SUS atua na redução da transmissão do HIV de mãe para filho

A política de redução da transmissão vertical do HIV (transmissão de mãe para filho) passa a ter todos os custos cobertos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A nova política de incentivo à prevenção do HIV em recém-nascidos foi oficializada por meio da portaria nº 822, de 27 de junho de 2003, publicada no Diário Oficial da União no último dia 30 de junho. A partir de agora, além dos anti-retrovirais já custeados desde 1994, soma-se ao orçamento nacional os testes para detecção do HIV e de confirmação da sífilis materna; o inibidor de lactação e a fórmula infantil (leite artificial) para crianças verticalmente expostas ao HIV, do nascimento até os seis meses de idade.
A portaria constitui um salto na política de redução da transmissão vertical, visto que todo hospital ligado à rede do Sistema Único de Saúde (SUS), pode reclamar, por meio da Autorização para Internação Hospitalar (AIH-Parto), os custos relativos à realização dos testes para detecção do HIV (teste rápido anti-HIV) e confirmação da sífilis materna (MHATP), cobrindo, ainda, no caso da mulher portadora do HIV, o uso do inibidor da lactação (a cabergolina).
Esse novo passo do Ministério da Saúde vem complementar a portaria que institui o Programa de Humanização no Pré-Natal e Nascimento (nº 569, de 1º de julho de 2000), e a que institui o Projeto Nascer-Maternidades (nº 2.104, de 19 de novembro de 2002), que tem por objetivos diminuir a ocorrência da transmissão vertical do HIV, reduzir a mortalidade associada à sífilis congênita e melhorar a qualidade do atendimento ao parto.
Ao aumentar a cobertura de mulheres portadoras de HIV ou com sífilis, embora tardiamente diagnosticadas durante sua internação hospitalar para a realização do parto, permite-se promover a redução da transmissão vertical do HIV em 50%, assim como a mortalidade associada à sífilis congênita, além de controlar a infecção pelo HIV materna e a mortalidade por sífilis na mãe e seu parceiro.

Toshiba promove curso de educação continuada em radiologia

A Toshiba Medical do Brasil e a Sociedade de Radiologia de Minas Gerais realizam, de 08 a 10 de agosto próximo, em Belo Horizonte (MG), o II Curso de Educação Continuada da Toshiba. A metodologia do curso será a realização de exame ao vivo, com sistematização do procedimento. ?Modulo Ultra-sonografia das Partes Moles?.
Os assuntos abordados serão: "Tireóide", "Tireóide - Doppler", "Bolsa Escrotal?, "Ultra-som ? Crânio - Transfontanela", "Mama e Biópsia de Mama", "Glândulas Salivares", ?Músculos, Tendões, Cápsulas, Bursas, Sinovias, Pequenas Articulações?, entre outros, são alguns dos temas das palestras do curso que serão ministradas pelos Dr. Ronaldo Magalhães Lins, Dr. Márcio Rodrigues Campos, Prof º Dr. Eduardo Carlos Tavares, Prof ª Dr ª Ana Lúcia Kefalas de Oliveira Melo, Dr ª Luciana Costa Silva, Dr. Breno Teixeira Lino sob a coordenação do Dr. João Paulo Kawaoka Matsuhita.
O público-alvo do evento é formado por médicos radiologistas e de diagnóstico por imagem, médicos ultra-sonografistas, médicos residentes e acadêmicos de medicina.
Informações sobre as inscrições para o Curso da Toshiba podem ser obtidas pelo telefone (31) 3273-1559, da Sociedade de Radiologia de Minas Gerais. As vagas são limitadas. Os sócios da SRMG/AMMG e graduados de Medicina terão o custo de R$ 120 e os não sócios da Sociedade de Radiologia de Minas Gerais, R$ 170, para participar do evento.

Neomater amplia atendimento em Mastologia

O Hospital e Maternidade Neomater ganha na próxima semana uma nova equipe de Mastologia. Coordenada pelo mastologista e oncologista Agliberto Barbosa de Oliveira, membro da Sociedade Brasileira de Mastologia, a nova equipe vai ampliar o atendimento clínico e cirúrgico do hospital, que realiza mensalmente cerca de 150 atendimentos, entre consultas, diagnósticos e cirurgias relacionadas à Mastologia. Queremos aumentar o índice de diagnósticos precoces de câncer de mama, para evitar a mutilação da mulher", diz o mastologista Edson de Souza Freitas, membro da equipe. Segundo o médico, toda mulher a partir de 40 anos deve ser submetida à realização anual de mamografia, exame para o diagnóstico precoce de tumores na mama. "O câncer de mama, quando diagnosticado no início, tem 98% de chance de ser curado, sem a necessidade de retirada da mama", explica Freitas.
O médico afirma que em países desenvolvidos, a incidência de diagnóstico precoce chega em torno de 12%. Punção de nódulos e cistos, método de agulhamento por ultra-sonografia, mamografia com equipamento de última geração e, ainda, tomografia computadorizada estão entre os serviços de Mastologia que o Neomater oferece desde 1982.

Roche Diagnostica descontinua equipamentos

A Roche Diagnostica Brasil anuncia que não está mais fabricando e comercializando alguns equipamentos de sua linha de gasometria e eletrólitos: AVL Compact 1, AVL Compact 2, AVL 990, AVL 993, AVL 995, AVL 995/Hb, 988 Series, AVL9110, AVL 9120, AVL9130, AVL9140 e cooximetria, CO-OXYLITE 912. E também outros dois equipamentos automáticos de Bioquímica e Imunologia, respectivamente: Cobas Mira Plus e Cobas Core I. Entretanto, a Roche garante que aos clientes que possuem tais equipamentos ou que têm contrato vigente com a empresa, assistência técnica e reposição de equipamentos para o bom funcionamento das máquinas sob consulta direta à Roche Diagnostica Brasil ou junto aos distribuidores autorizados. Para obter mais informações, basta entrar em contato com a CARD: 0800.77 20 295 ou pelo (11) 3719.9382.

São Camilo Ipiranga lança plano maternidade

O Hospital e Maternidade São Camilo-Ipiranga acaba de criar o Plano Maternidade, para gestantes que não possuem convênio médico. O contrato do plano pode ser adquirido a partir do terceiro mês de gestação até os sexto mês e 29 dias. Segundo o diretor administrativo do Hospital, Clébio Garcia, a meta é alcançar pessoas desprovidas de plano de saúde, mas que já fazem acompanhamento com um médico e querem utilizar-se de toda estrutura de um hospital. O Centro Obstétrico foi inaugurado em fevereiro deste ano e tem capacidade para realizar até 500 partos. Atualmente, o Hospital realiza cerca de 60 partos por mês.
O novo serviço é dividido em dois planos: um para quem pretende ficar em apartamento e outro para enfermaria. Dentre os itens oferecidos pelo Plano estão: até três diárias em apartamento ou enfermaria, conforme opção da pessoa; até três diárias de berçário para o recém-nascido; salas de parto e pré-parto, admissão; exames preventivos; medicamentos, entre outros.
Não estão incluídos no plano os honorários médicos do obstetra e do anestesista; despesas extras como UTI Neonatal; vacinas e exames laboratoriais, bem como exames radiológicos e ultrassonográficos; alimentação de acompanhante; intercorrências médicas e procedimentos cirúrgicos inerentes ao parto.
Serviço: tel. (11)6215-3233 ramal 7253.

Laboratórios oficiais devem atuar de forma coordenada

Os laboratórios oficiais devem atuar de maneira coordenada e organizada para garantir que as expectativas e necessidades do Sistema Único de Saúde (SUS), no que se refere à produção e oferta de medicamentos considerados estratégicos, sejam atendidas. Para isso, devem atuar em rede, utilizando da maneira mais racional possível os investimentos públicos e adotando estratégias conjuntas para melhorar a capacidade de produção. Essas são algumas das principais conclusões do seminário "Produção Oficial de Medicamentos: diagnóstico, limitações e perspectivas", encerrado ontem em Brasília (DF). Representantes do Ministério da Saúde, dos laboratórios oficiais, dos conselhos nacional de secretários estaduais e municipais de Saúde e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária debateram as principais dificuldades do setor e desenharam um panorama com alternativas para superá-las.
O diretor do Departamento de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde, Norberto Rech, avaliou que o seminário termina com excelentes resultados: "Pela primeira vez, gestores, representantes de laboratórios oficiais e secretários de saúde se unem para discutir as bases iniciais de construção de uma política pública para o setor", disse. E prosseguiu: "Isso é muito mais do que usar a lógica de parceria; é exercitar a construção coletiva do SUS".
Rech anunciou que até a primeira quinzena de agosto devem ser definidas as alocações prioritárias de recursos para investimentos prioritários nos laboratórios oficiais, tanto para este quanto para os próximos anos. Essa distribuição, segundo afirmou, levará em conta as conclusões do seminário.
O ministro Humberto Costa defendeu a atuação conjunta dos laboratórios: "Vamos compor um sistema de laboratórios públicos, garantindo a qualidade, a segurança e a eficácia dos medicamentos produzidos", disse. O ministro enfatizou que fortalecer os laboratórios oficiais significa a possibilidade concreta de reduzir custos e ampliar as compras públicas de medicamentos. "Para garantir o acesso de quem precisa dos medicamentos, temos que aumentar a produção", resumiu.
Fonte: Agência Brasil

Dibmed apresenta sistema de lavagem para cateter

Em parceria com o Hospital Santa Cruz, a Dibmed desenvolveu um sistema para a remoção de contraste do circuito fechado do cateter bRT por meio de um sistema de lavagem automatizado. A promessa do novo sistema é garantir a qualidade da qualidade da higienização em relação ao manual, além do reprocessamento. Após a utilização, o cateter bRT é submetido a dois processos de lavagens distintos: uma para circuito aberto (remoção mecânica de orgânicos com auxílio de detergente enzimático intercalado com passagem de água filtrada e de osmose reversa) e outro para circuito fechado (remoção de resíduos de contraste).
Com o novo sistema automatizado, um circuito de válvulas realiza a injeção de água por osmose reversa e sucção da mesma do interior do balão, que corresponde a um ciclo de lavagem. Dessa maneira há redução do número de ciclos de lavagem manual de 40 para 20 automatizadas.
A garantia fica por conta da identificação de resíduos de contraste por Cromatografia de Camada Fina, em placa de gel silicone GF254R. A análise resulta da comparação do resultado do cromatograma da solução padrão e do produto acabado (diluição 2/100) com as amostras.
Serviço: (11) 276-2300

Laboratório Hermes Pardini apresenta serviço de B2B

O Laboratório Hermes Pardini (HP), com sede em Belo Horizonte (MG) é o segundo maior em volume de exames do mundo. E a estratégia para alcançar o topo é investir em tecnologia da informação. A partir de um projeto de software de gestão laboratorial desenvolvido com a Leme Informática, a meta é ampliar a automação do laboratório para cerca de cinco mil laboratórios conveniados em todo o País. Para alcançar o objetivo, o HP construiu um amplo sistema de logística, capaz de processar no mesmo dia o sangue colhido, por exemplo, de um paciente em Rondônia. Em números, as viagens de material para exame em todo o território nacional chegam à média de 881 mil quilêmotros por mês. Diariamente, o laboratório realiza mais de 60 mil exames, o que o deixa atrás apenas do laboratório Quest, dos Estados Unidos, que registra cerca de 65 mil exames por dia.
A ferramenta principal será a Tecnologia da Informação, a partir de um projeto de business to business, o HP-B2B, que permitirá uma integração total entre os laboratórios conveniados e o sistema do IPCHP.
Isso significa que os pedidos de exames gerados pelo laboratório-cliente serão gravados on-line, dentro do Sistema do IPCHP e, no instante seguinte, serão impressas as etiquetas de código de barras para a identificação das amostras biológicas. Os resultados dos exames também serão enviados online para o banco de dados do laboratório-cliente.
De acordo com os técnicos, o novo sistema informatiza a estrutura de segurança do laboratório, desde a retirada de sangue do paciente até o resultado da análise. Um exemplo disso é que, com as informações totalmente disponibilizadas via internet pelos laboratórios conveniados, já na chegada do material, as etiquetas que explicarão o tipo de análise a ser feita estarão impressas e colocadas nos recipientes próprios.
Até o final do ano, cerca de 600 laboratórios já deverão estar ligados a essa rede, trocando informações com a sede do HP e obtendo resultados online.
A instalação do software está na primeira das três fases em que o projeto foi idealizado. Nela, os conveniados terão acesso, via web, à interface dos exames nos moldes da produzida pelo laboratório. Na segunda, a ser concluída ainda neste ano, os laboratórios que utilizarem o serviço terão acesso aos resultados online. A última etapa, prevista para 2004, fará a padronização gerencial dos laboratórios conveniados dentro do ambiente tecnológico utilizado pelo HP.

Siemens apresenta sistema Primus no IBCC

A Siemens Medical Solutions promove o "Curso de Atualização para Físicos em Radioterapia Usuários Siemens", que irá reunir físicos de 11 hospitais e cinco especialistas do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC), de São Paulo, para apresentação do Acelerador Linear Primus e discussão de práticas e controle de qualidade da radiação envolvida no tratamento de radioterapia. O Primus, instalado há quatro meses, foi doado ao hospital pelo Ministério da Saúde, na gestão passada. O IBCC é referência no tratamento oncológico, conta com um equipamento de terapia de última geração e atende 90% dos casos pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
"Com o Primus da Siemens é possível tratar tumores com maior precisão, além de outras patologias antes não atendidas pela instituição, como neoplasia de próstata", conta a dra. Silvia Stuart, chefe do departamento de radioterapia do IBCC. Além disso, com o acelerador linear, a terapia é mais rápida. O tempo de uma sessão de tratamento caiu de 20 para, em média, 10 minutos. "O paciente é beneficiado com um menor tempo de exposição à radiação e com maior opção de horários para tratamento, já que a capacidade de atendimento do hospital aumentou em 40%", explica Fábio Keller, Modality Manager de Radioterapia da Siemens.
O IBCC fica na Av. Alcântara Machado, 2576 ? Mooca ? Tel.: (11) 6099-3999.

Instituições que burlam a lei podem perder certificado de filantropia

A Receita Federal vai fiscalizar, neste ano, as 350 maiores instituições filantrópicas (sem fins lucrativos e, por isso, isentas de impostos) do país para saber se elas estão atuando dentro da lei. Caso haja alguma ilegalidade, o ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoini, promete cassar o certificado de filantropia, informou a Agência Brasil. De acordo com a lei, as empresas consideradas filantrópicas devem conceder, em caso empresas ligadas à área de saúde, atendimento gratuito pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em troca, ficam isentas da contribuição de 20% sobre a folha de pagamento de seus funcionários à Previdência Social.