Telemedicina: ferramenta essencial para assegurar a universalidade da saúde

Telemedicina: ferramenta essencial para assegurar a universalidade da saúde

Por Marcelo Queiroga, presidente eleito da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Gláucia Maria Moraes de Oliveira, editora associada da revista ABC Cardiol e Luciano Mariz Maia, vice-procurador-geral da República

A Telemedicina como meio de ampliar o acesso universal e integral à saúde, expressa em políticas públicas legitimadas, integra o mínimo existencial de cada cidadão brasileiro. É, portanto, um direito de todos e dever do Estado, devendo ser garantida mediante políticas sociais e econômicas vigentes no País. O notável avanço das tecnologias da informação e comunicação e sua aplicação na saúde deve ser foco constante da atenção do poder público, sendo um instrumento de equidade e fomento à dignidade da pessoa humana.

Essa tecnologia pode ser conceituada como forma organizada e eficiente de exercício da Medicina a distância para fins de informação, diagnóstico e tratamento de indivíduos, isoladamente ou em grupo, baseada em dados, documentos ou outras informações confiáveis transmitidas por intermédio de telecomunicações. Atualmente, o emprego da Telemedicina tem abrangência crescente, sendo possível realizar desde consultas (teleconsulta) e diagnósticos (telediagnóstico) até complexas cirurgias robóticas (telecirurgia). Todo esse avanço deve ocorrer centrado no melhor interesse do paciente.

As doenças cardiovasculares são responsáveis por mais de 30% da mortalidade global, inclusive no Brasil, e esse contexto será agravado com o envelhecimento e o adoecimento da população. Não há como desconhecer que os recursos para ofertar a ampliação da assistência à saúde, especialmente para a crescente prevalência das moléstias cardiovasculares, sobretudo em áreas remotas de um país como o Brasil, é uma missão complexa. Será um desafio, a ser superado, levar profissionais de saúde aos mais longínquos rincões.

Cerca de 65% dos municípios brasileiros estão situados em áreas remotas e localizam-se nas regiões Norte e Centro-Oeste. Por outro lado, o estudo Demografia Médica no Brasil, de 2018, relatou significativa desigualdade na distribuição dos médicos, que predominam nos grandes aglomerados urbanos das regiões Sul e Sudeste, onde se encontra também o maior número de especialistas, com menor densidade médico/habitante nas regiões Norte e Nordeste. A Telemedicina, se aplicada em seu contexto amplo, poderia permitir o acesso e a equidade, ofertando serviços de qualidade com suposta custo-efetividade.

Os benefícios dessa tecnologia poderiam ser, igualmente, aplicáveis à saúde suplementar, mesmo diante de marco regulatório diverso, e da cobertura assistencial presencial adequada. Cabe ressaltar que a maior parte dos beneficiários da saúde suplementar reside em centros maiores, onde a relação médicos/especialistas por habitante é apropriada, e as consultas presenciais, uma imposição legal.

Recomenda-se que sejam mantidas, nos procedimentos de Telemedicina e Telecardiologia, as bases estabelecidas pelo Código de Ética Médica. A Telemedicina deve ser considerada uma ferramenta adicional para a relação médico-paciente presencial, sem jamais substituí-la. É uma ferramenta importante para assegurar a universalidade e integralidade do sistema de saúde e tem que ser implementada com embasamento técnico, ao seu tempo, e de forma bastante precisa e equilibrada

Tabu com saúde mental é coisa do passado - Psicoterapia online surge como solução

Milene Rosenthal

Quando o assunto é saúde mental, diversos tabus surgem na mente de quase toda a população, porém o preconceito não deveria ser o primeiro pensamento e sim o interesse pelo cuidado. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), até 2020 a ansiedade será o principal motivo de afastamento do emprego no mundo. Aqui no Brasil essa realidade, infelizmente, não está distante, segundo pesquisa somos o país líder do mundo no número de pessoas com transtorno de ansiedade, registrando 9,3% da população diagnosticada.

Alguns fatores encontrados na rotina do ser humano influenciam no aumento de ansiedade ou no desenvolvimento em problemas mentais, sejam eles por falta de emprego, traumas de infância, insegurança no trabalho ou relacionamentos. Mesmo que seja um clichê, estar de bem com a vida é um dos pilares mais importantes para o desenvolvimento humano, e se você pensar em estar bem consigo mesmo lembre-se que é necessário estar com a saúde mental em dia.

O cuidado com a saúde mental vai além de estar ou não doente, pois é necessário um equilíbrio mental, social e físico. Com a saúde mental em dia as habilidades profissionais e pessoais estarão equilibradas, você terá autoconhecimento e se sentirá seguro para executar ações e tomar decisões corretas na vida, atingindo os objetivos.

Devido aos tabus em relação à saúde mental, algumas ações e inovações vem surgindo no mercado de psicologia brasileiro. Desde 2012, as orientações on-line são permitidas, porém somente em novembro do ano passado as portas foram abertas por meio da nova resolução do Conselho Federal de Psicologia, permitindo que os atendimentos fossem feitos a longa distância e sem restrição no número de atendimentos ou no tema central da consulta.

Pensando no bem-estar do paciente e com o intuito de auxiliá-lo da melhor forma, os atendimentos são feitos dentro do período padrão de 50 minutos, com horários flexíveis e maior possibilidade de escolha do profissional que irá orientar. Como forma de segurança, todo o atendimento é criptografado e ao final da consulta ele não fica salvo. Desta forma, o sigilo entre paciente e psicólogo continua o mesmo que em uma consulta presencial.

Além da segurança no atendimento, as empresas sérias e certificadas pelo CFP, estão cada vez mais preocupadas com os profissionais que fazem parte da equipe, antes de representarem a empresa, todos os profissionais passam por uma rigorosa seleção com análise de currículo, entrevista e testes.

Superando os desafios e os preconceitos, a psicoterapia vem ganhando destaque como ferramenta para o desenvolvimento e cuidado do autoconhecimento, pois possibilita a escolha do profissional de acordo com a necessidade do paciente e horário mais adequado. A ideia é que mesmo com a vida corrida, a psicoterapia on-line possa ser uma aliada para a resolução dos problemas em saúde mental, prevenindo futuras doenças e estabilizando a forma de lidar com os problemas, por meio de ajuda profissional qualificada através da tela de um computador ou do celular, quando e onde se sentir mais confortável.

Aos poucos podemos notar como a tecnologia vem beneficiando e revolucionando o mercado de saúde no Brasil. As novas plataformas surgem como oportunidade de atendimento on-line de forma ética e segura, permitindo credibilidade e confiança para o paciente. Pense nisso e se cuide!

Sobre a autora

Milene Rosenhtal é co-fundadora da TelaVita, marketplace de saúde que conecta profissionais da psicologia a pacientes e psicóloga especializada em Terapia Cognitiva com certificações em Cybercounsellor pela Universidade de Toronto.

Sobre a TelaVita

Sob o conceito de Telesaúde, a TelaVita é um marketplace de saúde que tem por objetivo conectar profissionais da psicologia brasileira a pacientes de todo país, por meio de uma tecnologia robusta, ágil e segura. Todo o processo de escolha, agendamento e atendimento de sessão é realizado em ambiente digital, com as devidas autorizações do Conselho Federal de Psicologia, Conselho Regional de Psicologia de São Paulo e Conselho de Ética Profissional do Psicólogo.

Primeiro transplante duplo de coração e rim de Santa Catarina é realizado com sucesso em Blumenau

transplanta-duplo-SC

Procedimento, que garantiu um recomeço para mulher de 35 anos, aconteceu no Hospital Santa Isabel, referência em procedimentos do tipo no estado

No último domingo, 15 de setembro de 2019, uma paciente de 35 anos do Hospital Santa Isabel (HSI), de Blumenau (SC), ganhou um duplo recomeço: ela recebeu um novo coração e um novo rim na mesma cirurgia. Esse foi o primeiro transplante duplo de coração e rim realizado na história do estado de Santa Catarina. O procedimento inédito foi possível graças à solidariedade de uma família, que pensou no próximo mesmo em um momento de grande dor, e possibilitou que três pessoas recebessem os órgãos. Além do duplo transplante, mais dois receptores receberam pâncreas, rim e fígado. Os três pacientes seguem internados no HSI, em recuperação.

O transplante cardíaco é raro, porque o coração tem sobrevida de apenas quatro horas fora do corpo, o que requer uma ação rápida das equipes de transporte e cirurgia. Na data da operação, a Central Estadual de Transplantes de Santa Catarina (SC Transplantes) mobilizou equipes do Hospital Santa Isabel, do SAMU e até do Corpo de Bombeiros. A Corporação disponibilizou aeronaves que transportaram, de Florianópolis para Blumenau, todo o material necessário para o procedimento e o teste de compatibilidade dos órgãos.

Este é o quinto transplante de coração realizado no Hospital Santa Isabel neste ano. O recorde de procedimentos do tipo na Instituição é de oito transplantes, realizados em 2016 e 2018.

Mais marcas expressivas

Do início do ano de 2019 até o momento, Santa Catarina tem alcançado muitas conquistas em relação aos transplantes de órgãos. No mês de julho, a SC Transplantes registrou recorde na doação de órgãos, com 34 notificações, além do melhor desempenho já registrado em um mês de fevereiro em 20 anos, com 24 doações. Esta semana, o Governo do Estado sancionou uma lei que faz de Blumenau a “Capital Catarinense de Transplantes de Órgãos”, medida que tem como objetivo reconhecer o volume e a qualidade dos procedimentos realizados no município.

Em 27 de setembro se celebra o Dia Nacional da Doação de Órgãos, e durante todo o mês, chamado de Setembro Verde, entidades de saúde buscam conscientizar a sociedade sobre a importância da doação e fazer com que o assunto seja debatido mais abertamente entre famílias e grupos de amigos. Neste ano, o percentual de famílias que não autorizam a doação em Santa Catarina caiu para 27,4%. A meta do Estado é chegar ao índice de 10% de rejeição.

Um dos principais motivos é a incompreensão da morte encefálica por parte da família. O papel dos profissionais do hospital, como o Santa Isabel, é acolher os familiares e fazê-los entender todo o processo de notificação em um período tão curto e de tanto sofrimento. O ideal é que, em vida, a pessoa já deixe família e amigos avisados de que é um doador, e pretende realizar esse ato nobre. A morte encefálica é o tipo de óbito que possibilita a doação de forma mais ampla, já que órgãos vitais como rins, coração, pulmão e intestino, e tecidos, como córneas, ossos, tendões e pele, permanecem aptos para serem transplantados para outra pessoa quando o cérebro do indivíduo deixa de funcionar.

Sobre o Hospital Santa Isabel (HSI)

A história deste que é um dos maiores hospitais de Santa Catarina está ligada à chegada das primeiras Irmãs da Divina Providência ao Brasil, em 1895, que praticavam enfermagem ambulante em toda a região. Com o tempo, o aumento do número de pacientes e o apoio logístico da sociedade blumenauense, nascia oficialmente, em 4 de outubro de 1909, o Hospital Santa Isabel. Desde 2015, essa filosofia é levada adiante pela administração da Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC). Hoje, o HSI conta com uma equipe formada por aproximadamente 1.200 colaboradores e 370 médicos, mais de 260 leitos, sendo 10 na UTI Coronariana e 20 na UTI Geral, e atende 44 especialidades médicas em uma área de mais de 28 mil metros quadrados. Sua intensa vocação à Alta Complexidade o torna referência em especialidades como Implante de Marca Passo, Hemodinâmica, Radioterapia, Neurologia Clínica e Neurocirurgia. O Santa Isabel também é reconhecido como o melhor hospital transplantador de Santa Catarina, estando entre os cinco principais hospitais que realizam transplantes de fígado no Brasil. Por todos esses números, o Santa Isabel é referência para aproximadamente 90 municípios catarinenses, além de pacientes oriundos de outros locais do país. Com uma média geral de 15 mil internações por ano, mantém um percentual em torno de 70% de seus atendimentos no Serviço de Emergência pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Sobre a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC)

Com mais de 120 anos de atuação no Brasil, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) é responsável pela administração de 22 entidades em três segmentos de atuação: Educação, Saúde e Assistência Social. A ACSC criou um modelo de gestão autossustentável onde todo superávit gerado por nossos negócios é aplicado integralmente em nossas obras, nos três segmentos, a fim de executar dignamente suas atividades e acolher e cuidar do ser humano em todo o ciclo da vida. Ao todo, são cerca de 14 mil colaboradores distribuídos em diversas instituições de saúde, mantendo inúmeros estabelecimentos de ensino e acolhendo crianças, adultos e idosos em espaços assistenciais, com atendimento humanizado e serviços de qualidade para milhares de pessoas em seis estados brasileiros (Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Santa Catarina e São Paulo). Atualmente, na área de educação, as instituições da ACSC oferecem ensino de qualidade a 4.934 alunos, com 1.005 deles contemplados com bolsas integrais assistenciais. As entidades de saúde realizam anualmente 111 mil internações, 558 mil atendimentos de urgência e emergência, 2 milhões e 40 mil atendimentos ambulatoriais, 4 milhões e 913 mil exames, sendo 73,7% dos atendimentos destinados aos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

eCare lançará modelo de franquia de clinicas no Congresso Brasileiro de Psiquiatria 2019

MBA_GESTAO_SERVICOS_SAUDE-website-Cursos-825x360px

O Congresso Brasileiro de Psiquiatria (CBP) - mais tradicional congresso de psiquiatria da América Latina - acontecerá de 09 a 12 de outubro de 2019, no Rio de Janeiro.  Todos os anos, milhares de pessoas, vindas do mundo inteiro, participam de mais de 300 horas de atividades científicas divididas em 4 dias que o congresso disponibiliza. Sempre atenta e acompanhando tudo que tem de mais novo e inovador no mercado da psiquiatria, a eCare - empresa que oferece a sociedade acesso rápido e de qualidade na saúde mental, confirma presença no evento.

De acordo com Paulo Vaz, sócio da eCare, o CBP foi escolhido como principal investimento e grande oportunidade para lançamento do modelo de franquia de clinicas eCare Life. “Entendemos que é o principal evento de psiquiatria do país e estamos em busca de oferecer para a população uma psiquiatria acessível, acolhedora e resolutiva. Acreditamos que uma rede nacional integrada de atendimento ambulatorial pode oferecer uma experiência padrão ao paciente melhorando seus cuidados e ajudando os psiquiatras brasileiros a fazer aquilo de que mais gostam: cuidar de pessoas”, afirma Paulo Vaz.

Com modelo de franquia, a estimativa é atender em média 3 mil pessoas por mês em cada unidade. A eCare Life, rede de clínicas de atendimento psicológico e psiquiátrico, abrirá sua primeira franquia em São Bernardo do Campo, marcando o início de um projeto de expansão para todo o Brasil. A primeira unidade será inaugurada nesse mês, e a empresa espera ter cerca de 30 novas unidades até o final de 2020 em regiões como Guarulhos, São José dos Campos, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, Salvador, Campinas Niterói, Belo Horizonte, Natal e Curitiba.

A comercialização das franquias se dará em três formados, que variam de acordo com o número de consultórios, entre quatro e nove salas. Cada unidade terá de 6 a 9 médicos especialistas, além dos colaboradores de apoio para os atendimentos, chegando a atender entre 2000 a 4000 pessoas por mês em formatos particulares e por convênios.

Atualmente o Brasil é o primeiro país no ranking global de ansiedade. Essa ansiedade afeta os colaboradores nas suas entregas e automaticamente impacta no bom desenvolvimento até das empresas. Estima-se que é gasto cerca de 1 trilhão de dólares por ano com tratamentos mentais no Brasil.

A eCare sabe a importância da classe médica na margem das discussões de saúde mental no mundo e por isso levará ao Congresso Brasileiro de Psiquiatria um time de especialistas como, psicólogos e psiquiatras, além dos sócios da empresa. O principal objetivo é disponibilizar ferramentas para que o psiquiatra assuma um papel protagonista no enfrentamento das doenças mentais.

“Estamos vivendo um momento em que pede ações de coragem e investimento para enfrentamento das questões relacionada a saúde da população em geral, nós entendemos isso e estamos investindo muito recurso e energia para transformar a atenção ambulatorial primaria na psiquiatria e na psicoterapia. Hoje, como principais parceiros de um dos maiores grupos seguradores do país, a SulAmérica, já entregamos um sofisticado modelo de cuidado integrado que garantirá uma atenção ainda mais efetiva e resolutiva”, finaliza Vaz.

O paciente da eCare life nunca “fica perdido na rede”! Garantir que ele tenha adesão ao tratamento é a meta prioritária da empresa. Com uso intensivo de tecnologia, a eCare garante que o paciente esteja na presença do médico e do psicólogo na frequência e duração necessários para seu pleno tratamento.

Sobre a eCare

Grupo focado em ajudar pessoas e empresas a melhorar os cuidados com a saúde mental. É formado por dois segmentos:

eCare Life: com mais de vinte anos de atuação em atendimento ambulatorial, psiquiatria e psicologia, com 8 clínicas próprias em São Paulo que atendem cerca de 200 mil pacientes por ano;

eCare Corporate: focada na saúde mental dentro do ambiente corporativo, é uma ferramenta que oferece às empresas soluções para identificar e tratar problemas de seus colaboradores.

Somos hoje mais de 100 indivíduos dedicados a cuidar da sua saúde mental. Realizamos 18.000 consultas mês; cerca de 3,4 pacientes consultas ano em média; temos 78% de conversão de agendamentos em consulta.

Sírio-Libanês fecha colaboração com Johns Hopkins Medicine Internacional no Dia de Segurança do Paciente

Sírio-Libanês fecha colaboração com Johns Hopkins Medicine Internacional no Dia de Segurança do Paciente

Colaboração envolverá projetos nas áreas de qualidade e segurança do paciente e foi oficializada em cerimônia de assinatura no dia 17 de setembro, em São Paulo

Para celebrar o Dia Internacional de Segurança do Paciente, 17 de setembro, o Hospital Sírio-Libanês firmou uma colaboração com a Johns Hopkins Medicine Internacional de colaboração em projetos de qualidade e segurança do paciente. Esta instituição é referência mundial na missão de melhoria de processos a fim de garantir o cuidado do paciente para o alcance de um desfecho clínico favorável. Por sua vez, o Hospital Sírio-Libanês trabalha com padrões internacionais de qualidade e promove melhorias contínuas em ações que garantam a segurança e qualidade na prestação do cuidado, operação reconhecida por meio da acreditação do Joint Commission International (JCI). “O trabalho das duas instituições abrirá novas oportunidades de atuação na área, fomentando a colaboração entre especialistas a fim de oferecer mais para seus pacientes”, explica Dr. José Mauro Vieira Jr., diretor do Instituto de Qualidade e Segurança do Hospital Sírio-Libanês.

Por meio da colaboração, a equipe de profissionais da área de segurança e qualidade do Hospital Sírio-Libanês será treinada por especialistas da Johns Hopkins Medicine. Haverá também a participação ativa e presencial da equipe internacional nas reuniões de projetos realizadas em São Paulo e Brasília, localidades das unidades hospitalares do Sírio-Libanês.  Bem como a visita dos profissionais brasileiros à sede da instituição, em Baltimore, no estado de Maryland (EUA). “Trabalhamos com a melhoria contínua dos nossos processos de qualidade e segurança, e esperamos alcançar padrões ainda melhores com essa colaboração”, diz Dr. Jean Carlo Rodriguez Pegas, gerente médico de qualidade e segurança do Hospital Sírio-Libanês.

Para celebrar a colaboração, foi realizado no dia 17 de setembro, no Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa, em São Paulo, um evento com atividades sobre o tema para a assinatura da colaboração entre as instituições, com presença dos dirigentes do Hospital Sírio-Libanês e do Johns Hopkins Medicine Internacional. Estavam presentes as representantes da Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês Dona Marta Kehdi Schahin, Dona Maria Angela Atallah e Dona Georgia Abdalla Hannud. Por parte da Johns Hopkins Medicine Internacional estarão presentes a diretora-executiva, Irma Purisch, e o vice-presidente executivo, Mohan Chellappa.

Sobre o Sírio-Libanês

A Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio-Libanês, instituição filantrópica fundada em 1921, trabalha diariamente para oferecer e compartilhar com a sociedade uma assistência médico-hospitalar de excelência, sempre com um olhar humanizado e individualizado em mais de 60 especialidades. Desenvolve também atividades de ensino e pesquisa e executa projetos que consolidam sua responsabilidade social genuína. O Sírio-Libanês mantém o compromisso assumido há quase 100 anos por sua fundadora e realiza iniciativas sociais em quatro pilares: Integração com a Comunidade, Ambulatórios, Instituto Sírio-Libanês de Responsabilidade Social e Projetos de Apoio ao SUS. O Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa promove cursos de atualização, pós-graduação, pesquisas e estudos, disseminando conhecimento e boas práticas para a sociedade em geral. A instituição foi pioneira na criação do programa Sírio-Libanês Saúde Corporativa, que une empresas, operadoras e medicina no cuidado qualificado e acompanhamento da saúde. O serviço é voltado para organizações de diversos setores e atende mais de 120 mil vidas, ajudando na gestão do benefício do plano de saúde e melhorando a qualidade de vida e produtividade de profissionais. Atualmente, o Sírio-Libanês está presente com unidades físicas em São Paulo e Brasília.

Hospital São Vicente de Paulo investe na realização de transplantes de órgãos

Fachada HSVP 4 - Foto de Andre Telles

A cor verde representa esperança. E esse é o sentimento que sustenta os pacientes e familiares de quem aguarda por um transplante de órgão ou tecidos. No mês comemorativo do Dia Nacional de Doação de Órgãos (27 de setembro), conhecido como ‘Setembro Verde’, o Hospital São Vicente de Paulo (HSVP), no Rio de Janeiro, abre mais uma porta para a realização deste tipo de procedimento no Rio de Janeiro. A instituição reativou o serviço de transplante de córnea e passará, em breve, a oferecer transplantes de figado no recém-inaugurado Centro Hepatobiliar.

“Em todo o mundo, o potencial de salvar vidas por meio de transplantes está atrelado à cultura de doação de órgãos e ao envolvimento dos profissionais de saúde com esse tema, especialmente das equipes que atuam em emergências e unidades de terapia intensiva. Aqui no Brasil, existem pacientes que estão aguardando há três ou quatro anos por um órgão. Por isso, é tão necessária a conscientização da população sobre a importância da doação”, comenta o gastrocirurgião Douglas Bastos, coordenador do Centro Hepatobiliar e do Programa de Transplantes de Fígado do HSVP.

Alta complexidade

O Rio de Janeiro realiza cerca de 250 a 300 transplantes de figado anualmente, o que coloca o estado entre os quatro que mais fazem o procedimento no país. Bastos acredita que a oferta do serviço no HSVP representa uma importante opção aos pacientes que necessitam da cirurgia, especialmente pela qualidade assistencial que o hospital oferece. “O transplante de fígado demanda uma estrutura hospitalar de alta complexidade e o HSVP é reconhecido pela sua excelência nesses tipos de procedimentos”, avalia o médico. Futuramente, o HSVP também pretende investir no transplante hepático intervivos, que permite a retirada de uma parte do fígado de pessoas sadias para transplantar em quem precisa.

Habilitado desde 2006 para realizar transplante de córnea, o HSVP retomou o serviço no ano passado. “A doação de córnea tem dois diferenciais importantes. Não necessita compatibilidade sanguínea e pode ser realizada em até seis horas após o óbito. Com esses pontos a favor, seria esperada uma oferta muito grande de doadores e ausência de fila de espera pelo transplante. O problema é a falta de entendimento da população sobre a importância de doar e de campanhas de incentivo. É fundamental que um profissional capacitado aborde as famílias dos possíveis doadores para falar sobre o assunto e incentive-as a dar esse passo”, ressalta o coordenador do serviço de transplante de córnea do HSVP, o oftalmologista Tiago Bisol.

Tratamento do Câncer: Modelo brasileiro de acolhimento aliado à tecnologia de ponta recebe reconhecimento internacional

Tratamento do Câncer: Modelo brasileiro de acolhimento aliado à tecnologia de ponta recebe reconhecimento internacional

Grupo Oncoclínicas conquista premiação da Associação Internacional de Estudo do Câncer de Pulmão (IASLC) por excelência em atendimento humanizado promovido por unidade no Rio de Janeiro

Ao entrar na unidade do Grupo Oncoclínicas Botafogo, no Rio de Janeiro, o paciente percebe de imediato que está em um local diferenciado, que lhe proporcionará conforto mesmo em um momento difícil. Em linha com a nova filosofia de atendimento personalizado e a veloz mudança de paradigmas no tratamento do câncer, a clínica pratica condutas cada vez mais voltadas à perspectiva humanizada na forma de lidar com cada paciente, uma das estratégias prioritárias para vencer a doença.

Para começar, as equipes de cada um dos núcleos de atendimento são fixas, exclusivamente dedicadas aos grupos de pacientes de determinado tipo de tumor: dos funcionários da recepção ao médico oncologista que cuida individualmente do caso, passando pelo corpo multidisciplinar composto por profissionais como enfermeiros, nutricionista, psicólogo e farmacêutico. Na prática, esse modelo de supraespecialidades permite ao paciente contato próximo com os profissionais mais atualizados e dedicados à doença.

Cada parte da clínica foi pensada em detalhes. Além da humanização no atendimento e a tecnologia de ponta, houve uma preocupação com o conforto físico dos pacientes. O posicionamento dos consultórios e boxes – todos individuais – garante vistas para a Baía de Guanabara e a decoração segue a paleta de cores escolhida para cada núcleo.

“Toda a estrutura do Grupo Oncoclínicas Botafogo foi desenhada para ser amigável, sem o desconforto dos ambientes hospitalares”, afirma a médica oncologista Tatiane Montella, responsável técnica da unidade. “O ponto fundamental é a experiência pessoal. O paciente tem uma linha de tratamento individual, sabe o nome e a função de todo o time que vai atendê-lo. Damos ao paciente o que há de melhor naquela especialidade.”

Todo núcleo de acolhimento é identificado por uma cor: azul (pulmão), lilás (saúde feminina – mama e ginecologia), verde (tumores geniturinários, sarcoma e melanoma), amarelo (gastrointestinal, cabeça e pescoço e sistema nervoso central) ou bege (dermatologia).

No ambiente de mais de três mil metros quadrados, divididos em dois andares, há ainda uma sala flex, onde os pacientes podem expressar sua arte por meio de pinturas ou cuidar do corpo em aulas de ioga, já que as questões que vão além do tratamento medicamentoso também são valorizadas pelo Grupo Oncoclínicas.

Entre as tecnologias de ponta usadas no dia a dia na unidade estão o Vein Viewer, um aparelho que localiza as veias com maior facilidade, evitando danos à pele que já pode estar fragilizada, e a chamada Touca Inglesa, máquina de crioterapia capilar usada por pacientes para evitar ou minimizar a perda de cabelos que pode ser provocada em alguns casos por medicações quimioterápicas.

“Nosso maior diferencial é esse: juntar o que há de mais moderno em tecnologia com a humanização. Quando mais rica a experiência do paciente, melhores os resultados”, afirma o diretor científico do Grupo Oncoclínicas no Rio de Janeiro e presidente do Instituto Oncoclínicas, Dr. Carlos Gil Ferreira.

Reconhecimento internacional

Devido a este modelo de excelência em assistência humanizada aos pacientes, a Associação Internacional de Estudo do Câncer de Pulmão (International Association for the Study of Lung Cancer - IASLC ) acaba de conceder o prêmio de melhor time multidisciplinar da América Latina no segmento ao Grupo Oncoclínicas Botafogo. A premiação reconhece a qualidade dos cuidados oncológicos em todo o mundo e homenageia o trabalho conjunto de diversos profissionais responsáveis pelo atendimento ao paciente com câncer.

“É um orgulho enorme para nós, não só como Grupo Oncoclínicas, mas acredito que para Oncologia Torácica do Brasil como um todo, mostrando que o nosso nível de cuidado está muito próximo aos grandes centros mundiais”, diz Carlos Gil.

Para o oncologista, quanto mais se consegue selecionar o tratamento específico ideal por meio da medicina genômica de precisão, aliado ao atendimento personalizado e às novas tecnologias, mais assertivo ele será. “Se o diagnóstico precoce continua sendo o fator determinante para diminuir a mortalidade, estudos recentes provam que o entendimento das características particulares do tumor após a confirmação do câncer e o uso da genômica como ferramenta para a tomada de decisão sobre a terapêutica a ser adotada têm feito diferença fundamental para um prognóstico positivo”, explica.

O médico ainda acrescenta  que o ponto mais especial do projeto é ter informações de diversas fontes, não só do médico. “Muitos dos cuidados vêm da enfermeira, da farmacêutica, da nutricionista e da psicóloga que interagem com o paciente por mais tempo que o médico. Tem tecnologia, mas ela isolada não vai resolver. Se consigo transformar essa tecnologia em especialização de cuidado médico e de um grupo multidisciplinar, aí sim tenho um projeto de sucesso”, afirmou.

A conferência mundial anual da IASLC aconteceu de 7 a 10 de setembro, em Barcelona, na Espanha. Para escolher a equipe premiada, a IASLC conta com pesquisa e participação dos pacientes, encorajados a nomear uma equipe de atendimento multidisciplinar, a fim de mostrar a real importância da assistência oncológica integral.

Complementando esse conjunto de práticas e em linha com o que há de mais atual na oncologia, são aplicados em conjunto os cuidados de quimioterapia, oncogenética, medicina Integrativa e tratamentos paliativos - como a crioterapia capilar, na qual o Grupo Oncoclínicas ocupa posição de liderança, tendo introduzido essa prática no Brasil e conduzido pesquisas clínicas na área. Tudo isso como forma de oferecer bem-estar aos pacientes.

O evento premiou ainda individualmente a farmacêutica Gisele Fraga, integrante da equipe do Grupo Oncoclínicas, por seu trabalho “Programa de acompanhamento farmacêutico para pacientes com mutação driver em câncer de pulmão não pequenas células em um Sistema de Saúde Heterogêneo”.

SOBRE O GRUPO ONCOCLÍNICAS

Fundado em 2010, é o maior grupo especializado no tratamento do câncer na América Latina. Possui atuação em oncologia, radioterapia e hematologia em 11 estados brasileiros. Atualmente, conta com mais de 65 unidades entre clínicas e parcerias hospitalares, que oferecem tratamento individualizado, baseado em atualização científica, e com foco na segurança e o conforto do paciente.

Seu corpo clínico é composto por mais de 700 médicos, além das equipes multidisciplinares de apoio, que são responsáveis pelo cuidado integral dos pacientes. O Grupo Oncoclínicas conta ainda com parceira exclusiva no Brasil com o Dana-Farber Cancer Institute, um dos mais renomados centros de pesquisa e tratamento do câncer no mundo, afiliado a Harvard Medical School, em Boston, EUA.

Hospital BP é o primeiro do País a receber certificação

BP_gestao_integrada

O Hospital BP, um dos hospitais da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, acaba de receber a Certificação por Distinção do Programa de Gestão para Integridade de Serviços de Saúde, concedido pelo Instituto Qualisa de Gestão (IQG), uma das mais importantes acreditadoras de serviços de saúde da América Latina. O reconhecimento foi concedido após uma avaliação profunda do Programa de Integridade da BP e das práticas adotadas pelo Hospital BP em relação a ética e corrupção.

O hospital é o primeiro do País a receber a certificação, que é baseada no Health Services Anticorruption Management System (HSA), cuja certificação é concedida pela Health Standards Organization (HSO), importante instituição norte-americana de implementação de padrões de excelência na área da Saúde.

Lançado em 2018, o Programa de Integridade da BP foi criado com o objetivo de reunir todas as iniciativas da instituição que contribuam efetivamente para prevenir, detectar e responder desvios, fraudes, irregularidades, possíveis atos ilícitos e condutas antiéticas que envolvam colaboradores, médicos e outros públicos que se relacionam com a empresa. Ele é corporativo, isto é, abrange todas as unidades e serviços da BP, e foi elaborado de acordo com as melhores práticas observadas no mercado e tem aderência nas legislações às quais a organização está sujeita.

4ª Semana de Ética e Compliance da BP

A cerimônia de entrega da certificação ocorreu no dia 13 de setembro, no encerramento da 4ª Semana de Ética e Compliance da BP, tradicional evento da instituição, que anualmente organiza uma extensa programação para discutir com os diversos públicos internos temas importantes para o dia a dia do negócio. “A gente sabe que atuar eticamente é um exercício diário e temos diversas políticas e ferramentas que nos guiam nessa atuação cotidiana. Porém, é super relevante que a gente dedique um tempo da nossa agenda organizacional para estar junto com nossos colaboradores discutindo esses temas e dando a exata dimensão da importância que isso tem para a reputação e perpetuidade dessa casa”, explica Denise Santos, CEO da BP.

O Programa de Integridade da BP coloca a instituição dentre as mais preparadas para enfrentar as situações que envolvam o risco de alguma conduta indevida. “As diversas iniciativas que foram reunidas nesse robusto programa têm a participação de diversas áreas da BP. Portanto, a obtenção dessa certificação é um momento de muita alegria para todos nós e o coroamento de um intenso trabalho em equipe realizado pelos nossos profissionais”, conclui Florence Monteiro, diretora-executiva de Governança, Riscos e Compliance da BP.

FEMME anuncia abertura de unidade em Santana

Fachada Santana

Exclusivo no conceito de oferecer atendimento individualizado ao público feminino, o FEMME -Laboratório da Mulher anuncia o início da operação de mais uma unidade, agora no bairro de Santana, Zona Norte da capital paulista, no dia 17 de setembro.

Localizado em uma das avenidas mais importantes do bairro, Av. Braz Leme, o laboratório mantém o propósito de promover excelência no atendimento dedicado exclusivamente ao público feminino, ao mesmo tempo em que oferece qualidade e resolutividade médica na realização de exames.

A unidade terá o conceito full do laboratório, disponibilizando todos os exames laboratoriais e de análises clínicas, bem como exames de imagem como colposcopia, ressonância magnética, densitometria, mamografia e outros. Assim como as outras unidades do FEMME, as novas também oferecem áreas exclusivas para a realização de exames em gestantes onde, principalmente as salas para ultrassom são mais amplas podendo acomodar os pais, avós e demais pessoas que desejam acompanhar o crescimento do bebê junto com a futura mãe. Este é apenas um exemplo da dedicação do FEMME em garantir que as mulheres sejam acolhidas e tenham as melhores experiências nas unidades do laboratório.

A entrega dessa unidade faz parte do plano de expansão do FEMME para 2019, que já contabiliza a entrega de quatro unidades apenas no segundo semestre e que totalizam 8 unidades distribuídas em todas as regiões de São Paulo, inclusive na Grande São Paulo, com recém inaugurada unidade de Perdizes.

A unidade Santana segue o padrão implantado pela marca, contando com uma equipe altamente capacitada com referência em atendimento humanizado e equipamentos de última geração, enaltecendo ainda mais o proposito da marca, “Amor por ela”. Todo o atendimento é realizado de forma exclusiva e personalizada, podendo ser feito por meio dos convênios credenciados ou de forma particular.

Unidade Santana – FEMME – Laboratório da Mulher

Av. Braz Leme, 1732

Sobre o FEMME - Laboratório da Mulher

Sediado em São Paulo, o FEMME é líder em medicina diagnóstica nas áreas de Ginecologia e Obstetrícia. O laboratório possui sete unidades exclusivamente direcionadas à saúde da mulher, que realizam exames nas áreas de ginecologia, ultrassonografia, medicina fetal, mamografia, genética, anatomia patológica e análises clínicas.

As apostas do mercado de medicina diagnóstica

As apostas do mercado de medicina diagnóstica

Em tempos em que a prática da medicina é auxiliada, cada vez mais, pela tecnologia, contar com equipamentos de diagnóstico por imagem que tenham uma interação maior com sensores, câmeras e dispositivos robóticos não é mais uma realidade distante do cotidiano de médicos e pacientes.

Os algoritmos de Inteligência Artificial (IA), ramo da ciência da computação que se propõe a elaborar dispositivos que simulem a capacidade humana de raciocinar, perceber, tomar decisões e resolver problemas, por exemplo, já tem sido aplicado e muito bem explorado para auxiliar o diagnóstico em diversas modalidades da área médica.

Quando falamos de algoritmos de Inteligência Artificial, falamos de uma infinidade de possibilidades. Mais do que assistentes de voz encontrados em smartphones ou sugestões de rotas que atuam em aplicativos de trânsito e navegação, já tão conhecidos e utilizados pela maioria das pessoas, estamos falando de máquinas criadas para analisar dados e auxiliar na recomendação de tratamentos e diagnósticos de doenças.

Especialmente para o setor de medicina diagnóstica, o que vemos este ano como aposta no mercado são equipamentos de ultrassom, radiografia digital, tomografia computadorizada e ressonância magnética que utilizam diversos dados baseados em IA e formam um conglomerado de dispositivos com um objetivo que vai além da simples detecção de patologias. Tais equipamentos ampliam a assertividade das investigações médicas e as possibilidades de detecção precoce de doenças, além de tornar o fluxo de trabalho dos profissionais de saúde muito mais eficiente.

Para citar um exemplo, o mercado já possui equipamentos de ultrassom com softwares baseados em Inteligência Artificial para a análise mais precisa de lesões mamárias. Neste caso, o benefício é alcançado por meio de um sistema de geração de relatórios e dados de imagens mamárias que auxiliam os profissionais – e, consequentemente, os pacientes – na classificação de lesões mamárias suspeitas. O equipamento, complementado pela IA embarcada no produto, torna-se ferramenta útil para apoiar e orientar, inclusive, a análise de alterações nas glândulas por médicos não especializados em imagens desta parte do corpo ou, ainda, profissionais com pouca experiência.

No segmento de radiografia digital, o uso da IA ainda pode auxiliar na redução do sinal ósseo da imagem de radiografia do tórax, revelando claramente os tecidos pulmonares ocultos pelos ossos e melhorando a detecção de nódulos de câncer de pulmão. Aplicações que, mais uma vez, revelam um novo momento da medicina e ganhos para todos os envolvidos nessa cadeia, sejam médicos ou pacientes, que já percebem as vantagens do uso da tecnologia aplicada à saúde e ao bem-estar.

Este ano, e daqui em diante a aposta nesse tipo de ferramenta aumenta e chega a um momento decisivo para que a sociedade entenda e se aproprie dos inúmeros benefícios proporcionados a partir do uso dessa inteligência. As aplicações e soluções, que podem ser incorporadas ao dia a dia de clínicas e hospitais no Brasil, são parte de um caminho sem volta para elevação da assertividade dos procedimentos diagnósticos a um novo patamar. É a inteligência sendo utilizada ao nosso favor e tornando-se forte aliada nas tarefas rotineiras e desafios clínicos do setor médico, gerando informações de valor aos profissionais e pacientes, e com grande potencial de aumentar ainda mais esse protagonismo. A apropriação de tudo isso é vital para o progresso do segmento. Basta fazermos uso consciente, sempre prezando pela ética e humanização dos processos.

Sobre o autor

Walter Brandstetter, gerente clínico da divisão de HME da Samsung Brasil