faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

O sucesso das empresas será cada vez mais definido pelos dados

Demanda por decisões comerciais orientadas por dados vale para qualquer indústria, seja varejo, biotecnologia, hospedagem, mídia, e por aí vai

O que o líder de uma empresa que fatura US$ 150 bilhões por ano pensa sobre os negócios, a tecnologia e o papel do CIO. Se alguém está tentando lhe vender a ideia de que o papel do CIO, da organização de TI ou dos profissionais de tecnologia não são relevantes, é importante ser confrontado pela visão do CEO da GE, Jeffrey Immelt.

O portal InformationWeek EUA, parceiro de conteúdo da IT Mídia, acompanhou uma conferência sobre Plataformas Inteligentes da GE, na qual Immelt falava a uma audiência formada por líderes de TI, com intuito de vender os softwares da companhia.

VEJA MAIS

Três maneiras de melhorar a saúde dos funcionários com analytics

Business Intelligence ou Analytics para avaliação de desempenho em saúde

Dispositivos vestíveis e analytics são armas contra Parkinson

Aqui estão três pontos a serem compartilhados:

1. Perspectiva econômica: encontrar seus próprios caminhos

As previsões econômicas de Immelt em uma frase: "Eu gostaria de aprender a amar o mundo em que estamos hoje, porque vamos viver nele por algum tempo." Esse mundo é caracterizado pelo crescimento econômico relativamente lento a nível mundial, com uma tonelada de volatilidade.

Os EUA estão em sua melhor forma desde a crise financeira, disse ele. A China está crescendo, mas as oportunidades existem: "uma história micro versus uma macro". Países com foco em recursos naturais ainda estão investindo, e há regiões de alto crescimento em todo o mundo, mas a Europa e o Japão ainda estão lentos.

No geral, as empresas devem "fazer o seu próprio crescimento e controlar os riscos", mas há inúmeras oportunidades para quem consegue fazer isso, afirmou.

2. O papel do CIO: ensine os líderes empresariais a amar analytics

"Todos os nossos líderes estão se tornando o mais especialista possível em analytics", comentou Immelt.

Ele descreveu o papel central do CIO na obtenção de líderes de negócio para ampliar a aplicação de analytics, mas também a necessidade das empresas trazerem novos conhecimentos tecnológicos.

“Em muitos casos, isso tem que ser liderado pelo CIO, mas também por pessoas de dentro e fora da sua companhia. Nós fizemos isso. Trouxemos pessoas de outras empresas, como Oracle e Cisco, para a GE porque sabemos que não conseguiríamos chegar sozinhos aonde queríamos. A transformação cultural e a transformação dos talentos da sua empresa são pontos completamente críticos”, pontuou.

Duas outras observações compartilhadas pelo executivo sobre o papel do CIO da GE chamaram atenção. Ele está incentivando os próprios CIOs a adotarem uma abordagem dentro de "uma maior padronização em nome da flexibilidade", usando o exemplo de redução de 600 ERPs para 34 na GE (o interessante é que um CEO sabe desses números).

Além disso, Immelt tem hoje um CIO na liderança do que a GE chama de "fábrica do futuro", iniciativa que envolve maior automatização, novas técnicas de fabricação e uma rede de equipamentos de produção repleta de sensores para que os gestores possam analisar melhor suas operações e evitem falhas.

3. Três grandes apostas estratégicas da GE

"Para que sejamos bem-sucedidos, temos que investir em grandes temas", destacou Immelt.

A primeira grande aposta da GE está em uma "transição energética", impulsionada particularmente pelo “boom” do gás natural na América do Norte e no mundo.

A segunda aposta é a manufatura avançada: "Nós pensamos que a natureza da fabricação está mudando dramaticamente", observou. Ferramentas de automação melhoradas, impressão 3D, novos materiais e a importância crescente de dados analíticos que vêm do chão de fábrica e da cadeia de suprimentos significam que produzir coisas está cada vez mais dependente de TI.

A terceira é a Internet Industrial, termo utilizado pela GE para a aplicação da Internet das Coisas em sua engrenagem industrial, equipamentos médicos e eletrodomésticos.

O foco de Immelt está nas indústrias para as quais a GE vende seus produtos, mas a demanda por decisões comerciais orientadas por dados vale para qualquer indústria, seja varejo, biotecnologia, hospedagem, mídia, e por aí vai. O discurso do líder da GE pode ser um discurso de vendas, mas serve para empresas pensarem sobre os investimentos em TI a partir dessa perspectiva: "Acredito que quem usar esses dados da melhor forma é o que vai determinar, cada vez mais, quem será bem-sucedido no século 21".

Fonte: InformationWeek EUA | Chris Murphy; replicado pelo IT Forum 365 

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar