Hospital Mario Gatti, de Campinas, relança serviço de oncologia

O Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, de Campinas (SP), relançou ontem o serviço de oncologia com a presença do Ministro da Saúde, Humberto Costa. Na região Sudoeste da cidade, ele também inaugurou o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) David Capistrano da Costa Filho, informa a Agência Saúde.
O serviço de oncologia vai funcionar no prédio onde está instalada a radioterapia do hospital Dr. Mário Gatti. Para a reinauguração, o prédio passou por uma reforma que durou quatro meses e custou R$ 120 mil. O serviço de oncologia do Mário Gatti receberá o nome do prefeito Antônio da Costa Santos, assassinado há dois anos.
O Caps David Capistrano da Costa Filho vai melhorar o acesso e a qualidade do atendimento prestado à população dos bairros Vista Alegre, União dos Bairros, São Cristóvão e do Distrito Industrial de Campinas. O centro irá atender os pacientes de segunda a sexta-feira no período diurno.
O atendimento em Radioterapia do Hospital Mario Gatti também ganhará uma nova pastilha de cobalto, o que permitirá o aumento do atendimento em 50%, de 50 pacientes por dia para 75. O Ministério da Saúde vai avaliar ainda o pedido de credenciamento do hospital para atendimento aos pacientes que necessitarem de quimioterapia. A ala de quimioterapia terá capacidade instalada para atender, em média, dez pacientes ao dia e vai funcionar das 7h às 12h, o que vai perfazer um total de aproximadamente 200 novos casos ao ano.
O novo serviço funcionará com dois médicos oncologistas clínicos, um enfermeiro, um técnico de enfermagem, além dos atuais: dois médicos radioterapeutas, seis técnicos em radioterapia, dois auxiliares de enfermagem, um técnico de enfermagem, um psicólogo, um físico, um assistente administrativo e uma recepcionista.

Médicos farão um dia de paralisação

Cerca de 400 médicos reunidos em assembléia geral promovida pela Associação Médica Brasileira (AMB), Associação Paulista de Medicina (APM), o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), o Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp) e o conjunto das sociedades de especialidades médicas, definiram uma estratégia de atuação para tentar melhorar a qualidade do sistema de saúde suplementar. Os médicos fecharam uma pauta de negociação que inclui a garantia da autonomia no exercício da Medicina e uma urgente reposição de seus honorários, congelados desde 1996.
Caso as negociações não avancem, os médicos do Estado de São Paulo vão decidir ainda neste mês a data de uma paralisação de protesto. Os profissionais reclamam de pressões, por parte das empresas, para reduzir exames, internações e cirurgias, com o intuito de baratear ao máximo o tratamento.
Até o dia 18 de julho, os médicos pretendem mobilizar profissionais de dez Estados. O presidente da Associação Médica Brasileira (AMB), Eleuses Vieira de Paiva, afirma que a intenção é ampliar a mobilização e realizar uma paralisação nacional, caso necessário.

Governo do Estado de São Paulo libera verbas para o Vale do Paraíba

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, liberou recursos na área de turismo e saúde para a Região do Vale do Paraíba. Para a saúde foram atendidos cinco municípios com a liberação da verba por meio do Departamento de Apoio e Desenvolvimento das Estâncias, informa a assessoria de imprensa.
A cidade de Aparecida recebe R$ 38.576 para a Santa Casa de Misericórdia; Campos do Jordão R$ 23.532 para o Sanatorinhos Ação Comunitária, R$ 10 mil para a Fundação Sanatório Santa Cruz, R$ 10 mil para o Instituto das Filhas de Nossa Senhora e R$ 34.839,00 para a Fundação Sanatório São Paulo. Caçapava recebe R$ 26,4 mil para a FUSAM - Fundação de Saúde de Assis; Jacareí teve R$ 56.792 para a Associação Casa Fonte da Vida; São José dos Campos Campos repassa R$ 21.801 para o Hospital Francisca Júlia e R$ 10 mil para a APAE.

USP inaugura projetos de telemedicina em parceria com a Intel

A Universidade de São Paulo inaugurou hoje dois projetos ligados à área de medicina e saúde, com o objetivo de gerar um banco de dados sobre os pacientes de oncologia pediátrica no Brasil. Financiado pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos), o projeto total chega a R$ 2,5 milhões, com previsão de conclusão em dois anos. O câncer infantil alcança uma média de 8 mil novos casos por ano, correspondendo a 2% dos adultos, estimados em 14 milhões. A Intel, fabricante de processadores, doou a tecnologia para montagem do primeiro cluster médico do país, que utiliza processador Itanium 2, da empresa. Segundo Jason Chen, vice-presidente e diretor do grupo de vendas e marketing da Intel Corporation, os projetos de telemedicina contribuem sensivelmente para a cura do câncer. ?Estamos empolgados com o desenvolvimento das plataformas Intel na área de saúde, que tem o objetivo de trabalhar para melhorar a vida das pessoas?, observa. Já para Paulo Cunha, gerente geral da Intel Brasil, a inovação da indústria gera incentivos comerciais com esta nova moldura de pesquisa e desenvolvimento.
O projeto surgiu de estudos do Laboratório de Sistemas Integráveis (LSI) do Departamento de Engenharia de Sistemas Eletrônicos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo, que há oito anos pesquisa a área. ?Esse processo de interação criou um relacionamento institucional entre as sociedades de pesquisa e atendimento do câncer, deixando de ser um processo acadêmico para ser um processo de cadastro nacional?, explica Marcelo Zuffo, professor livre-docente e especialista em meios eletrônicos interativos.
Os hospitais que fazem parte do projeto piloto e que já estão com o sistema implantado são: Hospital Base, de Porto Velho, Fund Centro Oncologia, de Manaus, Hospital São Marcos, do Piauí, Nossa Senhora da Glória, do Espírito Santo, Hospital de Apoio Cacon I, de Brasília, Hospital de Apoio Cacon II, de Florianópolis.
Além do sistema de telemedicina, um portal de saúde que oferece serviço de gestão de informação na área de oncologia será lançado oficialmente no próximo dia 22 de agosto, em São Paulo, como parte dos projetos. Uma base de pelo menos 1 mil pacientes com protocolos já implantados estarão cadastrados.

Operadoras de planos de saúde terão que assinar contrato com hospitais

A ANS - Agência Nacional de Saúde Suplementar determinou que as operadoras de planos de saúde firmem contratos com os hospitais que integram suas redes de prestadores de serviços, informa a ANHAP (Associação Brasileira de Hospitais Privados).
Esta medida, adotada pela ANS, é fruto de mais de 12 meses de estudos e debates com os diversos segmentos da saúde suplementar, tanto no âmbito de uma câmara técnica para elaboração dos termos do contrato básico, quanto em consulta pública.
A determinação da ANS foi publicada no dia 9 de julho, no Diário Oficial da União, através da Resolução Normativa (RN) nº 42, que estabelece ainda as cláusulas básicas destes contratos, inclusive a que garante ao hospital prestador de serviços a revisão anual dos preços contratados.
A decisão da ANS não exige a revisão dos contratos ou fixa o índice, apenas que deve haver um contrato e nele uma cláusula determinando uma revisão anual negociada entre as partes.
Segundo a ANS as novas normas reduzirão os conflitos entre operadoras e prestadores de serviços. Em breve a Agência também obrigará as operadoras a assinar contratos com laboratórios e clínicas e, numa terceira etapa, com os médicos.
A obrigatoriedade das operadoras assinarem contratos com cláusulas de revisão anual de preços significará o fim da prática do descredenciamento imotivado de prestadores de serviços por parte das operadoras.
A nova regulamentação garante também a continuidade da assistência à saúde dos usuários, em caso de rompimento do contrato entre a operadora e o hospital prestador de serviços.

Filantrópicos buscam isenção da Taxa de Resíduos Sólidos de Saúde

A Federação das Santas Casas de Misericórdia, Hospitais e Entidades Filantrópicas do Estado de São Paulo - FESEHF, o Sindicatos das Santas Casas de Misericórida e Entidades Filantrópicas do Estado de São Paulo - SINDHOSFIL e os advogados da Advocacia J. R. Nogueira e Associados serão recebidos hoje (14/)7), em audiência pelo Secretário Municipal de Saúde do município de São Paulo, Dr. Gonçalo Vecina Neto para assegurar a isenção da Taxa de Resíduos Sólidos de Serviços de Saúde - TRSS para os hospitais filantrópicos, informa a assessoria de imprensa da FESEHF.
Os filantrópicos estão isentos graças a uma liminar concedida ao Sindicato, mas o objetivo desta audiência é sugerir uma emenda na Lei Municipal assegurando essa isenção.
A TRSS pode variar de R$ 44.30 a R$ 22,567,44 por mês por estabelecimento de saúde. A Santa Casa de São Paulo, por exemplo, com vários hospitais mantidos pela mesma instituição, deixará de pagar até R$ 1,5 milhão por mês.
O município de São Paulo tem cerca de 60 hospitais e entidades filantrópicas, que hoje enfrentam dificuldades e não podem arcar com as despesas da TRSS.
Estarão presentes na audiência os presidentes e representantes da FESEHF, SINDHOSFIL e Advocacia J. R. Nogueira e Associados.

