faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sitemap


Articles from 2015 In September


Cenário filantrópico: apenas 1/4 da população tem acesso ao privado

populacao_231359272

Infográfico desta quarta-feira (30/09) traz o cenário da filantropia no Brasil. Confira os números!

Infogragico_Hospitais_Filantropicos

Da doença à prevenção em 3, 2, 1... [infográfico]

prevencao
shutterstock

O comportamento humano é fortemente influenciado pela tecnologia desde que ela faça sentido e chegue na hora certa, do contrário cai rapidamente em desuso. Exemplos não faltam.

Há 10 anos, os fabricantes de televisão entenderam que nós iríamos interagir com nossas redes, em tempo real, enquanto assistíamos programas como novelas, partidas de futebol e reality shows. Uma previsão de comportamento que acabou se concretizando.

A resposta para aquela previsão, porém, acabou sendo uma inovação errática. Criaram a Smart TV, um aparelho que permite que façamos uso do Facebook e do Twitter na mesma tela em que assistimos a programação. Pouquíssima gente usa, preferindo assistir TV com seus smartphones, tablets e até notebooks sempre à mão.

O comportamento mudou junto com a tecnologia, só não souberam adivinhar de que forma isso aconteceria.

Na área da saúde a sensação é de que muito irá acontecer nos próximos anos a reboque de todas as mudanças que estamos experimentando em nossos hábitos. Mas especula-se muito sobre como separar o joio de uma Smart TV do trigo de uma Patients Like Me, por exemplo.

O fato é que o caminho está aberto e ele passa, necessariamente, por tecnologias conhecidas – sem prejuízo de outras novas que possam surgir de surpresa no caminho.

O infográfico que escolhi essa semana é baseado no livro do médico americano Eric Topol, “The creative destruction of Medicine”, que, apesar de ter sido lançado há uns dois anos, continua atual para o mercado brasileiro. Eu recomendo, apesar de algumas soluções ali terem sido escritas tendo como pano de fundo o Obamacare, coisa que não temos no Brasil (pelo contrário, vendo a forma como o Ministério da Saúde está sendo tratado podemos dizer que aqui temos o Dilma Não Care!).

De qualquer forma, ele nos mostra que tecnologias como Sensores, Conexão Móvel, Redes Sociais, Banda Larga, dentre outros, já fazem parte do momento de Super-Convergência que pode ajudar a colar os cacos de nossos sistema Hiper-Fragmentado.

Mas que a partir do aumento da capacidade sequenciar genomas humanos, partindo dos atuais 1 milhão para estonteantes 64 milhões em menos de dez anos, aí sim estaremos de fato vivendo numa sociedade onde a prevenção será uma realidade capaz de fazer um reboot no sistema de saúde. É viver para crer.

Até a próxima semana!

infografico-istvan

Associação Congregação de Santa Catarina celebra o envelhecimento ativo

No dia 1º de outubro, comemora-se mundialmente o Dia do Idoso. No Brasil, com o constante aumento da expectativa de vida, o perfil dos idosos aqui residentes tem se modificado. A terceira idade não está mais interessada apenas em descansar e aproveitar seus últimos momentos de forma tranquila. Para eles, o início da velhice é mais uma fase de suas trajetórias de vida, em que o fato de não possuírem mais dependentes nem vínculos de trabalho acaba se revelando uma enorme libertação: é hora de se permitir viver tudo aquilo que sempre desejaram.

O Residencial Santa Catarina, pertencente à Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC), leva em consideração essa mudança de perfil para oferecer aos idosos que acomoda um atendimento muito prazeroso. Lá, a terceira idade pode se divertir em aulas de dança, passeios culturais, banhos de piscina e salão de jogos, entre outros. Além de desfrutar da liberdade da acomodação individual em apartamentos amplamente equipados, que permite que recebam visitas de amigos e familiares, os idosos também podem sair e passear à vontade – caso não possuam limitações de saúde.

O estabelecimento é de alto padrão e tem todo seu superávit revertido à manutenção da área de Assistência Social da ACSC, que tem entre suas Casas o Lar Madre Regina, que, por sua vez, abriga idosos em situação de risco e vulnerabilidade social. A terceira idade do Lar Madre Regina é atendida com a mesma preocupação de transformar essa fase da vida em um prazeroso tempo de libertação, aprendizado e crescimento pessoal.

Sobre a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC)

Com mais de 100 anos de atuação no Brasil, a Associação Congregação de Santa Catarina (ACSC) é uma instituição filantrópica, cujas atividades impactam na cadeia de valor das comunidades onde se encontra inserida. Por meio de um modelo de Governança Corporativa sustentável, a entidade consegue gerir de forma eficaz 34 instituições nas áreas da Saúde, Educação e Assistência Social em oito Estados brasileiros: São Paulo, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Espírito Santo, Minas Gerais, Ceará, Mato Grosso e Goiás. Ao todo, a ACSC reúne cerca de 17 mil colaboradores e realiza, em média, 15 milhões de atendimentos por ano. Este modelo de governança possibilita executar dignamente e de forma permanente a missão iniciada pelas Irmãs de Santa Catarina e acolher cada ser humano na sua integralidade, conciliando eficácia organizacional, valores cristãos e compromissos com as necessidades das comunidades. www.acsc.org.br.

Mais informações para Imprensa

A4 Comunicação - www.a4com.com.br

Mariana Bertolini - [email protected] - (11) 3897-4133 / (11) 99916-8091

Thaís Amaral - [email protected] - (11) 3897-4131

Previsões das multinacionais da saúde sobre o futuro

health 2.0

O último painel do Health 2.0 no Hospital Innovation Show terminou com a presença de Oscar Porto, da Medtronic, Marcio Coelho, da Johnson & Johson Medical Brasil, e Maria Carla Abdo, da ThermoFisher.

Para iniciar a discussão, Marcelo Sousa apresentou a empresa Bright Photomedicine, que visa proporcionar saúde e bem-estar através da Fotomedicina. Em seguida o Moacyr Bighetti explicou a Medecell do Brasil, a qual criou e desenvolveu o TANYX ®, um produto que utiliza a tecnologia TENS para aliviar ou eliminar a dor.

Após reunir todos os membros para compor a mesa, Vitor Asseituno, CEO da Live Healthcare Media, questionou os convidados sobre as maiores tendências da tecnologia em cada setor. Para Carla é tornar as novas tecnologias mais simples, acessível e baixos custos no diagnóstico e tratamento da área de câncer.

De acordo com o Coelho, da J&J, a tendência seria investir em tecnologia para melhorar a produtividade dos médicos tendo em vista que o desafio mundial é o aumento da demanda para pouca capacidade de atendimento devido a crescente população idosa. Porto relata que há vários buracos para serem preenchidos seja em disponibilidade a todos, diagnóstico e tratamentos.

Por fim, Vitor provocou a plateia a refletir sobre qual tipo de inteligência pode fornecer para os prestadores. Marcelo concluiu que “estamos em um momento de empoderamento das pessoas em que o conhecimento coletivo é maior que o conhecimento unificado”.

Confira o texto na íntegra no blog da Avelã.

*Aline Akemi, da Avelã, especial para o Saúde Business 

Alerta contra o câncer de mama ganha quarta edição da campanha Outubro Rosa da Delfin Saúde

Alerta contra o câncer de mama ganha quarta edição  da campanha Outubro Rosa da Delfin Saúde

O câncer de mama é responsável pelo maior índice de óbito entre as mulheres com câncer no mundo. Mas você sabia que o diagnóstico precoce pode curar 95% dos casos? O alerta é da Delfin Saúde, que promove a campanha Outubro Rosa, em Salvador e no interior do Estado, de 01 a 31/10, com o objetivo de alertar a população feminina para a importância do cuidado com a mama na prevenção e combate ao câncer de mama com ações educativas. A meta é realizar quase 20 mil mamografias bilaterais gratuitas (6.000 exames na capital baiana e 13.900 no interior), para mulheres entre 50 e 69 anos. Os exames serão gratuitos, pelo SUS - Sistema Único de Saúde, numa parceria com os governos Federal e Estadual, Delfin Imagem, Konica Minolta e GEAP Saúde - Fundação de Seguridade Social. Basta levar o cartão do SUS e cópias do RG e comprovante de residência.

O lançamento oficial da ação será no dia 01/10, no Dique do Tororó, onde serão distribuídas 140 fichas de atendimento a partir das 7h, com exames programados para acontecer entre as 9h e 18h. Em Salvador, durante todo o mês de outubro, as mulheres contarão com o serviço itinerante de dois caminhões móveis, totalmente equipados e com staff médico, que funcionarão na sede da UNEB, de 19 a 31/10, e no Hospital São Rafael, de 05 a 17/10, com atendimento das 8h às 18h, com capacidade para 250 exames por dia.

Outras cinco unidades móveis estarão disponíveis para atendimento no interior da Bahia, já em setembro. As regiões de Feira de Santana e Cruz das Almas recebem pacientes locais e das cidades circunvizinhas de 21/09 a 07/10. Em Cabaceiras do Paraguaçu de 09 a 16/10; Cachoeira de 16 a 31/10; Conceição da Feira de 02 a 13/10; Governador Mangabeira de 21 a 30/09; Maragogipe de 21/09 a 07/10; Muritiba de 21/09 a 05/10; São Félix de 07 a 14/10; e Sapeaçu de 09 a 17/10.

Cada caminhão possui dois mamógrafos, área de revelação e digitalização de imagens, computador, com sala de espera para pacientes, tudo num ambiente climatizado, com apoio de dois médicos da equipe da Delfin Saúde e dois técnicos por período, além de três pessoas na recepção para triagem do atendimento, com capacidade para receber até 140 pessoas por dia.

Madrinha de peso

A cantora Elba Ramalho foi escolhida para ser a madrinha da campanha Outubro Rosa porque superou um câncer de mama e está disposta a estimular outras mulheres a fazerem os exames preventivos e a perder o medo de cuidar da própria saúde. Ela vem a Salvador no dia 01/10 especialmente para compartilhar sua experiência.

Um cuidado da Delfin Saúde que sabe da importância de conscientizar as mulheres para a prevenção e que essa atitude tem que partir da paciente. À Delfin Saúde cabe dar o suporte quando o paciente precisar. Como nesta campanha, que também trará orientações para o autoexame de uma maneira lúdica, distribuindo, no lançamento da ação, um colar com contas de diversos tamanhos e formatos para que as 140 mulheres que forem atendidas neste primeiro dia possam ter uma noção tátil de um possível nódulo na mama.

A campanha é um sucesso desde 2012, quando realizou 4.788 mamografias bilaterais em Salvador. Em 2013 foram 12.288 exames, na Bahia e em Sergipe; e, em 2014, 12.478, em Salvador e Maceió. Este ano a frota de caminhões da ação ganhou uma nova unidades móvel com quatro mamógrafos que podem ser utilizados simultaneamente. Esta quarta edição do Outubro Rosa recebeu um investimento de mais de meio milhão de reais.

Ações educativas incluem palestras sobre alimentação e prática de exercícios físicos como atividades preventivas

A professora de Educação Física Talita Batistelli, que há sete anos atua na área oncológica e trabalha com pessoas em tratamento de câncer, foi convidada pela Delfin Saúde para falar sobre a importância de movimentar o corpo para melhorar a qualidade de vida do paciente oncológico, integrando um trabalho que deve ser multidisciplinar no encontro do corpo e da mente com foco na saúde integral. Durante o evento, Talita vai dar dicas de exercícios e explicar de que forma eles podem ajudar na prevenção e no combate à doença.

“A atividade física é importante porque acelera o metabolismo e colabora na prevenção do câncer de mama porque o movimento do corpo também acelera os batimentos cardíacos e a circulação sanguínea. O que é muito bom porque os órgãos funcionam mais livres do que quando estão espremidos enquanto a pessoa está sentada, por exemplo. O movimento melhora o funcionamento do corpo e diminui o risco de doenças, principalmente aliado a uma alimentação saudável”, explica a especialista, que recomenda a ingestão de carboidratos antes do treino, para dar energia, e de proteína depois, para ajudar na construção muscular.

A liberação para os exercícios é dada pelo médico da paciente, porque depende da condição de cada um, mas a indicação prevê treinos conjuntos de musculação e atividade aeróbia. “O treino HIIT - um processo de circuito, que exercita a velocidade, a resistência e a força é uma boa alternativa para a pessoa manter o peso e não engordar durante o tratamento, pois o aumenta do nível de gordura pode fazer o câncer voltar”, alerta a professora, lembrando que a paciente toma uma medicação anti hormônio que pode afetar o seu peso corporal.

Outro bom motivo para se exercitar é porque as atividades físicas contribuem para liberar serotonina e endorfina, hormônios que ajudam a melhorar o estado psicológico da pessoa. Além disso, no tratamento pós quimio e radioterapia, na maioria dos casos, a paciente ingere um tipo de bloqueio hormonal que também bloqueia o líquido cinovial, que funciona como a graxa das articulações do nosso corpo. “O medicamento diminui a produção desse líquido que o corpo produz naturalmente e a pessoa passa a sentir dores nas articulações e até mesmo nos músculos. Com a atividade física, a movimentação das articulações volta a produzir o líquido”, comenta Talita.

A campanha Outubro Rosa da Delfin Saúde também faz mais um importante alerta, informar as pessoas que não têm noção do alto risco de se expor ao câncer por conta de uma má alimentação. Segundo a nutricionista Alana Martins, hoje em dia, o aumento dos casos de câncer está mais relacionado com a alimentação do que com o cigarro, por exemplo.

“As pessoas se expõe a muitos riscos sem saber, como na ingestão de produtos industrializados e não orgânicos, pois acham que o problema vem apenas do fumo, álcool ou do fator genético e hereditário, o que é um erro”, avisa.

Na sua palestra, Alana vai falar sobre como manipular os alimentos para minimizar os efeitos dos agrotóxicos, sendo importante ter atenção com a origem, higienização e manipulação dos alimentos, além do método de cocção. A nutricionista também vai dar dicas sobre como a alimentação interfere na prevenção do câncer de mama, alertando ainda sobre a importância de aprender a ler os rótulos dos produtos.

“Temos que observar os componentes químicos dos produtos, como aditivos e corantes, que são altamente cancerígenos. Existem muitos alimentos com potenciais anticancerígenos que ajudam a diminuir a inflamação durante o processo de quimioterapia porque aumentam e melhoram o funcionamento do sistema imunológico da pessoa, que fica debilitado, e pode abrir espaço para doenças oportunas por conta da baixa imunidade afetada pela progressão da doença”, explica Alana Martins.

Pacientes revelam que sem a campanha da Delfin Saúde não teriam como descobrir nem tratar a doença

A recepcionista Neila Aparecida Peixinho e Silva, de 44 anos, conheceu a campanha Outubro Rosa da Delfin Saúde no ano passado. Ela confessa que sentia dores na mama esquerda e até já tinha percebido um caroço, mas achou que o problema era fruto de uma mastite que teve na época que amamentou o filho. Mas a dor e o caroço foram aumentando com o tempo e quando soube da campanha se reuniu com amigos do bairro e procurou ajuda durante a ação de 2014.

“Quando cheguei lá fui muito bem atendida, fiz a mamografia e o resultado deu positivo para o câncer de mama. Depois fiz outros dois exames, ultrassonografia e punção, e descobri que o nódulo era mesmo maligno. Aí fui encaminhada para cirurgia de urgência para retirada do nódulo, pois já estava nascendo o segundo. Tirei os dois de uma só vez na mama esquerda. Hoje faço tratamento com quimioterapia e depois farei radioterapia. Tudo gratuito pelo SUS. Se não fosse assim não teria condições de me tratar e talvez nem tivesse descoberto a doença a tempo de me cuidar”, pontua Neila.

Ela disse que demorou muito tempo para procurar ajuda e aconselha outras mulheres a buscarem logo o apoio médico para verificar os sintomas. “Não é bom esperar doer tanto, tem que fazer logo o exame, se sentir algo diferente tem que tratar rápido para evitar complicações e poder fazer o tratamento antes de ficar debilitada”, recomenda.

A cozinheira Rita de Cássia Oliveira, de 53 anos, concorda. “Achei muito importante fazer este exame dentro da campanha. A gente está sempre ocupada, deixa tudo para depois e o Outubro Rosa é uma oportunidade de fazer tudo gratuitamente e com boa equipe de médicos”, afirma.

Ela viu a notícia da campanha na TV com as vizinhas e todas foram juntas. “No meu caso descobri que tinha um nódulo depois de fazer os exames e fui encaminhada para cirurgia. Agora estou aguardando pelo resultado da biópsia. Mas fiz minha parte. Uma vizinha minha faleceu por causa da doença e outra está com o mesmo problema. Tem gente que tem medo, mas antes cedo do que tarde, saber a tempo de curar. Temos que agarrar essa oportunidade da campanha porque se tivermos o diagnóstico mais cedo é melhor para o tratamento e nós não temos condições de pagar pelos exames nem pela cirurgia particular. Gosto dessa campanha porque ela ajuda as mulheres a cuidarem da saúde”, agradece.

Quem também recomenda a campanha Outubro Rosa é a dona de casa Jaciara Ferreira Santos, de 46 anos. Ela costuma fazer os exames de mama anualmente, mesmo sem sentir nada. “No ano passado deu um nódulo, mas a punção deu negativa. Mas acho importante esse alerta preventivo. Eu fazia o autoexame e minha mastologista também, mas a gente nunca tinha descoberto o nódulo. Nem na mamografia, porque tinha muita gordura. Só descobri na ultra-som que fiz com a equipe da Delfin Saúde”, admite.

Especialista da Delfin Saúde explica porque o diagnóstico precoce é tão importante

A médica radiologista Maria Cecília Gnoatto (CRM 10866), que integra a equipe da Delfin Saúde, confirma que o câncer de mama é a principal causa de óbito por câncer entre as mulheres do mundo. “No Brasil, os indicadores ― representados por estimativas do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA) ― foram de 57.120 casos novos para o ano de 2014. No Nordeste, o risco de câncer de mama é é de 36,7 por 100.000. E na Bahia, estimaram-se 2.560 casos novos para o ano de 2014 (33 por 100.000), sendo 37,5% (980 casos) na capital (63 por 100.000)”, revela.

Para ela, o controle do câncer de mama, para ser efetivo, deve incluir estratégias de controle de fatores de risco, detecção precoce, tratamento, reabilitação e cuidados paliativos. “São ações multidisciplinares complexas que demandam, além da atuação dos profissionais de saúde, o envolvimento de entidades governamentais e de vários segmentos da sociedade”, afirma.

Quanto à detecção precoce do câncer de mama, a radiologista diz que a iniciativa melhora o prognóstico da doença e a sobrevida do paciente, compreendendo duas estratégias: o diagnóstico e o rastreamento precoces. “O diagnóstico precoce baseia-se no reconhecimento da doença na população sintomática. O rastreamento realiza a triagem entre a população aparentemente assintomática, por meio da aplicação de testes para identificar anormalidades indicativas de câncer”, explica, lembrando que o programa deve se responsabilizar pela continuidade dos processos até o diagnóstico definitivo e o tratamento da doença.

A mamografia, no contexto dos programas de rastreamento organizados em nível populacional, é o único método que provou ser eficaz no rastreamento do câncer de mama, com capacidade de detectar lesões não palpáveis e causar impacto na redução da mortalidade, sendo considerada o padrão-ouro para esta finalidade. No Brasil, o rastreamento do câncer de mama pelo Sistema Único de Saúde (SUS) tem como referência o documento Controle do Câncer de Mama – Documento de Consenso, publicado em 2004, pelo INCA, instituição vinculada ao Ministério da Saúde, cuja recomendação é realizar o rastreamento através de exame clínico das mamas por profissional de saúde, anualmente, em todas as mulheres entre os 40 e 69 anos, e o rastreamento mamográfico a cada dois anos, nas mulheres com idade entre 50 e 69 anos.

“Vários fatores estão relacionados no desenvolvimento do câncer de mama. Há uma combinação de fatores endócrinos e reprodutivos, como nuliparidade, primeiro filho após os 30 anos de idade, menarca precoce e menopausa tardia; fatores ligados ao estilo de vida, tais como: amamentação, dietas de alto teor calórico e falta de exercício físico, consumo elevado de bebidas alcoólicas, uso de hormônios, como contraceptivos e terapia de reposição na menopausa, além da exposição a radiações ionizantes. Outro importante fator de risco é a elevada densidade mamaria”, enumera a especialista.

Segundo Maria Cecília, o controle do peso corporal, principalmente na pós-menopausa, o menor consumo de álcool, a amamentação, a redução de uso de hormônios e a prática de atividade física regular, podem reduzir o risco de câncer de mama. “Entretanto as mudanças nos hábitos de vida para diminuir este risco constituem um grande desafio, particularmente para as populações com menor disponibilidade de recursos e de informação”, diz ela.

O contexto das estratégias de diagnóstico precoce da doença destaca a importância da conscientização da mulher e a capacitação dos profissionais de saúde para a identificação dos sinais e sintomas do câncer de mama, permitindo sua detecção em estágios menos avançados. “O acesso rápido e facilitado aos serviços de saúde deve ser garantido de tal forma que as investigações diagnósticas e os tratamentos adequados possam ser rapidamente instituídos, aumentando as chances de cura e/ou a de sobrevida”, alerta.

De acordo com a médica, a mamografia é o único método que provou ser eficaz no rastreamento do câncer de mama, com capacidade de detectar lesões não palpáveis e causar impacto na redução da mortalidade. “Os principais benefícios do rastreamento são o melhor prognóstico da doença, com tratamento mais efetivo e de menor morbimortalidade. “Espera-se, num programa de rastreamento efetivo, o aumento do percentual de casos detectados em estágios iniciais, a redução das complicações, das recidivas e das metástases, a melhora da qualidade de vida e, como principal desfecho, a redução da mortalidade”, conclui.

Parceria tecnológica

A Konica Minolta Healthcare do Brasil, empresa que atua na área de Soluções em Imagem Primária, tem apoiado a Delfin Saúde a proporcionar o primeiro olhar em diagnóstico por imagem com soluções de Radiografia Computadorizada com total confiança clínica, pois permite a cobertura de uma área maior de imagem de acordo com a anatomia a ser trabalhada, reduzindo erros de posicionamento e aumentando a produtividade dos exames com alta qualidade de imagem.

Dessa forma, os profissionais contam com resultados imediatos e melhoria na eficiência, melhorando o fluxo de trabalho oferecendo soluções tecnológicas que contribuem para a melhoria do atendimento ao paciente.

Líder no mercado de diagnóstico por imagem primária, a empresa, com mais de 75 anos de inovação ininterrupta, é reconhecida mundialmente no fornecimento de tecnologias de ponta e suporte abrangente para proporcionar soluções reais para atender às necessidades do cliente.

SERVIÇO

O quê: Campanha Outubro Rosa da Delfin Saúde

Quando: De 01 a 31/10 - Lançamento 01/10 no Dique do Tororó, 8h

Onde: Salvador - Caminhões itinerantes nas sedes da UNEB e Hospital São Rafael - e interior do Estado nas regiões de Feira de Santana e Cruz das Almas

Porque: Para alertar as mulheres sobre a importância da prevenção e tratamento do câncer de mama com a realização de exames gratuitos

Como: Mulheres de 50 a 69 devem levar o cartão do SUS e cópias do RG e comprovante de residência

Queixas dos brasileiros relacionadas às doenças do coração

logo_orizon_branco

Os eventos cardíacos que mais levam os brasileiros a procurarem atendimento médico são a Síndrome Coronariana Aguda (33,4% do total), a Doença Cardíaca Hipertensiva ou Crise Hipertensiva (29,4%) e a Insuficiência Cardíaca (15,7%). O levantamento foi feito pela Orizon – empresa líder em serviços para os segmentos de saúde, seguros e benefícios – em virtude do Dia Mundial do Coração, comemorado em 29 de setembro. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardiologia, cerca de 350 mil pessoas morrem por ano no Brasil decorrente de doenças cardíacas.

O estudo mostra a evolução das consultas médicas relacionadas à cardiologia nos anos de 2011 e 2014. Foram analisados 6.609 beneficiários de planos de saúde que apresentaram queixas relacionadas ao coração em 2011 e 7.191 no ano de 2014. “Comparando os dois anos, percebemos que o ranking dos eventos mais frequentes não teve alteração, porém, Síndrome Coronariana Aguda sofreu uma redução de 9,3%, Doença Cardíaca Hipertensiva um aumento de 7,1% e Insuficiência Cardíaca aumentou 7,7% quando comparado ao ano de 2011”, explica um dos analistas de Inteligência em Saúde da Orizon, César Venâncio de Souza.

A Síndrome Coronariana Aguda é o estágio anterior ao infarto e está relacionada à baixa nutrição e oxigenação do músculo do coração, devido ao estreitamento das artérias que conduzem sangue ao órgão. Os principais sintomas são fortes dores e desconforto na região do peito, conhecidos como angina. Já a Insuficiência Cardíaca é o estágio mais sério das doenças cardíacas. É quando o coração não consegue mais bombear sangue rico em oxigênio suficiente para o resto do corpo. Em ambos os diagnósticos, o tratamento em geral ocorre com medicamentos específicos, porém, em alguns casos intervenções cirúrgicas são necessárias.

A Orizon elabora Análises Mercadológicas e Estudos Farmoeconômicos que podem fundamentar avaliações e direcionamento de investimentos em prevenção. Os trabalhos da Orizon têm reconhecimento internacional da ISPOR (Intenational Society for Pharmacoeconomics and Outcomes Research), o maior fórum mundial fármaco-econômico do mundo.

Dados do 2° Congresso Todos Juntos Contra o Câncer

tjcc logo

Pacientes, médicos cuidadores, autoridades da Saúde, ativistas, integrantes de Universidades e advogados estiveram reunidos durante dois dias, em São Paulo, para debater as políticas públicas em torno da prevenção, acesso rápido ao diagnóstico e tratamento adequado universal. O 2º Congresso Todos Juntos Contra o Câncer reuniu mais de duas mil pessoas, de 23 Estados, que participaram de palestras, treinamentos, sessões de networking e visitas a estandes de dezenas de entidades que trabalham com portadores e da doença.

Os painéis, realizados em quatro salas, destacaram uma série de temas relevantes para a prevenção e tratamento de tumores, como a inovação científica e tecnológica, a gestão dos recursos da Saúde, financiamento, acesso ao tratamento pelo SUS, terapias, alternativas, fatores de risco, dor oncológica, cuidados do paciente, apoio a familiares e cuidadores.

Todas as palestras e discussões serão disponibilizadas no site do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer - www.todosjuntoscontraocancer.com.br – para estimular a troca de informações entre os participantes e demais entidades que não puderam comparecer. “O desafio, agora, é continuar o engajamento, motivar a sensação do compartilhar o que está sendo feito pelos parceiros”, afirma a presidente da Abrale, Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia, diretora do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer, Merula Steagall.

Durante o Congresso foi apresentado o Observatório de Oncologia, iniciativa global inédita, colaborativa, gratuita e dinâmica, com a proposta de levantar e cruzar dados oficiais para políticas públicas, monitorar e compartilhar números sobre todos os tipos de câncer. “A ferramenta vai permitir trabalhar com inteligência e retirar informações fundamentais para o enfrentamento do câncer no Brasil”, afirma Merula Steagall. “A plataforma será extremamente útil para monitorarmos, também, as conquistas das propostas do Todos Juntos Contra o Câncer”, ressalta a presidente da Abrale.

Os dados abrangem informações abertas oficiais entre 2008 e 2013 (últimos dados consolidados disponíveis). A análise dos números leva em consideração questões biológicas, rede assistencial, o momento do diagnóstico e a demografia. O site do observatório terá o acesso liberado nos próximos dias, pelo endereço www.observatoriodeoncologia.com.br

Fleury entre as melhores empresas em atendimento no ranking da Exame

O Fleury Medicina e Saúde foi reconhecido entre as 25 melhores empresas em atendimento no Brasil de acordo com o estudo realizado pela revista Exame em parceria com o Instituto Brasileiro de Relacionamento com o Cliente (IBRC). A média geral do levantamento de 2015 foi de 63,3, numa escala que vai de zero a 100, sendo que o Fleury é a primeira empresa do setor de medicina diagnóstica, aparecendo na 20ª posição com 72,28 pontos.

Em sua sexta edição, o ranking ‘Exame IBRC de Atendimento ao Cliente’ ouviu mais de 5.000 pessoas em 143 cidades. O estudo tem como proposta inicial, por meio de uma pesquisa nacional e presencial, perguntar ao próprio consumidor brasileiro: “O que é exatamente atendimento para o consumidor brasileiro?”. Para avaliar e definir se uma empresa atende bem ou mal, o IBCR tem como base três momentos de interação que qualquer empresa tem com seus clientes, independentemente do ramo de atividade ou porte, que são pré-venda, venda e pós-venda. Ainda, o ranking segue três prismas da qualidade: Qualidade Desenhada, Qualidade Entregue e Qualidade Percebida, dividido em quatro etapas. A soma de pontuação obtida em cada etapa gera um ranking linear de 1 a 100, onde as primeiras 25 são as melhores e as últimas 25 as piores.

De acordo com o Instituto, o ‘Ranking Exame IBRC de Atendimento ao Cliente’ já está incorporado ao mecanismo de avaliação das empresas quanto ao seu atendimento e é muito esperado no ano. Para muitas e importantes corporações nacionais e multinacionais, o ranking é indicador oficial de performance de executivos, dos setores de atendimento, e do próprio desempenho geral da empresa.

Sobre o Fleury Medicina e Saúde

Referência nacional em medicina diagnóstica, o Fleury oferece mais de 3 mil diferentes testes em 37 diferentes especialidades médicas. Também é precursor no conceito de centro médico integrado que, entre outras vantagens, oferece uma solução diagnóstica completa, assessoria médica além de serviços singulares como a Vila da Saúde e o Gestar. Seu serviço de Check-up oferece soluções para empresas e clientes individuais, além de produtos diferenciados como o Check-Up Fitness, para atletas iniciantes ou profissionais, e a Consulta do Viajante, para aqueles que pretendem viajar para localidades de risco. Além da área diagnóstica, o Fleury mantém o serviço de vacinação e o núcleo de aconselhamento genético, para detecção de risco para doenças genéticas e oncológicas. O Fleury possui unidades de atendimento nos municípios de São Paulo (SP), Santo André (SP), São Bernardo do Campo (SP), Barueri (SP), Cotia (SP), Campinas (SP) e Jundiaí (SP), além de Brasília (DF).

Curta o Fleury no Facebook: www.facebook.com/ FleuryMedicinaeSaude

Compartilhe no Youtube: www.youtube.com/FleuryMedicinaeSaude

Mais informações para Imprensa

A4 Comunicação - www.a4com.com.br

Tatiane Generali - [email protected] - (11) 3897-4124 / (11) 99917-3208

Stephanie Celentano - [email protected] - (11) 3897-4138/ (11) 97544 5257

Mariana Bertolini - [email protected] - (11) 3897-4133 / (11) 99916-8091

Outubro Rosa: Konica Minolta e Delfin Saúde disponibilizam mamografia gratuita

Em sua quarta edição, a ação será realizada de 1º a 31 de outubro, e prevê a realização de quase 20 mil mamografias gratuitas – considerando-se também as ações do interior do Estado – em mulheres entre 50 e 69 anos, com o objetivo de ajudá-las a prevenir e a tratar a doença. O câncer de mama é a principal causa de óbito por câncer entre as mulheres do mundo e, no Brasil, segundo estimativas do Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), houve 57.120 casos novos em 2014. Sabe-se que 95% dos casos podem ser curados mediante o diagnóstico precoce, e a mamografia é o único método que provou ser eficaz no rastreamento do câncer de mama, com capacidade de detectar lesões não palpáveis e causar impacto na redução da mortalidade.

Os exames serão gratuitos, pelo SUS - Sistema Único de Saúde, em uma parceria com os governos Federal e Estadual, a Delfin Imagem, a Konica Minolta e a GEAP Saúde - Fundação de Seguridade Social. Basta levar o cartão do SUS e cópias do RG e comprovante de residência. Em Salvador, o serviço itinerante contará com dois caminhões móveis, que funcionarão na sede da UNEB, de 19 a 31/10, e no Hospital São Rafael, de 5 a 17/10, com atendimento das 8h às 18h, com capacidade para 250 exames por dia.

Cada caminhão possui dois mamógrafos, área de revelação e digitalização de imagens, computador e sala de espera para pacientes, tudo em um ambiente climatizado. A campanha tem como madrinha a cantora Elba Ramalho, que já superou um câncer.

Tecnologia para a qualidade de imagem

Confira as características e benefícios do CR Regius110 HQ:

• Rapidez: produz exames com rapidez, possibilitando uma operação eficiente. Na campanha, significará garantir à população maior agilidade no acesso à Saúde, ao propiciar o atendimento a um grande número de pessoas. Para hospitais e clínicas, representa um aumento no valor econômico do investimento, já que mais pacientes são examinadas em menos tempo.

• Economia de espaço: ocupa apenas 0,27m2 e tem a menor profundidade dentre os equipamentos do mercado, de 365 mm. Dessa forma, ele contribui para o bom fluxo do trabalho e otimização do espaço.

• Qualidade: proporciona imagens de diagnóstico de alta qualidade. Sua capacidade de leitura para mamografia é de 43,75 μm (mícrons), gerando imagens valiosas com maior resolução. O CR Regius 110HQ possui o menor tamanho de mícron, garantindo excelência na qualidade de imagem, essencial nos exames de mamografia para detecção de microcalcificações. Sua estação de trabalho apresenta ainda uma interface amigável com o usuário, com operabilidade simples e intuitiva.

• Operabilidade: permite uma operação fácil e simples. A altura da entrada do cassete é de 710 mm, facilitando sua inserção devido à ergonomia do CR. Possui capacidade de processar 51 cassetes por hora no tamanho 18x24cm.

• Confiança clínica: sua performance e seus resultados permitem que os profissionais da área atuem com segurança e assertividade.

• Redução de dose e segurança: as placas do CR Regius 110QH possuem um composto de iodo que ajuda a absorver a radiação de forma mais efetiva, possibilitando menos exposição à radiação, tanto para o paciente, quanto para o corpo clínico.

Sobre a Konica Minolta Medical Imaging

A Konica Minolta é uma fornecedora de classe mundial e líder no mercado de diagnóstico por imagem primária. Com mais de 75 anos de inovação ininterrupta, a Konica Minolta é reconhecida mundialmente como líder no fornecimento de tecnologias de ponta e suporte abrangente, que visa proporcionar soluções reais para atender às necessidades do cliente. Para mais informações sobre as Soluções de Imagens Primárias da Konica Minolta, visite: www.konicaminolta.com/medicalusa.

Nome da empresa: KONICA MINOLTA, INC.

Sede: JP TOWER, 2-7-2 Marunouchi, Chiyoda-ku, Tókio, Japão

Fundada: Dezembro de 1936

Receita Ano Fiscal 2014 : US$ 8,5 bilhões

Número de funcionários (consolidado): Aproximadamente 41.600 (até março de 2015)

INPAO Dental comemora excelente desempenho no IDSS

INPAO Dental comemora excelente desempenho no IDSS

O INPAO Dental segue como uma das operadoras exclusivamente odontológicas mais bem avaliadas pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). De acordo com o Índice de Desempenho da Saúde Suplementar 2015 (IDSS), ano base 2014, a operadora registrou 0,8828 pontos, classificando no melhor patamar do levantamento. A performance da operadora foi ainda melhor do que a registrada no ano passado, quando terminou com 0,8259 pontos.

A avaliação de desempenho das operadoras é realizada anualmente e é calculada a partir de indicadores definidos pela própria Agência. Esses indicadores são agregados em quatro dimensões, sendo que cada uma possui um peso diferente na formação do IDSS: 40% para a dimensão Atenção à Saúde, 20% para a dimensão Econômico-financeira, 20% para a dimensão Estrutura e Operação e 20% para a dimensão Satisfação do Beneficiário.

No caso do INPAO Dental, os principais indicadores mais bem avaliados foram a “Satisfação dos Beneficiários”, a “Atenção a Saúde” e a situação “Econômico-Financeira”. O primeiro representa os resultados do índice de reclamações, a proporção de beneficiários com desistência no primeiro ano de contrato e mede a gravidade das infrações à legislação cometidas pela operadora.

O segundo indicador, como o próprio nome sinaliza, avalia a qualidade da atenção com a saúde com base nas ações de promoção, prevenção e assistência prestada aos beneficiários. Por fim, a situação “Econômico-Financeira” acompanha o equilíbrio das operadoras sob o ponto de vista das condições de liquidez e solvência, avaliando a capacidade de manter-se em dia com suas obrigações financeiras junto a seus prestadores para o atendimento com qualidade e de forma continua a seus beneficiários.

“Como somos especialistas em odontologia, primamos pela qualidade do tratamento que prestamos aos nossos beneficiários. Essas avaliações da ANS valorizam e comprovam a seriedade do nosso trabalho”, comemora o Dr. José Henrique de Oliveira, diretor de Operações e Credenciamento do INPAO Dental. “Trabalhamos para oferecer um atendimento de excelência em todas as etapas do processo. Isso explica o nosso excelente desempenho quanto à satisfação do beneficiário e os baixos índices de reclamações”.

Sobre o INPAO Dental

O INPAO Dental (Instituto de Previdência e Assistência Odontológica), empresa especialista em odontologia, é uma das maiores operadoras de capital fechado do país. A companhia garante atendimento de qualidade em sua rede credenciada altamente especializada e está presente em todo território nacional, com mais de 17 mil opções de atendimento.