faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Comércio exterior de medicamentos sofre queda de 10%

shutterstock_373422979
Soma das importações com as exportações chegou a R$ 6,9 bilhões em maio, valor R$ 784 milhões inferior ao ano anterior

As exportações de medicamentos sofreram uma queda expressiva de 13,8% em apenas 12 meses, entre junho de 2015 e maio de 2016, passando de R$ 1,2 bilhão para R$ 1,0 bilhão. As importações diminuíram 9,4%, chegando a R$ 5,9 bilhões. Juntas, exportações e importações formam a corrente de comércio do setor, que registraram uma queda de 10,1% no ano passado.

Embora o déficit da balança comercial tenha reduzido em 8,4%, isso não tem sido interpretado pelo mercado de forma positiva. “Ele não diminuiu porque estamos exportando mais. Estamos exportando menos, mas como as importações também caíram, a diferença negativa da balança comercial diminuiu”, explica Antônio Britto, presidente-executivo da Interfarma (Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisa).

O desaquecimento de algumas economias mundo afora pode justificar o enfraquecimento das exportações, apesar do câmbio. “As mudanças no câmbio não favoreceram a exportação de medicamentos, seja pela dificuldade de portfólio do País, seja pela precariedade vivida por importantes mercados como Argentina e Venezuela”, afirma Britto. Já as importações continuam muito acima das exportações.

Uma solução de médio e longo prazo para reverter o déficit da balança comercial seriam os investimentos em pesquisa e desenvolvimento. “A inovação é o caminho para o mercado externo, mas para isso precisamos de um ambiente favorável à pesquisa clínica”, afirma Britto.

A aproximação entre universidade e indústria, bem como uma indústria mais disposta a assumir riscos com inovação e pesquisa são passos fundamentais para aumentar o interesse do mercado internacional no setor farmacêutico brasileiro. Contudo, o país enfrenta hoje muita morosidade para aprovação de pesquisas clínicas, o que dificulta o avanço do setor no país.

Evolução do comércio exterior brasileiro de 2012* a 2016* (US$ Bilhões) – Medicamentos

Fluxo | 2012* | 2013* | 2014* | 2015* | 2016*

Exportação | 1.244,78 | 1.283,66 | 1.340,72 | 1.247,22 | 1.075,40

Importação | 6.369,51 |6.493,23 |6.692,42 |6.514,76 |5.902,02

Corrente de Comércio | 7.614,29 | 7.776,88 |8.033,13 | 7.761,98 | 6.977,43

Saldo (déficit) | -5.124,73 | -5.209,57 | -5.351,70 | -5.267,54 | -4.826,62

Fluxo 2013* 2014* 2015* 2016*

Exportação 3,12% 4,45% -6,97% -13,78%

Importação 1,94% 3,07% -2,65% -9,41%

Corrente de Comércio 2,14% 3,30% -3,38% -10,11%

Saldo (déficit) 1,66% 2,73% -1,57% -8,37%

* 12 meses móveis até maio Fonte: Aliceweb/MDIC; Elaboração: Interfarma

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar