faz parte da divisão da Informa PLC

Este site é operado por uma empresa ou empresas de propriedade da Informa PLC e todos os direitos autorais residem com eles. A sede da Informa PLC é 5 Howick Place, Londres SW1P 1WG. Registrado na Inglaterra e no País de Gales. Número 8860726.

CEO da Telehybrida sobre o crescimento da telemedicina no setor da saúde

saude business_telemedicina telehybrida.png
Dra. Ana Vicenzi, médica e fundadora da Telehybrida, fala sobre a importância e o crescimento da telemedicina no Brasil.

DivulgaçãoDra. Ana Vicenzi

Dra. Ana Vicenzi

Durante a pandemia do novo coronavírus várias pessoas tiveram que se adequar a uma situação completamente nova, e lidar com consultas médicas em um período tão complicado foi desafiador para muitos. Com isso, a área da telemedicina tem ganhado espaço entre as principais redes de saúde, agregando uma nova forma de atender pacientes das mais diversas localidades.

A Telehybrida tem se tornado referência em teleconsultas no Brasil, e a Dra. Ana Vicenzi, médica e fundadora da startup de inteligência na construção de serviços em telessaúde, conta um pouco sobre como funciona o processo de implementação desse método de atendimento: “Quando a Telehybrida é contratada por alguma clínica, criamos um design de serviço específico para as necessidades daquele local. Levando em conta pontos de contato, quais as fragilidades e como a telemedicina pode agregar nessa unidade. Além disso, mapeamos a jornada física de atendimento, criando a partir daí uma nova jornada híbrida para essa clínica, apresentando todos os parceiros tecnológicos necessários para o início do projeto”, diz a especialista.

Mas a empresa não atende apenas clínicas e hospitais que querem ingressar agora nesse mundo. A Telehybrida tem um vasto serviço de assessoria para unidades de saúde que já implementaram o sistema de telemedicina, mas ainda não conseguiram tirar o melhor desse método: “Clínicas que já tem esse sistema no seu leque de atendimento, mas não conseguiram desenhar uma jornada satisfatória para os pacientes, ou que não estão vendo retorno financeiro ideal, podem otimizar esse processo conosco”, adiciona Ana Vicenzi.

Sobre o tempo investido para implementar o projeto, a especialista conta que o prazo inicial é de pelo menos três meses: “Pode ser estendido por um período maior, mas geralmente os trabalhos levam em média três meses de implantação com mais seis meses de manutenção e ajustes”, pontua.

A CEO da Telehyrida destaca que a startup quer desmistificar alguns conceitos errôneos, e ainda deixa claro que a telemedicina pode ser aplicada em áreas da saúde que muitas pessoas não imaginam: “Queremos desmistificar que é apenas colocar um médico dentro de uma plataforma. Existe um trabalho pensado para cada público específico, mapeando a jornada do paciente e usando a telemedicina em momentos estratégicos. Isso aumenta a adesão de clientes e traz uma nova forma de remuneração para a clínica”, conta a especialista.

A Dra. Ana Vicenzi também relata que o novo método é funcional para diversas áreas da medicina. “Não só a telemedicina, mas também a Psicologia, Nutrição e até Fisioterapia podem ser feitas de maneira remota. Por isso, tanto as clínicas médicas quanto de multiespecialidades, que tem procedimentos físicos e querem ampliar suas técnicas usando processos digitais, podem fazer isso com a ajuda da Telehybrida”, finaliza.

Ocultar comentários
account-default-image

Comments

  • Allowed HTML tags: <em> <strong> <blockquote> <br> <p>

Plain text

  • No HTML tags allowed.
  • Web page addresses and e-mail addresses turn into links automatically.
  • Lines and paragraphs break automatically.
Publicar