Grupo Vita lança empreendimento em Curitiba

O Grupo Vita, IMC e Consplan lançam o Vita Medical Center, um prédio de 12 pavimentos será construído na mesma área do Hospital Vita, de Curitiba (PR). O novo empreendimento vai integrar consultórios, clínicas e lojas de apoio, utilizando um conceito semelhante ao de um shopping center. A obra receberá investimentos de R$ 20 milhões e deve ser concluída em 2005. Além de 160 consultórios, o empreendimento terá um auditório para 100 pessoas, praça de convivência, lojas, sistema de segurança de última geração e estacionamento com 462 vagas rotativas/dia.
Este é o primeiro centro médico integrado a um hospital construído em Curitiba e um dos poucos existentes no Brasil. A praticidade, para o paciente, é que este não precisará se deslocar para outro ponto da cidade, por exemplo, para a realização de exames pois o hospital estará integrado aos consultórios médicos. O prédio será construído pela Consplan, empresa que se associou ao grupo empresarial incorporador International Medical Center em 2000. O projeto arquitetônico é assinado por Ivan Smarcevscki & Arquitetos Associados.
A Consplan já lançou vários empreendimentos na área hospitalar como o Centro Médico Henri Dunant, o Itaigara Memorial Day Hospital, o Complexo Odonto Médico Itaigara e o Centro Odonto Médico Linus Pauling, todos localizados em Salvador (BA).

Kodak adquire empresa de radiologia digital

A Eastman Kodak Company anunciou ontem ter entrado em um acordo para a aquisição da PracticeWorks, de Atlanta (EUA), fabricante de sistemas de radiografia digital para a área odontológica. Segundo o acordo, a Kodak vai adquirir as ações da companhia por aproximadamente US$ 500 milhões. No acordo também está incluído a subsidiária de Paris da Trophy Radiologie, fabricante do equipamento de radiografia digital odontológica, adquirida pela PracticeWorks em dezembro do ano passado.
O negócio deve render à Kodak aproximadamente US$ 215 milhões no primeiro ano de operação conjunta com a nova empresa.
A Kodak, líder mundial em filmes de raiox-X dental espera, com a aquisição, tornar-se líder no segmento digital assim como, em 1998, a aquisição de negócios na área de imagem a colocou como uma das líderes em impressão a laser na área médica. Com a aquisição a empresa poderá oferecer tanto filmes tradicionais como sistema de radiografia digital.
Segundo a Kodak, as vendas mundiais no segmento de radiografias digitais odontológicas alcançam US$ 120 milhões por ano.

Prefeitura e governo de São Paulo aderem à Gestão Plena de Saúde

O município e o Estado de São Paulo aderiram à Gestão Plena de Saúde. Com isso, cada um receberá separadamente recursos do Governo Federal, sendo que o Estado receberá R$ 240 milhões por mês e a prefeitura R$ 42,61 milhões mensais. De acordo com o ministro da Saúde, Humberto Costa, o grande benefício desse sistema é a descentralização da saúde pública porque promove a integração entre os sistemas municipais e estaduais, informa a Agência Brasil. A partir de agora o município ficará responsável por administrar consultas, exames e internações em 30 hospitais estaduais e 26 privados que atendem pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Já os hospitais com atendimentos mais complexos como os hospitais São Paulo, das Clínicas e Universitário continuam com a administração do Estado.
Com a entrada da Gestão Plena, no mês de agosto será implementada uma central de atendimento que dará a possibilidade para a Prefeitura encaminhar os pacientes para todos os hospitais do Estado. Essa medida visa evitar que os pacientes procurem vários hospitais sem ter atendimento.

Governo credencia novas UTIs

O governo federal pretende sanar o problema do déficit de unidades de terapia intensiva (UTI) no País até o final do ano que vem. Segundo o ministro da Saúde, Humberto Costa, até a metade de 2004, o déficit do número de leitos de UTI apresentará uma redução significativa. O Ministério da Saúde vai credenciar 2.233 leitos de UTI no primeiro semestre de 2004. Para custeio dos novos leitos, serão aplicados R$ 51,31 milhões, em 2003, e R$ 105,72 milhões, em 2004. Com esse aporte, o número de leitos no Sistema Único de Saúde (SUS) subirá de 14.036 para 16.269, representando uma redução do déficit no sistema público de 3.662 para 1.418, informa a Agência Brasil. ?Estamos credenciando todos os leitos de UTI para os quais havia pedidos no ministério. A segunda etapa, agora, é procurar em Estados e regiões onde o déficit permanece, construir novos leitos, equipá-los e credenciá-los?, afirma o ministro, que participou na capital paulista da cerimônia de adesão do município e do Estado de São Paulo à Gestão Plena de Saúde. Com a integração no atendimento em todos os hospitais públicos de São Paulo, os recursos destinados ao Estado e ao município terão um incremento de R$ 137 milhões por ano. Costa também assinou portaria que cadastra 306 leitos de UTI em 30 hospitais do Estado. Para custeio desse atendimento, o governo federal repassará mensalmente R$ 1,04 milhão.

AMB e Anvisa assinam convênio para controle de qualidade

A Associação Médica Brasileira (AMB) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiram formalizar um convênio de ajuda mútua no controle da qualidade de medicamentos, materiais e demais produtos utilizados em procedimentos médicos. Coordenada pelo presidente da AMB, Eleuses Vieira de Paiva, a reunião realizada na última sexta-feira proporcionou o encontro dos representantes das Sociedades de Especialidades com o presidente da Anvisa, Cláudio Maierovitch. Ficou decidido que dentro de 30 dias a AMB e a Anvisa estarão oficializando o convênio. O mesmo convênio será assinado entre a AMB e suas Sociedades de Especialidades.
O presidente da AMB esclareceu que a idéia do convênio é agilizar o processo de comunicação entre os médicos e a Anvisa, aproveitando a organização que existe dentro das especialidades. O objetivo é aprimorar os processos de controle e prestar melhor serviço à população.

Saúde lidera investimentos de capital de risco no País

Pesquisa preliminar divulgada pela Associação Brasileira de Capital de Risco (ABCR), revelou que o montante de investimentos de venture capital (capital de risco) efetuados em empresas emergentes de capital fechado brasileiras no primeiro semestre de 2002 alcançou R$ 257,1 milhões. O setor de biotecnologia, medicina e saúde concentrou 53% dos investimentos de capital de risco em empreendimentos nascentes realizados no país no período pesquisado. A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) apresenta amanhã, em sua sede, em São Paulo, a mais recente pesquisa sobre a indústria de capital de risco no Brasil, feita pela ABCR em parceria com a Thomson Venture Economics, informa a Agência Brasil.
A pesquisa oferece informações padronizadas sobre o mercado de capital de risco no país nos anos de 2000, 2001 e 2002, considerando o setor e a localização geográfica dos investimentos analisados, além do estágio da empresa.
Segundo o diretor executivo da ABCR, Robert Binder, esse detalhamento permitirá o acesso de investidores brasileiros a dados até então não disponíveis, auxiliando na definição de melhores critérios para suas decisões de investimento. O acompanhamento do mercado obedeceu a critérios internacionais, adaptados à realidade brasileira pela Fundação Getúlio Vargas. Isso facilitará também o acesso de investidores estrangeiros ao nosso mercado, avaliou Binder.

HC da Unicamp reformula área de dieta enteral

Os cuidados hospitalares com dieta alimentar têm um peso fundamental para uma assistência de qualidade ao paciente. Por essa razão, e para se adequar à resolução 63 do Ministério da Saúde, de 6/7/2000, o Hospital das Clínicas da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) reinaugurou neste mês a sala de dieta enteral, que foi totalmente reformulada. Com verba do SUS, a área foi credenciada pelo Ministério da Saúde e deverá gerar uma receita para o HC em torno de R$ 60 mil por mês. Equipada com pass-trought, que armazena a dieta enteral, a nova área irá preparar, evasar, identificar, armazenar e distribuir as fórmulas nutricionais enterais industrializadas obedecendo aos padrões e critérios de controle higiênicos sanitários.
A dieta enteral é destinada aos pacientes impossibilitados de receber uma dieta fisiológica (pela boca), sendo administrado através de sonda, que pode ser introduzida do nariz até o estômago (ou intestino) ou ainda colocada diretamente no estômago ou no intestino. Quando as condições de preparo da dieta são inadequadas, o paciente pode sofrer intoxicação alimentar ou mesmo contaminação, causando inclusive diarréia.
Responsável pela Divisão de Nutrição e Dietética do HC, local onde é preparada a dieta, Harumi Kinchoko afirma que o investimento não somente beneficiará o hospital, mas principalmente a assistência nutricional ao paciente. Atualmente, 50 a 70 pacientes recebem esse tipo de dieta, atendendo as Unidades de Internação, Pronto-Socorro, Procedimentos Especializadas e alguns Ambulatórios.

Brasília sedia VII Congresso da Saúde Coletiva

O campus da Universidade de Brasília, no Distrito Federal, realiza de 29 de julho a 2 de agosto, a sétima edição do Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva. A tônica do Congresso, segundo os organizadores, é discutir os meios de incluir cada vez mais a população brasileira nos serviços da saúde.
A programação contará com conferências, debates, palestras, painéis e colóquios. Paralela às discussões científicas, haverá uma feira de saúde, onde serão apresentados vídeos sobre projetos de saúde desenvolvidos em várias regiões do Brasil. O evento reunirá docentes, pesquisadores, gestores, profissionais de saúde e todos aqueles interessados no debate, reflexão e enfrentamento dos desafios teóricos e práticos no campo da Saúde Coletiva.
Em sua sétima edição, o Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva contabilizou mais de 6 mil trabalhos, inscritos on-line e enviados pelo correio.
Neste ano, além de um espaço voltado à divulgação de programas, projetos e experiências inovadoras desenvolvidas no setor na ?Feira da Saúde?, também acontecerá a IV Mostra Nacional de Vídeos em Saúde ? a ?IV VídeoSaúde?, organizada pelo Centro de Informação Científica e Tecnológica do Departamento de Comunicação e Saúde da Fiocruz.
Entre os convidados internacionais estão Antônio Infante - Vice Ministro de Saúde/ Chile; Ana Cristina Laurell - UAM - México; Carme Borrell - Instituto Municipal de Saúde Publica de Barcelona; Charles Godue ?Organização Panamericana da Saúde; Cristina Zarowski - IDRC/Canadá; Edmundo Granda - Universidade do Equador; Gilles Dussault ? Escola de Saúde Pública/ Universidade do Chile ; Giorgio Solimano - Presidente da ALAESP/ Escola de Saúde Pública/ Universidade do Chile; John Flores ? Escola de Saúde Pública/ Universidade do Chile; Maria Urbaneja ? Ministra de Estado da Saúde da Venezuela; Mario Rovere - Universidade de Buenos Aires;Mauricio Hernández - Instituto Nacional de Saúde Pública/ México; Mirta Roses ? Diretora da Organização Pan Americana da Saúde; Pascoal Mocumbi ? Primeiro Ministro de Moçambique; Paulina Pino - Escola de Saúde Pública, Universidade do Chile; Pedro Luis Castelhanos; Radamés Borrotto Cruz - Escola Nacional de Saúde Pública/ Cuba ; Roberto Bazzani - IDRC/Canadá; Suzana Belmartino CEES ? Associação Médica de Rosário/ Argentina; Lucien Albert - Diretor da Unidade de Saúde da Universidade de Montreal - Canadá; Normand Asselin - Consultor Unidade de Saúde da Universidade de Montreal - Canadá; Giovani Berlinguer - Professor da Universidade La Sapienza - Roma;
Mais informações no site www.congressosaudecoletiva.com.br.

Madis Rodbel apresenta novos produtos para a área hospitalar

A fabricante de sistemas de segurança Madis Rodbel está lançando o Relógio Mestre MQ-01. O produto usa como base de tempo um cristal de quartzo com oscilador de alta freqüência, que permite a precisão absoluta do horário. O painel de comando permite o controle tanto do monitor da central horária como dos relógios secundários do sistema. O relógio é ativado através de bateria gelatinosa que evita a interrupção da hora em caso de falta de energia e pode ser distribuído nos diversos ambientes de um hospital ou clínica médica.
No setor de segurança e acesso lança o equipamento de identificação por impressão digital oferecido em duas versões: 5702 para comunicação via cabo, e o 5707 que permite a comunicação via TCP-IP. O equipamento foi desenvolvido para controlar a abertura de portas, catracas e torniquetes e pode ser utilizado para a marcação de registro de ponto, tornando o processo seguro e à prova de fraude.
A Madis Rodbel, uma das maiores fabricantes de relógios de ponto do mundo, comemora uma nova fase de expansão nos seus negócios. A empresa está completando 80 anos de existência e acaba de inaugurar uma nova sede no bairro de Pinheiros, em São Paulo. Com 1,7 mil metros quadrados de área, o novo prédio da Rodbel possui três andares e está equipado com computadores de última geração. O investimento neste novo espaço foi de R$ 2 milhões.
Possui 11 filiais espalhadas pelas nas seguintes cidades: Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São José dos Campos, Campinas, Goiânia, Salvador, Curitiba e Santos, e 37 revendas com assistência técnica próprias.

Einstein inaugura equipamento para diagnóstico de lesões no intestino

O Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE), de São Paulo, inaugura hoje a divisão da Cápsula Endoscópica, um equipamento de U$ 60 mil que permite o diagnóstico minucioso das lesões no intestino delgado. Através de um método ambulatorial e não-invasivo, portanto mais confortável para o paciente, é possível alcançar uma região do corpo que até então não era examinada com tamanha precisão. Além disso, a última versão do aparelho adquirida pelo hospital, possui um sistema de localização espacial (tipo GPS) que facilita a localização exata do ponto de sangramento ou da lesão encontrada. Por isso, este procedimento tem enorme aplicação nos pacientes com anemia (principalmente por sangramento oculto) e nos distúrbios de absorção, como na doença de Crohn, nos tumores e nas infecções crônicas do intestino delgado.
Desenvolvida por técnicos israelenses, a cápsula tem cerca de 25 mm e possui uma pequena câmera que tira duas fotos por segundo enquanto "viaja" pelo aparelho digestivo. O exame dura oito horas e, enquanto isso, o paciente mantém normalmente suas atividades diárias. Cerca de 55 mil fotos são obtidas neste processo e os dados são transmitidos através de sensores fixados ao abdômen do paciente para um gravador (Data Recorder) preso a um cinturão.
Em seguida, o Data Recorder é processado no RAPID Workstation, um programa que permite ao médico visualizar e analisar o intestino delgado por meio de um filme de vídeo. O recurso possibilita o "congelamento" das imagens e o arquivo em CD.
De acordo com o coordenador do Departamento de Endoscopia do HIAE, Prof. Dr. Arnaldo José Ganc, este serviço representa um enorme avanço no diagnóstico nas doenças do aparelho digestivo e coloca o HIAE na absoluta vanguarda neste segmento. ?Além de ser um método totalmente indolor, teremos a chance de solucionar 60% dos casos de hemorragias ocultas, não diagnosticadas por outros métodos de imagem e de má absorção?, ressalta.
Esta revolução no diagnóstico das doenças do intestino delgado já representa aproximadamente 50 mil estudos pelo mundo, principalmente nos Estados Unidos e Europa.