Hospital Anchieta recebe acreditação plena

O Hospital Anchieta, de Taguatinga (DF), é o primeiro do Brasil a receber um dos títulos mais importantes da saúde no Brasil: o certificado de Acreditação Hospitalar ? Pleno (nível 2). Essa certificação é conferida pelo Ministério da Saúde, por intermédio da ONA ? Organização Nacional de Acreditação, entidade de direito privado e sem fins lucrativos, criada em 1998 para atestar a qualidade dos hospitais públicos e particulares do Brasil, informa a ANAHP (Associação Nacional de Hospitais Privados).
O Anchieta foi o primeiro hospital acreditado da região Centro-oeste e agora é o primeiro do Brasil com acreditação plena, uma graduação a mais para a instituição.
Para tanto, toda a organização passou por um processo de avaliação, realizado por avaliadores credenciados pela ONA, os quais verificaram o modelo de gestão aplicado às suas unidades, a habilitação de todo o corpo clínico e funcional, serviços de apoio administrativo e de apoio diagnóstico, dentre os quais a radiologia, laboratório, medicina nuclear, hemodinâmica e banco de sangue. Protocolos, manuais, normas, programas de melhoria, de educação continuada, treinamento e práticas de auditoria interna também fizeram parte do conjunto de procedimentos avaliados para obtenção da acreditação plena.
A acreditação plena veio com apenas oito meses após o Anchieta ter sido acreditado no nível 1.

Conexão Médica transmite atualização para enfermeiros

A IP TV Conexão Médica transmite amanhã, 15 de julho, às 14h, o programa "A Triagem Realizada por Enfermeiros", que tem a coordenação da enfermeira Ifigênia Marques, encarregada pelo Pronto Atendimento Infantil do Hospital Samaritano, de São Paulo. O programa vai abordar a questão da triagem no atendimento infantil em prontos socorros com grande demanda, de forma a garantir atendimento imediato às crianças que apresentam quadro mais urgente.
De acordo com Ifigênia Marques, hoje a triagem é uma realidade em grandes hospitais do mundo e muitos hospitais estão se adequando em infra-estrutura e pessoal para realizar o trabalho. "Esperamos que, por meio da troca de experiências, outros hospitais participem discutindo suas iniciativas e seus resultados", afirma Ifigênia.
Durante o curso, serão debatidos temas como infra-estrutura e desafios de implantação, critérios para priorização do atendimento e visão médica.

NExT Sistemas fecha parceria com Instituto Edumed

A NExT Sistemas, empresa desenvolvedora de Sistemas Integrados para Gestão de Saúde, fechou uma parceria com a Edumed, uma associação civil sem fins lucrativos que trabalha no desenvolvimento na área de medicina e saúde. A parceria tem o objetivo de levar aos clientes da NExT ferramentas e conteúdo para aprendizado presencial e a distância nas áreas de Tecnologia de Informação, Telecomunicações e Saúde. "Dessa forma, poderemos, por exemplo, replicar o treinamento à distância de nosso sistema de gestão", declara Ascimir Torres, Diretor de Tecnologia da NExT. Torres promete que além do conteúdo, a parceria irá viabilizar a aquisição de sistemas de gestão com menor custo, mais acessíveis à realidade de saúde brasileira.
O Instituto Edumed, representado pelo seu presidente, Dr. Renato Sabbatini, tem por objetivo aumentar a qualidade da assistência em saúde no Brasil, proporcionando oportunidades de aprendizagem a distância baseada em tecnologia, trabalhando em parceria com organizações educacionais e de saúde de todo o mundo.

Médicos paulistas debatem os planos de saúde

O cerco em torno dos planos de saúde está cada vez mais apertado. Além de uma CPI instaurada para checar as irregularidades e exigências de alteração dos contratos por parte dos órgãos reguladores, a comunidade médica também está mobilizada. Na noite desta sexta-feira, médicos de todo o Estado de São Paulo foram convocados a discutir, na capital paulista, a pressão dos planos de saúde contra os médicos. A assembléia está marcada para às 20h de hoje e segundo a categoria, os médicos sofrem uma série de pressões para contenção de despesas como pagamento por pacotes ou limitações na realização de exames, internações, entre outros procedimentos, informa um comunicado distribuído pelas entidades.
Além disso, os médicos afirmam que enquanto a inflação superou os 200% desde o início do Plano Real, as empresas de planos e seguro saúde reajustaram suas mensalidades em torno de 245%. Por outro lado os honorários médicos pagos totalmente insatisfatórios, em torno de R$ 20, revela Luis Carlos Aiex, Presidente da Associação de Médicos do Hospital do Servidor Público do Estado.
O Centro de Convenções Rebouças fica em frente do Instituto do Coração, com entrada pela avenida Rebouças, 600.