faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Se não tratada, a pericardite pode causar derrame no coração

Dados do Ministério da Saúde revelam que o Brasil está entre os 10 países com maior índice de mortes por doenças cardiovasculares. As enfermidades do coração são responsáveis por mais de 30% dos óbitos registrados, anualmente, em todo o país. A maior incidência está em homens com idade média de 65 anos.

Entre as principais cardiopatias está a pericardite, um processo inflamatório na camada que envolve o coração, o pericárdio. “Essa inflamação pode se desenvolver como doença primária ou secundária. Geralmente, se apresenta de forma benigna, porém pode levar ao derrame pericárdico, caso não seja tratada”, explica o cardiologista André Medina, do Hospital do Coração do Brasil, em Brasília.

As causas da doença são dividas em duas classes: as infecciosas e as não-infecciosas. “A pericardite pode se desenvolver pela ação de vírus ou bactérias, mas a infecção também pode ser fruto de outras patologias. Pessoas que sofreram infarto do miocárdio, doenças autoimunes, insuficiência renal e neoplasias estão no grupo de risco da enfermidade”, alerta o médico.

Dr. André ressalta que o diagnóstico da pericardite é complicado, pois os indícios da enfermidade podem levar a suspeita de outras patologias. “Os sintomas da pericardite são inespecíficos, o que dificulta o diagnóstico. Normalmente, o paciente apresenta síndrome febril, comprometimento das vias aéreas superiores, dor torácica ao respirar ou pela posição do tórax”, detalha.

Desta forma, a detecção da doença deve ser feita pela história clínica do paciente, pelo exame físico e, também, por exames complementares. “Alguns testes complementares, como radiografia do tórax, eletrocardiograma, ressonância magnética e exames laboratoriais, ajudam na detecção da patologia”, destaca o cardiologista.

O tratamento da pericardite depende da causa da doença. “Em casos de origem viral, o tratamento é feito basicamente por meio de anti-inflamatórios. Já em pacientes com outras causas, o método mais eficaz irá depender do fator que desencadeou a doença”, conclui Dr. André.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar