faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

Porque os enfermeiros são a chave para uma estratégia sólida de saúde aliada à tecnologia

enfermeira
Shutterstock

Responsáveis pelo dia-a-dia com os pacientes, enfermeiros costumam estar mais integrados às necessidades de gestão

Os desafios para a gestão bem sucedida de um ambiente hospitalar são muitos, como por exemplo, estar alinhado às necessidades, às constantes transformações, às novas determinações e normas técnicas dos órgãos regulamentadores. Tudo isso, envolve uma atenção ao cotidiano do hospital, de seus pacientes e equipe. Função destinada, na maioria das vezes, aos enfermeiros que compõem o quadro de funcionários.

São os enfermeiros que muitas vezes possuem um contato mais próximo com os pacientes e têm uma visão integral e transversal das necessidades e, assim, das soluções necessárias para o bom andamento da gestão hospitalar.

Somado a isso, o uso da tecnologia para integrar sistemas no setor é uma prática cada vez mais comum, no entanto, muitos hospitais ainda se encontram atrasados nesse quesito. Segundo Érika Monteiro, sócia fundadora e COO da Carefy, empresa especializada na gestão e monitoramento de internações hospitalares, a transformação digital parece uma realidade distante para muitas entidades.

“A pandemia de coronavírus parece ter jogado uma luz na questão da necessidade de digitalização dentro desses espaços, mas para além disso, ao longo desses anos trabalhando com a Carefy, percebemos diversas dificuldades e desafios que poderiam ser facilmente resolvidos com soluções amparadas em sistemas integrados entre os funcionários do hospital, com o uso de dispositivos móveis para o monitoramento em tempo real.”, destaca Érika.

A gestão de leitos e internações foi outro ponto de destaque que ganhou força nos últimos meses. Com a iminência de uma superlotação nos hospitais devido à pandemia, muitas organizações se viram obrigadas a atualizar seus sistemas e operações, recorrendo à uma transformação digital para evitar que problemas com a gestão de leitos inviabilizassem o atendimento de pessoas que procurassem os serviços.

Além disso, este ano entrou em vigor ainda, a Resolução Normativa 452 da Agência Nacional de Saúde Suplementar que dispõe sobre o Programa de Acreditação de Operadoras de Planos Privados de Assistência à Saúde. A RN funciona como uma certificação de boas práticas para gestão das organizações de saúde, com o objetivo de oferecer uma melhor experiência para o beneficiário.

“Os hospitais e operadoras de planos de saúde estão tendo que passar por um momento de readequação para se encaixar a essa nova norma técnica e também aos desafios trazidos pela pandemia, por isso é tão importante a participação de toda a equipe nesse processo para que nenhuma área fique desamparada.” completa Erika.