faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sitemap


Articles from 2003 In September


Oswaldo Cruz cria campanha para doação e captação de órgãos

Com o objetivo de conscientizar médicos, enfermeiros, pacientes, acompanhantes e visitantes sobre a importância da captação e doação de órgãos, o Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC) lançou ontem a campanha de incentivo, que leva as palavras-chave "Notifique, Doe", para a Semana Nacional de Captação e Doação de Órgãos. Apenas um em cada oito potenciais doadores no País estão notificados e só 25% destes converteram-se em doadores efetivos. Segundo a enfermeira Maria Celeste do Patrocínio de Almeida, coordenadora de Transplantes do hospital, existe nas instituições da saúde a obrigatoriedade em abordar a família, quando ocorre o óbito de um possível doador, e solicitar a doação.
Outra questão importante, é que os médicos estejam atentos às possibilidades de um transplante quando lidam com um paciente potencial doador.
A abertura oficial da "III Campanha de Conscientização para Doação e captação de Órgãos", contou com a presença da Diretoria do Hospital, médicos, colaboradores de todos segmentos, pacientes, visitantes e o Coral do Hospital, que fez uma apresentação. Logo após, o ator Celso Bernini, doou seu cachê para Campanha.

Hospital Pérola Byington promove Semana de Humanização

O hospital Pérola Byington, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, iniciou ontem a 1ª Semana de Humanização. A proposta do hospital é permitir que todos os funcionários recebam treinamento e participem ativamente do processo de humanização no atendimento. O objetivo do Programa de Humanização no Atendimento Hospitalar, promovido pela Secretaria, é estabelecer um vínculo de respeito e carinho entre os profissionais e os pacientes e seus familiares, elevando a qualidade do atendimento nas unidades de saúde. O programa tem modificado o atendimento aos pacientes de todo o Estado.
Durante a Semana de Humanização os servidores do Pérola Byington poderão participar de oficinas de trabalho, realizadas em diversos horários, para possibilitar que todos trabalhadores participem das atividades. No dia 3 de outubro, último dia do evento, serão apresentadas as conclusões para os diversos temas debatidos pelos grupos de trabalho.
O Hospital Pérola Byington fica na avenida Brigadeiro Luiz Antonio, 683 - Bela Vista, em São Paulo.

Brasil poderá vender equipamentos médicos a países da África e do Oriente Médio

A visita do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos países africanos em novembro próximo e ao Oriente Médio em dezembro poderá significar um reforço à indústria nacional de insumos e equipamentos para a área de saúde. A declaração foi dada ontem, no Rio de Janeiro, pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, que participou da abertura do 2o. Seminário Nacional sobre o Complexo Industrial da Saúde, promovido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), informa a Agência Brasil.
O ministro apontou a necessidade do compartilhamento de projetos entre os diversos órgãos do governo para evitar o paralelismo de iniciativas e permitir que o trabalho científico tenha de fato um efeito prático e receba recursos necessários. Furlan destacou dois projetos de apoio à exportação de equipamentos do setor médico-odontológico, dos quais o primeiro é implementado pelo ministério em parceria com a Associação de Fabricantes de Produtos Médico-Odontológicos, envolvendo 250 empresas, através, inclusive, de participação em missões comerciais do país ao exterior, como a ocorrida recentemente à Rússia.
Furlan revelou a existência de um grande desconhecimento no exterior sobre a capacidade brasileira de produção de equipamentos, e citou o caso de uma empresa do interior de São Paulo que, ao participar da missão à Rússia pôde vender centenas de um equipamento odontológico simplesmente pelo fato de ter tido a oportunidade de mostrar um bom produto, a preço competitivo.
Outro projeto de apoio à exportação do setor é o BHP-Brazilian Health Products, que está implementado com a Apex Brasil-Agencia de Promoção de Exportações, e que já apresentou efeito positivo de crescimento de 74,3% nas exportações, em 2002. Segundo relatou Luiz Fernando Furlan, o segmento de produção de equipamentos está adotando diversas metodologias para ter certificação internacional e poder penetrar mercados internacionais.

Trabalhos estudantis disputam o Prêmio Saúde Brasil

Está marcada para dia 19 de novembro, às 19h, no Museu de Arte Moderna em São Paulo, a grande festa de entrega do 3º Prêmio Saúde Brasil, promovido pela Aguilla Comunicação, com o apoio de renomadas instituições médicas do País. Os 72 trabalhos inscritos por estudantes de medicina de todos os Estados brasileiros, que desenvolveram e implantaram, na prática, trabalhos junto à comunidade, já estão em poder dos 14 membros da comissão julgadora, formada por especialistas em saúde e medicina. Em sua terceira edição, o Prêmio Saúde Brasil tem o objetivo de incentivar os estudantes de Medicina a produzirem projetos voltados para a melhoria da qualidade de vida e da saúde da comunidade. Trata-se de uma oportunidade para que os futuros médicos conheçam de perto a realidade da saúde brasileira e as reais necessidades da população.
Os trabalhos serão analisados de acordo com o impacto, a abrangência e a legitimidade da implementação do projeto na comunidade escolhida pelo estudante. Serão vencedores aqueles que conseguirem detectar as carências da população local e implantar uma ação que responda a essas carências de forma eficiente.
O vencedor será premiado com a quantia de R$14 mil; os segundo e terceiro colocados receberão, respectivamente, R$7 mil e R$4 mil. Todos os ganhadores receberão ainda um computador com impressora.
O 3º Prêmio Saúde Brasil é patrocinado pelas empresas farmacêuticas Apotex e Wyeth-Consumer ? Stresstabs e Dimetap ? e conta com o apoio institucional do DENEM (Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina), Rede Cultura, Instituto Ethos, Associação Paulista de Medicina e Associação Médica Brasileira.
Sobre a Aguilla
Há 15 anos, a Aguilla Produção e Comunicação atua no mercado brasileiro, desenvolvendo projetos nas áreas de saúde, educação e meio ambiente com foco na ética e na responsabilidade social. Por meio de seus projetos, busca multiplicar conhecimentos e orientar seu público em direção à melhoria da qualidade de vida. A Aguilla é responsável por trabalhos como, por exemplo, a série Saúde Brasil ? exibida há oito anos pela TV Cultura, a revista Saúde Brasil Comunidade e os programas Saúde na Escola e Médico Cidadão, além de contar com vários documentários, vídeos educativos, impressos e prêmios de estímulo, como o 1º Prêmio de Oncologia Novartis-Saúde Brasil e o Prêmio Saúde Brasil.

Conexão Médica transmite Reuniões Multidisciplinares de Mastologia

A programação da Conexão Médica inicia hoje a transmissão das Reuniões Internacionais Multidisciplinares de Mastologia. A iniciativa é fruto de uma parceria entre o canal, o Hospital Sírio Libanês e o Memorial Sloan-Kettering Cancer Center, de Nova Iorque. A primeira reunião acontece ao vivo das 7h30 às 9h, horário de Nova Iorque, das 8h30min às 10h, horário de Brasília, pelo Canal Eventos Especiais da TV IP Conexão Médica e faz parte da programação da Rede Brasileira de Combate ao Câncer. Para ampliar a troca de experiências dos médicos, as sessões terão tradução simultânea e serão abertas à interatividade.
O programa será realizado até janeiro de 2004, com uma reunião a cada mês. Uma videoconferência congrega os especialistas do Memorial Sloan- Kettering Cancer Center com a equipe de Oncologia do Hospital Sírio Libanês, coordenada pelo dr. José Luiz Bevilacqua. As discussões serão focadas nos casos colhidos pelo Departamento de Tumor de Mama do Memorial, coordenado pelo dr. Patrick Borgen.
A transmissão para todos os Estados do Brasil em mais de 120 instituições tem o objetivo de aproximar especialistas brasileiros e internacionais na luta contra o câncer de mama. De caráter multidisciplinar, o evento é dirigido para médicos e profissionais de saúde interessados em se atualizar nas novas técnicas de prevenção e tratamento do câncer de mama.

Hospital Evaldo Foz integrará o Campo Belo Medical Center

Uma parceria da Interclínicas com o Grupo Consplan - IMC coloca em prática o projeto do Campo Belo Medical Center, um empreendimento imobiliário voltado a serviços de saúde. O centro médico será integrado ao Hospital Evaldo Foz, de São Paulo, formando um complexo médico-odontológico hospitalar em um edifício de 17 andares que oferecerá Day Hospital, Laboratório de Análises, Centro de Diagnósticos por Imagem, Unidade Oncológica, Consultórios, Clínicas, lojas de apoio e 660 vagas rotativas por dia. Para o empreendimento, a Interclínicas e o Grupo IMC-Consplan investirão em conjunto cerca de R$ 30 milhões. A inauguração do Medical Center está prevista para 2005. O Hospital Evaldo Foz também passará por reformas, com uma ampliação de 130 para 200 leitos e o deslocamento do Serviço de Oncologia e o Day Clinic para andares do novo prédio.
Fundado pela Interclínicas em 1983, o Hospital Evaldo Foz caracteriza-se por forte investimento em tecnologia e na formação de equipes médicas e de enfermagem. Em 2000, o hospital passou por uma reformulação, aumentando a disponibilidade de leitos para pacientes que se submetem a cirurgias em diferentes especialidades. Atualmente o hospital tem 130 leitos, dos quais 11 destinam-se à UTI adulto e oito para as UTIs neonatal e pediátrica.

Satisfação do usuário de assistência domiciliar é tema de palestra

Quando o assunto é assitência domiciliar, o conceito de usuário precisa ser abordado a partir de uma visão ampla. As implicações dessa abordagem serão tratadas por Luiza Watanabe, presidente do Grupo Dal Ben Home Care, Pharma e Cultural, durante o 6º Simpósio Brasileiro de Assistência Domiciliar - Simbrad. O evento acontece de 13 a 15 de outubro, em São Paulo. Segundo Watanabe, o usuário não é só o paciente e sua família, mas também a equipe multidisciplinar que presta a assistência (médicos, enfermeiros, auxiliares técnicos) e a fonte pagadora do serviço. "É uma questão macro mas sempre focada no paciente e sua família. Quando se pensa neste cliente, é preciso analisar principalmente suas expectativas. E esse é o segredo da assistência domiciliar: cada paciente tem valores, cultura e tradições diferentes. Então sua expectativa para o serviço é própria", afirma ela.
Assim, as empresas de home care precisam oferecer agilidade e flexibilidade para atender os diferentes valores culturais peculiares a cada paciente. Todos os profissionais envolvidos devem ter competências para lidar com as características culturais do paciente, além das competências próprias de seu trabalho. É neste ponto que a equipe multidisciplinar também é vista como um usuário. "Uma das medidas para a empresa de assistência domiciliar é estar muito atenta à satisfação dos profissionais, oferecendo condições favoráveis de trabalho. Por exemplo, os médicos podem ter acesso imediato e online das informações do paciente, como exames", comenta Watanabe. Ela conclui que uma equipe integrada passa ao paciente uma percepção de trabalho harmonioso.
Por fim, Watanabe ressalta a importância de considerar a fonte pagadora do serviço como um dos usuários. "A fonte pagadora precisa ter um feedback de seu investimento. Para isso, a empresa deve fornecer relatórios gerenciais prestando contas sobre os custos, que permitam à fonte planejar seus gastos", explica a presidente da Dal Ben. Em relação aos planos de saúde, os relatórios gerenciais alimentam o sistema de gestão deles.
Para Watanabe, falta pesquisa científica entre as empresas de home care brasileiras no sentido de construir relatórios gerenciais que permitam mostrar à fonte pagadora a vantagem do investimento. O principal retorno do custo inicial aparentemente exorbitante é evitar a reinternação e a melhoria na qualidade de vida do paciente. "Em assistência domiciliar, o administrador precisa ter uma visão ampla do usuário e personalizar o serviço. E só é possível personalizar a partir dessa visão, que demanda estudos multidisciplinares para identificar a dinâmica da família", conclui Watanabe.

Governo investe em assistência móvel pré-hospitalar

O ministro da Saúde, Humberto Costa, lançou hoje, em São Paulo, a Política Nacional de Atenção às Urgências e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Até junho de 2004, o governo vai investir R$ 120,1 milhões para estruturar a atenção pré-hospitalar móvel às urgências nos municípios com mais de 100 mil habitantes. Esses serviços atenderão às urgências provocadas por causas traumáticas, clínicas pediátricas, cirúrgicas, gineco-obsterícia e psiquiátricas, informa a Agência Saúde. Numa primeira etapa, até junho de 2004, o projeto deve beneficiar 68 milhões de pessoas em 132 municípios com mais de 100 mil habitantes e 20 capitais, entre elas São Paulo, onde acontece o lançamento. Nesta etapa, serão adquiridas 650 ambulâncias de suporte básico e 150 de suporte avançado (UTIs móveis). Os recursos também vão garantir a estruturação de 152 Centrais de Regulação Médica de Urgências e de 27 Núcleos de Educação em Urgência, para capacitação dos profissionais que trabalharão no SAMU.
O Ministério da Saúde vai financiar R$ 180 milhões por ano. O governo está propondo a estados e municípios que apliquem igual valor. Para acionar o SAMU, basta um telefonema gratuito para o número 192. Os pedidos de socorro serão atendidos nas Centrais de Regulação Médica de Urgência, que vão funcionar 24 horas por dia sempre com a presença de um médico.
O critério de seleção terá como prioridade os municípios com mais de 100 mil habitantes, em condições de gerir seus próprios recursos em saúde (gestão plena do sistema), pólos de região e aqueles que já possuam serviços móvel de atenção às urgências funcionando nos moldes da portaria.
Apesar de ser gerenciado pelo município, várias cidades poderão organizar um serviço de amplitude regional, cuja Central de Regulação Médica de Urgências poderá ser coordenado pelo município pólo de região ou pelas secretarias estaduais de Saúde. A idéia é diminuir custos e qualificar a logística do atendimento às emergências nos municípios integrados.
No Brasil, já são 15 os Serviços de Atendimento Móvel de Urgência em funcionamento nos municípios de Aracaju (SE); Araras (SP), Campinas (SP), Ribeirão Preto (SP), São Paulo (SP); Belém (PA); Betim (MG), Belo Horizonte (MG); Maceió (AL); Fortaleza (CE); Natal (RN); Porto Alegre (RS); Recife (PE); Vitória da Conquista (BA); e Região do Vale do Ribeira (SP), que através de consórcio intermunicipal engloba 26 Municípios, além da BR-116 do trecho de Juquitiba à Barra do Turvo (divisa de SP com PR). Essas cidades financiam seu próprio serviço de atendimento às urgências em Saúde.
Depois da criação do SAMU as internações e mortes por causas externas (afogamento, queda e acidente de trânsito e outras) e outras emergências clínicas (infarto, derrames e até mesmo partos) diminuíram de maneira significativa nestas cidades. A implantação do SAMU permite melhora real na sobrevivência dos pacientes graves, conforme verificado nos dados existentes nesses serviços e na experiência mundial.
Os números podem demonstrar também situações que se repetem como, por exemplo: se em uma esquina a freqüência de atropelamento é alta, diária, os dados coletados pelo SAMU apontarão a necessidade de "consertar a esquina", ao invés de aumentar o número de ambulâncias e leitos de UTI. Permitirá, ainda, ampliar a identificação de doadores potenciais de órgãos para transplantes, melhorar a notificação de acidentes de trabalho e violências contra mulheres, crianças e idosos. Se aumentar a ocorrência de uma determinada doença transmissível, como a meningite ou cólera, a Central SAMU-192 também fará a notificação às autoridades sanitárias precocemente, permitindo a adoção de medidas preventivas.
Durante a cerimônia de lançamento do SAMU, a prefeita de São Paulo, Marta Suplicy, entregou 50 ambulâncias novas compradas com recursos próprios que estão sendo incorporadas ao SAMU, sendo 43 unidades de suporte básico e sete de suporte avançado (UTI). A licitação de novas ambulâncias do Ministério da Saúde garantirá que São Paulo tenha a cobertura indicada internacionalmente, ou seja, um total de 105 unidades de suporte básico e 26 de suporte avançado - todos estarão integrados ao SAMU.
Além dos recursos de investimento para aquisição das ambulâncias e equipamentos, o Ministério da Saúde pagará às prefeituras R$ 12,5 mil por equipe de suporte básico e R$ 27,5 mil por equipe de suporte avançado e ainda R$ 19 mil por Central SAMU-192. Esses valores representam metade do custeio estimado do SAMU em São Paulo e nos demais municípios que implantarem o serviço.

Cosimo Cataldo apresenta novidades em cortinas para UTIs

Dois produtos com a assinatura da Omnova Solutions foram as novidades apresentadas na 3ª Feimerp - Feira Internacional de Produtos Hospitalares, Odontológicos, Laboratoriais, de Medicina e Saúde de Ribeirão Preto-, que terminou neste último fim de semana. Um deles, que acaba de ser lançado no mercado, é o MemErase, um revestimento vinílico que, além de decorativo, permite que se escreva diretamente nas paredes, usando canetas (marcadores) para "quadro branco". A Cosimo Cataldo também oferece as cortinas divisórias para o fechamento de leitos em UTIs (Unidades de Tratamento Intensivo), áreas de observação e repouso para a humanização dos ambientes hospitalares, assegurando a privacidade dos pacientes.
As cortinas hospitalares da Omnova, permitem a livre circulação e mobilidade de médicos e enfermeiros nos ambientes hospitalares de atendimento, inclusive nas salas de recuperação e nas UTIs. Nos ambientes mais fechados, a Construtora Cosimo Cataldo disponibiliza cortinas com telas na parte superior para que a iluminação e a ventilação não sejam comprometidas.
Serviço: Cosimo Cataldo, tel: (11) 5073 3838

Doutores da Alegria lançam Cartões de Natal

Os Doutores da Alegria, pela primeira vez em doze anos de atuação, lançam seus Cartões de Natal (veja os desenhos abaixo), como alternativa para geração de renda. Disponíveis em quatro modelos diferentes, os cartões foram criados pelo artista gráfico Orlando Pedroso, numa ação exclusiva para a entidade, e são inspirados no trabalho de interação com a criança realizado pelos seus atores. Com esta iniciativa, os Doutores da Alegria criam uma nova possibilidade para ampliar a sua captação de renda. Aqueles que comprarem os Cartões de Natal da entidade contribuirão para a multiplicação do trabalho que vem sendo desenvolvido pelo programa em hospitais de São Paulo, Rio de Janeiro e Recife.
Retratando principalmente a essência do palhaço, cada desenho ? cujos temas são: Lua, Árvore de Natal, Telhados e Papai Noel ? apresenta o Natal com a delicadeza e o humor característicos dos Doutores da Alegria. Para conhecer os modelos disponíveis, basta acessar a página www.www.doutoresdaalegria.org.br/cartoons/index.htm http://. A mensagem possui votos nas línguas portuguesa, inglesa e espanhola.
As encomendas podem ser feitas pelo telefone 0800-7710902 e pelo site
www.doutoresdaalegria.org.brO preço de cada cartão é R$ 2, sendo aceitas compras a partir de dez unidades. Para a compra a partir de mil cartões, será oferecido um desconto especial. Além disso, toda empresa interessada poderá incluir sua própria logomarca no cartão ? basta somente fazer a solicitação à entidade, no momento da compra. Os pedidos poderão ser entregues em dez dias, de acordo com a localidade.
O programa Doutores da Alegria, pioneiro em levar alegria a crianças hospitalizadas no Brasil através da arte do palhaço (mágica, malabarismo, mímica, improvisação e música), completou doze anos de atividades no país já tendo visitado cerca de 300 mil crianças, em 6 hospitais de São Paulo, 2 no Rio de Janeiro e 1 em Recife. Fundada pelo ator Wellington Nogueira, após participar do programa Clown Care Unit, de Nova Iorque, atualmente a entidade conta com 36 atores profissionais, que recebem treinamento específico para desempenhar, com todo o cuidado e eficiência, seu trabalho junto aos jovens pacientes hospitalizados.
A instituição acredita que o humor é um recurso essencial para auxiliar a superar os traumas inerentes aos processos de enfermidade e internação e restituir a alegria como parte integrante de suas vidas. Até hoje eles já visitaram mais de 300 mil crianças. Vários prêmios atestam o reconhecimento do trabalho da entidade. Em 2002, os Doutores da Alegria foram considerados um dos 50 embaixadores do Prêmio Stockholm Partnership (Parcerias de Estocolmo para Cidades Sustentáveis), da Suécia e, em 2003, receberam o Prêmio Bem Eficiente. Em 2001, o programa recebeu a Menção Honrosa da Categoria Organizações Não Governamentais do Comitê de Julgamento do prêmio Direitos Humanos 2001. Nos anos de 1998 e 2000, um júri internacional da Divisão Habitat da ONU elegeu os Doutores da Alegria como uma das 40 melhores práticas globais.