Saúde de Santo André ganha três novos espaços

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Santo André (SP) inaugura hoje três espaços inovadores para atendimento da saúde pública. Todos dentro da filosofia de mo­dernizar e hu­manizar o atendimento da re­de pública, informa a assessoria de imprensa. Os novos Pronto Atendimento, Núcleo de Atenção Psi­cos­­social (Naps) e o Centro de Especialidades Cirúrgicas terão atendimento diferenciado, com o objetivo de dar maior qualidade aos serviços oferecidos. O novo posto de Pronto Atendimento (PA) da cidade será inaugurado às 18h (na Praça IV Centená­rio, 8), com início das ativida­des de atendimento ao público no sábado, dia 26. Além de ser o primeiro PA da região a ser desmem­bra­do de um hospital municipal, esse novo espaço inova nos conceitos de atendimento e concepção física do local.
As dependências, totalmente equipadas, são mais amplas e arejadas, proporcionam mais conforto, com área verde com bancos no entorno, para tornar o local mais agradável ao cidadão e menos estressante. Todo o serviço será informatizado.
Com essa mudança, o Cen­tro Hospitalar Municipal (CHM) também ganha em qualidade, pois, sem o intenso movimento do PA, terá desafogado seus corredores e recepção, o que irá melhorar e agilizar o atendimento dos casos de emergência (pronto-socorro), serviços de resgate, bem como interna­ções e avaliações de urgências encaminhadas pelas unidades de saúde, serviços que permanecem no Centro Hospitalar Municipal.
Às 16h, é a vez da inauguração do Centro de Especialidades Cirúrgicas, que ficará junto ao Centro Hospitalar Municipal (CHM, na Avenida João Ra­malho, 326) e vai centralizar todos os ambulatórios cirúrgicos da cidade, com a perspectiva de aumentar o nú­mero de consultas dessas especialidades bem co­mo agilizar o ato cirúrgico e propiciar que a liberação da alta hospitalar ocorra mais rapidamente. Esse ambulatório será instalado em imóvel próximo ao Centro Hospitalar e atenderá às consultas ambulato­riais das especialidades cirúrgicas e todas as consultas de retorno após os procedimentos realizados no CHM.
Será aprimorado o fluxo de atendimento de modo que o médico que recebe o paciente na consulta ambula­torial seja o mesmo que indica e realiza a cirurgia, acompanha o paciente em sua in­ter­nação, nas consultas de controle pós-operatório e até a al­ta definitiva do paciente.
A Secretaria de Saúde tam­­bém entrega o novo Núcleo de Assistência Psicos­so­­cial II (NAPS II), que era o antigo CAPS (Centro de Atenção Psi­cossocial) reformado e ampliado. Situado na Praça Chile, 140, re­gião do 2º Sub­dis­trito de Santo André, que abran­ge uma po­pulação apro­­ximada de 250 mil habitantes, o serviço atendia a 55 usuários em hos­pitalidade dia e a mais de 500 usuários em regime am­bulatorial por mês e terá sua capacidade ampliada.
O Núcleo passará a fun­­cionar em regime de 24 horas. Foram cons­truí­dos espaços novos para receber três lei­tos masculinos e três femininos; criou-se também um refeitório, dois vestuários (masculino e feminino), novos banheiros adaptados, uma sala de jogos, sa­la de televisão, cozinha experimental e também dependências adequadas aos funcionários.
A reforma permitiu ainda tornar os espaços mais agradáveis, com decoração seguindo normas de visual voltado para a qualidade de am­biente de trabalho em saúde. Foram recuperados as qua­dras, a sala de alfabetização (do MOVA), a marcenaria e até o espaço de trabalhos corporais. Com essa rea­dequação, será favoreci­da a convivência da comunidade nesse espaço público.
Para funcionar 24 horas, está sendo providenciada a contratação de recursos humanos e compra de materiais e equipamentos, que estarão disponíveis ainda no próximo semestre.

São Camilo Santana lança nefrologia pediátrica

O Hospital e Maternidade São Camilo-Santana, de São Paulo, acaba de lançar a Nefrologia Pediátrica, serviço que nasceu da necessidade de atender as crianças com insuficiência renal da maternidade do hospital. A nefrologia infantil vai abranger o atendimento ambulatorial de patologias gerais, tratamento de crianças com insuficiência renal que necessitem ou não de hemodiálise, além de acompanhamento daquelas que já estão internadas.
Segundo a Dra. Eliane Takabatake, nefrologista pediátrica responsável pelo Setor no São Camilo, a origem e a incidência da insuficiência renal crônica na infância variam muito em função da idade: ?nos bebês predominam as malformações do trato urinário, enquanto nas crianças mais velhas prevalecem as doenças adquiridas?, informa a médica, acrescentando que a incidência anual de novos casos no Brasil é estimada em 1,5 a 4 novos casos por cada milhão de habitantes. Já nos Estados Unidos existem cerca de 5 mil crianças em tratamento dialítico (que fazem hemodiálise).
O atendimento de crianças torna mais completo o Setor de Nefrologia do Hospital São Camilo ? Santana, criado em 1992, e que atualmente atende 230 pacientes sendo 160 em hemodiálise e 70 em diálise Peritoneal. Conta com um parque de 34 equipamentos de hemodiálise instalados, 38 dialisadoras portáteis que permitem aos pacientes realizarem o tratamento em casa e, novas instrumentações foram adquiridas exclusivamente para o atendimento pediátrico.
O Setor de Nefrologia do Hospital foi um dos pioneiros na instalação de um sistema de tratamento de água por osmose reversa além de atender a todas as exigências dos órgãos reguladores e das normas da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). Para consolidar a qualidade do trabalho oferecido, a equipe multi profissional composta por 42 pessoas entre médicos, enfermeiros, farmacêuticos e administradores, conquistou em julho de 2000, o selo de qualidade ISO 9002 pelo serviço de terapia renal oferecido e continua a manter um atendimento humanizado com organização de festas aos pacientes, palestras de orientação e a ?Tarde da Alegria?.

Projetos de arquitetura têm novas normas de aprovação

Todos projetos de arquitetura de estabelecimentos de saúde públicos e privados devem ser avaliados e aprovados pelas vigilâncias sanitárias estaduais ou municipais antes de iniciar a obra a que se referem os projetos. Isso é o que determina a Resolução - RDC nº, 189 de 18 de julho de 2003, informa a Anvisa. Agora as VISAS terão um prazo máximo 90 dias, definido em função da capacidade operacional de cada uma, para entrega do parecer técnico ou aprovação do projeto aos interessados. A aprovação dos projetos pelas vigilâncias sanitárias estaduais ou municipais, não excluirá a necessidade de sua avaliação pelos demais órgãos competentes da administração pública para respectiva aprovação, nem eximirá o responsável pelo estabelecimento de saúde do atendimento das demais obrigações legais.
De acordo com a legislação, a Licença Sanitária de Funcionamento destinada a construções novas, áreas a serem ampliadas e/ou reformadas de estabelecimentos já existentes, ficará condicionada ao cumprimento das disposições contidas nesta Resolução.
As vigilâncias sanitárias estaduais ou municipais deverão elaborar material informativo, disponibilizado por meio de seu protocolo e meios de comunicação, contendo todas as instruções necessárias à análise e aprovação dos projetos físicos de estabelecimentos de saúde, de modo a divulgar essas informações aos interessados.
Projetos que já se encontram em trâmite de análise seguirão as normas anteriores a esta Resolução. Projetos já aprovados e com obra não iniciada terão sua aprovação validada por 180 dias. Projetos já aprovados e com obra já iniciada terão seu trâmite conforme rotina anterior a esta Resolução.
A inobservância das normas aprovadas por esta Resolução constituirá infração à Legislação Sanitária Federal, conforme dispõe Lei Nº 6437, de 20 de agosto de 1977, bem como Legislação Estadual pertinente.

Samaritano inicia projeto de reciclagem de lixo

O Hospital Samaritano, em São Paulo, está implantando um projeto de reciclagem de lixo. O objetivo da iniciativa, coordenada pelo Serviço de Higiene e Hotelaria do hospital, é a redução do volume de resíduo comum gerado, por meio da separação dos materiais recicláveis em lixeiras apropriadas. ?Além disso, traremos benefícios ao meio ambiente?, destaca a chefe do Serviço de Higiene e Hotelaria do Hospital Samaritano, Eleuza Rotter Montibeller. Além do lixo hospitalar ? seringas, agulhas, luvas, sondas etc ?, o Samaritano produz vários materiais recicláveis, como papel, plásticos, copos descartáveis, latas e garrafas, entre outros, principalmente nas áreas administrativas. O lixo hospitalar é encaminhado para receber tratamento adequado, e não faz parte do projeto. Apenas o que não oferece risco de contaminação é destinado à coleta seletiva.
Para orientar sobre a importância da coleta seletiva de lixo e sobre como fazer a segregação, o Serviço de Higiene e Hotelaria do Hospital Samaritano, em parceria com o Desenvolvimento Organizacional, promoveu em junho e julho um treinamento voltado aos colaboradores. Todos os setores da instituição receberão lixeiras ou caixas de acordo com o tipo de material gerado.
A coleta seletiva permite que os materiais saiam já separados e relativamente limpos do próprio local em que são descartados, para poderem ser melhor aproveitados na reciclagem.
A iniciativa contribui para a redução do volume de resíduos destinados aos aterros sanitários, da poluição, do desmatamento e da extração de minérios do solo, além da economia de energia, água e dinheiro. Com a reciclagem de 1 tonelada de papel, deixam-se de cortar 20 árvores. Além disso, trata-se de uma ação de cidadania, que contribui para a conscientização das pessoas.
O projeto de reciclagem de lixo é mais uma ação de responsabilidade social realizada pelo Hospital Samaritano.

Incor avalia equipamento 3D da Philips para cardiologia

Médicos do Instituto do Coração do Hospital das Clínicas (Incor-HC/FMUSP), de São Paulo, apresentaram resultados de estudos de caso avaliando o uso da nova tecnologia de ultra-som em 3D da Philips no diagnóstico de cardiopatias complexas. Para o estudo, os médicos do Incor utilizaram o sistema de ultra-som Sonos 7500, com tecnologia Live 3D Echo, que a Philips está trazendo para o Brasil. O equipamento foi cedido ao Incor pela empresa especialmente para a investigação, uma vez que ambos mantêm uma parceria na área de pesquisa. A tecnologia 3D permite a observação tridimensional em tempo real do coração, possibilitando o acompanhamento de movimentos e fluxos cardíacos ao vivo. Com a tecnologia Live 3D Echo, o processo de obtenção de imagens é mais eficiente e mais rápido. O transdutor xMATRIX, exclusivo do novo Sonos 7500, capta imagens bidimensionais com uma resolução muito maior que a dos transdutores antigos. Diferentemente dos sistemas antigos, o Sonos 7500 produz um fluxo de imagens constante, permitindo que o médico veja o coração em movimento, em diversos ângulos. Isto reduz a necessidade de procedimentos invasivos - de alto risco para o paciente - tornando mais preciso e seguro o diagnóstico de problemas cardíacos.
O Sonos 7500, lançamento da Philips, possibilita que o médico observe o coração em tempo real, de qualquer ângulo, algo que os aparelhos de ecocardiografia comuns não são capazes de fazer. Com o sistema Live 3D Echo, é possível analisar toda a anatomia cardiovascular em detalhes, permitindo uma melhor avaliação de válvulas, câmaras, vasos e artérias. O exame é um procedimento simples, feito com transdutor de ultra-som, mas que permite fazer uma avaliação completa, a exemplo da ressonância magnética e da tomografia computadorizada. Esta capacidade de obter novas perspectivas espaciais de anatomia para poder emitir diagnósticos com maior confiança faz da ecocardiografia tridimensional em tempo real uma ferramenta valiosa para os médicos.
Segundo o Dr. José de Andrade, médico supervisor da Seção de Ecocardiograma do Incor, a expectativa é que a nova tecnologia possa diminuir o tempo do exame e aumentar o número de informações, melhorando a performance do ecocardiograma (ultra-som do coração). "Isso significa melhor direcionamento do tratamento clínico e do ato cirúrgico, a um custo menor, comparativamente a outras tecnologias", afirma.

Secretários divulgam manifesto contra desvinculação orçamentária dos Estados

O Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), entregou hoje ao ministro da Saúde, Humberto Costa, manifesto contrário a desvinculação de 20% do orçamento dos Estados, proposta pelos governadores na reforma tributária. O documento foi bem recebido pelo ministro, que já expressou publicamente sua disconcordância com a proposta dos governos estaduais, informa a Agência Brasil.
Segundo Humberto Costa, boa parte dos Estados não cumpre a Emenda Constitucional 29, que determina quanto os Estados e os municípios devem aplicar na saúde, e que a desvinculação iria agravar a situação. ?Se eles já batem à porta do Governo Federal, do Ministério da Saúde, com a vinculação, imagine sem ela. Eles (Estados) iam querer mais dinheiro do Ministério, sendo que os recursos seriam uma fonte substitutiva e não uma fonte aditiva?, destaca. Este ano, os Estados devem gastar 10% de sua receita com a saúde, e os municípios, 11,8%.
Para o ministro, a desvinculação seria um equívoco, já que o Governo Federal está tentanto cumprir pela primeira vez a Emenda 29. ?Se há desequilíbrios é preciso que sejam discutidos de forma global e não dessa maneira. Esse não é o momento de mexer?, afirmou.
O presidente do CONASS, secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Gilson Cantarino, disse que também teme a perda de investimentos. ?Nossa posição é de defesa desses recursos, para que possa levar o governo federal a flexibilizar outros pontos, de maneira que a vinculação não seja prejudicada?. Cantarino informou que o manifesto também será encaminhado aos governadores.
Além do manifesto, os secretários estaduais de Saúde entregaram ao ministro uma carta, intitulada como ?Carta de Sergipe?. O documento foi elaborado durante o 1º seminário do Conselho entre os dias 10 e 12 de julho, e apresenta propostas para melhorar a gestão da saúde. Entre as ações propostas, está a elaboração de uma nova norma operacional de saúde, adequada às demandas de cada Estado e região do país.
Segundo Gilson Cantarino, a idéia é criar ?uma nova norma que traduza o modelo assistencial que tenha responsabilização sanitária como principal eixo?. No documento, os secretários propõem também a valorização das atividades de promoção à saúde, fortalecimento do papel regulador dos Estados e revisão das tabelas de procedimentos ambulatoriais e hospitalares.

Elkis e Furlanetto testa manual de acreditação

O Manual de Acreditação das Organizações Prestadoras de Serviços de Laboratórios Clínicos foi testado neste mês no Elkis e Furlanetto Centro de Diagnósticos. A empresa foi único centro de diagnósticos de grande porte de São Paulo a receber a visita dos avaliadores da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Durante a visita os técnicos conheceram as instalações e os procedimentos adotados pelo Elkis com o objetivo de verificar se as normas pré-estabelecidas no manual poderão ser aplicadas futuramente em todos os laboratórios.
Os testes em campo começaram a ser realizados pela Anvisa a partir do dia 13 de julho último. Vinte e nove laboratórios clínicos dos mais variados portes, níveis de complexidade e de diferentes localizações geográficas se dispuseram a participar desse teste, que tem por objetivo avaliar o manual e sua aplicabilidade, e não o laboratório. A concretização do Manual irá possibilitar a criação de um sistema brasileiro de acreditação.
O Centro de Diagnósticos Elkis e Furlanetto tem 36 anos de tradição na realização de exames de análises clínicas e exames especializados; possui 13 unidades, atende diariamente uma média de 2 mil pacientes e realiza mensalmente 250 mil exames. Conta com um quadro de cerca de 600 profissionais e fatura em média R$ 38 milhões por ano.

Medicina da USP demonstra aplicações da robótica em cirurgias

A Faculdade de Medicina da USP inicia o treinamento de professores e alunos em robótica aplicada à cirurgia. Atualmente, os sistemas mecânico-eletrônicos trazem grandes benefícios aos procedimentos médicos que requerem movimentos altamente precisos, como as neurocirurgias. Hoje a universidade faz uma demonstração de um processo cirúrgico com a utilização da robótica. Será usado um equipamento de ponta, desenvolvido nos Estados Unidos para cirurgia laparoscópica (vídeo-cirurgia minimamente invasiva, realizada com a introdução no organismo de pinças e de uma microcâmera, através de pequenas incisões).
O sistema norte-americano, ainda não disponível nos hospitais brasileiros, permite ao cirurgião comandar os movimentos das pinças através de um computador acoplado a uma cabine remota. São produzidas imagens em terceira dimensão, fornecidas por uma microcâmera controlada por meio de comandos de voz. Além da precisão, as vantagens são melhor visualização e possibilidade de realização da cirurgia à distância.
A demonstração faz parte do I Curso Teórico-Prático: Robótica Aplicada à Cirurgia, organizado pelas Disciplinas de Cirurgia do Aparelho Digestivo e de Coloproctologia e pelo Departamento de Gastroenterologia da FMUSP. O objetivo do curso é difundir e avaliar a participação da robótica em diversas especialidades médicas, familiarizando os profissionais com os avanços na área.
Professores e alunos do Departamento de Cirurgia da Santa Casa de Misericórdia de Curitiba também poderão assistir a demonstração, que será transmitida em tempo real, através de vídeo-conferência. A transmissão, chamada de telecirurgia robótica, é viabilizada pela Disciplina de Telemedicina da FMUSP, com o apoio do Conselho Regional de Medicina do Paraná.

Hospital Rudge Ramos inaugura UTI

O Hospital e Maternidade Rudge Ramos, de São Bernando do Campo (SP), acaba de inaugurar uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Geral, com 11 leitos destinados a adultos. Com a iniciativa, o hospital passa a oferecer 17 leitos do gênero, incluindo a UTI Neonatal e Infantil, que oferece 6 leitos e foi entregue no final do ano passado para atendimento a recém-nascidos com alto risco de vida. A nova UTI Geral está localizada no 1º andar do hospital e ocupa uma área física de 200 metros quadrados, estrategicamente próxima ao pronto-socorro. Equipada com modernos recursos tecnológicos, a nova UTI possui, entre outros diferenciais, aparelhos monitores em todos os leitos, que possibilitam uma completa assistência aos pacientes em tratamentos clínicos e até cirurgias de grande porte, inclusive cardíacas.
O investimento é de R$ 250 mil e faz parte de um processo de ampliações e modernização do hospital, que teve início em novembro do ano passado. O hospital fica na rua Três de Dezembro, 303, bairro Rudge Ramos, São Bernardo do Campo, telefone 4367-9700.

Ministério amplia recursos para combate à Aids

O Ministério da Saúde vai aumentar o número de municípios que recebem recursos para ações de combate à Aids e garantir o tratamento de 100% das gestantes com o vírus. Essas são algumas das metas previstas pelo Programa Nacional de DST/AIDS para reduzir o número de casos da doença até 2006. Segundo o coordenador Programa Brasileiro de Combate à Aids, Alexandre Grangeiro, os trabalhos já começaram, informa a Agência Brasil. Atualmente, 150 municípios recebem recursos para desenvolver ações de combate ao vírus. Com a nova medida, o número passará para 411. O Ministério da Saúde, de acordo com Alexandre, vai repassar cerca de R$ 100 milhões por ano para essas localidades. ?São municípios de todo o país, que, em seu conjunto, reúnem 90% dos casos de Aids conhecidos no Brasil?, explicou o coordenador, completando que a incidência do HIV e a mortalidade continuam aumentando nas regiões Sul, Norte e Nordeste. ?As regiões Sudeste e Centro-Oeste já conseguiram controlar a epidemia e há uma tendência de decréscimo?.
De acordo com Alexandre, serão desenvolvidas três ações: distribuição de preservativos, nas escolas, para jovens e adolescentes com idade mínima de 14 anos; oferecimento ainda neste ano de preservativos com custo reduzido - R$ 0,20 para a população de baixa renda - e aumento do número de camisinhas distribuído pelos serviços públicos de saúde o organizações não-governamentais.
?Estamos iniciando um projeto piloto nas escolas de Curitiba, São Paulo, São José do Rio Preto (SP), Rio Branco e Xapuri (AC)?, informou Alexandre, lembrando que 85% dos casos de Aids são transmitidos através da relação sexual. O Ministério pretende ainda construir uma fábrica de camisinhas no Acre para ampliar a distribuição pública em até 33%. ?Ela possibilitará a produção de 100 milhões de preservativos e estará funcionando a partir de 2005?, explica.
Cerca de 600 mil pessoas em todo o país estão infectadas pelo HIV. Deste total, cerca de 350 mil não sabem que são portadoras do vírus. ?O nosso objetivo é realizar o teste em 4,50 milhões de pessoas por ano?, afirmou Alexandre. Ele disse que, atualmente, apenas 1,8 mil pessoas fazem o exame anualmente. Quando o diagnóstico é feito precocemente, a possibilidade de sobrevida do portador é maior e com qualidade. ?Hoje, as terapias e os medicamentos disponíveis possibilitam que a Aids seja tratada como uma doença crônica?, afirma Alexandre.