faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Dentistas investem em economia compartilhada para reduzir custos durante a pandemia

dentista.jpg
Atendimentos em consultórios privados caem 62%, mostra pesquisa da Universidade Federal de Pelotas; Casal de dentistas se muda de João Pessoa para São Paulo durante a pandemia e encontra o coworking como solução para continuar atendendo

Agendas mais espaçadas para diminuir o contato entre pacientes, mudança nos protocolos de biossegurança com intensificação de higienização e incremento no uso de EPI’s (escudos faciais e jalecos descartáveis, pró pé, entre outros) é o novo normal em clínicas odontológicas de São Paulo. Dependendo da fase de atenção de cada cidade, somente atendimentos de urgência são permitidos. O combate ao coronavírus mudou a forma como os dentistas realizam seus atendimentos, mas mesmo assim, a classe não deixou de atender seus pacientes. Uma pesquisa feita pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) com 40 mil dentistas aponta que 82% dos profissionais não pararam seus atendimentos durante a pandemia.  

Porém, as mudanças e adaptações necessárias colaboraram para um cenário em que o custo de se manter um consultório fixo se tornou muito alto para alguns profissionais. Conforme uma pesquisa recente divulgada pelo Programa de Pós-Graduação em Odontologia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), a rede privada amargou uma redução de 62% dos atendimentos, enquanto na rede pública a queda chegou a 83,5%. Além do investimento em adaptações e EPIs, a queda no número de atendimentos e a consequente queda no faturamento foram decisivos para se buscar outras alternativas. A saída para muitos dentistas foi procurar por espaços compartilhados para manter os atendimentos pagando apenas pelo uso do consultório. 

Um balanço do coworking médico e odontológico OPT.DOC, mostra que de julho até dezembro, o número de profissionais que atenderam na unidade saltou de 6 para 55 dentistas. A procura pelo espaço também cresceu e o levantamento mostrou que de agosto a outubro o número de contatos feitos buscando por consultórios pay per use cresceu 608% no coworking. A OPT.DOC conta com 10 consultórios odontológicos totalmente equipados e com o trabalho de uma assistente de sala incluso para atender dentistas ao custo máximo de R$150 por hora. O coworking ainda oferece outros benefícios como Central de Raio-X própria, Fresadora para confecção de próteses em até uma hora, scanners digitais que agilizam o trabalho dos profissionais, além de recepção e atendentes humanizadas.  

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar