Aprovado no Brasil tratamento oral de curta duração e com efeito por longo prazo para pacientes com esclerose múltipla remitente-recorrente altamente ativa

cerebro-humano_1048-2626

  • MAVENCLAD® (cladribina oral) proporciona 4 anos de alta eficácia com no máximo 20 dias de tratamento oral.
  • A doença impacta a vida de cerca de 35 mil brasileiros¹.
  • MAVENCLAD® já está aprovado em 68 países, incluindo Estados Unidos, União Europeia, México e Argentina.

A Merck, empresa líder em ciência e tecnologia, anuncia a aprovação da cladribina oral, com nome comercial MAVENCLAD®, pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o tratamento de pacientes com esclerose múltipla remitente-recorrente.

MAVENCLAD® é uma Terapia de Reconstituição da Resposta Imune (IRT)2,3, administrada por, no máximo, 20 dias durante os primeiros dois anos de tratamento em comprimidos, com eficácia sustentada por até quatro anos. Esse é o primeiro tratamento oral de curta duração que atinge de forma seletiva e transitória os linfócitos envolvidos na fisiopatologia da esclerose múltipla (EM). O medicamento age com ação seletiva sobre os linfócitos B e T, seguidos de um padrão definido de reconstituição das células de defesa sem supressão contínua do sistema imunológico4.

A esclerose múltipla impacta de maneira significativa a vida de cerca de 35 mil brasileiros¹ e mais de 2,5 milhões de pessoas no mundo. Quem convive com a doença pode enfrentar desafios como sensação de membros pesados, alteração na sensibilidade (como formigamento e dormência), dificuldades para caminhar, confusão mental, perda gradativa de visão, entre outros sintomas. "A aprovação do MAVENCLAD® é um passo muito importante no avanço do tratamento da esclerose múltipla e na melhora da qualidade de vida do paciente. A novidade representa uma porta de entrada na era das Terapias de Reconstituição Imune, que são administradas por um período determinado, porém com eficácia que vai além do tempo de tratamento ativo", afirma Luiz André Magno, diretor médico da Merck. A expectativa agora é que MAVENCLAD® esteja disponível para os pacientes nos próximos três meses.

A cladribina oral satisfaz os requisitos até hoje não atendidos para o tratamento da esclerose múltipla relativos à segurança, simplicidade de administração, eficácia e inovação em um único tratamento, conforme dados apresentados nos estudos de fase III CLARITY e CLARITY EXT.

O programa de desenvolvimento clínico de MAVENCLAD® compreende cerca de 12.000 pacientes por ano de dados de mais de 2.700 pacientes incluídos no programa de ensaios clínicos e até 10 anos de acompanhamento em alguns pacientes. Estes ensaios incluem os estudos de Fase III CLARITY, CLARITY EXT, ORACLE-MS, Fase II ONWARD e o Registro de Segurança de Longo Prazo (PREMIERE).

As análises post hoc do estudo CLARITY EXT mostram a eficácia do uso de cladribina oral por 20 dias nos primeiros dois anos sem a necessidade de tratamento adicional nos anos 3 e 4. Os dados são referentes a estudos clínicos, diagnósticos por imagem e de EDSS (escala expandida do estado de incapacidade) em pacientes com alta atividade da doença.

A aprovação brasileira de MAVENCLAD® faz parte de uma jornada de sucesso em aprovações em todo mundo, que começou em agosto de 2017 com a autorização da Comissão Europeia para a comercialização da terapia. Até setembro de 2019, MAVENCLAD® foi aprovado em mais de 68 países, incluindo Estados Unidos, México, União Europeia, Canadá, Portugal, Austrália, Israel, Argentina, Emirados Árabes Unidos, Chile e Líbano.

Sobre a Esclerose Múltipla

A esclerose múltipla (EM) é uma doença crônica e autoimune do sistema nervoso central, de natureza neurológica não traumática, incapacitante, apresentando maior incidência em adultos jovens. Estima-se que aproximadamente 2,3 milhões de pessoas em todo o mundo têm EM5. Embora os sintomas possam variar, os comuns incluem visão turva, dormência ou formigamento dos membros e problemas com força e coordenação. As formas reincidentes de EM são as mais comuns.

A Merck em Neurologia e Imunologia

A Merck tem um legado de longa data em neurologia e imunologia, com significativo investimento em P&D e experiência comercial em esclerose múltipla (EM). O atual portfólio Glogal de EM da empresa inclui dois produtos para o tratamento de EM recidivante, com um pipeline robusto focado na descoberta de novas terapias que têm o potencial de modular os principais mecanismos patogênicos na EM. A Merck visa melhorar a vida das pessoas que vivem com esclerose múltipla, abordando áreas de necessidades médicas não atendidas.

Sobre a Merck

A Merck é uma empresa líder em ciência e tecnologia em Saúde, Life Science e Performance Materials. Cerca de 52.000 colaboradores trabalham para fazer uma diferença positiva na vida de milhões de pessoas todos os dias, criando maneiras mais qualitativas e sustentáveis de viver. Desde o avanço das tecnologias de edição de genes e descobertas de maneiras inovadoras para tratar as doenças mais desafiadoras até a viabilização do uso da inteligência dos dispositivos, a Merck está presente. Em 2018, a Merck obteve um faturamento de € 14,8 bilhões em 66 países.

A exploração científica e o empreendedorismo responsável foram fundamentais para os avanços da Merck desde a sua origem em 1668. A família fundadora continua sendo a acionista majoritária do grupo de empresas de capital aberto. A Merck detém os direitos globais do nome e da marca da Merck em todo o mundo, exceto nos Estados Unidos e o Canadá, onde a empresa é conhecida como EMD Serono, MilliporeSigma e EMD Performance Materials. Para saber mais, acesse www.merck.com.br e siga-nos no Facebook (@grupomerckbrasil) e Instagram (@merckbrasil).

Referências

1 ABEM - Associação Brasileira de Esclerose Múltipla.

2 Giovannoni G. Personalized medicine in multiple sclerosis. 2017 Neurodegenerative Disease Management; 7 (6s) 13-17

3 Giovannoni G. Cladribine to Treat Relapsing Forms of Multiple Sclerosis. Neurotherapeutics. November 2017; DOI 10.1007/s13311-017-0573-4

4 MAVENCLAD™ Product Monograph. November 2017

5 Federação Internacional de Esclerose Múltipla.

Setembro Amarelo: como as empresas podem ajudar a preservar a saúde mental dos seus colaboradores?

emprego-ruim-estrategia-empresarial

"A empresa pode ter um papel fundamental na detecção e orientação tempestiva de casos de depressão, que se não tratados, podem culminar em finais trágicos", diz Milena Bizzarri, diretora de RH da Mazars, auditoria e consultoria empresarial

A cada 45 minutos, um brasileiro tira a própria vida, o que coloca o país na oitava posição no ranking mundial de suicídios, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Doenças mentais como depressão e ansiedade, juntamente com a falta de uma rede de apoio e com mudanças na sociedade que a tornam cada vez menos solidária, são apontadas como principais fatores de risco. A maior incidência ocorre entre jovens na faixa etária entre 15 e 29 anos. Mas como reverter esse quadro alarmante quando a maioria das vítimas não tem sequer consciência de que está doente?

Um estudo do Ministério da Saúde indica que o risco de suicídio é reduzido em 14% em municípios com a presença de Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). Ações globais de prevenção, como o Setembro Amarelo, também desempenham papel importante no país. Setembro é considerado o mês mundial de prevenção do suicídio, e muitas empresas realizam campanhas internas de conscientização.

"Não é novidade que a depressão é o mal do século e tem aumentado cada vez mais. Assim como nas demais campanhas, como Outubro Rosa e Novembro Azul, a Mazars, que está sempre atenta com o seu papel social, abraça neste mês, a campanha do Setembro Amarelo, que visa a alertar as pessoas para os meios de tratamento possíveis e para os caminhos para buscar a ajuda", diz Milena Bizzarri, diretora de RH da Mazars, auditoria e consultoria empresarial.

Com a finalidade de orientar os gestores sobre como pode ser a percepção de um líder junto à equipe e sensibilizá-los na identificação quando um funcionário não está bem, a Mazars vai promover uma palestra com um médico especializado. "Com gestores capacitados nos sinais comportamentais dos colaboradores e uma equipe de RH qualificada, é possível direcionar a pessoa que não está bem para a ajuda adequada", declara Milena.

A executiva ainda acrescenta que para muitas pessoas o assunto depressão ainda é um tabu. "Seja por desconhecimento, seja por vergonha, elas não procuram o tratamento adequado e ignoram o grande perigo que podem sofrer. É preciso alertar para o fato de que depressão não é frescura nem preguiça. É uma doença séria e devastadora. Como empresa, é nossa responsabilidade ajudar a desmistificar esse assunto e mostrar para os nossos colaboradores que a desinformação sobre o tema colabora para consequências graves", afirma Milena.

Outro ponto observado pela diretora de RH da Mazars é que nos últimos seis meses, devido à percepção e sensibilidade junto aos colaboradores, foi possível notar que existia depressão no quadro de profissionais da empresa. "Percebemos que as causas são multifatoriais, podem ser em função de relacionamentos, do trabalho, de transtornos de ansiedade e humor, entre outros", pontua Milena. "Essas causas impactam tanto na vida pessoal quanto na profissional, e a empresa pode ter um papel importante na identificação de comportamentos que indiquem que a pessoa precisa de ajuda".

Quando a campanha Setembro Amarelo foi abordada na Mazars em 2018, percebeu-se que os colaboradores se sentiram acolhidos. "Em alguns momentos os profissionais sentiram que a empresa é um refúgio", finaliza Milena.

Sobre a Mazars

A Mazars tem hoje, no Brasil, mais de 800 colaboradores distribuídos entre sete escritórios, São Paulo, Barueri, Sorocaba, Campinas, Ribeirão Preto, Curitiba e Rio de Janeiro. No mundo, o grupo Mazars possui 40 mil colaboradores que atuam em 89 países dos cinco continentes, oferecendo soluções em Auditoria, Consultoria, Financial Advisory Services, Serviços Tributários e BPO.

Primeiro rituximabe biossimilar aprovado no Brasil chega ao mercado

startup-de-saude-genomica-cancer

  • Divisão da Novartis e uma líder global em biossimilares1, Sandoz segue ampliando o portfólio no país com foco em medicamentos biossimilares
  • Biossimilares da Sandoz têm sido usados na prática clínica há mais de 10 anos, estão disponíveis em mais de 90 países e alcançam mais de 500 milhões de pacientes-dia1
  • O lançamento do rituximabe biossimilar é um passo importante na ampliação do acesso de pacientes a medicamentos biológicos no Brasil

O primeiro rituximabe biossimilar aprovado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) acaba de chegar ao mercado nacional. Trata-se do Riximyo®, comercializado no Brasil pela Sandoz, divisão da Novartis e líder global em biossimilares1.

Riximyo® é o único medicamento rituximabe biossimilar aprovado no país para todas as indicações do biológico de referência, o MabThera®2,3. É um anticorpo monoclonal indicado para tratamento de linfoma não-Hodgkin (linfoma folicular e linfoma difuso de grandes células B) e leucemia linfocítica crônica, e para doenças imunológicas, como artrite reumatoide, granulomatose com poliangiite e poliangiite microscópica2.

A Sandoz vem ampliando sua atuação no país de maneira estratégica, com foco em um rico conjunto de medicamentos biossimilares em estágio avançado de desenvolvimento. As principais classes terapêuticas incluem Oncologia, Imunologia e Endocrinologia. “A Sandoz investe globalmente na pesquisa e no desenvolvimento de medicamentos para aumentar o acesso dos pacientes a produtos biológicos de alta qualidade. Com Riximyo®, iniciamos um robusto portfólio de anticorpos monoclonais que será incrementado nos próximos anos”, afirma Fabio Antoneli, diretor de especialidades da Sandoz.

Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento têm intuito de melhorar a vida dos pacientes e aliviar gastos de sistemas de saúde. A companhia foi a primeira farmacêutica a receber aprovação de um biossimilar na Europa, no Japão e nos Estados Unidos4-6. Globalmente, o portfólio de biossimilares da Sandoz conta hoje com 8 moléculas. Os medicamentos têm sido usados na prática clínica há mais de 10 anos, estão disponíveis em mais de 90 países e alcançam mais de 500 milhões de pacientes-dia1.

Sobre o rituximabe biossimilar1,7-13

Pioneira no desenvolvimento de medicamentos biossimilares, a Sandoz iniciou o estudo clínico global de fase III em linfoma folicular para aprovação de Riximyo® em dezembro de 2011, selecionando o Brasil como um dos países participantes.

Anticorpos monoclonais são medicamentos biológicos produzidos a partir de células vivas. Eles são usados frequentemente para o tratamento de doenças graves, como o linfoma. A molécula age por meio de sua ligação com proteínas-alvo, permitindo assim um tratamento direcionado para a enfermidade.

A complexidade inerente de uma molécula biológica não permite uma reprodução idêntica, tal qual acontece com os genéricos em relação aos medicamentos de referência. Os biossimilares são construídos a partir dos medicamentos biológicos de referência de maneira a corresponder a este, do ponto de vista estrutural, funcional, pré-clínico e clínico, em termos de segurança, eficácia e qualidade14,15. Além disso, são mais acessíveis à população, uma vez que seguem o mesmo princípio de comercialização após a perda de patente do medicamento de marca original.

Os biossimilares necessitam de um processo de desenvolvimento e pesquisa clínica por comparabilidade, além de aprovação por vias regulatórias rigorosas. Nesses processos, é necessário demonstrar que a estrutura molecular e a atividade biológica do biossimilar são equivalentes às do medicamento de referência, e que eventuais diferenças não têm impacto clínico em eficácia e segurança14,15. Riximyo® demonstrou comparabilidade com o biológico de referência em testes analíticos, pré-clínicos e também em estudos clínicos, o que embasou sua aprovação em todas as indicações do medicamento de referência16

A chegada de biossimilares como Riximyo® representa uma possibilidade para facilitar o acesso a tratamentos de doenças graves. Para o paciente, é uma oportunidade de obter um medicamento de qualidade por um valor reduzido, com a mesma qualidade, eficácia e segurança de moléculas de referência.

Sobre a Sandoz

A Sandoz é uma líder global em medicamentos genéricos e biossimilares. Como divisão do Grupo Novartis, nosso propósito é descobrir novas maneiras de melhorar e prolongar a vida das pessoas. Contribuímos com a sociedade, apoiando crescentes necessidades de cuidados de saúde, por meio de abordagens inovadoras para ajudar as pessoas em todo o mundo a terem acesso a medicamentos de alta qualidade. Nosso portfólio possui aproximadamente 1.000 moléculas, abrangendo todas as principais áreas terapêuticas. Em 2018, as vendas da companhia representaram US$ 9,9 bilhões e nossos produtos atingiram mais de 500 milhões de pacientes. A Sandoz está sediada em Holzkirchen, na região de Munique, na Alemanha.  

 MabThera® é uma marca registrada de F. Hoffmann-La Roche AG.

 

Referências

1Site Sandoz

2Bula de Riximyo®.

3Bula do MabThera®. 

4European Medicines Agency. Omnitrope® Summary of Product Characteristics.

5Pharmaceuticals and Medical Devices Agency. PMDA Perspective: Recent Trends in the Regulation of Biopharmaceuticals.

6Food and Drug Administration. ZarxioTM Package Insert.

7Weise M, et al. Blood. 2012; 120(26):5111-1117

8European Commission. Consensus Information Paper 2013. What you need to know about Biosimilar Medicinal Products.

9Information on BiosimilarsFDA. 

10European Medicines Agency. Update of questions and answers on biosimilar medicines

11European Medicines Agency (EMA). Guideline on similar biological medicinal products

12Food and Drug Administration (FDA). Patient protection and affordable care act.

13Schiestl et al. Nature Biotechnol. 2011; 29:310

14Lemery SJ, et al. Clin Cancer Res. 2010; 16(17):4331-4338

15McCamish, M and Woollett, G. Clin Pharmacol Ther. 2012; 91(3):405-417

16 Site ANVISA.

Por que a receita federal está autuando médicos?

receita

“Para o fisco, não basta a mera constituição de sociedade de profissionais por meio da celebração de contrato social para reduzir a carga tributária. Deve-se existir elementos mínimos que demonstrem a existência de uma organização comum. Mas não parece que as autuações nestes moldes se sustentem considerando o princípio da liberdade contratual e a fluidez das relações pessoais e negociais na era digital, bem como a completa inexistência de relação trabalhista entre os médicos e seus tomadores de serviço.”

Diante de várias notícias sobre fiscalização, tributação e arrecadação, circula no meio médico a informação de que profissionais estão sendo autuados pela Receita Federal do Brasil por, supostamente, terem constituído sociedades de profissionais com propósito único de reduzir a carga tributária de suas atividades. É como se esses profissionais estivem simulando a prestação de serviços por meio das sociedades e, posteriormente, a distribuição de lucros evitando a incidência de alíquotas maiores do Imposto de Renda – IR.

O fisco Federal argumenta, nestes casos, que as sociedades foram constituídas sem propósito negocial, exclusivamente para burlar a tributação, dissimulando a natureza dos elementos constitutivos da obrigação tributária. Para tanto, alega abuso de direito desses profissionais, que se utilizariam de pessoas jurídicas com o único intuito de reduzir a tributação – E comparado à uma pessoa física, pode reduzir significativamente.

Segundo os fiscais da Receita Federal, a execução individual dos serviços prestados pela sociedade simples não demonstra, efetivamente, que foram prestados pelas pessoas físicas. Entretanto, é lícito e possível que médicos se organizem em forma de sociedade para atuar como prestadores de serviços, tanto para hospitais quanto diretamente aos pacientes.

Desta forma, para o fisco não basta a mera constituição de sociedade de profissionais por meio da celebração de contrato social, devendo existir elementos mínimos que demonstrem a existência de uma organização comum e de qualquer colaboração entre os sócios, além de que haja não só um tomador de serviço, mas vários tomadores que justifiquem a existência de uma pessoa jurídica.

Importante ressaltar que, além de solicitar documentação, a fiscalização tem realizado diligências em redes sociais para verificar se as pessoas físicas autuadas exercem realmente em nome das sociedades ou simplesmente constituem a empresa para que não tenham vínculo com o tomador de serviços. Com isso, o fisco imputa aos médicos, pessoas físicas, supostas relações empregatícias com as empresas que contrataram serviços da sociedade simples, acusando-as de aderirem à chamada “pejotização” e consequente redução dos tributos incidentes na relação.

Ademais, tendo em vista que a autuação conclui pela configuração de crime contra a ordem tributária, o fisco sugere a possibilidade de instauração de representação fiscal para fins penais. A consequência dessa aplicação é a majoração da multa em até 150% (cento e cinquenta por cento) sobre o suposto débito, valor este que está chegando próximo a R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais).

Não é a primeira vez que a Receita Federal autua médicos arguindo a desconsideração da sociedade e a prestação dos serviços por eles prestado, mas esse entendimento tem fundamento?

Considerando o princípio da liberdade contratual e a fluidez das relações pessoais e negociais na era digital, bem como a completa inexistência de relação trabalhista entre os médicos e seus tomadores de serviço, não nos parece que as autuações nestes moldes se sustentem. Isto porque, além do Supremo Tribunal Federal já ter se manifestado pela licitude da terceirização de atividades fins, não se faz necessário a existência de suporte físico aos profissionais das clínicas para caracterizar sua natureza de sociedade simples.

A atividade médica ambulatorial, em regra, é prestada nas dependências dos contratantes e os contratos preveem que os custos de comunicação, energia elétrica e insumos serão custeados pela contratante. Portanto, não é financeiramente interessante a este tipo de sociedade a manutenção de unidade física, cujos custos fixos podem inviabilizar as atividades.

O que importa, nestes casos, é o compartilhamento de estrutura administrativa, a divisão de custos de equipamentos que podem agregar valor aos serviços médicos prestados, bem como o compartilhamento do prestígio dos profissionais que as integram, sendo fator relevante no meio médico para obtenção de contratos.

A título de exemplo, uma sociedade de profissionais nem sempre precisa de espaço físico com equipamentos, consultórios e secretárias. Sociedades médicas especializadas em atendimento ambulatorial em grandes instituições de saúde, por sua vez, não precisam manter esse tipo de estrutura. Seu principal investimento é na capacitação dos profissionais que a compõem, já que o atendimento deverá ser sempre in loco.

Por isso, na hipótese de autuação pela Receita Federal, os médicos autuados devem apresentar defesas administrativas e até medidas judiciais com intuito de anular a infração, já que existem decisões favoráveis aos profissionais da saúde.

Sobre o autor

Filipe Cândido e Leonardo Resende, equipe de Direito Tributário do Portugal Vilela Almeida Behrens

Exame genético realiza diagnóstico de intolerância à lactose

-dna

Laboratório Frischmann oferece teste capaz de detectar a doença pela saliva, sem a necessidade de exames tradicionais como o teste de tolerância oral a lactose.

Dados do Instituto Datafolha estimam que entre 60% e 70% da população do mundo apresenta algum nível de dificuldade de digestão da lactose. No Brasil, o estudo aponta que 35% das pessoas com idade acima de 16 anos, cerca de 53 milhões de brasileiros, relatam desconforto digestivo após o consumo de leite e seus derivados. O Laboratório Frischmann, que integra a Dasa – líder brasileira em medicina diagnóstica –, possui um exame genético capaz de diagnosticar a presença ou a predisposição para a intolerância à lactose, por meio de um teste não invasivo que analisa o DNA presente na saliva.

A endocrinologista Myrna Campagnoli, diretora médica do Frischmann, explica que o teste é mais cômodo para o paciente. “Os exames convencionais podem ser desconfortáveis visto que há necessidade de ingestão de uma solução lactose. A partir disso são feitas coletas sequenciais de até duas horas para o teste avaliar a quantidade de glicose. Em virtude da ingestão da lactose podem ocorrer mal estar e desconforto gastro intestinal. Já o exame genético possibilita analisar o DNA presente na saliva do paciente de maneira rápida, prática, indolor e com alta precisão”, afirma.

A intolerância à lactose acontece quando há diminuição da capacidade do corpo humano de digerir a lactose – açúcar encontrado no leite e em outros produtos lácteos. “A lactose é quebrada por uma enzima chamada lactase, que é produzida pelas células da mucosa do intestino delgado”, explica Myrna. Nos bebês, pode ocorrer um distúrbio chamado deficiência de lactase congênita ou alactasia congênita, que causa diarreia grave. A criança pode sofrer desidratação e perda de peso. “Os pais devem procurar um especialista caso a diarreia e as dores abdominais sejam frequentes nos pequenos”, afirma. Na fase adulta, a intolerância à lactose é causada pela diminuição da produção de lactase após a infância. Neste caso, o consumo de leite e seus derivados pode acarretar cólicas abdominais, distensão abdominal, diarreia, indigestão, dores no estômago, náusea e flatulência.

A intolerância à lactose pode se apresentar de três formas:

1- Deficiência Primária de Lactase ou Hipolactasia Primária

É a mais comum na população. Ela ocorre pela diminuição progressiva da enzima. Este estágio aparece geralmente após os 2 anos de idade e perdura pela vida toda.

2- Deficiência Congênita de Lactase

É a forma mais rara. Neste caso, a ação da enzima é muito baixa ou nula desde o nascimento.

3- Deficiência Secundária de Lactase

Surge no decorrer da vida e pode ser uma condição temporária. Esta forma pode estar associada a outros problemas digestivos, como intoxicação alimentar ou viroses intestinais e pode ser totalmente reversível, ou seja, pode melhorar e permitir que a pessoa volte a ingerir a lactose sem apresentar desconforto.

Myrna Campagnoli esclarece que o paciente deve estar atento à alimentação se os sintomas forem muito frequentes. “Se a diarreia persistir, o ideal é que se procure um centro de atendimento para realizar o diagnóstico”, diz a especialista. “Os pacientes que têm ciência do problema devem reduzir a ingestão de leite e derivados e, em casos mais graves, evitar ao máximo o consumo desses alimentos”, finaliza.

Sobre o Frischmann Aisengart

O Laboratório Frischmann Aisengart, que integra a Dasa – Líder Brasileira em Medicina Diagnóstica, é o maior laboratório do Sul do Brasil com mais de 40 unidades de atendimento em Curitiba, Região Metropolitana, litoral e interior do Paraná, além de um Núcleo Técnico-Operacional localizado em São José dos Pinhais, onde são processados os exames. Com mais de 70 anos de história o Frischmann Aisengart é referência em medicina diagnóstica, realizando mais de três mil diferentes tipos de exames de análises clínicas. Além disso, oferece soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, contando com os serviços de Coleta Domiciliar, Web-Exame, Teste de Paternidade, Exames Toxicológicos, Exames Genéticos e Vacinas.

Rede D'Or São Luiz conquista prêmio de liderança climática

liderança sustentavel

A Rede D'Or São Luiz conquistou o selo ouro na América Latina como liderança climática de organizações de saúde na premiação Health Care Climate Challenge 2019. A premiação promovida pela ONG Health Care Without Harm consagra as principias instituições do mundo que estão na vanguarda na adoção de políticas sustentáveis para o clima. O selo conquistado é um reconhecimento de que o grupo tem alcançado relevantes resultados na redução das taxas de emissão de carbono. Para a gerente de Controle Institucional e Sustentabilidade, Ingrid Cicca, a premiação é fruto do compromisso da empresa com a responsabilidade ambiental.

A Rede D'Or vem implementando uma série de ações em prol da mitigação e redução das taxas de carbono, como priorização de equipamentos mais modernos que resultem em menos consumo de energia e automação de sistemas, a exemplo da Central de Água Gelada (CAG), um dos fatores de maior consumo de energia no ambiente hospitalar. "Hoje somos uma das empresas de saúde na América Latina que mais vêm priorizando a questão climática em suas práticas. Aqui no Brasil, por exemplo, são poucas as empresas do setor que medem suas emissões de carbono como nós fazemos", destaca Ingrid.

A gerente explica que o engajamento do Grupo com a questão ambiental não se resume à questão do carbono. Ela cita como exemplo os 15 hospitais da Rede que aderiram, no ano passado, ao Projeto Hospitais Saudáveis, desenvolvendo ações para contribuir com pelo menos dois dos dez objetivos da Agenda Global para Hospitais Verdes e Saudáveis (AGHVS). Na verdade, a Rede D'Or São Luiz possui uma Política Ambiental que norteia as boas práticas implementadas nos hospitais. Diversificação da matriz energética, redução de consumo de energia com equipamentos eficientes e rateio do número de máquinas em operação conforme demanda, reaproveitamento térmico para aquecimento de água e menor nível de ruído são os objetivos presentes na política da empresa.

"É prioritário que uma empresa de saúde esteja engajada nos problemas ambientais, pois eles impactam diretamente no bem estar das pessoas. Por isso, na implantação dos projetos, priorizamos aqueles com os aspectos ambientais mais relevantes. É preciso ter um desenvolvimento sustentável, que gere valor para toda a sociedade. E isso que fazemos na Rede D'Or", afirma Ingrid.

Dados confiáveis, interoperabilidade e Inteligência Artificial são temas da InterSystems na HIS 2019

dados_abertos_1-600x250

Colaboração e inovação ao longo de todo o processo de atendimento contínuo

InterSystems, líder mundial em plataformas de tecnologia da informação para aplicações de saúde, negócios e setor público, traz à HIS 2019 (18 e 19/09) suas soluções que promovem a colaboração e a inovação no setor da saúde. Uma delas é a plataforma InterSystems IRIS for Health™, ideal para impulsionar aplicações baseadas no conceito de Inteligência Artificial aos desenvolvedores de aplicativos de serviços de saúde. Para Alexandre Tunes, country manager da InterSystems Brasil, “organizações precisam tornar-se mais ágeis e tomar decisões mais inteligentes em resposta às tendências de mercado nessa fase de transformação digital”.

A InterSystems considera a integridade dos dados fundamental para que o setor de saúde atinja rapidamente a transformação digital, tão necessária para o aprimoramento das instituições. “Atualmente, vemos com extrema importância que o setor da saúde e outros segmentos da economia adotem uma plataforma de dados escalável, com capacidade de tratar as informações e agregar serviços como um facilitador-chave das iniciativas da transformação digital”, explica Tunes.

A outra solução da InterSystems no HIS 2019 é a plataforma HealthShare® - um recurso que une provedores, pacientes e fontes pagadoras em um registro unificado de atendimento para proporcionar a saúde conectada. Para Alexandre Tunes, “a flexibilidade e a escalabilidade do HealthShare permitem que nossos clientes ofereçam soluções de atendimento médico incrivelmente inovadoras para a comunidade de médica de hoje”.

Para garantir a exatidão das informações nos processos, a plataforma HealthShare proporciona facilidades como gerenciamento de dados mestres que automatiza o processo de coleta, consolidação e publicação de informações precisas sobre o provedor. Ela permite que os usuários cumpram as regulamentações com mais facilidade, aprimorem o atendimento ao cliente e melhorem a eficiência de qualquer processo de negócios que exija informações atualizadas e precisas sobre o fornecedor.

Sobre a InterSystems

A InterSystems é o mecanismo por trás das aplicações mais importantes do mundo. Em saúde, finanças, governo e outros setores em que vidas e meios de subsistência estão em jogo, a InterSystems é o poder por trás do que importa™. Fundada em 1978, a InterSystems é uma empresa privada com sede em Cambridge, Massachusetts (EUA), com escritórios em todo o mundo, e seus softwares são usados diariamente por milhões de pessoas em mais de 80 países. Para mais informações, visite a InterSystems.

Cognizant apresenta solução inovadora que simula clínica virtual no Healthcare Innovation Show

dedo-que-pressiona-a-tecla-no-ar_1134-102

Ferramenta foi desenvolvida especialmente para auxiliar na transformação digital do setor de saúde

A Cognizant, uma das empresas líderes mundiais em tecnologia e negócios, participa do Healthcare Innovation Show, que será realizado nos dias 18 e 19 de setembro, no São Paulo Expo.

Na ocasião, a companhia apresentará solução que simula uma clínica virtual em que, de posse de um cartão de identificação, com cadastro prévio, é possível a partir de um totem efetuar o agendamento de qualquer procedimento – consulta, exames e até mesmo cirurgias – utilizando-se do sistema com dupla identificação: o cartão com QR Code e o Face Recognition. "Esse sistema pode ser adaptado para utilização nos totens de atendimento que poderão ser encontrados em hospitais, prontos-socorros ou mesmo em unidades de saúde móveis, públicas ou privadas", diz Eduardo Guerreiro, head of Digital Business da Cognizant.

Ainda de acordo com o executivo, já existem testes para que essa solução seja utilizada também a partir de celulares, tablets ou qualquer outro dispositivo conectado à internet que disponha de uma câmera. A ideia é que esses atendimentos possam ser agendados de onde a pessoa estiver, em qualquer horário, em qualquer unidade ou local de preferência e sem nenhuma interação humana e com segurança para o paciente, médicos e instituições. "Essa solução utiliza a combinação de tecnologias de ponta como cloud, Analytics, inteligência artificial, blockchain e IoT, e pode ser aplicada e potencializada não apenas ao setor de saúde, mas a qualquer outro segmento de negócio", ressalta Guerreiro.

"Apostamos fortemente na utilização de tecnologias disruptivas voltadas a reconhecimento facial e criação de diálogos de interação. Com isso levaremos uma experiência inovadora para o HIS 2019", diz Alexandre Grandi, diretor de Life Sciences & Healthcare da Cognizant.

O HIS 2019 debaterá a constante atualização nas áreas de inovação, tecnologia, empreendedorismo, negócios e finanças. "A Cognizant tem inovado constantemente, e este é mais um exemplo de que estamos empenhados em gerar valor para os clientes", explica Grandi. "Aumentar a adoção de canais digitais é essencial, porque clientes de todas as idades querem mais mecanismos de autoatendimento; além disso, é imprescindível transformar o atendimento, com operações de suporte inteligentes, automatizadas e repaginadas."

Sobre a Cognizant

A Cognizant (NASDAQ-100: CTSH) é uma das empresas líderes mundiais em serviços profissionais que transforma os modelos de negócios, operacional e de tecnologia de seus clientes para a era digital. Nossa abordagem consultiva única, baseada em profundos conhecimentos das indústrias em que atuamos, auxilia clientes a visualizar, construir e administrar negócios cada vez mais inovadores e eficientes. Com sede nos Estados Unidos, a Cognizant ocupa a 195.ª colocação no ranking da Fortune 500 e é consistentemente listada entre as empresas mais admiradas do mundo. Veja como a Cognizant ajuda clientes a ser líderes no mundo digital em www.cognizant.com.br, ou siga-nos: @Cognizant.

Hospital Unimed Juiz de Fora adota App “Dr. Rafael”

Prints APP (3)

No 1° Dia Internacional de Segurança do Paciente, que será comemorado pela Organização Mundial de Saúde, na próxima terça-feira, 17 setembro, o Hospital Unimed Juiz de Fora começa a utilizar um aplicativo inovador para reforçar os cuidados com os seus pacientes. Simples, simpático e desenvolvido por um médico brasileiro no Vale do Silício, o “Dr. Rafael” traz dicas de segurança e mostra como o próprio paciente pode ser o protagonista do seu cuidado durante a internação e contribuir para o seu bem-estar e recuperação. A proposta é incentivar o uso do aplicativo para tornar a experiência de quem está internado mais segura e disseminar informações importantes sobre saúde. Nas versões Android e IOS, “Dr. Rafael” é gratuito, fácil de baixar no celular e já está sendo aperfeiçoado para chegar também às clínicas de exames e consultórios médicos. O Hospital Unimed Juiz de Fora será o primeiro de Minas a adotar o aplicativo.

“A ideia é empoderar o paciente e torná-lo, com seu acompanhante, principal aliado no cuidado e na segurança assistencial durante sua permanência no hospital. O “Dr. Rafael” apresenta todas as diretrizes de um atendimento seguro – as seis Metas Internacionais de Segurança do Paciente -, ajuda na comunicação com toda a equipe do hospital, chama a atenção para o autocuidado e possíveis riscos, prevenção de quedas, cuidados com internações de longo período e permite que o paciente e sua família avaliem os nossos serviços. E melhor, as considerações feitas pelo paciente são vistas em tempo real pela equipe do andar ou setor em que ele está. Outra grande vantagem é que o aplicativo está disponível para pacientes internados em qualquer hospital do país nas redes pública e privada”, detalha Nathércia Abrão, diretora de Provimento de Saúde do Hospital Unimed Juiz de Fora.

Dados da organização Pacient Safety Movement revelam que 4,8 milhões de pessoas morrem por causas que poderiam – e deveriam - ter sido evitadas. No Brasil, em 2017, foram 235 mil mortes por eventos adversos. “Não queremos nossos pacientes nestas estatísticas. Por isso, investimos em diversas frentes – e o “Dr. Rafael” é uma delas - para sensibilizar sobre as Metas Internacionais de Segurança e tornar o nosso paciente agente ativo na prevenção”, reforça Nathércia Abrão.

Grupo Pardini consolida soluções tecnológicas

Grupo Pardini consolida soluções tecnológicas

Investimentos em segurança da informação e tecnologia possibilitam melhoria da experiência do cliente em Medicina Diagnóstica

Ao completar 60 anos de fundação, o Grupo Pardini – um dos maiores do País no setor de medicina diagnóstica – comemora estar à frente no seu mercado de atuação com democratização de acesso e entrega de soluções que oferecem comodidade, praticidade e segurança. Para atender a demandas do consumidor moderno, que quer conforto em todas as etapas do processo de compra, a companhia tem se adaptado, inovado e investido constantemente. “Nossa trajetória de inovação nos impulsiona e nos dá credibilidade para projetarmos e realizarmos o futuro. Estamos cada vez mais focados em inovação e melhorias na experiência dos clientes, com o intuito de oferecer acesso a soluções completas, resolutivas e personalizadas, além de promover saúde e bem-estar a milhões de brasileiros”, enfatiza o CEO do Grupo Pardini, Roberto Santoro.

Nos últimos anos, foram disponibilizadas diversas soluções para clientes finais e laboratórios parceiros, que confirmam o pioneirismo de seu DNA. “Estamos trabalhando duro para proporcionar a melhor experiência aos nossos clientes, utilizando as mais atualizadas tecnologias do mercado mundial, alinhados com o desenvolvimento de conhecimento e protocolos próprios. Isso ocorre tanto no diagnóstico como também no relacionamento presencial e digital com os clientes”, afirma o CEO, Roberto Santoro.

Conveniências para clientes

A expertise do Grupo – que realiza exames de brasileiros das mais diversas localidades – permite compreender a mudança de comportamento da sociedade e oferecer cada vez mais acesso, disponibilidade e agilidade para seus clientes. Essa experiência é percebida por meio de diversos canais de relacionamento e nas 120 unidades próprias, distribuídas por Minas Gerais e São Paulo (Hermes Pardini), Goiás (Padrão) e Rio de Janeiro (Centro de Medicina Nuclear da Guanabara), além do Lab-to-Lab (B2B), em que são atendidos mais de seis mil clínicas, hospitais e laboratórios em todo o país. Para os clientes de lojas (PSC – Patient Service Center), várias são as opções que proporcionam comodidade e interatividade.

Uma delas é o seu portal de serviços intuitivo e bem completo, onde é possível agendar exames por imagem e consultas, esclarecer dúvidas, solicitar orçamentos, registrar elogios, sugestões e reclamações. Os clientes também podem obter resultados e informações de exames, além de consultar serviços, horários, endereços e comodidades disponíveis em cada unidade. Nele, o agendamento online é uma opção para agilizar a marcação de exames ou consultas. O chat é mais um canal de comunicação onde um assistente virtual inteligente auxilia o cliente a realizar todas as funcionalidades possíveis virtualmente. Na loja virtual, quem quiser pode adquirir antecipadamente vacinas e escolher a unidade para aplicação. Ao efetuar a compra, o site emite um voucher, que tem validade de sete dias, para que a pessoa possa se dirigir às unidades e ir direto para a aplicação.

Para facilitar a rotina dos clientes, sempre em movimento, o aplicativo Hermes Pardini, disponível nas plataformas Android e iOS, oferece as mesmas funcionalidades do site. Já o VR Vacinas auxilia as crianças a perderem o medo: na hora de receber a aplicação, a criança se entretém com um curta-metragem de animação em realidade virtual.

Quem estiver com pressa, pode buscar atendimento nos totens de autoatendimento das unidades. Eles possibilitam ao cliente a visualização e impressão de resultados, entrega de material pendente e a consulta de informações de exames.

Pioneirismo

Outra solução que oferece facilidade e se adequa cada vez mais ao cotidiano das pessoas é o WhatsApp. Por meio desse aplicativo, é possível marcar exames e consultas, pegar resultados, tirar dúvidas e se informar sobre produtos e serviços. O Hermes Pardini foi pioneiro na utilização desse meio de relacionamento, que oferece interface com o cliente com a empresa a qualquer momento, sem restrição de horário.

Esse atendimento também é realizado pelos clientes do Lab-to-Lab (B-to-B), além de contar com o suporte de uma grande equipe comercial (120 executivos de vendas) que se divide regionalmente no atendimento aos parceiros do Apoio Laboratorial.

O diretor de Tecnologia da Informação (TI) do Grupo Pardini, João Vicente Alvarenga, explica que todas as mensagens enviadas possuem seu próprio código de segurança confirmando que as mensagens são criptografadas de ponta a ponta. No aplicativo aparece para o cliente, inclusive de pessoa física, o ícone verde ao lado do nome da empresa, que garante que é uma conta verificada, oficial do Grupo Pardini, ajudando na efetividade e segurança na transmissão das informações.

Informações qualificadas

Os laboratórios, clínicas e hospitais parceiros do Hermes Pardini em todo o país utilizam o Customer Service – uma equipe exclusiva para solucionar dúvidas e demandas. O serviço pode ser acionado pela internet ou por telefone para esclarecimento de dúvidas, realização de pedidos de urgência e antecipações de exames, dentre outros. São mais de 100 profissionais dedicados a atender às demandas dos clientes de todo o país, com a capacidade de prestar assessorias científica e médica, além de atendimento de profissionais do Núcleo de Atendimento ao Judiciário, vinculado aos testes de paternidade.

O MyPardini é portal com informações e soluções exclusivas para os laboratórios parceiros em todo o país. Essa plataforma conta com a função de rastreabilidade de eventos, permitindo a impressão de relatórios, pesquisa por paciente, pedido e exame e monitoramento no painel. Também possibilita a solicitação de urgência diretamente neste portal de forma rápida, fácil e sem espera. Por meio de gráficos, é possível monitorar as ocorrências de exames em diferentes status e exportar as informações para relatórios. Essa gestão otimiza o tempo e garante segurança para os laboratórios parceiros do Grupo. Ainda sobre segurança, cada cliente pode registrar usuários da sua equipe nos perfis e níveis de privacidade que desejar.

A qualidade, a eficiência, a agilidade e a segurança em todos os processos são diretrizes de atuação do Grupo Pardini em seus 60 anos e que, neste momento comemorativo, apresenta um marco. O Enterprise é um projeto de automação laboratorial que está prestes a ser entregue e vai praticamente dobrar a capacidade produtiva do Hermes Pardini. A iniciativa inovadora se traduz em benefícios para toda cadeia de valor na saúde com resultados mais rápidos, mais precisão e total rastreabilidade.

Sobre o Grupo Hermes Pardini

O Grupo Pardini está entre as maiores empresas de Medicina Diagnóstica do Brasil, com mais de 8 mil testes no portfólio de produtos. Conta com quatro canais de venda: Laboratório de Referência (Lab-to-Lab); Medicina Personalizada; Toxicologia; e Unidades de Atendimento ao Paciente (Patient Service Center - PSC), que processaram mais de 92,8 milhões de exames em 2018. No Lab-to-Lab, a companhia ocupa liderança nacional na prestação de serviços de Apoio Laboratorial, com o atendimento a mais de seis mil clientes em todo o país. A recente incorporação do Laboratório Soluções, localizado em Itajaí (SC), reforça as operações de apoio a laboratórios, clínicas e hospitais parceiros, em especial aqueles localizados nos três estados da Região Sul. No PSC, são 120 unidades próprias nos Estados de Minas Gerais (inclusive com as tradicionais marcas Humberto Abrão e Ecoar), São Paulo (Hermes Pardini), Goiás

(Padrão) e Rio de Janeiro (Centro de Medicina Nuclear da Guanabara). São mais de 5,5 mil colaboradores, entre técnicos, mestres e doutores das mais diversas áreas de biomedicina, medicina, genética e análises clínicas, além de compormos um robusto e abrangente corpo comercial, logístico e administrativo. O Grupo foi pioneiro no Brasil na montagem de uma plataforma automatizada e produtiva, a maior do mundo, para atender grandes proporções de análises clínicas.

Foto: Diretor de Tecnologia da Informação (TI) do Grupo Pardini, João Vicente Alvarenga.

Crédito: Beto Staino