável pela produção do Fator C presente na cascata enzimática de coagulação do LAL e conseguiram que ele fosse expresso recombinantemente em culturas celulares.

Após diversos estudos e melhorias, o Fator C recombinante demonstrou ser uma alternativa real ao LAL devido à sua sensibilidade (detecta baixas doses de endotoxina), aplicabilidade (atende de matrizes das mais simples, como água, até as mais complexas, como bioprodutos) e confiabilidade (endotoxina específico).

Baseados em diversos estudos, em 2012, o FDA publicou em suas diretrizes para testes de endotoxina posicionando o Fator C recombinante como alternativa ao LAL, e a farmacopeia europeia seguiu a mesma linha de pensamento e em 2016 aprovou o capítulo que trata do Fator C recombinante como alternativa para o teste de endotoxina bacteriana.

Apesar da migração do LAL para o Fator C recombinante ser uma tendência segura e sustentável, muitas indústrias farmacêuticas ainda mantém o teste de LAL, grande parte devido a um receio com relação à forte regulação e ao esforço que seria necessário para a validação e aplicação de uma nova metodologia. Porém, muitas indústrias já introduziram o Fator C recombinante em suas rotinas laboratoriais de análises de endotoxina, seja em água, como em processos e produtos finais. E estão liberando seus produtos com essa tecnologia inovadora e ecologicamente correta.

A utilização de kits de detecção endotoxinas com base no Fator C recombinante permite às industrias farmacêuticas a possibilidade de modernizar seus processos e contribuir significativamente com a conservação do caranguejo ferradura, pois uma mudança apenas das análises de processo (água e matérias-primas) para o Fator C recombinante pode reduzir em até 90% a demanda por reagentes LAL, o que significaria uma redução estimada na mortalidade dos caranguejos ferradura em torno de 100 mil animais, somente na América do Norte.

Tecnologia imita a natureza

Pensando em eliminar a necessidade de coletar animais, na padronização e no fornecimento constante de testes para detecção da presença de endotoxinas em produtos farmacêuticos, a bioMérieux disponibiliza no Brasil o Endonext, uma linha de produtos que tem por princípio a ação do fator C (FCR), que é uma molécula sintetizada que atua de forma similar ao LAL. O Endonext está disponível em três versões: Endozyme II e Endozyme II Go para análise de produtos mais simples, e Endolisa para produtos mais complexos, que apresentam interferência com outras metodologias.

Dessa forma, a bioMérieux visa tornar os testes de endotoxina mais rápidos, fáceis e ecologicamente corretos, permitindo decisões confiáveis sobre controle de processos e liberação de produtos biofarmacêuticos e dispositivos médicos.

Mais informações no site.

Sobre a bioMérieux

Há mais de 50 anos no mercado, a bioMérieux é líder na área de diagnóstico in vitro. Em todo o mundo, a empresa tem o propósito de contribuir efetivamente com o desenvolvimento da saúde pública, fornecendo soluções (reagentes, equipamentos e softwares) que determinam a origem da doença e de contaminações de produtos industrializados a fim de melhorar a saúde do paciente e garantir segurança aos consumidores.

Grupo Bradesco Seguros inaugura unidade da clínica Meu Doutor Novamed em Guarulhos

unimed-do-brasil-inaugura-nucleo-de-saude-ocupacional-em-santos.jpg

O investimento total da expansão chegará a R$120 milhões, com mais de 20 unidades inauguradas até o fim de 2020

O Grupo Bradesco Seguros inaugurou na última segunda-feira, 24 de junho, mais uma unidade da rede de clínicas Meu Doutor Novamed, focada em atendimento primário. O local escolhido foi Guarulhos, município da Região Metropolitana de São Paulo, e conta com 13 especialidades médicas, entre elas Pediatria, Cardiologia e Médico da Família, além de Psicologia e Nutrição.

Com mais de 325 mil atendimentos já realizados, a clínica foi criada em 2015 para oferecer consultas médicas básicas e especializadas, exames laboratoriais e de imagem, tendo nível de satisfação em 99% entre os beneficiários. Atualmente, há seis unidades em funcionamento em São Paulo: Paulista, Lapa, Osasco, Santana, Tatuapé e Santo André, além das unidades in company – Cidade de Deus, Alphaville e outras duas em empresas clientes da Bradesco Seguros.

“A rede foi projetada para cuidar da saúde dos beneficiários com padrão de atendimento diferenciado, privilegiando a atenção primária personalizada e resolutiva, além de valorizar a relação médico-paciente e, em especial, a figura do médico de família, que acompanha todo histórico clínico do paciente”, ressalta Aline Thomasi, superintendente de operações da Bradesco Saúde.  Outro diferencial é o uso do prontuário eletrônico, um sistema integrado entre todas as unidades, que facilita o próximo atendimento e contribui para um diagnóstico mais eficaz.

Já no segundo semestre de 2019, está previsto lançamento das unidades de São Bernardo e Vila Olímpia, também em São Paulo. Com investimento total de R$120 milhões até 2020, estão previstas novas 20 unidades em diversos estados, como Rio de Janeiro, Porto Alegre, Bahia, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Pernambuco, Pará, Distrito Federal, Santa Catarina, Maranhão, Alagoas e Amazonas.

Sobre o Grupo Bradesco Seguros 

O Grupo Bradesco Seguros, conglomerado segurador da Organização Bradesco, tem atuação multilinha em âmbito nacional nos segmentos de Seguros, Capitalização e Previdência Complementar Aberta.

Logicalis apresenta tecnologia sob medida para o setor de saúde

inovacao_198169034

Espaço reúne startups, empresas e meio acadêmico visando estimular a inovação e o empreendedorismo na área da saúde

Com objetivo de impulsionar a inovação e encontrar soluções para os problemas do setor da saúde, o Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR) criou o Open D’Or Healthcare Innovation Hub. Conceituada como uma plataforma colaborativa, o Hub atua junto à área de Transfomação Digital da Rede D’Or São Luiz. Instalado em Botafogo, Rio de Janeiro, conta com um espaço para simulação do ambiente hospitalar, com laboratório de desenvolvimento, testes e integrações com os sistemas e equipamentos.

A Logicalis é uma das empresas presentes no ambiente, no qual demonstra sua expertise no setor e participa das discussões para desenvolvimento de novas soluções para o mercado de saúde. “É muito importante estarmos juntos dessas empresas e profissionais, contribuindo para a evolução da transformação digital na saúde. Nós acreditamos que, juntos, conseguimos tirar o melhor proveito da tecnologia para melhorar a vida das pessoas e aprimorar a rotina das instituições de saúde”, explica Carlos Reis, consultor do especializado em saúde da Logicalis.

No laboratório do Open D’Or, a Logicalis demonstra algumas de suas soluções voltados para a área de saúde. O Clear Hands, destinado ao controle das infecções hospitalares, monitora em tempo real a higienização das mãos dos profissionais que circulam pelo ambiente. A solução consiste em totens de álcool em gel equipados com sensores de RFID, fixados nas paredes de entrada e saída dos leitos, que identificam as informações do crachá do funcionário, validando quem higienizou ou não as mãos.

Outra solução disponível no ambiente é a de rastreabilidade de têxteis e instrumentos cirúrgicos, um dos principais causadores de complicações pós-cirúrgicas, de acordo com a Joint Commission International (JCI), organismo de acreditação de unidades de saúde baseado nos Estados Unidos. Segundo o levantamento sobre a retenção não intencional de objetos após a cirurgia, instrumentos (33%) e cateteres e drenos (17%) são os itens mais esquecidos, e as razões apontadas para este esquecimento foram fatores humanos (75%) – distração e fadiga, por exemplo – e falta de políticas de segurança (25%).

Para evitar que isso ocorra, a Logicalis, em parceria com a Identhis, desenvolveu uma mesa de cirurgia inteligente capaz de rastrear todos os instrumentais e têxteis cirúrgicos. A partir do momento em que a mesa é ativada, uma tela mostra onde está cada um dos itens, seja na mesa, no campo cirúrgico ou ou no lixo. Isto ajuda a controlar em tempo o real a localização deles, reduzindo o risco de esquecimento e evitando incidentes.

Para mais informações sobre o Open D’Or, acesse o site.

O papel das empresas na prevenção de transtornos mentais relacionados ao trabalho

Elaine 2

Mesmo vivendo um momento de expressiva inovação tecnológica as empresas estão cada dia mais cientes da importância de cuidar da saúde de seus colaboradores.

A saúde deve estar no centro do planejamento estratégico para que os empresários assumam um papel cada vez mais importante na gestão de saúde, buscando alternativas e ações de prevenção e garantia de bem-estar no ambiente de trabalho. Neste contexto se encaixa a saúde mental dos colaboradores.

Estamos diante de uma triste realidade de aumento de incidência de casos de transtornos e doenças mentais no ambiente corporativo, grande número dos afastamentos são relacionados a estas causas e é preciso enfrentar esta situação.

O tema é de tal relevância que a a ONU (Organização das Nações Unidas) tem o programa “Transformando o nosso mundo: a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável” e apresenta no objetivo 03 – SAÚDE E BEM ESTAR - a meta de reduzir mortalidade e promover saúde mental e bem-estar.

Ter saúde mental no ambiente de trabalho significa ser capaz de desempenhar bem as atividades, desenvolver potencial criativo, nutrir bons relacionamentos, ou seja, trabalhar com prazer e com um senso de propósito!

As empresas que representam algum tipo de risco para a saúde mental de seus colaboradores são aquelas que exigem desempenho, cumprimento de metas e resultados sem lhes oferecer a contrapartida de estrutura, condições e ferramentas necessárias.

Há diversas situações relacionadas ao ambiente de trabalho que podem ocasionar transtornos mentais, tais como:

  • Jornada de trabalho exaustiva;
  • Metas inatingíveis;
  • Comunicação falha;
  • Falta de definição das funções, falta de feedback;
  • Gestão estratégica ineficaz;
  • Assédio moral e perseguição;

As principais doenças mentais são depressão, ansiedade, síndrome do pânico, esgotamento profissional (burnout), entre outras. As consequências no desempenho das atividades são prejudiciais, pois o profissional sofre um desgaste que compromete suas funções cognitivas, com falta de atenção, falta de concentração e falhas de memória, quadros de desânimo e baixo rendimento.

O efeito negativo para a empresa é evidente, dentre os principais problemas vale ressaltar o absenteísmo, os afastamentos, falta de produtividade, pedido de demissão, perda de conhecimento organizacional, erros e má decisões, e, ainda, há os efeitos de aumento de sinistralidade de planos de saúde.

Reconhecer que transtornos mentais não são estigmas sociais, mas sim doenças que devem ser prevenidas e tratadas adequadamente é o primeiro passo para buscar alternativas de promoção de saúde, cuidado e bem-estar.

É papel das empresas identificar e implementar ações de prevenção e redução dos fatores de risco à saúde mental no ambiente de trabalho.

E o mais importante: É possível garantir um ambiente de trabalho saudável com ações simples:

  • Difundir no ambiente de trabalho uma cultura participativa, com respeito, igualdade e justiça nas relações de trabalho;
  • Disponibilizar ambiente, estrutura e equipamentos adequados às rotinas de trabalho;
  • Definir estratégia e objetivos e divulgar de forma clara para todos os colaboradores;
  • Implementar feedback periódico com os gestores para que o colaborador sempre saiba o que é esperado de seu desempenho;
  • Boa gestão de desempenho para evitar horas extras e solicitações de tarefas sem que o colaborador tenha tempo hábil para executá-las;
  • Incentivar atividades físicas e programas de ginástica laboral;
  • Incentivar alimentação saudável, pois um corpo bem nutrido tem mais energia para enfrentar os desafios diários;
  • Oferecer palestras e treinamentos motivacionais;
  • Ter um canal aberto de conversa com psicólogos ou gestores de recursos humanos para identificar e tratar quaisquer indícios ou sintomas de transtornos;

Uma maneira de medir o resultado destas ações e saber se estão surtindo o efeito esperado é conduzir periodicamente uma pesquisa de clima organizacional.

As políticas de promoção de saúde mental e bem estar só trazem vantagens para as empresas que as implementam, uma vez que refletem como o colaborador se sente em trabalhar na empresa e quão motivado E COMPROMETIDO está para realizar suas tarefas com alta performance e isso gera um impacto positivo na rentabilidade e no ranking da empresa como um ótimo lugar para trabalhar.

Enfim, cada organização é única e requer uma análise detalhada das necessidades para que seja definida uma política de promoção de saúde mental e bem-estar, só não vale ficar parado, então, mãos à obra!

Sobre a autora

Elaine Alcântara é diretora geral da ITMS do Brasil e possui mais de 20 anos de experiência na área de gestão da saúde por meio da Telemedicina

Dasa lança maior Centro de Diagnóstico em Genômica da América Latina

dasa genomica

Líder brasileira em diagnósticos reforça sua atuação em Medicina de Precisão com investimento de mais de R$ 60 milhões na criação de parque tecnológico pioneiro

A Dasa, líder brasileira em medicina diagnóstica, apresenta seu Centro de Diagnóstico em Genômica, maior parque tecnológico especializado em sequenciamento genético da América Latina, que recebeu investimentos de mais de R$ 60 milhões. O local processará exames genéticos e genômicos de mais de 700 unidades de laboratórios Dasa em todo o País, como Delboni (SP), Sergio Franco (RJ), Exame (DF) etc. O Centro de Diagnóstico em Genômica é formado pelo GeneOne, laboratório de genômica que integra a Dasa e oferece Medicina Personalizada em áreas como Oncogenética, Cardiogenética, Doenças Raras, Neurogenética, Reprodução Humana, entre outras.

Emerson Gasparetto, vice-presidente da área médica da Dasa, explica o foco da companhia para a criação do Centro. "Em 2003, a conclusão do sequenciamento do DNA humano marcou a evolução da saúde. Isso possibilitou individualizar cuidados por meio da medicina de precisão. O Centro de Diagnóstico em Genômica da Dasa reforça nossa atuação em medicina personalizada, com testes genômicos e exames genéticos preditivos", reforça.

Formado por equipe multidisciplinar, com 34 profissionais mestres e doutores que têm parcerias com instituições de ensino e produção de estudos de ciência básica, clínica e translacional, como biólogos especialistas em genética molecular, bioinformatas, patologistas e geneticistas, o Centro de Diagnóstico em Genômica oferece o maior corpo clínico em genética do Brasil.

Sequenciadores NGS como o NovaSeq 6000, o mais moderno equipamento para sequenciamento do genoma humano, compõem o arsenal tecnológico. Também estarão disponíveis equipamentos como NextSeq/NextSeq550, MiSeq (Illumina) e S5 System (ThermoFisher), a plataforma para SNP-array iScan (Illumina) e PCR digital (BioRad). A automação de procedimentos técnicos, como extração de DNA e preparo de biblioteca de NGS, ampliam a capacidade de escala, garantindo alto padrão de qualidade e reprodução de exames com acurácia e precisão.

Os espaços do Centro são integrados por paredes transparentes de vidro. Do hall de entrada, a área técnica já pode ser visualizada pelos visitantes. Isso possibilita, de forma inédita no mercado diagnóstico, proximidade do corpo clínico com os pacientes e seus médicos. Favorece também trocas de conhecimento entre as áreas técnica, médica e de bioinformática para validações de novas metodologias em tempo real, sem prejudicar agilidade do processo. "Intensificaremos encontros científicos sobre genética e atenderemos os pacientes que desejarem ter mais informações sobre genômica. Hoje, com o empoderamento do paciente, essa disponibilidade é fundamental", aponta o diretor médico da Dasa, Gustavo Campana.

Outro conceito inovador é o peer learning (aprendizagem entre pares). Todos os laudos processados serão vistos por, pelo menos, dois profissionais (peer review) e os casos mais complexos serão discutidos pelo grupo de especialistas em genética. Para Campana, esta interação permite que os resultados da rotina diagnóstica e as validações de novas metodologias sejam otimizados. "Criamos um núcleo de discussão e aprendizagem, em tempo real, que conta inclusive com médicos e parceiros internacionais. Isso possibilita a criação de um banco de dados de genética e em razão da ampla presença dos laboratórios da Dasa no País, atendidos com exames do GeneOne é um grande diferencial para a saúde dos brasileiros", explica.

Associado ao novo espaço, a Dasa mantém parcerias com empresas internacionais que são referência na área para transferência de tecnologia, como Natera (Reprodução Humana), Health in Code (Cardiogenética), Quest Diagnostics (Neurogenética), Sophia Genetics (Doenças Raras e Oncogenética), Strand e Myriad (Oncogenética).

Exames

O Centro de Diagnóstico em Genômica tem capacidade para realizar exames de alta complexidade como sequenciamento de nova geração (NGS), análise cromossômica por microarray (SNP-array) e outras metodologias complementares, como MLPA, Sequenciamento Sanger, PCR digital e PCR em tempo real.

Os processos embrionários, como a fertilização in vitro (FIV), estão mais frequentes no país. Segundo o IBGE, o grupo de mães que tem entre 30 e 39 anos passou de 22,5% em 2005 para 30,8% em 2015. Dados da Anvisa apontam que mulheres acima de 35 anos são as que mais recorrem ao método FIV e têm os exames genéticos de Reprodução Humana como grandes aliados, já que a partir de 30 anos, a fertilidade feminina inicia a redução de produção de óvulos e aumenta o risco de problemas durante a gestação e de o bebê apresentar falhas genéticas. Por isso, o Centro de Diagnóstico em Genômica oferece os mais modernos exames com esta finalidade, como o NIPT, teste pré-natal não invasivo para identificar síndromes, como Down).

Outro exame com foco em Reprodução Humana é a Triagem Genética Pré-Implantação, PGD e PGS, que amplia as chances de a FIV ser bem-sucedida. O processo analisa o material genético do embrião antes da implantação no útero, permitindo detectar possíveis comorbidades e, assim, implantar apenas embriões saudáveis, sem riscos genéticos hereditários.

"Trouxemos a tecnologia utilizada para análise das amostras para São Paulo e enviamos a nossa equipe para um treinamento com os maiores especialistas em medicina fetal do mundo, em São Francisco, na Califórnia. Com isso, garantimos autonomia para processar exames de Reprodução Humana aqui, com o nosso corpo clínico", destaca Campana.

Os exames de medicina genética e genômica da Dasa são oferecidos pela GeneOne, que integra a Dasa, nos mais de 40 laboratórios que compõem a rede diagnóstica em todo o País, em 11 Estados e no DF. Os testes também estão disponíveis no site.