faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Como os dados vão ajudar as empresas em meio à crise da covid-19

Emilia_Bertolli_Intelligenzia_ClienteSA

Para Emília Bertolli, CEO da Intelligenzia, momento é de amadurecimento do marketing B2B - e de sua virada em direção ao digital

Como as agências de marketing B2B podem crescer mesmo em um momento de crise? Essa foi uma das perguntas colocadas durante o webinar "Marketing em meio ao covid-19", organizado pela Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo na última quinta-feira (30). Para Emília Bertolli, CEO das Intelligenzia, a resposta está nos dados.

"As agências precisam assumir um papel técnico e estratégico para os clientes. Hoje o trabalho do marketing não é mais apenas produzir conteúdo, mas entender o funcionamento de toda uma engrenagem de algoritmos, posicionamento, anúncios, posts, etc.", disse ela.

"Nunca tivemos tanta capacidade de mensurar dados objetivamente - e isso é um bônus e um ônus ao mesmo tempo", completou.

O bônus, segundo ela, está justamente na possibilidade de reunir, analisar e tomar decisões a partir de um volume gigantesco de dados disponíveis aos profissionais de marketing. O ônus, por sua vez, é o desafio de navegar em um ambiente cada vez mais técnico, em que a demanda não está mais somente na criação de conteúdo.

Além de Emília Bertolli, participaram do webinar da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo dois gerentes de marketing de multinacionais alemãs com operações no país: Luciana Viudes, da Voith, e Vinícius Lopardo, da ifm eletronic.

Para a CEO da Intelligenzia, a crise do novo coronavírus fez com que muitas empresas acelerassem seus projetos de marketing digital ou que se virassem para esse tipo de estratégia. Ela também apontou que o momento pode ser de amadurecimento para as agências do setor.

"O mercado precisa ter mais foco em dados, o que significa pensar em gestores para além do operacional, mas que olhem para os negócios de maneira estratégica. Há cada mais vez mais dados para se analisar e ferramentas que, por sua vez, apresentam novas possibilidades de mensuração. O papel da agência e gerenciá-los e ajudar seus clientes a tomar as melhores decisões", afirmou.

Esse caminho, segundo Emília, pode até fazer com que o marketing lidere processos dentro de suas empresas, como a transformação digital - hoje nas mãos do Recursos Humanos e da Tecnologia da Informação.