faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Sitemap


Articles from 2019 In September


Vila Nova Star realiza implante de prótese cardiovascular

implante cardio

Técnica minimamente invasiva melhora a circulação sanguínea no coração e reduz riscos de complicações como AVC e infecções em pacientes de alto risco

O Hospital Vila Nova Star, da Rede D’Or São Luiz, localizado em São Paulo (SP), com apenas quatro meses de atividades acaba de realizar um implante de válvula mitral percutâneo por via transeptal, técnica inovadora que substitui a válvula defeituosa do coração por uma prótese que auxilia na circulação sanguínea. Aprovado apenas em agosto deste ano pela ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o procedimento foi o primeiro realizado na América Latina sob a aprovação de seus respectivos órgãos regulatórios.

Considerada uma das intervenções mais complexas na área da cardiologia, o implante percutâneo de válvula mitral é um procedimento terapêutico que corrige o fluxo regulatório do sangue nessa válvula coração sem a necessidade de cirurgia, ou seja, é realizado através de um pequeno furo na região da virilha, sem cortes na pele do paciente.

“Essa técnica minimamente invasiva se tornou fundamental para o tratamento de pacientes que até pouco tempo não tinham possibilidade terapêutica devido ao alto risco para uma cirurgia convencional com tórax aberto e circulação extracorpórea. Desta forma, o implante minimiza as potenciais complicações como AVC, sangramentos e infecções, já na fase imediata”, explica o Dr. Vinicius Esteves, coordenador da cardiologia intervencionista do Hospital Vila Nova Star.

Ainda segundo o especialista, ao utilizar essa técnica inovadora, além da redução de risco e de uma recuperação pós cirúrgica bem mais rápida, espera-se que a longo prazo os benefícios sejam os mesmos obtidos com um procedimento cirúrgico, ou seja, melhora da sobrevida e da qualidade de vida dos pacientes, reduzindo os sintomas clássicos da insuficiência mitral.

O Dr. André Feldman, coordenador da cardiologia do Hospital Vila Nova Star e Dra. Olga F Souza diretora nacional da cardiologia reiteram que os hospitais da Rede D’ or já estão estruturados para oferecer os mais novos tratamentos nos diversos graus de complexidade das doenças cardíacas.

O que é insuficiência mitral?

Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) em 2018 apontou que as doenças cardiovasculares são responsáveis por 30% do total de mortes no País. Entre os problemas mais comuns está a insuficiência mitral, responsável por afetar uma em cada 10 pessoas com 75 anos ou mais. A doença pode ser de risco à vida, na qual uma válvula mitral, estrutura do coração que separa o ventrículo e o átrio esquerdo, causa um fluxo contrário de sangue no coração.

Essa condição pode demorar anos para aparecer, uma vez que se desenvolve de forma progressiva. Os sintomas mais indicativos são falta de ar, cansaço, tosse, palpitações e inchaços nos pés e tornozelos. Os tratamentos para a insuficiência mitral pode variar de acordo o grau da doença. Em casos mais graves, é recomendada a realização de cirurgia cardíaca para correção ou substituição da válvula mitral, como é o caso do implante.

Fresenius Medical Care consolida sua estratégia de marca em São Paulo

fresenius medical care

Nos três últimos anos, multinacional alemã focou na aquisição de sete centros de serviços de diálise na cidade e no investimento de uma nova base de Serviços de Nefrologia Hospitalar

A Fresenius Medical Care, líder mundial em produtos e serviços de nefrologia, presente em aproximadamente 150 países, se consolida no mercado de saúde de São Paulo como provedora de soluções completas para o cuidado de pacientes renais crônicos e agudos. O estado concentra 23% dos pacientes renais em tratamento no país, de acordo com a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN). No próximo dia 1º de outubro, a multinacional alemã realiza evento na cidade para anunciar a migração de marca de três de suas últimas aquisições. Os centros de nefrologia e diálise Santa Rita (Vila Mariana), MedServ (Morumbi) e UDT (Mooca) passam a se chamar Fresenius Medical Care, com a oferta de todos os serviços de padrão mundial de qualidade.

A mais recente aquisição da Fresenius Medical Care na capital paulista foi a Samarim, clínica localizada no Hospital Samaritano Higienópolis e que há 38 anos provê assistência nefrológica. Considerado uma das maiores referências de qualidade no atendimento e tecnologia de ponta no país, o Hospital Samaritano Higienópolis faz parte do UnitedHealth Group (UHG). A clínica Samarim atende cerca de 150 pacientes crônicos, realiza mais de 3.000 procedimentos em pacientes agudos por ano, sendo referência em nefrologia pediátrica e reconhecida por seu padrão de qualidade internacional.

Neste ano, também foi inaugurada na cidade uma moderna base de serviços de nefrologia hospitalar, localizada no bairro de Barra Funda, com 2.400m2, ampliando ainda mais a capacidade da Fresenius Medical Care em oferecer soluções para o serviço de diálise em ambiente hospitalar e também para pacientes em diálise domiciliar assistida. No estado, a multinacional detém ainda uma fábrica em Jaguariúna, na Região Metropolitana de Campinas.

"Onde quer que o paciente esteja, o nosso propósito é único: criar um futuro que vale a pena viver. Nós vemos potencial no Brasil e nos manteremos comprometidos em oferecer cuidado de diálise de alta qualidade. Por isso, é um privilégio estar conseguindo ampliar o acesso do doente renal brasileiro às melhores terapias, produtos e equipamentos existentes no mundo, através da nossa plataforma de serviços", destaca Edson Pereira, presidente da Fresenius Medical Care Brasil, confirmando a intenção da empresa em fazer novas aquisições de clínicas que estejam alinhadas à missão estratégica da companhia.

O evento de apresentação da rede de centros de diálise e da nova base de serviços de nefrologia hospitalar acontece na próxima terça-feira (1/10) na Casa Itaim. O encontro é fechado e deve reunir 100 pessoas do mercado de saúde de São Paulo. Na ocasião haverá mesa redonda com a participação de Daniel Greca, sócio-diretor líder de Healthcare da KPMG, e com a médica Marcia Makdisse, Fundadora e Chief Value Officer da CareCycle, que abordará o tema "Como implementar um modelo de remuneração baseado em valor".

Fresenius Medical Care

Em todo mundo, são 3.996 clínicas que atendem a mais de 339 mil pacientes. A Fresenius Medical Care está presente no Brasil há mais de 20 anos e conta hoje com uma rede com mais de 30 clínicas (Distrito Federal, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo) e três bases de serviço de nefrologia hospitalar, realizando mais de 1 milhão de atendimentos por ano.

Novo Programa Bem Panvel garante benefícios na hora para o consumidor

medicamentos-remédios
shutterstock

Rede de farmácias espera aumentar fidelização de clientes com o novo programa de relacionamento

Visando estar ainda mais próxima do cliente, a Panvel dá um importante passo em seu plano estratégico de 2019. No fim deste mês, a rede de farmácias lança o Bem Panvel, programa de relacionamento com o consumidor, garantindo preços especiais em medicamentos e produtos de higiene e beleza. Apresentado como evolução do programa de Fidelidade, a iniciativa tem como grande diferencial o benefício imediato para quem compra, sem a necessidade de acumular pontos, bastando apenas ter o CPF cadastrado. Atualmente, a rede conta com mais de 7 milhões de clientes registrados.

Os benefícios ocorrerão por meio de ofertas exclusivas para o cliente Bem Panvel, com promoções personalizadas conforme o perfil de compra do cliente em todos os canais de venda. De acordo com a gerente executiva de Desenvolvimento de Mercado do Grupo Dimed, Manuela Galetto Cardona, o Bem Panvel destaca-se como um programa democrático de vantagens. “O objetivo é valorizar o cliente conforme seu engajamento com a marca, o que é traduzido pelo slogan Quanto mais você é Bem Panvel, mais a Panvel é bem você”.

O novo programa evidencia o cliente como razão do negócio. A proposta é agregar valor a este relacionamento, fazendo com que o consumidor perceba todas as vantagens à disposição, alinhadas às suas preferências e necessidades. "Com o Bem Panvel, queremos que os clientes se sintam únicos, gerando facilidades na experiência com a marca em retribuição à fidelidade das pessoas”, afirma a Gerente Executiva de Marketing do Grupo Dimed, Maria Eduarda Soccal Bastos Gigena.

Baseado no conceito Omnichannel e conectado às diversas facilidades da marca, o Bem Panvel passa a funcionar a partir do próximo dia 30 de setembro para todos os clientes cadastrados na Panvel, seja no digital ou nas mais de 420 lojas distribuídas na Região Sul e São Paulo. Mais informações sobre o novo programa de relacionamento podem ser obtidas através do site.

Sobre a Panvel

Com quase 50 anos de história e cerca de 450 filiais no Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo, a Panvel está entre as principais redes de farmácias da Região Sul do Brasil. São 13 mil itens à venda, entre medicamentos e produtos de higiene e beleza, e mais de 700 Produtos Panvel, incluindo maquiagem, proteção solar, ortopédicos, infantis e cuidados masculinos. É uma rede multicanal, com lojas físicas conectadas à uma série de facilidades, como delivery Alô Panvel, Aplicativo Panvel, Serviço Click & Retire e loja online, com entrega para todo país.

A rede faz parte do Grupo Dimed, também detentor da distribuidora de medicamentos e produtos de higiene e beleza Dimed e do laboratório Lifar, divisão de desenvolvimento e fabricação de cosméticos, medicamentos e alimentos, responsável pela elaboração de produtos para grandes marcas no Brasil e no exterior, além dos produtos de marca própria Panvel.

A qualidade no atendimento e seu mix completo fidelizam seus clientes. A Panvel investe também em ações de responsabilidade socioambiental, com destaque para o Troco Amigo, que beneficia hospitais da Região Sul; Destino Certo, em que medicamentos vencidos ou em desuso são recolhidos e descartados de forma correta; e o Menos Sacolas na Natureza, que reduz o uso de sacolas plásticas.

Oito em cada dez usuários de planos de saúde não realizam checkup preventivo, revela pesquisa

Nurse measuring patient blood pressure
Nurse measuring patient blood pressure

Levantamento inédito da corretora It’sSeg mostra que baixa adesão ao benefício impacta em custos mais elevados e menor chance de diagnóstico precoce de doenças

A baixa adesão ao checkup preventivo está impactando diretamente nos custos totais dos planos de saúde e diminuindo a chance da descoberta de novas doenças em estágio inicial. De acordo com pesquisa inédita realizada pela corretora It’sSeg, terceira maior corretora de seguros do país especializada em gestão de benefícios, que avaliou um grupo específico de usuários elegíveis ao checkup disponibilizado pelo plano de saúde, oito em cada dez pessoas não realizam checkup preventivo.

O estudo foi realizado em agosto deste ano com o objetivo de identificar o comportamento de sinistros e média de eventos, de forma comparativa, entre aqueles que realizaram ou não o checkup. Foram contemplados nesse levantamento cerca de 64 mil vidas e 15 clientes da companhia.

Ao avaliar os indicadores, os usuários que não realizaram checkup registram despesas mais elevadas em relação àqueles que fizeram checkup em todos os itens analisados, como sinistro per capita (+2%) e custo de internação (+19,6%), associado a estas elevações, a taxa de internação por mil usuários também foi muito superior para os que não realizaram o checkup (+18,8%),

“Esse descaso com a saúde ainda é um problema cultural. O hábito de utilizar o sistema de saúde reativamente é um fator determinante para a precificação de um plano. E quem acaba pagando essa fatura mais elevada é o próprio usuário, que poderia realizar preventivamente o plano de saúde, independentemente de ter acesso a checkups, reduzindo riscos com sua saúde e despesas desnecessárias. Enquanto essa equação não for calibrada, ou seja, mais usuários aproveitando o benefício do checkup, a conta continuará elevada”, explica Thomaz Menezes, presidente da It’sSeg.

A média de eventos por beneficiário foi maior para aqueles que não realizaram o checkup em quase todos itens, exceto em terapias (-1,7%).  A alta foi superior em consultas (+5,1%), diagnose (+17,4%) e exames por consulta (+12,9%).

“Inclusive este aumento nas terapias pode ser considerado um fator positivo, pois é um procedimento importantíssimo para o tratamento ambulatorial, prevenção do risco e é muito menos invasivo”, relata Thomaz.

No quadro abaixo, ao avaliar o grupo elegível ao checkup (cerca de 4 mil vidas), os resultados obtidos demonstram o custo evitado de sinistro, caso integralmente esta população tivesse realizado checkup preventivo.

¹ Beneficiários elegíveis e que não realizaram o checkup.

“O impacto do diagnóstico precoce, especialmente em surgimento de doenças, é importantíssimo para tratamentos mais eficazes e possíveis, preservando a saúde e qualidade de vida do usuário. Comprovadamente o checkup é uma forma eficiente de rastreamento de grande parte das patologias, entre elas diversos tipos de câncer. Quando o diagnóstico dessa doença é descoberto em estágio mais avançado, pode custar 20 vezes mais caro se detectado em fase inicial, além de diminuir as chances de cura”, diz Menezes.

Sobre a It’sSeg Company

A It’sSeg Company é uma corretora, consultoria e administradora de benefícios formada a partir da integração inicial de quatro empresas: Torres, Grupo Raduan, Barela Seguros, Você Clube. Em 2016 a PMR Seguros se integrou à plataforma e, recentemente a MBS foi anunciada como nova integrante. O projeto se iniciou em 2014, com apoio do fundo inglês Actis. A empresa tem R$ 1.8 bilhão em prêmios anuais.

A nova Unidade Cardiovascular (UCV) no Mater Dei Contorno

4

A UCV engloba as Unidades Coronariana, de AVC e Pós-operatória reforçando a referência da Rede Mater Dei no tratamento das patologias cardiológicas, neurológicas e neurovasculares, de forma integrada e multidisciplinar.

Para o presidente da Rede Mater Dei, Henrique Salvador, “a nova UVC vem somar ao que já temos hoje na terapia intensiva e nas demais equipes da Rede para avançar ainda mais na qualidade da assistência e segurança dos pacientes. É resultado de um amadurecimento e evolução da interação das equipes médicas da cardiologia, da terapia intensiva, da neurologia e da vascular”, afirma.

O Mater Dei Santo Agostinho já possui a Unidade Cardiovascular. A implantação na Unidade Contorno vem ao encontro desse conceito de rede em que equipes compostas por médicos, enfermeiros, psicólogos, fisioterapeutas e fonoaudiólogos trabalham integrados para a melhor assistência ao paciente e à sua família. “Estamos comemorando e colocando toda a diretoria da Rede à disposição dessa equipe que encampou a ideia e está conosco nesse novo serviço. O Mater Dei da Contorno foi planejado, desde a sua concepção, para ser um hospital referência nos atendimentos de urgência e emergência, com tecnologia e fluxos diferenciados.

A UCV vem como um importante instrumento para tratar desses complexos pacientes de forma ainda mais uniforme e sinérgica”, afirma José Henrique Dias Salvador, diretor de operações Mater Dei Contorno. As equipes médicas são coordenadas por Anselmo Dornas e Cláudio Dornas que designaram Andrea Bahia e Sérgio Luís Ramos Pimenta para representar a Terapia Intensiva, a Neurologia está presente através da equipe coordenada por Julia Kallas e a cardiologia pela equipe coordenada pelo médico Luiz Guilherme Passaglia (Cardiologia). Os cirurgiões cardiovasculares, endovasculares e neurorradiologistas pelas equipes atuantes no Hospital Contorno. Integram ainda ao time, as equipes da Psicologia, Fisioterapia, Fonoaudiologia e Enfermagem. E é claro que a unidade está inserida em uma estrutura hospitalar de alta complexidade que dá suporte 24 horas com os serviços de medicina diagnóstica e especialistas de várias áreas médicas.

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL ALIADA À EXPERTISE MÉDICA DA REDE MATER DEI

A Rede Mater Dei de Saúde, de forma pioneira em Minas Gerais, adquiriu o software RAPID que vem integrar e ampliar a janela terapêutica do protocolo de Acidente Vascular Cerebral (AVC) adotado em toda Rede Mater Dei, o que inclui, além da unidade Contorno, a unidade Santo Agostinho e Betim-Contagem. “Um novo estudo concluiu que uma em cada quatro pessoas acima de 25 anos poderá ter um AVC em sua vida. Cada vez mais é importante que as Instituições de Saúde invistam em tecnologia para o melhor desfecho clínico: que significa não só salvar a vida deste paciente, mas também devolver este paciente à família e à sociedade sem sequelas ou com o menor número de sequelas possíveis.

É isso que estamos fazendo. Disponibilizando para os nossos pacientes a mais nova tecnologia utilizada no mundo e validada por resultados de estudos científicos. A pedido das equipes da neurologia clínica, neurocardiologia e neurocirurgia trouxemos para os nossos hospitais o Rapid, um software que acoplado aos nossos tomógrafos proporciona mais oportunidade e opções de tratamento para nossos pacientes e um suporte essencial para melhor decisão clínica de nossos médicos. Assim, integramos tecnologia, processos administrativos e clínicos assistenciais integrados para atingirmos a excelência.

O grande desafio agora é educar a população para os sinais e sintomas de AVC para que os pacientes cheguem o mais precocemente a nossa emergência - pois estamos prontos com o que há de mais moderno, e com as melhores equipes para atender estes pacientes, da porta, a medicina diagnóstica, passando pela neuro- intervenção endovascular e a recuperação em unidades próprias de recuperação para os casos de acidentes vasculares cerebrais e doenças cardíacas”, afirma Márcia Salvador, vice-presidente Assistencial e Operacional da Rede Mater Dei de Saúde.

O Rapid permite avaliação rápida, segura e precisa da área do cérebro que tem possibilidades de ser recuperada após uma desobstrução do fluxo. Com a aquisição do Rapid, a equipe tem condições de definir a área cerebral que está em sofrimento, mas que ainda se encontra na  penumbra isquêmica, o estágio aonde ainda não houve morte neuronal e que, com a intervenção adequada no tempo adequado, pode se recuperada.

Como é o Tempo Porta-agulha para AVC isquêmico

1) Paciente chega ao Pronto-socorro do Hospital

2) No atendimento inicial há a suspeita de AVC, uma equipe especializada é notificada sobre a situação do paciente

3) Rapidamente uma tomografia computadorizada é realizada e o diagnóstico dado a partir dos resultados do exame

4)  Aplicação da trombólise endovenosa e outras intervenções de acordo com o diagnóstico

Tempo Porta-agulha com o Software

1) Paciente chega ao Pronto-socorro do Hospital ou o Paciente pode estar em outro serviço de saúde, mas que não tenha a estrutura da Rede para tratamento de AVC

2) Paciente no PS da Rede: No atendimento inicial há a suspeita de AVC, uma equipe especializada é notificada sobre a situação do paciente

3) Rapidamente uma tomografia computadorizada é realizada e o diagnóstico dado a partir dos resultados do exame ou a equipe, no caso de pacientes externos, recebe a tomografia realizada em outro hospital e faça o diagnóstico e se estude o tratamento enquanto o paciente é transferido para um dos hospitais da Rede

4) Em tempo real, a equipe já recebe em seus dispositivos móveis, o resultado do exame do paciente com a análise feita pelo software divididas por cores. Em vermelho, a área já “isquemiada”, ou seja, que não tem chance de recuperação.  As demais cores demonstram as áreas do cérebro sem morte neural, podendo ser recuperadas 

5) Aplicação da trombólise endovenosa e outras intervenções de acordo com o diagnóstico “Com essa tecnologia, as equipes atuam de forma integrada desde a emergência, passando pela Medicina Diagnóstica, Hemodinâmica e Unidade Cardiovascular de terapia Intensiva  (UCV). Podemos tomar decisões mais objetivas e de maneira segura na assistência ao paciente com AVC minimizando as chances de sequelas, aumentando inclusive em até 24 horas a janela de tratamento”, destaca Felipe Salvador Ligório, diretor médico da Rede Mater Dei. 

Como a transformação digital pode ajudar a salvar vidas

certificado-digital-mac

O setor de Saúde é um dos que mais necessita dos dados pessoais e do histórico de seus clientes para oferecer um serviço completo. Desde exames de rotinas a check-ups complexos, as informações dos pacientes são fundamentais para a chegada a um diagnóstico preciso e definição do tratamento mais adequado.

Como os dados são delicados, fica fácil entender porque os profissionais da área se preocupam tanto com a segurança das informações. Nesse setor, basta um leve descuido para que um vazamento exponha as particularidades de um paciente. Um projeto aprovado recentemente pode representar um ganho para o healthcare. Lei Geral de Privacidade dos Dados regulamenta a utilização, proteção e transferência dos dados de pessoas no País, garantindo maior controle da utilização dessas informações.

Porém, mesmo amparado pela lei, dúvidas sobre como aumentar a produtividade utilizando a tecnologia de maneira favorável ainda podem surgir. É possível controlar o acesso e a virtualização das aplicações na ponta, garantindo segurança independentemente dos dispositivos que os profissionais estiverem usando.

Para isso, uma das soluções é implementar o smart card, um cartão inteligente que possibilita o acesso dos profissionais às informações médicas com base na identificação pessoal. O procedimento pode ser feito nos dispositivos móveis dos próprios usuários e também nos devices da instituição, fornecendo acessos controlados e individuais. Desta forma, hospitais e clínicas protegem a intimidade de pacientes, evitando, por exemplo, o vazamento de fotos de vítimas de acidentes ao bloquear a câmera dos smartphones quando os profissionais estiverem em perímetros sigilosos, além de ajudar as instituições a se resguardarem de práticas condenáveis, como a utilização de perfis de médicos por enfermeiras.

Com o uso desses crachás, os hospitais e consultórios ganham também um aumento na produtividade, eliminando o gap de um profissional que precisa acessar ao sistema muitas vezes ao dia. Imagine quanto tempo cada funcionário conseguirá economizar sem a necessidade de digitar login e senha toda vez que for acessá-lo. Considere ainda que muitos trabalham em vários hospitais e não conseguem memorizar todas as chaves de acesso.

A tecnologia também entra em discussão quando o assunto é agilizar o atendimento, pois o tempo perdido para buscar os exames e históricos pode custar a vida do paciente. Hoje, ao visitar o paciente em um leito, é necessário buscar as informações em um desktop e decorá-las até chegar ao quarto. Se o médico escolhe anotar, passa a depender de um papel colado na cama e que pode estar desatualizado ou com uma letra incompreensível. Os celulares e tablets, por sua vez, permitem aos médicos e enfermeiros atenderem ao paciente de forma padronizada e mais humanizada, com todas as informações em mãos.

A TI também pode auxiliar no controle dos medicamentos, equipamentos e utensílios. Desta forma, sempre que for preciso retirar do estoque algum remédio, o profissional responsável o escaneia antes de aplicá-lo, garantindo que o medicamento está adequado.  Atualmente, essa operação é muito manual e dependente de papeis e etiquetas, impondo ao profissional a conferência da receita médica, do remédio e da pulseira do paciente. Nesta confusão de informações, ele fica mais sujeito a erros.

O uso dessa tecnologia também ajuda a evitar perdas ou roubos de insumos. Caso um funcionário leve dois catéteres da farmácia e utilize apenas um, é possível rastrear toda a jornada deste instrumento e atribuir deveres aos responsáveis por eles.

Estas soluções já começam a ser vistas no Brasil, mas ainda são movimentos tímidos e isolados. Para que a área médica e hospitalar não permaneça na inércia e no atraso, é preciso haver uma releitura de seus processos, buscando soluções mais modernas e tecnológicas. Vivemos uma tendência do uso de dispositivos móveis e informações em tempo real, transformações que podem ajudar não só os pacientes, mas também médicos, enfermeiros e até os administradores das instituições. Por isso, não tenham medo do novo, ele pode salvar vidas!

Sobre a autora

Edna Massuda, diretora da área digital workspace da VMware América Latina

Solução Blockchain desenvolvida pelo CPQD dá suporte a rede de compartilhamento de medicamentos N2Med Ledger

N2Med Ledger

O desperdício de medicamentos, causado principalmente pelo vencimento do seu prazo de validade, é um problema sério no Brasil - em alguns casos, a perda chega a 30%. Por outro lado, em todo o país, hospitais e farmácias, públicos e privados, sofrem com a falta de medicamentos, especialmente os de custo mais alto. Com o objetivo de conciliar essas duas situações, combatendo o desperdício, foi criada uma rede de compartilhamento de medicamentos que utiliza tecnologia Blockchain para dar segurança às transações e, ainda, garantir que elas sejam realizadas de acordo com as normas da Anvisa - Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Batizada de N2Med Ledger, a nova rede tem como base uma solução Blockchain desenvolvida pelo CPQD, com o apoio da EMBRAPII, do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas) e da N2M-I Technology Ventures. “O foco inicial da N2Med Ledger são os medicamentos em risco de expirar o prazo de validade”, afirma Lourran Carvalho, farmacêutica pesquisadora e idealizadora do projeto. Segundo ela, estudos indicam que o setor de saúde pública poderia poupar pelo menos R$ 1 bilhão por ano, ao evitar o vencimento do prazo de validade dos medicamentos.

Lourran conta que, atualmente, já existe uma prática informal de troca de informações entre farmácias hospitalares sobre medicamentos disponíveis que estão com validade próxima do vencimento. “Com a nova rede, essas informações podem ser trocadas de forma mais ampla, com segurança e confiabilidade propiciadas pela tecnologia Blockchain”, acrescenta.

Na N2Med Ledger, as organizações cadastradas (farmácias, hospitais, laboratórios e entidades sociais) podem realizar a troca, empréstimo ou doação de medicamentos liberados pela Anvisa. Lourran destaca que tudo é feito com base em regras estabelecidas por consenso em contratos inteligentes.

Fernando Marino, líder técnico em Blockchain do CPQD, explica que os contratos inteligentes são usados tanto na validação do medicamento - que leva em conta seu prazo de validade e as normas da Anvisa, entre outros fatores - como na autorização da transação a ser realizada. “Todos os registros acontecem na rede (ledger) que conecta as instituições, o que desburocratiza e traz agilidade ao processo, ao dispensar diversos documentos necessários para formalizar a troca, empréstimo ou a doação de medicamentos”, afirma. “Com isso, uma transação que levava dias para ser concluída agora pode ser realizada em segundos, e com total confiabilidade para todos os envolvidos”, ressalta Marino.

Outra vantagem oferecida pela solução, desenvolvida em plataforma Hyperledger Fabric, está na garantia de rastreabilidade dos medicamentos (que têm suas informações registradas na rede) e também das transações realizadas. “Isso cria uma cadeia de responsabilidade e dá mais segurança legal às partes que estão negociando a troca”, destaca Israel Murakami, presidente da Associação Brasileira de Farmacêuticos Atuantes em Saúde Pública (ABFASP), que já fez parceria com a N2Med Ledger. “Essa rede permitirá disseminar o compartilhamento de medicamentos no país, reduzindo os transtornos relacionados ao descarte de produtos com prazo de validade vencido”, conclui.

Sobre o CPQD

Com foco na inovação em tecnologias da informação e comunicação, o CPQD mantém um portfólio abrangente de soluções que são utilizadas nos mais diversos segmentos de mercado, no Brasil e no exterior, e aceleram a geração de valor no processo de transformação digital contribuindo para a excelência operacional das organizações, a transformação da experiência dos usuários, a reinvenção de modelos de negócios, a segurança e conformidade e a criação de novos produtos. Referência tecnológica no país, o CPQD integra o ecossistema de inovação aberta que vem alavancando o empreendedorismo, por meio de sua notória competência em Internet das Coisas, Inteligência Artificial, Conectividade, Blockchain e Mobilidade Elétrica. O CPQD é uma organização privada, com mais de 40 anos, que entrega serviços e desenvolve tecnologias de produtos e de sistemas de missão crítica aderentes às necessidades complexas do mercado. Esses são resultados do seu programa de P,D&I, que é a base para inovação em seus temas estratégicos no futuro das cidades inteligentes, do agronegócio inteligente e da manufatura avançada. O CPQD atua em toda a jornada de inovação - da ideia à implementação - e é apaixonado pela tecnologia que gera o desenvolvimento, o progresso e promove o bem-estar da sociedade.

Pró-Saúde: a missão de levar mais de 900 médicos para a Amazônia

readmissão hospitalar

Em 2018, foram 2,6 milhões de atendimentos em saúde em três estados na área de abrangência da floresta

Presente nas cinco regiões do Brasil e acostumada a gerenciar hospitais de grande porte nas capitais, a Pró-Saúde, há mais de duas décadas, realiza a gestão de unidades de saúde na região Amazônica. Com 52 anos de existência, é responsável pelo gerenciamento de 12 hospitais só na região da floresta. A entidade filantrópica está presente nos estados do Mato Grosso, Pará, Rondônia e Acre. Ao todo, concentra 916 médicos, de diversas especialidades, em lugares remotos como Guajará-Mirim (RO), Cáceres (MT), Parauapebas (PA), Canaã dos Carajás (PA), Oriximiná (PA), Altamira (PA) entre outros.

As 12 unidades hospitalares realizaram, juntas, cerca de 2,6 milhões de atendimentos no ano passado, entre consultas, partos, internações, cirurgias, atendimentos ambulatoriais e de emergência, além de exames laboratoriais. Somente no primeiro semestre de 2019, já foram quase 1,5 milhão de atendimentos. Números que expressam a importância destes serviços para milhões de habitantes que possuem acesso limitado à rede de água e esgoto e enfrentam a escassez de recursos e investimentos.

Uma das principais preocupações da gestão da Pró-Saúde é com o respeito aos recursos naturais. A sustentabilidade é prática essencial na preservação da natureza e do meio ambiente. As unidades adotam práticas sustentáveis, entre elas o descarte correto do lixo, coleta seletiva, tratamento do esgoto gerado e incentivo à economia de energia, para minimizar os impactos ambientais causados por suas atividades.

Um dos desafios enfrentados pela entidade está no estímulo contínuo do interesse dos profissionais em atuar em áreas remotas. Para a resolução desta questão, a diretoria corporativa Médica atua no trabalho de captação e desenvolvimento de profissionais para atuação em todo o território, uma vez que a Pró-Saúde está presente em 23 cidades de 11 Estados brasileiros. “Mais uma estratégia de destaque é trabalhar em parceria com prestadores de serviços médicos de atuação nacional, o que potencializa a capilarização de profissionais em todo o país”, ressalta Miguel Paulo Duarte Neto, diretor Executivo-Geral da Pró-Saúde.

Outra dificuldade ocasionada pela localização remota das unidades na região amazônica é o abastecimento de produtos hospitalares. Porém, a questão vem sendo superada pela entidade com a implantação de uma central de compras localizada na sede da entidade, em São Paulo. O setor é responsável por realizar o abastecimento de toda a rede, proporcionando transparência aos processos, além da segurança de reposição dos insumos em todas as unidades, mesmo as mais remotas. “Um fator fundamental que contribui para a realização de uma gestão nessas áreas longínquas é o fato da entidade possuir uma equipe multidisciplinar de consultores — formada por médicos, enfermeiros, administradores, especialistas em hotelaria, custos, entre outros — que promovem auditorias e consultorias regulares nos hospitais, além do monitoramento periódico do desempenho assistencial, econômico e de processos da unidade”, complementa Miguel.

Atenta aos assuntos relevantes para a sociedade, as unidades gerenciadas desenvolvem um importante papel junto às comunidades em que estão inseridas, levando além de atendimento, informação e assistência. A Pró-Saúde é uma entidade com valores cristãos e tem como missão promover soluções na área da saúde, educação e assistencial, prezando pela excelência e integridade de seus princípios organizacionais e de governança corporativa. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade.

Reconhecimento internacional

A excelência dos serviços gerenciados pela Pró-Saúde é reconhecida por meio de certificações conquistadas ao longo do tempo. Hoje, a entidade possui seis hospitais da região Amazônica com certificação da Organização Nacional de Acreditação (ONA), a mais importante e respeitada entidade avaliadora da qualidade dos serviços de saúde do Brasil. Destes, dois já alcançaram o nível máximo, Acreditado com Excelência (ONA 3). São eles: os hospitais Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, e Regional Público da Transamazônica, em Altamira, no Pará. Ambos figuram entre os dez melhores hospitais públicos do País, em ranking divulgado pela imprensa.

Outras duas unidades da região já receberam, neste mês, a indicação para acreditação ONA 3. O Hospital Público Estadual Galileu, uma unidade de retaguarda, que atende baixa e média complexidades e o Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, primeira unidade pública e especializada em câncer infantojuvenil na região amazônica, que somou cerca de 274 mil atendimentos em 2018.

No âmbito privado, a Pró-Saúde também certificou o Hospital Yutaka Takeda, em Parauapebas, protagonizando um feito incomum: em sua primeira experiência de certificação, a unidade conquistou, diretamente, o segundo nível mais importante de qualidade, a ONA 2.

Há ainda outros certificados e prêmios de destaque, como o inédito Selo do Programa Nacional de Qualidade do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), o selo internacional Green Kitchen, concedido anualmente pela Fundação para a Pesquisa em Arquitetura e Meio Ambiente (Fupam), o Prêmio Amigo do Meio Ambiente, o selo "Materiality Disclosures”, emitido pela Global Reporting Initiative (GRI), entidade sem fins-lucrativos sediada na Holanda, que estimula e reconhece, em escala mundial, a inclusão de práticas sustentáveis entre outros.

Vale citar ainda o selo Amigo da Criança, habilitação concedida pela Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC) aos hospitais que realizam o cumprimento dos 10 passos para o sucesso da amamentação, instituído pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Participação na Assembleia Sinodal

No mês de outubro, será realizada a Assembleia Sinodal com o tema “Amazônia: novos caminhos para a Igreja e para uma ecologia integral”. O Sínodo é uma instituição permanente da Igreja Católica e consiste em um encontro religioso na qual bispos, reunidos com o Papa, têm a oportunidade de trocarem informações e compartilhar experiências.  De acordo com o Papa Francisco, que convocou o Sínodo em 2017, “o objetivo principal desta convocação é identificar novos caminhos para a evangelização daquela porção do Povo de Deus, especialmente dos indígenas, frequentemente esquecidos e sem perspectivas de um futuro sereno, também por causa da crise da Floresta Amazônica, pulmão de capital importância para nosso planeta”. A Pró-Saúde, alinhada com essa preocupação e atenta à questão, apoia o tema e participará ativamente desta discussão.

  • Conheça mais sobre as unidades gerenciadas no site da Pró-Saúde, no menu “Onde Estamos”.
  • Veja os vídeos das unidades localizadas na região Amazônica em nosso perfil no Youtube.

Sobre a Pró-Saúde

A Pró-Saúde é uma entidade filantrópica que realiza a gestão de serviços de saúde e administração hospitalar há mais de 50 anos. Seu trabalho de inteligência visa a promoção da qualidade, humanização e sustentabilidade. Com 16 mil colaboradores e mais de 1 milhão de pacientes atendidos por mês, é uma das maiores do mercado em que atua no Brasil. Atualmente realiza a gestão de unidades de saúde presentes em 23 cidades de 11 Estados brasileiros — a maioria no âmbito do SUS (Sistema Único de Saúde). Atua amparada por seus princípios organizacionais, governança corporativa, política de integridade e valores cristãos.

A criação da Pró-Saúde fez parte de um movimento que estava à frente de seu tempo: a profissionalização da ação beneficente na saúde, um passo necessário para a melhoria da qualidade do atendimento aos pacientes que não podiam pagar pelo serviço. O padre Niversindo Antônio Cherubin, defensor da gestão profissional da saúde e também pioneiro na criação de cursos de Administração Hospitalar no País, foi o primeiro presidente da instituição.

Dentista digital: conheça inovação que chega ao Brasil para revolucionar tratamentos odontológicos

dentisplay

De acordo com dados do Conselho Federal de Odontologia (CFO), o Brasil é o país com o maior número de dentistas no mundo e, o mercado odontológico não para de crescer. É o caso da gigante Dentsply Sirona -, que após fusão dos dois players (Dentsply e Sirona), em 2016, se tornou o maior fabricante mundial de produtos e tecnologias odontológicas. No Brasil desde 2010, a companhia faz grandes apostas no mercado nacional ainda para este ano. A sede brasileira representa 65% das vendas da empresa em toda a América Latina e pretende alavancar o setor com seu novo lançamento Primescan - conhecido como “iPhone dos Dentistas”. O equipamento de escaneamento digital - que já tem fãs no mundo todo - chega ao país para conquistar o mercado ao utilizar nova geração de tecnologia 3D para tratamentos odontológicos.

Com lançamento marcado para o dia 18 de setembro, durante evento em Belo Horizonte - MG, o Primescan promete revolucionar a Odontologia e seus tratamentos, aposentando as moldagens tradicionais - que são desconfortáveis e sujeitas a distorções. O scanner intraoral da Dentsply Sirona permite que essas moldagens sejam feitas em poucos cliques: uma moldagem completa da mandíbula, por exemplo, pode ser concluída em apenas dois ou três minutos. Além disso, é possível produzir um único dente por meio de uma fresadora, em poucos minutos. 

Transformação digital nos consultórios

O equipamento é touchscreen, fácil de usar e torna mais rápido o processo de escaneamento dentário. A novidade ainda possibilita a captura de até 1 milhão de pontos de dados 3D por segundo. “É mais do que uma moldagem 3D, o Primescan permite a digitalização de toda boca, até mesmo as áreas mais profundas. Com a alta tecnologia do equipamento, os profissionais podem capturar praticamente todas as superfícies dos dentes com alta nitidez - garantindo, assim, um modelo 3D muito detalhado”, explica Rodrigo Canelhas, Vice-Presidente e Gerente Geral da Dentsply Sirona América Latina.

Mais conforto para o paciente

A tecnologia veio para aprimorar tanto a rotina dos profissionais quanto o tratamento do paciente. “Os dentistas ganham em tempo de trabalho, produtividade, qualidade e precisão, minimizando erros. Já para o paciente, o procedimento é confortável e rápido, permitindo que diversas etapas do tratamento odontológico sejam feitas em um único dia", o que diminui com as idas e vindas ao consultório”, explica.

Nova plataforma facilita gestão de medicamentos nas farmácias

Abstract blur and defocused pharmacy and drug store
Abstract blur and defocused pharmacy and drug store interior for background

Novo portal da ePharma já beneficia 27 mil estabelecimentos

Referência na gestão de programas de benefícios de medicamentos no mundo corporativo, a ePharma está lançando uma plataforma exclusiva para as cerca de 27 mil farmácias que integram sua rede credenciada em todo o Brasil. No próximo dia 7 de outubro, a empresa coloca no ar o portal, com a proposta de ser ainda mais transparente e estreitar o canal de relacionamento com o varejo farmacêutico.

“O portal também é uma ferramenta comercial estratégica para o grande varejo e pode se tornar ainda mais valioso no caso das redes médias e das farmácias independentes que aderirem à solução. Isso porque elas carecem de estruturas internas para coletar e catalogar indicadores relacionados à venda de medicamentos”, avalia Bruna De Vivo, gerente de desenvolvimento de negócios. “Os resultados obtidos com a plataforma, inclusive, servirão de parâmetro para a elaboração de portais específicos para empresas, indústrias e beneficiários”, acrescenta.

O novo canal concentra todas as transações do sistema autorizador e ainda automatiza a resolução de demandas mais complexas, relacionadas a rotinas como as reposições indiretas via distribuidor. “A farmácia pode acompanhar em tempo real o status de seu pedido e ainda realizar alterações de forma ágil e automática, no que se refere a processos como a ordem dos distribuidores e o tipo de reposição – loja a loja ou centralizada”, exemplifica.

As redes também têm acesso a relatórios de conciliação e dashboards que mensuram os indicadores financeiros de cada operação, o volume de vendas segmentado por loja, estado, cidade, produto e categoria, além do tíquete médio geral e em cada um desses quesitos. Outra vantagem é que os gestores poderão cadastrar um número ilimitado de profissionais do ponto de venda e customizar o acesso à plataforma, de acordo com as respectivas hierarquias e políticas de privacidade. As farmácias que já fazem parte do sistema da ePharma poderão esclarecer dúvidas pelo Alô Farmácia, por meio do telefone 4002-1600.

A operação da ePharma estende-se hoje por 3 mil municípios do país, viabilizando a dispensação de medicamentos nos programas de benefícios e nas parcerias com a indústria farmacêutica, que envolvem remédios para doenças crônicas e de alta complexidade. Entre janeiro e agosto deste ano, mais de 17 milhões de transações foram realizadas por meio do sistema autorizador.

Sobre a ePharma

Fundada em 1999, a ePharma é referência no gerenciamento de programas de benefícios de medicamentos (PBM) no Brasil, estando conectada nacionalmente a 27.649 mil farmácias, 1.322 clínicas médicas e laboratórios de diagnóstico. É parceira do programa Aqui tem Farmácia Popular. Nos últimos anos, vem diversificando sua atuação ao trazer novas soluções em assistência farmacêutica, gestão de saúde populacional e acompanhamento de pacientes que utilizam medicamentos de uso contínuo e de alto custo. Tem como clientes a indústria farmacêutica, operadoras de saúde e empresas de variados portes.