faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Atendimentos médicos eletivos são retomados e já superam 2019

Divulgação saude business_grupo surgical.png
Levantamento feito pelo Grupo Surgical aponta que a procura já é maior que no período pré-pandemia

Depois de uma queda considerável em 2020 por causa da pandemia, os procedimentos médicos eletivos, como cirurgias e consultas, estão sendo retomados e já superaram, inclusive, números de 2019, antes da chegada da covid-19. Levantamento do Grupo Surgical, que atende em hospitais e clínicas de Campinas, Valinhos e Vinhedo, aponta um crescimento de 11,6% no número de cirurgias e de 18,8% no número de consultas, se comparado a dados de 2019. Em relação a 2020, os números são muito maiores.

Dados do grupo mostram que de janeiro a setembro de 2020, houve uma queda de 52% no número de consultas ambulatoriais, quando comparado ao ano anterior. Já nos primeiros nove meses de 2021, o número foi 52% maior que no mesmo período do ano passado e 18,8% maior que de janeiro a setembro de 2019, quando ainda não havia pandemia.

No caso das cirurgias eletivas, dados de janeiro a agosto deste ano apontam um crescimento de 94,2% em relação ao mesmo período do ano passado e de 11,6% em relação aos primeiros oito meses de 2019. “No ano passado e no início deste ano, tivemos muitas restrições para a realização de procedimentos eletivos. Além da falta de capacidade dos hospitais, também havia a insegurança da população, que tinha medo de frequentar ambientes médicos e se contaminar”, explica o CEO do Grupo Surgical e um dos fundadores da Clínica Surgical Medicina Integrada, Bruno Pereira, que é cirurgião geral, de urgência, emergência e trauma.

Para ele, essa retomada tem vários prontos positivos e um dos principais é evitar que casos se agravem, como aconteceu no auge da pandemia. “Houve momentos, em que os números e a gravidade das cirurgias de urgência e emergência aumentaram muito. Como as pessoas adiavam a ida aos hospitais, quando chegavam, os casos estavam muito mais graves. Além disso, muitas cirurgias que poderiam ter sido eletivas se agravaram e se transformaram em de urgência e emergência”, conta o cirurgião.

Pereira orienta que todas as pessoas que não fizeram acompanhamento médico neste período, retomem suas rotinas. “Qualquer problema de saúde diagnosticado precocemente tem mais chances de cura. A prevenção também é muito importante. Por isso, todos devem procurar seus médicos e ver se está tudo certo com a saúde. Clínicas e hospitais se adaptaram a este novo cenário, com rígidos protocolos de segurança, para que todos possam se consultar, fazer exames e até cirurgias de maneira tranquila e segura”, destaca.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar