faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Bebês reagem à voz materna quando emitida através da vagina a partir da 16a semana de gravidez

MAASTRICHT, Holanda, 15 de junho de 2016 /PRNewswire/ -- O feto move a boca de maneira exagerada quando ouve uma voz humana. Isso ocorre a partir da 16ª semana de gravidez (com um feto de 11 cm) e apenas quando a voz chega a ele através de um dispositivo intravaginal criado para esse fim. Essa foi uma das conclusões do estudo apresentado pelo Dr. Álex García-Faura, diretor científico do Institut Marquès, no 25º Congresso Europeu de Medicina Pré-Natal realizado em Maastricht (Holanda).

Para visualizar o comunicado de imprensa em multimídia, clique em: http://www.multivu.com/players/uk/7859951-institut-marques-babies-react-mother-voice/

De acordo com o estudo os bebês não ouvem praticamente nenhum ruído externo e apenas reagem aos sons que chegam até eles através da vagina, o que confirma que raramente ouvem vozes através do abdômen da mãe. Suas reações foram estudadas utilizando-se o Babypod®, um pequeno aparelho que é inserido na vagina como um tampão e conectado a um telefone móvel, permitindo que a voz da mãe ou de outra pessoa atinja o feto.

"Um feto reage com movimentos de vocalização quando recebe mensagens de voz através da vagina da mãe. A resposta é diferente quando emitimos música e isso porque a voz e a música ativam circuitos diferentes do cérebro: a música ativa os circuitos dos neurônios que desencadeiam emoções", disse Dr. García-Faura, que comparou as diversas reações através do uso de ultrassons transabdominais. Sendo assim, 70% dos fetos movem a boca quando se conversa com eles; ao ouvir música, eles fazem movimentos mais complexos que também incluem a protrusão da língua.

Esse estudo faz parte da linha de pesquisas inovadoras do Institut Marquès baseando-se nos benefícios da música no início da vida. Os achados referentes ao reconhecimento da voz materna propõe um novo desafio: "Os fetos respondem da mesma maneira a todas as vozes, o que leva a uma nova pergunta: saber se as centenas de bebês já estimulados durante a gravidez serão capazes de reconhecer as vozes dos pais se as ouviram no útero durante a gravidez e também descobrir se isso representa um estímulo para o desenvolvimento da linguagem e da comunicação", diz o especialista.

Além de possibilitar a comunicação com o feto, o Babypod® é seguro e oferece aplicações médicas altamente importantes: excluir a possibilidade de surdez fetal e facilitar ultrassons quando a produção de respostas no bebê melhora a visualização das estruturas fetais.

Para mais informações acesse o website: http://institutomarques.com/area-cientifica/musica-y-estimulacion-fetal/.

Informações adicionais: 
Web:
http://www.institutomarques.com
http://www.babypod.net

Facebook:
http://www.facebook.com/musicinbaby /
http://www.facebook.com/institutomarques/

Twitter: @_Babypod

Institut Marquès
Mireia Folguera
mireia.folguera@institutomarques.com
+34-93-285-82-16 / 649-901-494

Weber Shandwick
Rocío Bueno
rbueno@webershandwick.com
+34-91-745-86-64 

(Foto: http://photos.prnewswire.com/prnh/20160613/378315 )

FONTE Institute Marquès

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar