faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Ease Labs expande produção de medicamentos à base de cannabis no Brasil

Ease Labs.jpg
Empresa captará mais de R$ 50 mi neste semestre. A captação que já passa de R$ 16 mi está sendo destinada para produzir produtos para colocação em farmácias

Ease Labs, grupo multinacional com foco na cadeia de produção, desenvolvimento e distribuição de produtos legais à base da cannabis está com rodada de investimentos em aberto. O recurso captado até agora está sendo destinado para iniciar o processo de verticalização internacional da empresa e para a conclusão do desenvolvimento dos produtos que serão colocados em farmácias de todo Brasil.

Em 2019, o braço brasileiro do grupo adquiriu uma planta industrial focada na produção de medicamentos fitoterápicos. Em 2020, realizou obras de melhorias, com foco principal na produção e controles de qualidade e expansão da sua indústria preparando para atender a demanda de produtos de cannabis no Brasil, seguindo as regras da RDC 327 da Anvisa.

Em paralelo, a empresa uruguaia do grupo expandiu a venda dos produtos importados para o Brasil, produzidos em parceria com players relevantes localizados nos EUA e EU, conforme RDC 335 da Anvisa. As vendas subiram mais de 600% considerando o mesmo período do ano passado.

Agora, a empresa brasileira pretende finalizar a parte de desenvolvimento farmacotécnico dos seus produtos, preparar para o lançamento em larga escala e seguir com projetos de verticalização, visando assumir toda a cadeia produtiva desde à semente até o produto na prateleira.

Participaram da última rodada ALF Participações (findo de Venture Capital mineiro) e os acionistas antigos da empresa como a belorizontina, Impacto Hub, e a norte-americana, Alvarez e Marsal, (através do seu fundo de venture capital Next), que aumentaram suas participações.

Gustavo de Lima Palhares, CEO da Ease Labs, comenta sobre os novos movimentos do grupo. “Estamos avançando em diversos aspectos do nosso negócio simultaneamente, nos preparando para um crescimento exponencial, sempre respeitando os limites da regulamentação e legislação aplicável. Queremos ocupar uma grande lacuna existente no mercado mundial, que é a de medicamentos à base de cannabis registrados nos órgãos reguladores, com grau farmacêutico, que garantam segurança e eficácia, a um preço acessível”, comenta.

Segundo o CEO, a vertente estrangeira da Ease Labs também passa por expansão comercial, com um foco principal das exportações para o Brasil, “Estamos aproveitando a nossa crescente operação de importados no país para comunicarmos melhor com a classe médica. Estamos formando uma equipe de propagandistas especializados, de alto nível, que farão um trabalho essencial de trazer informações técnicas-cientificas para a classe médica, algo extremamente necessário para a evolução do mercado no brasil, além de iniciarmos a condução de ensaios clínicos”.

A ampliação abrange a entrada de produtos da Ease Labs em novos países. “Estamos entrando com produtos na Europa e na África, como forma de diversificar a geração de receita e preparar a marca para o território internacional. Os mesmos produtos comercializados serão registrados como medicamentos nesses países no médio-prazo”, afirma o executivo.

Próximos passos

Nos próximos meses, a Ease Labs internacional entrará com portfólio de dermocosméticos inovadores à base de CBD – substância medicinal extraída da cannabis. “A nova linha da empresa conta com creme corporal, hidratante umedecedor, creme de limpeza facial, creme rejuvenescedor e hidrante labial. Todos são produtos inéditos aqui e em outros países do mundo, com qualidade farmacêutica e registro na União Europeia”, comenta Gustavo.

Com o avanço dos investimentos, a Ease Labs destinará os recursos para a produção em larga escala no Brasil, o lançamento dos produtos que estão em fase de conclusão de desenvolvimento e início dos ensaios clínicos que devem ser apresentados, em paralelo às vendas, em no máximo 5 anos da publicação da RDC, conforme exigência da Anvisa. O diretor ainda explica que a expansão conta com atuação em Pesquisa e Desenvolvimento, para elaboração e aprimoramento de produtos inovadores e naturais.

“Em 2023, pretendemos fazer uma captação ainda maior, de no mínimo R$ 600 milhões. Estamos estudando a possibilidade de ser realizada por meio de um IPO na B3 ou em bolsas estrangeiras como a do Canadá, para suportar uma expansão internacional, visando uma verticalização completa e registro dos medicamentos em diversos países”, finaliza o CEO da Ease Labs.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar