5Ps da Medicina moderna dependem da interoperabilidade

Raimundo Nonato.png
Normalização de dados provenientes de sistemas heterogêneos é a saída para a continuidade no cuidado aos indivíduos com informações clínicas precisas

A construção de um repositório clínico unificado, que permita histórico do paciente consolidado, gerar Indicadores, alertas de riscos e gestão de saúde populacional, otimizar a prática da telemedicina, engajar o paciente e ainda estar em compliance com a LGPD são as premissas para que o país alcance o nível dos 5Ps da medicina moderna – preditiva, personalizada, preventiva, proativa e parceira. Essa foi a conclusão de Raimundo Nonato Cardoso, diretor da área de Saúde da InterSystems no Brasil durante sua palestra como keynote speaker do Intermodal Digital Series-Saúde.

Para Nonato, as instituições envolvidas com o cuidado da saúde devem adotar a estratégia de implantação de uma plataforma de dados que permita a interoperabilidade para que os 5Ps sejam possíveis. O primeiro desafio para a evolução nos cuidados é receber, tratar e armazenar os dados dispersos em diversos padrões tecnológicos e sistemas especializados. Depois da normalização dos dados, as informações clínicas devem estar armazenadas em um único repositório para a continuidade do cuidado. "É com esse método que todas as instituições terão a possibilidade de reunir, compartilhar, interpretar dados estruturados e não estruturados e utilizar as diferentes informações de um mesmo paciente. Com ajuda do conceito Healthy Clean Data, temos acesso direto à fonte fidedigna de ampla base de dados clínicos e demográficos para extrair inteligência e informações", explica Nonato.

De acordo com Nonato, a partir do uso das informações com inteligência e ajuda da tecnologia na inteligência artificial, pode-se ter uma visão integral de assistência à saúde, além de mais segura e eficiência nas condutas clínicas eficazes, com redução de custos e riscos aos pacientes. "Quando atingimos o quinto 'P', o médico deixa de ser a única autoridade e os dados gerados pelo especialista, com o apoio da tecnologia, vão fazer com que ele e seu paciente aprendam e caminhem juntos rumo à criação e à manutenção da saúde." O diretor completa com a opinião que é primordial participação do paciente, dos familiares e dos cuidadores nesse processo.

Antes desse quinto "P", há uma observação importante. "Na Medicina moderna, o paciente é protagonista de sua própria saúde, pois conta com dispositivos e aplicativos que lhe permitem medir dados de atividade física, sono, frequência cardíaca e outras métricas. Portanto, nosso objetivo nos cuidados é não esperar mais que o paciente ficar doente para atuar, mas procurar tendências e fatores de risco – nem todos aparentes – com o intuito de prevenir e tratar precocemente enfermidades", explica Nonato, reafirmando a melhoria da qualidade de atendimento e a necessidade de integração do indivíduo aos seus cuidados.

Experiência - Promovido pela Informa Markets e com apoio do tradicional evento Hospitalar, Digital Series-Saúde contou em sua programação com a participação de painelistas experientes no setor, que discutiram sobre os temas "O potencial da last mile para a distribuição interna", "Os 5Ps da Medicina moderna", "Digitalização da cadeia de suprimentos e de compras" e "Transporte e distribuição de vacinas e medicamentos na pandemia". A proposta do evento é propor ideias relativas ao transporte e distribuição de medicamentos, insumos, vacinas, trazendo como pano de fundo o cenário atual da Pandemia e seus principais impactos na cadeia logística dos principais prestadores de serviços de saúde.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar