Aplicativo de saúde promove engajamento e acesso a informação para pacientes com doença de pele

shutterstock_461380714

Uma coceira incansável, que não passa nem na hora de dormir, lesões avermelhadas por todo corpo e inchaços repentinos1. Essa é a cansativa rotina de um paciente com urticária crônica, doença que não só impacta diretamente as atividades do dia a dia, como causa desconforto e isolamento emocional.

Pensando nos 74 milhões de pacientes no mundo que sofrem com crises que podem se prolongar por anos2, foi criado o Target My Hives, primeiro aplicativo voltado para o engajamento de pacientes com urticária crônica. O objetivo é promover a troca entre eles, criando assim uma comunidade que incentive a interação e o aumento de consciência sobre a patologia, reduzindo principalmente a sensação de isolamento e incompreensão que esses pacientes sentem3. Além disso, o aplicativo terá uma funcionalidade que localiza especialistas da área e associações de pacientes.

Com um layout intuitivo e de fácil navegação, o aplicativo cria um perfil para o paciente, que inclui seu histórico de sintomas, fatores que desencadeiam a doença e tratamentos já utilizados, além de um teste de avaliação de controle da urticária. Por meio de um feed, semelhante ao de redes sociais, é possível que os pacientes tirar dúvidas e compartilhar dúvidas, sua rotina e desafios diários, promovendo a identificação e ajuda mútua entre aqueles que têm a doença.

Além disso, o aplicativo permite que o paciente encontre médicos especializados em sua região e mantenha um registro do dia a dia de altos e baixos de seus sintomas.

“Toda iniciativa que vise informar e empoderar o paciente é sempre válida, principalmente quando falamos em urticária, uma doença subestimada, em que há pouca informação disponível na internet. Essa troca é fundamental, porque permite criar uma rede de pacientes que compartilham muitas vezes as mesmas angústias e dificuldades, fazendo com que eles não se sintam isolados”, explica Dra. Patricia Karla de Souza, médica dermatologista e fundadora do GUIA-Grupo de Urticária-Informação e Apoio, primeira associação de pacientes no Brasil voltada para dar suporte sobre a urticária.

Uma pesquisa recente revelou que mais de um terço dos participantes com urticária crônica não estavam mais sob cuidados médicos, sendo que metade deles afirmou que isto foi consequência de sentirem que o profissional de saúde foi incapaz de ajudá-los3,6.

O Target My Hives é mais uma ferramenta que pode auxiliar a acelerar o tempo que leva para obter apoio, conhecimento e acesso aos centros de urticária crônica especializados.

Para fazer o download do aplicativo, acesse: IOS e Android.

Sobre a Urticária Crônica

A urticária é desencadeada pela liberação da histamina, substância que age nos vasos sanguíneos e na pele, causando coceira, inchaço e vermelhidão, e em alguns casos sensação de queimação e dor. Além disso, cerca de metade dos casos de urticária são acompanhados de angioedema, inchaços maiores e mais profundos nos lábios, pálpebras, pés, mãos e genitais.1-2,4

Existem diversos tipos de urticária. Na maior parte dos casos, as crises são agudas e desaparecem em no máximo 24 horas, sem deixar marcas ou cicatrizes.2 No entanto, na urticária crônica, elas chegam a durar mais de seis semanas e podem prolongar-se por anos. Até 1% da população sofre com a doença em sua forma crônica. Outro agravante é que de 60-90% das urticárias crônicas surgem de forma espontânea, ou seja, acontecem sem que se encontre qualquer fator desencadeante, dificultando o diagnóstico e tratamento.3

Além do aspecto visual, a urticária crônica causa isolamento social, desconforto emocional e afeta realização de atividades do dia a dia. De acordo com estudo, 84% dos pacientes afirmaram já terem evitado sair para comer/beber devido à doença (atividades físicas, sair para comer/beber, cancelamento de convites) e 74% dos pacientes relatam que a doença compromete no desempenho do trabalho.5

Para mais informações sobre Urticária, tipos da doença, diagnóstico e tratamento, acesse: www.urticaria.novartis.com.br.

Referências

  1. GUIA. Grupo de Urticária Informação e Apoio. Disponível em: http://www.urticaria.org.br/. Último acesso: 23/04/2014
  2. Zuberbier T, et al. EAACI/GA(2)LEN/EDF/WAO guideline: definition, classification and diagnosis of urticaria. Allergy 2009;64:1417-26.
  3. Maurer M, et al. Unmet clinical needs in chronic spontaneous urticaria. A GA²LEN task force report. Allergy 2011;66:317–30
  4. Greaves MW, Sabroe RA. Allergy and the skin. I - Urticaria. BMJ. 1998;316:1147-50
  5. O’Donnell BF et al. The impact of chronic urticaria on the quality of life. Br J Dermatol 1997;136:197–201.
  6. ExcoIntouch. Disponível em <http://excointouch.com/resources/news/single/exco-intouch-announces-the-development-of-a-new-digital-health-network-for-everyone-impacted-by-chronic-urticaria-target-my-hives/> Último acesso em: 19/07/2016

Aplicativo que devolve a voz original a pacientes vence o Startup Weekend Health

shutterstock_445362712

No último final de semana, investidores, profissionais e empreendedores da área de saúde se reuniram em São Paulo para o Startup Weekend Health, que selecionou ideias de startups voltadas para serem desenvolvidas na área de saúde. O evento, que teve apoio da Janssen, farmacêutica do grupo Johnson & Johnson, é a maior iniciativa de imersão de empreendedorismo e inovação do mundo, e tem como objetivo fortalecer o ecossistema local de inovação e negócios e fomentar novas soluções na área de saúde. A última edição reuniu 120 participantes em 14 projetos, que contaram com o apoio de mentores, investidores e empresários da área dispostos a ajudá-los a tirar suas ideias do papel e dar seguimento as suas próprias startups.

O projeto vencedor, escolhido pelos jurados no final das 54 horas de trabalho, foi o Minha Voz, um aplicativo que permite a reprodução de palavras para pessoas que perderam a voz por conta de cirurgias ou algum tipo de doença. Ao contrário de aplicativos similares que já existem no mercado, o Minha Voz tem como objetivo reproduzir a voz original da pessoa ao invés de usar um som eletrônico pré-programado, o que ajuda bastante na recuperação da autoestima do paciente.

O grupo, formado por uma fisioterapeuta, duas fonoaudiólogas, um médico especializado em medicina da família e urgências e um desenvolvedor, usou como case uma paciente que perdeu a voz há 16 anos. A partir de uma antiga fita de VHS, os empreendedores conseguiram captar algumas palavras ditas por ela e inseriram esses áudios no banco de dados do programa. Ao digitar as palavras no aplicativo os áudios são emitidos.

Segundo a fisioterapeuta Verônica Vilalta, integrante do grupo vencedor, a ideia do projeto surgiu porque o pai de uma das componentes da equipe teve um câncer na garganta e perdeu a voz. “Existem outros aplicativos no mercado com esta finalidade, mas nenhum que use a voz original do paciente. A nossa expectativa agora é conseguir viabilizar o projeto e lançar o aplicativo em caráter definitivo”, explica a especialista. A equipe vencedora recebeu muitos telefonemas de pessoas interessadas em ajudar a desenvolver e financiar o projeto e já tem até reuniões agendadas. Em princípio, o Minha Voz - com algumas palavras - será gratuito, podendo evoluir para uma versão paga com a programação de frases e textos mais longos.

Além do projeto Minha Voz, mais duas equipes se destacaram nessa edição do Startup Weekend Health. Tratam-se da solução “No Dia”, ferramenta de agendamento de consultas para o mesmo dia e o “Acompanhare”, que funciona como um “Uber” de cuidadores para idosos. Alguns dos projetos discutidos durante o evento foram selecionados também por aceleradoras ligadas a indústria.

Ao apoiar este tipo de evento, a Janssen reforça sua missão de promover parcerias que colaboram para o fortalecimento de soluções em saúde, além de estimular uma cultura de inovação no Brasil.

“Entendemos que um dos principais desafios dessas startups é ter acesso a informações mais especificas do mercado de saúde para testar suas hipóteses, aplica-las às reais necessidades dos pacientes e do mercado e torna-las bem sucedidas. Por isso, achamos importante apoiar esta iniciativa não só financeiramente, mas também oferecendo profissionais capacitados para serem mentores dos grupos e ajudar no desenvolvimento das ideias”, diz Renard Aron, Vice-Presidente de Relações Governamentais para a América Latina, do grupo Johnson & Johnson.

Sobre o Startup Weekend

É uma rede global de líderes e empreendedores de alto impacto com a missão de inspirar, educar e capacitar indivíduos, equipes e comunidades. Mais de 8.000 startups foram criadas nos eventos realizados em cerca de cem países. O Startup Weekend é ainda um evento de imersão, uma experiência única onde empreendedores e aspirantes a empreendedores podem descobrir se suas ideias de startups são viáveis. O encontro é uma oportunidade para desenvolver ideias, formar equipes e lançar startups. O Startup Weekend já realizou 4.240 eventos em 1.150 cidades de 150 países, tendo mobilizado mais de 240 mil participantes. No Brasil, chega à sua 235ª edição, tendo passado por 54 cidades e aglutinado mais de 20 mil participantes.

1ª premiação para residentes em reumatologia reconhecerá projetos voltados à melhoria do atendimento a pacientes

shutterstock_366401711

Para estimular o desenvolvimento de projetos voltados à melhoria do atendimento aos pacientes na área de reumatologia, a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) em parceria com a Janssen, realiza a primeira edição do “Projeto Articulando Residentes – Prêmio Dr. Paul Janssen”.  A iniciativa, que recebe inscrições de 22 de julho até 15 setembro, por meio do website www.articulandoresidentes.com.br, reconhecerá residentes com projetos em reumatologia, que contribuam para a estrutura e a organização de serviços de atendimento, proporcionando mais qualidade de vida às pessoas com doenças reumáticas.

Além de reconhecer os projetos de profissionais em início de carreira, o prêmio será uma importante ferramenta para estimular que estes médicos em formação tenham um novo olhar em relação às necessidades dos pacientes e possam compartilhar ideias de melhores práticas em reumatologia.

Segundo a SBR, atualmente, as doenças reumáticas atingem 10% da população brasileira, com manifestações em pessoas de qualquer idade. Entre as mais frequentes estão: osteoartrite, artrite reumatoide, osteoporose, fibromialgia, artrite psoriásica, espondilite anquilosante, gota e lúpus.

A entidade estima que existem mais de 120 doenças reumáticas catalogadas, que acometem o aparelho locomotor como ossos, articulações, músculos e cartilagens. A osteoartrite, por exemplo, atinge entre 25 a 30 milhões de brasileiros, a artrite reumatoide, doença que provoca inflamação nas juntas, acomete 1% da população; a osteoporose, mundialmente, afeta 1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 5 homens, acima dos 50 anos de idade; e a fibromialgia atinge 3% da população.

Uma das barreiras para o tratamento é o diagnóstico. O paciente leva em média cinco anos para ter acesso ao serviço de referência em reumatologia para tratar adequadamente, como por exemplo, a artrite reumatoide, uma doença crônica que provoca dor e impacta drasticamente a qualidade de vida do paciente, alerta o presidente da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR), reumatologista Cesar Emile Baaklini.

“Essa é uma importante parceria que nós da Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) firmamos com a Janssen para identificar, reconhecer e premiar projetos voltados às melhores práticas da área. Acredito que tudo na vida pode ser melhorado, aperfeiçoado ou apresentar um caráter inovador. Por isso, esse intercâmbio de ideias é tão importante para avançarmos cada vez mais em busca da qualidade do atendimento aos pacientes”, diz Baaklini.

Dados da Previdência Social apontam que as limitações provocadas por essas doenças também têm forte impacto social e econômico na sociedade. No mercado de trabalho, as doenças reumáticas estão entre as primeiras causas de afastamentos. Os dados mostram ainda que os problemas na coluna, como hérnias e outros transtornos de discos invertebrados, foram a maior causa de afastamento do trabalho em 2015 – mais de 200 mil casos -, seguidos de traumatismos com fraturas de pernas, tornozelos, pés, mãos, punhos e antebraços.

O tratamento das doenças reumáticas é garantido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A assistência aos pacientes com doenças reumáticas inclui desde o fornecimento de medicamentos até a realização de um tratamento multidisciplinar, associados à realização de exercícios que devem ter indicação adequada do médico.

I Projeto Articulando Residentes – Prêmio Dr. Paul Janssen

Inscrições: de 22 de julho a 15 de setembro de 2016.

Mais informações no site www.articulandoresidentes.com.br

Saiba mais:

O que é reumatologia?

É a especialidade médica que estuda, diagnostica e trata uma série de moléstias relacionadas ao comprometimento do sistema músculo-esquelético e do tecido conjuntivo, podendo ser subdividida em outras áreas de atuação como: doenças autoimunes difusas do tecido conjuntivo, vasculites sistêmicas, espondiloartropatias, doenças osteometabólicas, degenerativas, articulares causadas por microcristais, artropatiasreativas, reumáticas associadas a processos infecciosos, reumatismos extra-articulares, e artropatias secundárias a outras enfermidades não reumáticas.

 

Sobre a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR)

Fundada em 1949 pelos médicos Dr. Herrera Ramos, Dr. Valdemar Bianchi, Dr. Pedro Nava, Dr. Israel Bonomo, Dr. Décio Olinto e outros, a Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) tem como missão promover a excelência da Reumatologia mediante incentivo ao ensino, à pesquisa e à assistência e contribuir para a formulação de políticas públicas, visando à saúde e ao bem-estar do paciente reumático. Congregar os reumatologistas e promover, divulgar e ampliar a abrangência do exercício da especialidade. Sem fins lucrativos e filiada à Associação Médica Brasileira (AMB), a SBR tem hoje mais de 1500 associados, 25 sociedades regionais filiadas e 24 assessorias e comissões científicas, que atuam nas várias expressões dessa especialidade médica. A SBR luta para promover a saúde da comunidade, contribuindo para a formulação de políticas públicas, bem como aprimorar os conhecimentos em reumatologia, estimulando os médicos-pesquisadores com prêmios, bolsas de estudo e financiamento de pesquisa. Outras informações: www.reumatologia.org.br. Siga a SBR no Facebook facebook.com/sbreumatologia e no Twitter @SBR_Reumato.

Sobre a Janssen

Na Janssen, trabalhamos para criar um mundo sem doenças. Transformar vidas buscando maneiras novas e melhores de prevenir, interceptar, tratar e curar doenças nos inspira. Nós reunimos as melhores mentes e buscamos as mais promissoras inovações científicas. Somos a Janssen. Colaboramos com o mundo para a saúde de todos.  Para saber mais acesse: www.janssen.com. Siga a Janssen no Facebook eLinkedIn,  e a J&J Carreiras no Facebook.

Avaliação de perfil executivo aperfeiçoa desempenho profissional de líderes e gestores

shutterstock_461746483

O poder de influência interfere diretamente no papel dos executivos dentro das organizações, principalmente, nos que atuam em cargos de liderança e precisam produzir impacto positivo e passivo junto às suas equipes.

Para facilitar esse processo e aperfeiçoar a tomada de decisões, a especialista em relações humanas e coach, Aline Caldas, aplica uma avaliação de perfil chamada Alpha Assessment. Segundo a especialista, esse serviço auxilia na identificação e compreensão das tendências e principais habilidades do empreendedor.

“Cada indivíduo possui um uma forma diferente de abordar o outro para exercer sua influência e produzir impacto positivo. Mas, o grau de eficácia dessa negociação ou ação depende de como esse gestor consegue discernir seu perfil de influenciador. É aí que o Alpha Assessment atua”, explica.

Essa avaliação indica as forças e riscos potenciais do estilo influenciador pessoal de cada um. Assim, permite a escolha de determinados comportamentos em detrimento a outros, gerando mudanças positivas nos hábitos, que levarão até uma melhor influência dentro das organizações. “Trata-se de uma ferramenta de autogestão e não de diagnóstico de personalidade. O que se obtém é a visão que o próprio profissional tem de si mesmo, e não o que os outros veem dele”, salienta Aline.

Como funciona

O procedimento se dá em três etapas: contrato da análise; respostas ao questionário online; e Sessão Devolutiva, que consiste na entrega presencial de um relatório final.

Resultados

A avaliação e o processo de autogestão de carreira permitem:

  •   Identificação, compreensão e modificação do conjunto de aptidões, tendências e áreas de risco interior e exterior;
  •   Aumento da autoconsciência/percepção e o domínio de seus desafios, com a possibilidade de alteração dos impactos nos relacionamentos profissionais;
  •   Tomada de decisões orientadas aos seus objetivos de carreira;
  •   Preenchimento de lacunas de sua liderança e identificação dos tipos de pessoas ideias para se aliar;
  •  Conhecimento a respeito do tipo de pessoas adequadas para compor as equipes do profissional avaliado, a fim de harmonizar pontos fortes e riscos;
  •   Entendimento e melhora da comunicação entre pares, empregados e chefes.
  • “O resultado positivo do trabalho depende principalmente de como assessorado está comprometido com o processo de transformação”, ressalta a consultora.

A consultora

Aline Caldas_credito Cecília Ganzarolli (25)Aline Caldas é consultora de vida pessoal e de carreiras executivas formada pela Associação Brasileira de Coaching, da qual também é membra. Outras informações podem ser obtidas em seu site profissional por meio do link www.alinecaldas.com.

Crystal VUE da Samsung possibilita antecipar diagnóstico de doenças no bebê

shutterstock_460687024

A Samsung investe em soluções e equipamentos médicos de última geração que são essenciais para acompanhar a saúde dos bebês e de suas mães, permitindo antecipar diagnósticos e monitorar o desenvolvimento da criança. O ultrassom Samsung modelo WS80A Elite, entre diversas funcionalidades, possui a tecnologia Crystal VUE, capaz de gerar imagens mais nítidas, em 4D, e informações detalhadas de todas as estruturas internas e externas do feto.

O software permite a visualizar a translucência nucal – espaço onde é medida a quantidade de líquido presente na região posterior do pescoço do feto – possibilitando identificar potencial para a Síndrome de Down, por exemplo.

“Antecipar diagnósticos e iniciar tratamentos com mais agilidade aumenta as chances de cura ou redução de sequelas causadas por determinadas doenças. O papel da Samsung, como desenvolvedora de tecnologias, é investir incessantemente em soluções para melhorar a qualidade de vida e antecipar diagnósticos com precisão”, ressalta Tony Firjam, vice-presidente da divisão de Consumer Electronics da Samsung Brasil.

A solução Crystal VUE também permite visualização de distúrbios genéticos como, por exemplo, mielomeningocele (má-formação) e hidrocefalia (acúmulo anormal de líquido dentro do crânio). Se for necessário, graças ao diagnóstico antecipado, o médico ainda consegue antecipar uma cirurgia intrauterina para aumentar as chances de vida do bebê.

Sobre a Samsung Electronics Co., Ltd.

A Samsung Electronics Co. Ltd. inspira o mundo e molda o futuro com ideias e tecnologias transformadoras. A empresa está redefinindo o mundo de televisores, smartphones, dispositivos vestíveis, tablets, câmeras, linha branca, impressoras, equipamentos médicos, sistemas de rede e soluções de semicondutores e LED. Para conhecer as últimas novidades, visite a Samsung Newsroom em news.samsung.com.

Olimpíadas: A importância da logística de suprimentos em eventos de grande porte

shutterstock_461353687

A gestão logística de insumos médicos e medicamentos em grandes eventos, como uma Olimpíada, é essencial para garantir a segurança de todos os envolvidos, de atletas e equipes de suporte, até o público que assiste aos eventos, com os quais podem ocorrer diversos e diferentes tipos de demandas, das lesões durante os jogos aos partos nas arenas e afins.

Para as Olimpíadas do Rio de Janeiro são esperadas 600 mil pessoas e para atender a especificidade de requisições, se faz necessário um perfeito provisionamento dos públicos e eventos, com mensuração de volume e itens necessários, instalação de postos em pontos estratégicos, dinâmica de abastecimento e reposição, rastreabilidade dos materiais em fluxo, tudo ancorado com tecnologia de ponta.

O porte do evento requer planejamento e operacionalização com processos muito bem desenvolvidos, garantindo o registro de dispensação por atleta, tipo de esporte, delegação e intercorrência médica, entre outras especificidades, inclusive para evitar que prescrições possam caracterizar doping e prejudicar atletas.

Como se vê, a logística hospitalar está em todos os lugares, disponibilizando inteligência para que tudo o que for o core do cliente, flua sem preocupações extras.

Domingos Fonseca, presidente da UniHealth Logística Hospitalar

Boletim informativo do IESS esclarece assuntos da saúde

shutterstock_461656819

Alguns assuntos pertinentes para o mercado são citados com objetivo, contextualização e conclusão dos estudos como os planos com conta poupança de saúde com franquia anual: essa medida foi buscada com a finalidade de reduzir custos, incentivando os consumidores a tomar decisões mais conscientes do custo do tratamento.

Esses planos foram praticados nos Estados Unidos desde a década de 90 e foi comprovado nele, a redução real de 57 bilhões de dólares para as empresas que estavam utilizando a franquia anual.

Outros custos estudados foram o relacionados à distúrbios de saúde mental e abusos de medicamentos. Assim os gastos com medicamentos nos Estados Unidos foi de de U$ 80 bilhões de dólares em 2o12 e veio a ser ampliado nos próximos anos em 4,1%.

Os aplicativos de saúde também foram avaliados em qualidade de auto-cuidado com usuários para analisar a real eficácia do surgimento dessas ferramentas. Esse estudo foi realizado na Austrália, com pacientes crônicos de diabetes, asma, depressão, doença celíaca, pressão arterial, dor e enxaqueca.

Entre os resultados obtidos, o benefício de utilizar aplicativos foram assinalados como: a maior auto consciência e auto gestão da doença, capacidade de compartilhar dados e históricos médicos, reduzindo a quantidade de visitas aos profissionais da saúde.

Em países de baixa e média renda foram observadas as melhorias em doenças cardiovasculares, a conclusão mostrou que no quesito das doenças agudas, países da Africa, Oriente Médio e América Latina melhoraram seu atendimento e tratamento de pacientes, já o de doenças crônicas, os tratamentos permanecem incompletos, na maioria dos casos estudados.

Clique aqui para ver os estudos completos.